Amo meu marido e sou tarada pelo meu filho

Sou louca pelo meu filho. Ele realmente é meu marido na cama e meu marido é meu filho na vida.

Vou relatar um dos meus momentos com meu rapaz; jovem e viril.

Eu estava tomando banho, o chuveiro fazendo vapor; meu filho entrou, trancou a porta. Meu coração acelerou quando ele tirou a a camisa e o shorts. Estremeci ao ver seu belo corpo. Esta libertinagem pura pelo meu filho surgiu dentro de mim.

“Mamãe não tem muito tempo…!” Eu disse.

Sorriu para mim, seus olhos brilharam, seu <pênis> estava um duro rochedo.

Ele entrou no box e meu <cú> piscou. Eu estava tentada a fazer alguma coisa anormal, penetrante. Sempre adorei fazer . Eu e meu marido sempre fizemos isso. Eu quero sentir o quão ótimo será meu filho comer minha .

Ele borrifou água em meus seios, mordiscou meus mamilos e a água escorrendo em meu corpo.

Meu garoto, embaixo da ducha, ajoelhou-se e com a palma da mão encharcou de água meu arbusto de pentelho; depois

correu com seus lábios os meus lábios vaginais.

Meu filho lubrificou seu grosso. Ele cobriu seu de gel, fazendo-o brilhar. Balançou sua em minha e amei seu toque nervoso em minhas nádegas.

Sua mão empinou meu traseiro. Ele passou sua na minha . Eu bufei quando sua deslizou para meu <cú>.

Ele encostou a cabecinha. Meus olhos se agitaram. Eu gemi doído. Meu coração disparou. Seu lubrificado entrou em mim.

Foi incrível. Eu ofeguei quando meu se rendeu ao meu filho.

Ele me fodeu forte e rápido.

Foi uma coisa maravilhosa!

No dia seguinte, de manhã, fui à cozinha preparar nosso café. Pouco tempo depois, meu garoto apareceu e me agarrou por trás, beijando meu pescoço e minha orelha, passando as mãos em minha >. Estava louco para fazer amor e eu, com sua bolinação, já estava com tesão.

Não aguentamos; ele tirou sua para fora do pijama, eu tirei minha calcinha, suspendi meu vestido e ele adentrou

na minha . Metendo de pé, minhas partes de baixo ficaram em brasa e nos beijamos enlouquecidamente. Gozamos juntos. Minha foi inundada pelo seu esperma quente.

Escutamos passes descendo a escada e nos desvencilhamos. Era minha filha e meu marido. Vieram fazer o desjejum; ela estava indo para a faculdade e ele ia trabalhar. Meu filho disse que não ia para a faculdade porque estava com muita dor-de-cabeça. Falou isso e olhou para mim, com um olhar de safadinho.

Ficamos a sós e fomos para o sofá da sala.

Deitados sobre o sofá e ele sobre mim, senti seu em minha já molhada.

Estando dentro de mim, a foi saindo, saindo e só a cabecinha permaneceu; após esperar alguns segundos a impôs um ritmo acelerado, que me fez gemer e sentir o vai-e-volta no fundo de minha . Atingimos o auge e exaustos nos relaxamos na sala mesmo.

Meu filho ainda vai me desgastar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *