A vizinha gostosa queria mais que uma ajuda

Acordei quase dez da manhã, afinal era meu dia de folga, minha esposa havia saído para trabalhar.

Sou Jhonatan, tenho 35 anos, sou atendente, trabalho e num shopping aqui de MS

Tenho 1.90 de altura, moreno corpo no jeito.

Como estava dizendo havia acordado por volta das dez, fui dar uma geral na frente de casa, cortar grama e tals; quando não vejo Regina me chamando, ela é uma vizinha que confesso ser uma coroa mo gostosa, baixinha, cabelos castanho longo, coxa e raba de admirar, então fui ao seu encontro.

– Soltou o cano da pia, você consegue fazer o favor de me ajudar?

Fui de boa auxiliar a vizinha gostosa, arrumei pra ela, era algo simples; “putz que raba”…. Pensei!! Ela vestia uma saia justa e uma camiseta toda solta, bem simples mas gostosinha… Do jeito que gosto.

Toda agradecida ofereceu um café, falou que o filho voltaria somente a noite, quando não solto uma.

– Ah então da pra aprontar o dia todo… Rsrsrs

Na hora ela deu uma risada tímida e foi direta.

– Depois de uma separação complicada quero só sexo, e trazer homem pra casa é complicado.

Concordei com ela e provoquei

– Mas não deve faltar pretendentes neh, afinal…

Dei uma pausa na fala deixando ela entender o resto.

– Você acha? Perguntou toda tímida…

Ela se levantou pra pegar outro copo já soltei na lata:

– Pena que sou casado.

Ela voltando noto a mão por cima da minha bermuda.

– Mas pelo jeito não é capado.

Com uma apalpadaa sentia quanto estava duraço com aquela situação, me afastei com a cadeira e ela se ajoelhava e tirava minha tora pra fora caindo de boca…

Que mamada gostosa!!!

Nem pensei duas vezes e curti, enquanto ela me mamava minhas mãos acaricia seu corpo, seu cabelo, já puxando ela lasquei um gostoso beijo já enchendo a mão com aquela raba…

Meu cacete estava explodindo com aquela situação, fomos para o quarto, sem perder tempo curtia aquele seios farto, me lambuzei curtindo ela gemer, deitada na cama desci no alvo, sua xoxotinha toda lisinha, meti a língua só ouvindo seu gritinho de prazer.

Enquanto viajava com a língua na xoxota minhas mãos brincava com o bico do seus seios.

Tesão era tanto que a vizinha rebolava levando linguada… Ouvi seus gemidos, melhor foi ouvir seu pedido.

– Quero rolaaaaaaaaaa.

Falava num tom em chamas, aquela vadia realmente curtia uma boa pegada, via aquela bucetinha toda molhada, apontei meu pau e dei umas pinceladas. via ela pedindo pica, rebolava e eu, provocava, colocava um pouco e tirava, ela me puxou, me lascou um gostoso beijo e pronto, mandei tora dentro, sentia a quentura, e pau.

Soquei com vontade, fazia um vai e vem rápido e devagar, engolia seus seios e a levava ao delírio, as mãos dela percorria pelo meu corpo e a excitação era visível.

Meti e meti sem dó, quanto mais ouvia ela pedindo eu socava,

– Maia, mais, mais….

Aquela voz gostosa pedindo pau era bom demais…. em minutos anunciava sua vontade gozar no meu pau, fui mais forte, batida firme e sua mão segurando meu braço, olhei pra ela e senti na minha pica a vizinha derramar seu prazer…. Continuei metendo sem dó e após uns minutos tirei meu mastro e cai de boca, meti a língua, consumi todo sabor daquela bucetinha aproveitando até seu cuzinho, deu uma linguada sentia ela remexer…

Xoxota e cuzinho, minha língua caminhava por toda esta delicia, enquanto estava na bucetinha meu dedo abria o anelzinho dela.

Quanto não ela me puxa pra cima, beijos e beijos ao ponto dela virar, pedia alto.

– Quero tomar no cu!!!!

Gritava rebolando:

– Mete essa pica aqui!!!

Gesticulativo pra sua raba.

Meti a língua e o dedo naquele cuzinho, lubrifiquei bem e fui aos poucos enfiando a tora dentro, ela sentia leve dor mas como o tesão era muito aguentava gostoso naquele cuzinho apertadinho.

Vi meu pau sumir tudinho dentro daquele rabo, devagar comecei a socar, ela gemia, misto de dor e prazer e meu cacete acelerando, fazia um estrago no cuzinho dela, fui dando tapas e ela gritava, rebolava e me levava a vontade de encher de leite aquele cuzinho, fui socando mais e mais…

Tirei meu cacete e notava o quando alarguei seu buraco, deliciosamente meti a língua, a coloquei de quatro e judiei mais um pouco até voltar pra sua buceta, pau na xota e dedos no cu, a vadia gostava de tudo aquilo e eu cacete estava prestar a gozar, ia encher de sua xoxota de leite…. Insaciável ela anunciava que ia gozar novamente e pedia mais e mais rola, ao ponto de não resistir, logo eu gozava com a quentura da sua buceta.

Ela foi direto pro banheiro jogar uma água no corpo, já na cama trocamos carícias e pensei que seria somente aquela foda, mas não…Me beijando logo subindo em cima de mim, encaixou meu pau já explodia de tesão, colocou na sua xota e pronto, era vez dela cavalgar.

Rebolava gostosamente enquanto curtia meu beijo, que delícia… Eu levava um chá de buceta, que vizinha insaciável.

Minha boca estava cheia com seus seios, uma viagem louca de prazer que em momento nos fez gozar novamente, a rebolada era tanta que não aguentamos, ao mesmo tempo nosso corpo despejou nosso prazer…

Depois da gozada ainda pude sentir o gosto da sua mamada deixando minha rola limpinha, ouço o telefone tocar era minha esposa…

– Estou na frente de casa. Cadê você?

Fim.

Autor.

Daniel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *