O chifre que ele não sabe

Genteee, tive muitos feedbacks positivos no último conto, para ser meu primeiro conto, e ser apenas uma tarde, ameeei. Por isso vou postar mais um hoje a tarde, até para aproveitar que esse vai ser fora de ordem, se passa antes do outro.

Bom, me chamo Fernanda, sou do RS, tenho 27 anos, 1,69m, 60kg, peitos siliconados, barriga lisinha e uma bunda bem gostosa. Meu namorado se chama Lucas, ele tem 25 anos, 1,90m, 125kg, mas não é obeso, ele é bem forte, com algumas gordurinhas aqui e ali, tem um pau de 16cm, mas bem grosso.

Como eu comentei no último conto, eu e meu namorado nos conhecemos por acaso, começamos a sair e eu me apaixonei logo, por que ele me fudia muitoooo gostoso. Tinha uma coisa que eu achava estranho nas nossas transas, mas que me excitava muito, e eu gozava horrores, ele pedia para eu pensar em outros caras me comendo, enfia o dedo no meu cuzinho junto e dizia para imaginar fulano fudendo meu rabo junto com ciclano comendo minha buceta e ele só olhando, eu ficava louca, gozava na hora. Conforme comentei no conto anterior isso foi me deixando excitada além das nossas transas, e eu começava a cada vez mais imaginar outros caras me comendo, mas sempre com um pouco de receio de trair Lucas.

Eu curso administração na faculdade e na época estava no 4º semestre, tinha 3 cadeiras por semana. Como eu estava cada vez mais excitada, dia após dia, já comecei a ver futuros pretendes nas minhas cadeiras, em especial um cara. Vou chama-lo de J, esse cara era alto como meu namorado, mas mais magrinho, lindooo de rosto, engraçadíssimo, e certa feita eu reparei em uma calça de moletom que ele usava na aula, J sentou meio largado para trás e quando eu olhei a calça dele, pelo amor de madrugada, não pensei que um pau mole pudesse marcar assim uma calça, grosso, cabeçudo, não preciso dizer que a buceta escorreu na aula né. Naquela semana quando meu namorado me comia de 4 e falava para imaginar outra pessoa, na hora me veio J na cabeça, gozei em segundos, foi delicioso, mas não falei nada para Lucas.

No decorrer do semestre fui me aproximando de J, ele sempre foi muito receptivo e brincalhão, comecei a ousar mais nas roupas no dia da aula com ele, decotes avantajados, mini shorts e micro saias, e ele foi ficando mais assanhado comigo, o que eu adorava, uma aula fomo fazer um trabalho juntos, eu estava de shorts branco, um micro fio dental preto, para marcar bem, e um belo decote, ele não parava de olhar para mim, e eu reparei que aquela piroca estava maior esse dia. Durante a aula ele foi se aproximando, batendo a mão “sem querer” na minha coxa, botava o braço por trás de mim, fazia piadinhas, e eu louca, querendo dar para ele ali mesmo, mas o medo foi maior. Acabamos o trabalho, nos despedimos e eu voei para casa, cheguei em casa, tirei toda roupa rapidamente, peguei um consolo que eu tenho e soquei na buceta com muita força, do jeito que eu queria que ele me comesse, me acabei, gozei umas 4 vezes gritando igual uma puta no cio.

Final de semana não conseguia tirar aquele cara da cabeça e decidi, vou dar para ele. Naquela semana teríamos prova, mas meu namorado não sabia, achava que a aula era até tarde, então eu tinha esquematizado tudo, iria fazer a prova rapidinho, sair e esperar ele no estacionamento, no carro dele. Chegou o dia da prova me depilei toda, tomei um banho demorado, e pensei, “já que eu vou para ser puta, vou vestida a caráter”, peguei uma regatinha branca, alça fininha, sem sutiã, uma micro saia, sem calcinha, e uma rasteirinha bonitinha, bastante creme e perfume, uma make e fui. Me sentia uma puta andando na facul, todo mundo olhava, e eu me melava toda com isso. Cheguei na sala, J ficou de queixo caído quando me viu, eu disse no ouvido dele:

-Vou terminar a prova e quero conversar contigo depois ta?

Ele concordou com a cabeça, mas não conseguia dizer nada heheheh. Assim eu fiz, terminei e fui pro carro dele, fiquei lá escorada, esperando, nervosa, tremendo, mas decidida. Ele veio em minha direção e pediu “Precisa de ajuda Fê?”, eu peguei ele pela mão e falei:

-Preciso J, você está atrapalhando minha cabeça e eu preciso de muita ajuda com isso.

Peguei a mão dele e passei na minha xoxota molhada, ele abriu um sorriso e eu beijei ele na hora, ali se foi tudo, entramos no carro e começamos a nos pegar igual loucos, ele já tirou minha blusa, meus peitos ali de fora, calcinha não tinha então eu estava pelada, eu já fui enfiando a mão na calça dele e peguei naquele monstro, minha nossa, era enorme, mas dai me lembrei de uma coisa, caralho, estávamos no estacionamento da faculdade heheheh. Botei minha blusinha e disse para sairmos dali.

Fomos direto para o motel, entramos na suíte, ele me pegou pela bunda e me levou até a cama, arrancou minha roupa e me olhou, largou aquela frase típica de homem “caralho, eu tava esperando por isso a tempo”, hehehe, eu sei que estava, mas eu estava mais seu puto, fui até ele, tirei a camisa, e puxei toda calça com cueca e tudo junto para baixo, não aguentava mais esperar, queria aquela pica, gente, aquela piroca não é desse mundo, como um magrinho tem uma pica daquelas??? Um pau grande, mas o que mais me impressionou, grosso para porra, pesado, cabeçudo, tudo que eu queria dentro de mim.

Ajoelhei e mamei aquela rola, ele não tinha muita pegada, mas só de estar com outro cara eu ja ficava louca, só pela situação. Ele me deixou mamar com calma, tudo que eu quisesse, desci, chupei as bolas dele, quando dei uma linguada mais embaixo vi que ele reagiu, fui de novo, ele deu um pulo, pensei comigo “tu gosta no cuzinho seu puto”, peguei ele na bunda, fiz levantar as pernas e lambi aquele cu, por incrível que pareça, estava todoooo depiladinho, bem cheirosinho, ali eu vi que ele gostava no cuzinho também. Chupei o cu dele todo, e voltei pro pau, não aguentava mais, precisava daquela rola dentro de mim.

Parei de pé em cima dele, dei uma cuspida na mão e passei na minha bucetinha, e fui descendo, peguei aquele mastro, esfreguei a cabeça dele na pepeka, e comecei a colocar, meu deus, aquilo vinha me rasgando, mas era tão bom, eu pensava que o corno estava em casa, tocando uma punheta imaginando exatamente aquela cena, e quando eu coloquei todo aquele pau dentro de mim não aguentei, eu gozei igual uma louca, escorria mel da minha buceta por tudo. Parei por 1 seg, abri um sorriso para ele e falei “agora ta na hora dessa puta dar um trato nesse pirocão”, eu não sei o que aconteceu ali, mas eu me transformei, comecei a rebolar naquela vara como nunca antes, subia descia, virei de bunda pra ele e pedia pra enfiar dois dedos no meu cu, eu estava louca.

Parei de 4 e mandei ele meter com força, ele socava, me arregaçava, eu gozava uma vez atrás da outra, fizemos papai e mamãe, frango assado, de lado, de todos jeitos, minha buceta tava inchada, vermelha, larga daquela piroca. E ele não gozava, não tava entendo aquilo, mas dai lembrei que ele gostava atrás também, mandei ele deitar, fui sentando de novo naquela vara, mas dessa vez joguei o corpo um pouco para trás, lambi dois dedos de uma das mãos e fui levando a mão até o cuzinho dele, eu não quis nem saber, soquei dois dedos de uma só vez naquele rabo, ele chegou a dar uma gemida. Vocês não vão acreditar, mas foi questão de 5 min e ele encheu minha buceta de porra hehehehe. Tudo que ele queria era uma pica no cu também, sai de cima dele e deixei a porra escorrer da buceta em cima dele, peguei o que sobrou na buceta com a mão, olhando na cara dele eu lambi tudo, desci, chupei toda porra que estava no pau dele, em cima do corpo e fui chupando toda porra que tinha escorrido até o cuzinho dele, peguei tudo com a boca, peguei ele pelo rosto, com força, fazendo ele abrir a boca, e cuspi toda porra lá, e ordenei ele para engolir. Ele engoliu tudo bonitinho.

Nunca mais sai com ele depois, mas foi uma experiência muito legal.

Beijos gente, espero que gostem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *