Traí meu marido com um adolescente

Primeiramente vou me apresentar, já estou na casa dos 40 anos muito bem cuidados, mas depois de muita malhação e uma turbinada de silicone aparento estar na casa dos 30 ainda. Na verdade não sou casada no papel, mas moramos juntos já fazem muitos anos, sempre tivemos uma boa relação, e o que vou relatar aqui, não aconteceu por falta de amor ou carinho do meu marido, eu não procurei, jamais pensei em trair ele, então, isso simplesmente aconteceu.

Sou uma mulher normal, normal no sentido de que meu tipo físico não é de nenhuma modelo, tenho a pele branca, cabelos loiros lisos e olhos azuis, 1,63 e altura 58kilos, seios siliconados, pernas grossas, e uma bunda que chama atenção por onde passo.
Como falei, sempre tivemos uma boa relação, além de matrimonialmente falando, também somos bem resolvidos financeiramente, e temos nossa independência, meu marido é empresário, e eu trabalho em uma empresa recrutadora de emprego e estágio, na parte administrativa de contratação e direcionamento de jovens

aprendizes e assim, atuo em bastante contato com alunos do ensino médio e de faculdade, a grande maioria adolescentes, entre 16 e 18 anos, em busca do primeiro emprego.
Enfim, no ano passado, conheci um aluno do ensino médio que vinha buscando o primeiro emprego através de estágios há um bom tempo. Deveria ter uns 17 anos e sempre ia e vinha das empresas, ficava 2, 3 meses e não se estabilizava. Quando isso acontece nós chamamos o aluno para cursos de capacitação, coisas básicas de

escritório, atendimento, comunicação, e duram em média 2 meses. Por conta disso eu acabava tendo muito contato com ele. Acabamos nos conhecendo, conversando, e ele se mostrou um garoto agradável de se conversar, era inteligente, e muito simpático, sabia conversar, e aos poucos, ele começou a frequentar minha sala, não apenas pra tratar dos assuntos dos cursos de capacitação, mas pra conversarmos, e acabamos fazendo uma amizade.

Com essas visitas desse aluno, e eu comecei a me sentir mais ‘importante’ no meu cargo, e a gostar de conversar com ele, falamos sobre inúmeras coisas, e ele me contou principalmente da vida dele, de como é a família, ele mora com a mãe e dois irmãos, o pai abandonou eles, e logicamente ele por ser o mais velho, acabou meio que assumindo esse papel, sendo o ‘homem da casa’, criando muito mais experiência do que parecia ter.

Em uma dessas conversas, ele me contava sobre como o pai dele agredia ele e os irmãos, mas então chegou minha chefe com outras demandas e tivemos que interromper nossa conversa, e foi quando ele pediu pra eu adicionar ele no Facebook para conversarmos via Messenger, pra podermos continuar o assunto mais tarde. Mostrei meu perfil para ele na rede social e ele me adicionou. Passado alguns dias nos cruzamos online e começamos a conversar, e assim fomos conversando, e ele aos poucos se aproximava de mim, e com o tempo, passou a me elogiar, falar que eu era inteligente, e também uma mulher bonita, e eu passei a gostar daquilo mas nunca dei muita bola na verdade.

Até que um dia conversando com ele, ele começou a pedir uma foto minha, pois dizia que não havia visto nenhuma foto no meu perfil (não gosto de me expor nas redes sociais e não costumo publicar fotos minhas), disse que adoraria me ver produzida, eu falei que não, que não iria mandar, ele disse que entendia, mas que só queria me ver de um jeito diferente, e depois de quase uma hora de papo, ele me convenceu e eu mandei essas duas fotos que agora resolvi postar para vocês também.

Ele me elogiou muito, falando que eu era linda, uma mulher charmosa, e eu me senti bem com aquilo, então uns dias depois, novamente nos encontramos no Messenger, isto em um sábado, e então depois de um pouco de conversa, ele me mandou uma foto, de uma cachoeira, um lugar coisa mais linda, eu conheço o lugar, e ele falou que estava lá com uns amigos, e pouco depois, me mandou uma foto dele, de sunga, fiquei completamente sem jeito, e acabei cortando o assunto, mas confesso que fiquei com aquilo na cabeça, imaginando o que aquele garoto estava imaginando para ter me mandado aquela foto.

Dias depois, em uma noite durante a semana, meu marido saiu para jogar bola com uns amigos, e eu entrei no Messenger e lá estava ele, fui conversando com o menino, não deu muito tempo e ele logo começou a me pedir foto novamente, até que mais tarde, isso já depois das 23hs, ele conseguiu me convencer a mandar uma foto de biquíni pra ele. Escolhi uma em que estava fazendo um top less para tirar as marquinhas, mas sem mostrar os seios a ele. (postei aqui também)
Eu mandei, e novamente ele ficou doido começando ser mais atrevido, e falou que eu era gostosa, nossa, ao ler aquilo, sei lá, me ativou, mas logo meu marido chegou, e eu saí correndo do Messenger.

Depois disso, nossas conversas ficaram mais frequentes, eu entrava quase toda noite, e sempre deixava brechas pra ele me elogiar, e em algumas dessas vezes, novamente mandei fotos de biquíni pra ele, e aos poucos fomos falando sobre sexo, não sobre fazermos sexo, mas sobre nossas vidas sexuais, e ele me contou que já tinha tido várias experiências, até por ter crescido meio que sozinho, e ao pensar, concluí que aquele menino deveria ter mais experiências sexuais do que eu, com mais de 40 anos.

Eu ficava curiosa com ele, e aquelas conversas me empolgavam, e eu já trabalhava pensando em chegar em casa e entrar no Messenger pra falar com ele, mesmo que com o marido em casa, eu entrava, mas obviamente me controlava, e conversava discretamente com ele.

Então, novamente eu entrei em uma noite que meu marido foi pro futebol, e fiquei conversando com ele até quase meia noite, mandei várias fotos de biquíni, ele só me elogiando, eu bebendo vinho, rindo e conversando com ele, e ele acabou me mandando fotos dele, de cueca, de bermuda, e eu fiz algo que há muitos anos não fazia, antes que meu marido chegasse, corri pro banho, e me masturbei, pensando naquele menino me elogiando, e em como estava sendo bom ser elogiada e

desejada, pois no meu íntimo eu sabia, que aquele garoto estava me desejando.
Mas no dia seguinte eu refleti sobre aquilo tudo, e pra mim já era uma loucura, conversar com um menino, mandar fotos pra ele, e mais, me excitar com aquilo a ponto de ter me masturbado, confesso que no dia seguinte evitei ele, fechei minha sala, me senti envergonhada.

Mas ao chegar em casa, entrei no Messenger e ele tinha deixado um recado, com uma foto dele de cueca, segurando o volume pro lado, parecendo levemente duro, e com uma pontinha aparecendo, e dizendo que ele tinha adorado o papo da noite anterior, e que se eu quisesse, ele estaria online novamente.

Fiquei apreensiva com aquilo, mas não entrei no Messenger, então no dia seguinte novamente evitei ele, mas a noite, não me contive, e enquanto o marido dormia, eu levantei, falei pra ele que ia concluir um trabalho, e fui falar com o menino.
Novamente mandei fotos, e ele me elogiou, bastante, me excitei e novamente comecei a me tocar, criei coragem e pedi pra ele me mostrar mais, mas ele não mostrava, ele mandava fotos, aos poucos, de bermuda, de cueca, as vezes fazendo volume, mas sempre se escondendo.

Os dias passaram, e aconteceu de meu marido viajar a trabalho, como meus filhos também estavam em férias, despachei eles pra casa de minha mãe pra ficarem por lá, e obviamente, decidi entrar no Messenger, já disposta a me masturbar com ele novamente.
Começamos a conversar, isso eram umas 19hs já, eu havia chegado da academia, nem tinha tomado banho, e entrei, comecei falar com ele, e caí na besteira de falar que meu marido havia viajado, ele começou a me atormentar, dizer que queria me ver com a roupa de academia, e eu já empolgada, fiz o que ele pediu, mostrei foto com a roupa de academia pra ele, e comecei a ficar ainda mais empolgada, e ele me provocando, mostrei as fotos de top e calça leggin, e então ele abriu a câmera dele, e foi me mostrando o corpo, sem camisa o sem vergonha, mexia no calção, e dizia que eu de leggin estava deixando ele excitado, eu pedi pra ver….e ele não mostrava, mas me provocava, e baixava a bermuda, mostrando a cueca, depois subia e dizia que não ia mostrar.
Assim ele foi me provocando, eu dizendo que nem tinha tomado banho, e ele então falou que antes de eu ir ele iria me mostrar…e foi baixando, mas não mostrava, ele puxava a bermuda e a cueca um pouco pra baixo, mostrava uma partezinha, e subia de volta, e então falou que se eu tava mesmo sozinha, ele podia me mostrar, era só eu deixar ele vir até aqui em casa. Gelei com aquilo, mas pensei, e falei que não, que ele era maluco em propor aquilo, e falei que eu ia sair e combinamos de falar depois.
Fui pro banho, eu estava quente, queria me tocar, mas também queria olhar ele, acabei me masturbando, mas não gozei, e isso só piorou as coisas, eu estava curiosa em ver ele, queria ver mais, saí do banho, e voltei a falar com ele, e pedi pra ele abrir a câmera, e ele falou que não, que ele tinha tomado banho, e que se eu quisesse, ele ia sair pra ir no mercado, e passaria correndo pela minha casa.
Fiquei pensativa, lógico, mas falei que não, e ele se despediu, e disse que ia no mercado e depois me chamava, eu peguei uma dose de amarula e comecei a tomar, só de pijama pela casa, esperando ele voltar e conversarmos mais, então uns 20 minutos depois, me chamou de novo, e disse que estava perto da minha rua já, nessa hora eu tremi, ele falou que era pra eu deixar ele entrar rapidinho, eu pensei, muito, e acabei falando pra ele entrar, mas correndo, pra nenhum vizinho ver.
Eu assustada, abri o portão correndo, e fiz ele entrar rápido, pra ninguém ver, perguntei se a mãe dele não ia ficar preocupada se ele demorasse, e então ele me disse que não tinha problema, que ele tinha avisado ela que ia no mercado, e podia demorar uns minutos a mais.
Depois de conversarmos um pouco no hall de entrada de casa, eu fui indo pra sala, falei pra ele que eu estava vendo televisão, quando me virei pra ir, ele segurou na minha mão, e disse pra eu esperar, que ele não tinha vindo ali pra ver TV.
Eu tremi na hora, ele me segurando a mão, me fez virar pra ele, e em pé, no meio da entrada de casa, me puxou pra perto dele, e veio me beijar, eu não tive como segurar, e retribuí o beijo, logo estávamos colados nos beijando de língua, eu estava com um shortinho e blusinha de pijama, senti as mãos dele me abraçando, me tocando nas costas, enquanto nos beijamos em pé, ele me alisava as costas, e logo desceu pra minha bunda, o short era levezinho, facilitava pra eu sentir a mão dele apertando minhas nadegas.
Eu parei o beijo, me afastei um pouco, e falei pra ele parar, que aquilo era errado, que tínhamos passado dos limites, ele sorriu, e falou que era pra eu ficar relaxada, que ele só ia me mostrar o que tinha prometido, eu tremi e falei que não, que era melhor ele ir embora, que não podia fazer aquilo.
Ele parado em pé me olhando, falou que tudo bem, mas que ele estava ali pra me mostrar o que eu tinha ficado curiosa no Messenger, e mesmo eu falando que não podia, que já era tarde, que alguém podia ter visto ele entrar em casa, ele apenas riu, e me falou que se alguém viu, não ia saber o que ele estava fazendo ali dentro, e que eu tinha pedido tanto no Messenger, então era a oportunidade pra olhar ele Eu não sabia o que dizer, e antes que eu pudesse falar qualquer coisa, ele segurando na bermuda, foi puxando ela pra baixo, logico que meus olhos desceram, foi inevitável.
Ele puxou a bermuda e ficou com a cueca no meio do caminho, e viu que eu estava olhando, deu um passo pra frente, pegou de novo na minha mão, e falou que era pra eu ficar tranquila, e aproveitar pra olhar pra ele, enquanto ele me olhava, pôs minha mão na borda da cueca dele, e com a mão dele sobre a minha foi puxando pra baixo, devagar, e eu encarando e olhando ele ficando nu, em pé na minha frente, forçando minha mão pra baixo puxando a cueca dele, e logo o pau dele veio pra fora, matando a minha curiosidade, era um belo pau, moreno, nada assim descomunal, mas grande, maior que o marido, e principalmente mais grosso, e com a cabeça completamente melada.
Eu olhei…encarei ele, sem falar nada, ele ainda segurando a minha mão que estava na borda da cueca, tirou ela e levou em direção ao pau dele, eu estava fora de mim, nem contestei, e deixei, segurei nele, aquela sensação, de segurar um pau diferente, mais grosso, estava quentinho, ele me olhando, nos aproximamos e nos beijamos de novo.
Eu beijei ele com mais vontade que na primeira vez, e minha mão entre nós dois, segurando o pinto dele, eu apertava, sentindo ele mais grosso e duro a cada segundo, ele com as duas mãos livres, passou pelas alças da minha blusinha, e derrubou elas, fazendo minha blusinha descer pro meio da barriga, revelando meus seios siliconados que estavam demonstrando como eu estava arrepiada.
O beijo de língua se transformou em beijos dele no meu pescoço, eu já estava arrepiada, fiquei ainda mais, sem tirar a mão do pau dele, que eu já sentia quase duro, e eu já não evitava fazer movimentos leves punhetando ele. Ele desceu a boca do pescoço e abocanhou um peito meu, sem tirar as mãos da minha bunda, ficou assim um tempo, e a mão na minha bunda foi pra borda do shortinho, e só senti ele puxando pra baixo, e o pau dele escapando da minha mão.
Eu falei pra ele parar, que não podíamos ir adiante, ele não falou nada, me virou de costas pra ele, e me puxou contra o corpo dele, eu com o shortinho abaixado até as coxas e só com uma minúscula calcinha, ele disse que não ia fazer nada demais, que só queria se esfregar em mim.
Eu estava nervosa com aquilo, mas sabia que devia isso a ele, e então puxei ele pra sala, e enquanto caminhava, tirei meu shortinho e minha calcinha, e fui puxando ele, e olhando o pau dele, como era lindo, chegamos na sala, eu falei pra ele que não podia penetrar, que era só pra esfregar, e fiquei de costas pra ele no meio da sala, ele atrás, colocou o pau entre minhas coxas, e ficou esfregando e beijando meu pescoço!
Ele esfregou um pouco, e falou pra eu me ajeitar no sofá, falei que não, que não ia transar com ele, que aquilo já era demais ele falou pra então pelo menos deixar ele gozar, eu falei pra ele se masturbar, mas pra não demorar muito.
Ele insistiu, falou que já que estava ali, podíamos ir até o final, falei que não, que eu não iria trair o meu marido, e nessa hora já tinha me virado de frente pra ele, conversando, ele de bermuda abaixada, e eu nua da cintura pra baixo e com a blusinha pra baixo dos seios.
Ele falou pra eu deixar de ser medrosa, e pegou na minha mão e novamente levou até o pau dele, e disse pra olhar como estava duro, e novamente nos aproximamos, frente a frente, e a mão dele dessa vez tocou na minha pepeka lisinha.
Eu não aguentei e comecei a punhetar ele, no início leve, depois mais rápido, acelerando, então ele pediu pra eu punhetar ele de costas, pois ele queria gozar em cima da minha bunda que era uma delícia, eu olhei pra ele, e vi que ele não ia desistir, e então virei, ainda segurando no pau dele e puhetando.
Eu masturbava ele, as vezes parava, e colocava o pau dele entre minhas coxas, esfregando em mim, fazendo ele sentir como eu estava melada, e com a outra mão eu mesma me tocava, ficando mais louca ainda.
As vezes eu esfregava ele na porta da minha bucetinha, estava molhada demais, deixava a cabeça dele molhada também, e depois voltava a punhetar ele, ele apalpando e alisando a minha bunda, dizendo que eu era linda, que era gostosa, e eu lógico adorando ouvir aquilo, ficando louca, queria gozar com aquilo.
Então eu fui pra frente, e me escorei na parede da sala, e puxei ele perto de mim, eu me esfregava no pau dele, estava alucinada com aquela esfregação, e puxei ele encaixando seu pau, e num ato de insanidade forcei o quadril pra trás, ele percebendo forçou o dele pra frente, fazendo entrar o pau na minha bucetinha.
Soltei um gemido, senti cada centímetro dele dentro de mim, fiquei louca, e ele começou a mexer, mesmo eu não querendo que aquilo continuasse, não conseguia parar, ele enfiava, e enfiava gostoso, não demorou nem 2 minutos e eu começei a gozar com ele fazendo isso, tive que ir pra frente, e sair do pau dele, fiquei completamente trêmula. Havia gozado como nunca antes.
Me afastei dele com um sentimento de culpa, olhei pra ele e ele sorrindo, com o pau melado, minha buceta tinha deixado ele todo babado, e ele se punhetando, pediu pra continuar, falei que não, que já tinhamos feito demais, e ele falou que também merecia gozar, e pediu pra eu pelo menos punhetar pra ele, e eu realmente sabia que ele estava certo, e era justo que ele gozasse também, então me aproximei, e segurei no pau dele, e voltei a punhetá-lo.
Ele começou a falar que eu era gostosa, que ele estava louco de tesão, que tinha adorado enfiar na minha buceta, que queria mais, eu falando que não, mas sabendo que ele tinha razão, tinha sido gostoso, estava ficando acesa com aquilo de novo. Ele insistiu que queria enfiar de novo, eu falei que não, que aquilo era loucura, que nem devia ter acontecido, ele disse que não importava, que queria gozar comigo, e pediu pra eu virar pra ele gozar no meu bumbum, eu ate pensei em virar de novo, mas eu imaginei que ele iria começar a esfregar de novo, e eu não aguentaria sem deixar ele enfiar, então falei que não, que era pra ele gozar nos meus seios.
Apesar dos protestos dele, eu me agachei na frente dele, e fiquei eu mesma punhetando pra ele, sei bem que existia o risco de que se deixasse ele se masturbar, iria direcionar a gozada pro meu rosto, então eu mesma continuei pra evitar isso. Ele passou a mão no meu cabelo, falou que eu era linda, e pediu pra eu dar um beijo no pau dele, falei que não, e disse pra ele gozar logo, ele insistiu, falou que era só um beijo, eu ri do jeito dele, parei a punheta, puxei a pele do pau dele pra trás, senti aquele cheiro de excitação subir, e dei um beijo nele, na cabeça, um beijo de alguns segundos, o suficiente pra sentir o gostinho de melado dele, senti que ele começou a gemer e a tremer, então comecei a passar minha língua na glande dele, o menino não aguentou tamanho tesão e eu logo senti ele gozando, rapidamente abaixei seu pênis com a mão e espirrou os jatos de esperma nos meus seios.
Ele ali em pé rindo de bobo como um moleque que acaba de ganhar o presente de Natal, mexendo no pau, e eu ainda ali agachada, toda gozada nos seios, sentindo o cheiro dele, do esperma dele, me levantei, dei um selinho nele, e fui no lavabo pegar papel. Me limpei e então falei pra ele que ele tinha que ir, e que jamais alguém no meu trabalho poderia desconfiar disso, ele falou que lógico, mas que tinha adorado, e pediu se poderíamos nos vermos novamente, eu falei que não sabia, e que era tarde, praticamente expulsando ele de casa, ele se vestiu e foi.
Acabei me sentindo culpada por tudo o que aconteceu, e isso mexeu muito comigo a ponto de eu pedir para ser trocada de setor no emprego, pois ele me procurava muito por lá e eu sempre desconversando. Durante as três semanas seguintes ele ia quase todos os dias no meu emprego e eu fugia. Acabei ficando mais duas vezes com ele no meu próprio serviço enquanto ninguém via e conseguia disfarçar, mas foram só beijos e amassos, não tive mais nenhuma relação sexual com ele.
Com a troca de setor as idas dele a minha sala ficaram mais difíceis. Dessa forma acabei não tendo mais contato com ele por lá mesmo ele me procurando constantemente no Messenger. Com tamanha insistência dele acabei por bloqueá-lo no aplicativo e desde então ele terminou seus cursos de capacitação e não tenho mais contato.
Continuo no meu casamento, como se nada tivesse acontecido.

1 Reply to “Traí meu marido com um adolescente”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.