Não resisti ao novinho

Esse é o meu primeiro conto, espero que gostem, é verídico! Vou detalhar um pouco de alguns momentos picantes que acontecem comigo.
Trabalhei com um rapaz, na época ele tinha 23 e eu tinha passado dos 40 anos.
Vou chamá-lo de Léo, branquinho, voz amável, barba aparadinha, muito educado, um gatinho.


Eu, clara, cabelos pretos, olhos verdes, com idade pra ser a mãe dele. Sempre percebia que o Léo não tirava os olhos da minha bunda, quando eu passava com calça apertada, calcinha fio dental marcando e salto. Eu era sua líder imediata e ele me respeitava, apenas lançava olhares e conversávamos muito, mas assuntos profissionais, no intuito de auxiliar em seu desenvolvimento.

Um dia uma amiga me contou que ele tinha saído com uma pessoa de outro setor e que tinham falado do tamanho de seu pau, elogiando, que era enorme, grosso. Dei risada e pensei, será que é assim? Ele nega até hoje que saiu com alguém da empresa…rs
Essa amiga também ficou curiosa e interessada no Léo, mas ele não notou, ou não quis, pois não passou de ansiedade dessa minha amiga que até bem pouco tempo atrás comentou dele, se eu tinha contato, falei que sim, mas nunca contei o que aconteceu…

Pois bem, uma outra pessoa brincou me falando que o Léo queria ficar comigo, que ele havia confidenciado a ela, e eu fiquei surpresa, falei, ele é muito novinho pra ter algum interesse por mim, e ainda por cima, trabalhamos juntos e sou casada – meu relacionamento não estava bom, me separei pouco tempo depois.

Fiquei com aquilo na cabeça e percebendo mais atentamente os olhares do Léo. Um dia falou pra irmos num barzinho, mas não deu certo e logo ele precisou sair da empresa para voltar à MG, por problemas de saúde na família.
Tínhamos contato por whatsapp muito raramente e após minha separação, falamos um pouco mais e ele confirmou, que sentia tesão por mim e que se um dia voltasse à SP, se eu sairia com ele. Falei que não, pela idade dele, mas ele perguntou se podia mandar um vídeo de como estava excitado em pensar e falar comigo naquele momento e qual foi a minha surpresa ao ver que o que tinham me falado, era verdade. Que pau lindo ele tinha, grande – com certeza mais de 20cm, grosso e gozou intensamente, pra mim!

Falamos mais algumas vezes, mas eu queria cortar isso, apesar de ter gostado do que vi, não achava certo e falava pra ele se relacionar com alguém de sua idade.
Não teve jeito, ele sempre me mostrava aquele pau maravilhoso, gozando sem parar, quando falavamos por chamada de vídeo e eu não tirava isso da cabeça.
Comecei a namorar uma pessoa e falei ao Léo, quando ele disse que estava voltando e queria me ver, que não poderia ficar conversando nem encontrá-lo.

Ele retornou, nos vimos algumas vezes por trabalhar na mesma empresa novamente, quando ele me abraçava pra cumprimentar era tão gostoso, sempre cheiroso, aquele beijinho perto da boca, e as meninas sempre o admirando, mas só isso já me satisfazia.

E com isso, passaram-se 4 anos e nunca tinha acontecido nada a mais, até que ele começou a insistir novamente, falando que ainda sentia desejo por mim e eu falando não, mas um dia ele perguntou se poderia vir na minha casa, na hora de sua janta pra me ver, que estava com saudade e deixei, falando que era só pra me ver, que não ia acontecer nada.

Ele veio, lindo e cheiroso, conversamos um pouco sobre várias coisas, eu estava de vestido longo, que realçava meu corpo, e reparei o volume em sua calça. Ele me olhava, disfarçava, mas era nítido o tesão no ar, até que rolou um beijo, tímido, com medo, com incertezas, mas nossos corpos corresponderam ao fogo que estava acumulado há anos e me esqueci de tudo – idade, meu namorado.
Só senti vontade de experimentar aquele menino gostoso que estava a minha frente, encostado na pia da cozinha e que levou minha mão até o seu pau, abrindo o zíper da calça e mostrando como estava duro, enorme. Não aguentei e fui chupar, me deliciando com cada cm, tentando colocar todo na boca, aquele perfume bom, todo raspadinho…hummm!

Lambi seu saco, voltava pro pau, engasgava, olhava pra ele, até que falou:
– Não aguento mais, vou gozar…
Senti aquela porra toda na garganta, grossa e gostosa e ficamos extasiados, quanta loucura, já tinha estourado seu horário de janta, eu com vergonha por não ter resistido a um rapaz 19 anos mais novo que eu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.