Minha prima me apresentando a buceta dela

Desde nova sempre fui muito safada, gostava de ouvir as pessoas da minha família falarem sobre sexo, mesmo que fosse longe de mim já que nunca conversávamos sobre isso. Mas a conversa deles despertou minha curiosidade já que eu sempre queria saber de tudo. Eu tinha um computador na época e como eu ficava bastante sozinha em casa após a escola gostava de pesquisar, ver vídeos e ler relatos. Também adorava me tocar e sentir o’que as pessoas diziam sentir.

Nunca tinha exposto meus desejos para ninguém, mas conforme fui ficando mais velha eu tinha uma prima que adorava falar comigo sobre essas coisas. Depois de um tempo ela se assumiu lesbica, mas apenas para mim. Ela dizia que era muito bom ter alguém chupando sua boceta que ela estava viciada.

Um dia cheguei da escola e ela estava na região, visitando a avó dela e apareceu na minha casa, como eu ficava sozinha nós conversamos abertamente na sala sobre o que ela tinha feito de manhã. Ela me contou que tinha matado aula para visitar uma mulher mais velha que ela estava se encontrando e elas tinham transado. Nada disso me impressionava já que eu sabia de muitas coisas mesmo nunca tendo feito com ninguém e já que minha prima sempre contava nos mínimos detalhes as experiências dela pra mim.

– Assim que eu cheguei ela já foi me jogando na parede e me beijando, nós fomos pro quarto dela e do marido dela, ele estava trabalhando e ela disse que sempre quis me comer na cama deles. (..) Aí ela me chupou tanto que mesmo eu pedindo pra ela parar ela não parou, minha boceta está até inchada.

– Sério?! – perguntei pra ela espantada.
– Sim.
– Duvido, você é tão safada que já deve estar pronta pra próxima. Hahaha
Estávamos sentadas juntas no sofá e ela começou a me olhar de um jeito diferente. Minha prima sempre foi desse jeito comigo, me abraçava muito e às vezes fazia umas brincadeiras diferentes, elogiava meu corpo e isso aumentou desde que ela começou a me contar sobre as aventuras dela e nós começamos a ter mais liberdade nas nossas conversas. Mas o’que ela ofereceu para mim aquele dia me surpreendeu.

– Você quer ver?
– O’Que?!
– É, você quer ver? Eu posso te mostrar como está, assim você entende melhor…
– Mas não é certo né, somos da mesma família…
– Ah não tem problema, primo nem é família direito, é quase de consideração, e nós somos amigas também né!
– Sim…

Antes mesmo que eu pudesse terminar de responder ela já foi tirando a roupa, ela estava de macacão então para me mostrar ela tirou ele por completo, ela também não estava de sutiã então a primeira coisa que pulou foram os peitões dela. Ela era linda, branquinha, loira de olhos azuis, e os peitos dela eram enormes com os bicos saltando. Quando ela terminou de tirar a roupa deitou no sofá abrindo as pernas. Ela era lisinha, com alguns indícios de pelos que tinham sido depilados recentemente, um grelo pulsando e os lábios grandes.Eu só tinha visto isso nos vídeos que eu assistia e nunca imaginei como pessoalmente seria melhor.

Ela já estava molhada, acho que por me contar a sua história e realmente a boceta dela estava toda inchada e vermelha, ela abriu as abas com a mão e disse:
– Tá vendo só? Ela judiou de mim… – E fez uma carinha falsa de triste.
Eu não tinha reação, mas minha boca começou a salivar vendo aquilo e a dormência na minha boceta aumentou.
– Vem ver mais de perto. – Eu cheguei mais perto dela, olhei com admiração. – Você quer tocar, fazer carinho pra melhorar?
Eu balancei a cabeça pois a situação tinha me deixado um pouco tímida, mesmo sendo com ela.

Então ela mesmo pegou a minha mão e foi guiando, assim que eu encostei vi como ela tava pingando e aquilo foi me deixando mais louca. Ela passou os meus dedos do início até a entrada dela e foi fazendo esse movimento espalhando o mel dela. Até que ela começou a gemer e soltou minha mão deixando eu continuar sozinha.

– Tá melhorando Tata? – Perguntei.
– Ainda não bebê, contínua… – Gemeu.
Eu então parei na entrada dela e coloquei um dedo, como meu dedos eram finos ela nem sentiu muito de tão larga ela já era, fui colocando um dedo de cada vez e fazendo um movimento de vai e vem cada vez mais rápido, ela estava tão molhada que eu sentia escorrer pelos meus dedos e ela já não tava mais gemendo e sim gritando, começou a me falar coisas que eu nunca tinha ouvido dessa forma.
– Continua, não para, me fode com sua mão vai. Me fode até eu gozar pra você limpar tudo com essa boquinha, sua putinha, eu sempre soube que você me queria, agora me fode vai.

Isso foi me deixando cada vez mais com vontade e mantive o ritmo até que ela se contorceu toda e se afastou da minha mão. Ela não parou nem um segundo pra descansar antes de me assustar agarrando meu cabelo e me fazendo abaixar caindo de boca na boceta dela.
– Isso é culpa sua, eu tô assim por sua causa, agora me lambe, deixa tudo aí limpinho.
Eu comecei a lamber e amei o gosto do mel que saia dela, me deliciei com aquilo, e não importava o quanto eu lambesse ela continuava melada, ela nunca afrouxou o aperto no meu cabelo, pelo contrário ela apertava cada vez mais forte e guiava minha cabeça pela boceta dela, a dor que eu tava sentindo me deixava molhada e eu sentia minha boceta precisar de toque.
Fui descendo a minha mão e abrindo meu shorts e comecei a me tocar, eu consegui estar mais molhada que ela, fui fazendo o mesmo movimento de vai e vem e estava pingando pelos meus dedos, quando ela percebeu o’que eu estava fazendo me obrigou a parar. – Minha putinha tá se tocando sem minha autorização? Não, não.- Ela tirou a mão do meu cabelo e estalou um tapa na minha cara. – Tira a roupa agora e fica de quatro no sofá.
Enquanto eu tirava a roupa eu ficava olhando pra ela e ela estava se masturbando na minha frente, pronta pra gozar de novo.
Fiquei de quatro esperando ela e senti um tapa tão forte na minha bunda que me curvei para frente e logo em seguida ela me ajeito com força e começou a me chupar, ela me chupava e mexia na minha entrada virgem, colocando o dedo mindinho e fazendo movimentos que me deixavam louca.
Minha pernas já estavam ficando fracas então ela fez eu sentar o rosto dela e me mandou rebolar. Eu fiquei assim, rebolando na cara dela, uns 10 minutos até conseguir gozar e depois desmaiei de cansaço.
Quando acordei ela me deu banho e disse que agora seríamos inseparáveis e que sempre faríamos isso.
E ela não mentiu, temos muitas outras aventuras, me avisem se quiserem mais haha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.