Mamando o segurança

Como no início tinha dificuldade de fazer anal, então caprichava na mamada. Ainda novinho tentei várias vezes da a bundinha mas doía demais e partia pra mamada gulosa e assim fui ficando cada vez melhor na arte do boquete.

Anos se passaram e numa das madrugadas encontrei num chat um chefe de segurança armada de uma empresa daqui da cidade. Toda semana uma ou duas vezes ele aparece pra me fuder, Sempre entre 3 e 4 da madrugada.

O ritual era o mesmo: na madrugada que ele vinha me ver, quando era meia noite ele já avisava e dizia mais ou menos a hora que viria, pra isso eu já preparar o cuzinho … Deixar o portão encostado e a porta do meu kitnet aberta com a luz apagada. Ele chegava , tirava o material da profissão, tirava a camisa da farda, tirava o colete e ia pro banheiro mijar (uma mijada potente, longa e forta) depois lavava e vinha pra eu saborear.

Mesmo tendo antes enfiado o consolo mas toda vez a empurrada dele me fazia ver estrelas, ele sempre tentava me fazer engolir de primeira a manjuba morena.

Até que um dia ele tava muito tarado mas também apressado. Chegou e nem tirou a roupa, só abriu o zíper botou pau pra fora e mijou, só fez virar e me chamar pra mamar.

A cabecinha ainda soltava umas gotinhas quando segurei na base e devido a pressa logo abocanhei e mamei, aquele sabor amargo da mijada invadiu minha boca mas logo comecei a salivar bastante e foi passando e assim mamei gostoso como bezerro.

Ele tava doido de tesão e nessa vez nem rolou fuder meu cuzinho, nessa mamada mesmo ele empurrou a madeira até aonde consegui engolir e leitou.

Passou uns disse e nada dele entrar em contato, até que numa sexta eu tinha tomado um vinho com uns amigos e estava maior tesão. Por sorte ele avisa que iria me ver.

Como sempre me ajeitei todinho, e fiquei fazendo algumas coisas no computador até que ele avisa que já estava lá fora. Me assustei pois ainda nem era 1h da madrugada.

Fui, abri o portão e vim embora, mas logo já escuto os passos firmes daquela bota vindo atrás de mim. Realmente ele estava apressado ou muito tarado, pois sempre eu ia abrir e ele dava um tempo que era deu chegar no kitnet , pra poder ele entrar.

Já entra de pau duro marcando a calça, tira o colete, a camisa e as coisas de trabalho dele e vai para o banheiro mas diferente das outras vezes, ele manda eu entrar e me ajoelhar … mija na minha cara, manda eu abrir a boca e continua mijando. Como Sempre aquele mijadão forte e demorado…

Ele vem com pau ainda pingando do mijo e me bota pra mamar, mas diferente das outras vezes me segurou no meu queixo com força me obrigando a ficar de boca aberta, enquanto falava baixo muita putaria e deu várias cuspidas na minha cara e tapas tambeém, até que me botou pra engasgar no seu pau.

Assim salivei muito, que escorria, e isso deixava ele doido de tesão.

Algumas vezes ele fudia minha garganta como se fosse um cuzinho apertado, o que me fazia lacrimejar. E foi testando quantos segundos eu conseguia ficar com o pau todo dentro da minha garganta, eu aguentei cada vez mais tempo pois ia respirando só pelo nariz, mas ele forçava tanto meu rosto contra o corpo dele e ai me fazia ficar sem fôlego logo.

E logo enquanto descansava pra retomar o fôlego enfiava os dedos na minha boca, e me dava tapa na cara.

Foi uma mamada bem hard um verdadeira hard sucking, mas o meu tesão estava muito grande e muitas vezes eu me segurava pra não gozar enquanto tinha minha boca sendo usada por ele.

Teve momento que estava tão relaxado que tirava e colocava o pau pra dentro , sentindo ele ir bem fundo, a cabeça do pau eu sentia na “goela”.

A mamada estava muito louca, ele parecia descontrolado nessa tara de me humilhar, mas ele pediu que eu ficasse ajoelhado numa cadeira pra que pudesse ficar alisando meu cuzinho enquanto recebia minha mamada e assim mudamos de posição, até melhorou pra engolir o caralho dele com mais facilidade. E aquele vai e vem ficou mais intenso… pensei que ia demorar um bocado esse boquete pois tem vezes que ele demora pra caralho pra gozar quando esta me comendo mas num momento que o pau saiu la de dentro, já veio jorrando pôrra e me melando todo… melou meu rosto escorreu pro meus olhos, minha boca ficou toda lambuzada, escorria da minha língua pelo meu pescoço. Levei um cuspidão na cara e tive que ficar ali até ele ir embora. Com os dois olhos fechados por causa da gozada ter escorrido.

Outro dia conto quando ele mandou esperar ele de rabo empinado…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.