Meu amigo iniciou minha esposa

Desde que me casei sempre tive o desejo de ser corno, me abri com minha esposa falei tudo prá ela, ela achou estranho pois nunca tinha passado pela cabeça dela outro homem, casou-se virgem pois é de família tradicional, passamos muito tempo só conversando sobre isso, calculo uns 3 anos, aos poucos foi gostando de se imaginar com outro homem, passou a gostar de ser paquerada na rua, em lugares e cada vez mais foi se abrindo, se soltando de sua formalidade,lógico sendo discreta, depois de um tempo era só falar de outro já molhava a calcinha, até pensei que não iria passar daquilo. Mudamos de cidade porque ela tinha prestado um concurso público e foi chamada onde moramos até hoje e eu fui trabalhar em uma empresa onde conheci Pedro um cara gente boa e de confiança, na época eu assinava uma revista masculina e recebia pelo correio em minha cx postal e levava no serviço pra gente ver e foi aí que ele começou a falar de sua fantasia e reclamar da esposa que era muito fria e devagar no sexo e eu tinha muita vontade de falar do meu desejo de ser corno, ele tinha muita vontade de pegar uma mulher diferente más tinha receio

Aumento Peniano

de alguém ficar sabendo pois a cidade é pequena, e eu falava dele pra minha esposa, ela perguntava como ele era, na época ela tinha 33 anos eu sou 12 anos mais velho que ela e meu amigo tinha 36 anos. Eu sempre gostei de usar calcinha minha esposa não simpatizava no início mais depois se acostumou, um dia estava abaixado arrumando um ventilador e eu estava com uma camiseta curta e apareceu a calcinha do lado de trás, eu nem imaginei nada que pudesse aparecer, Pedro ficou olhando e me perguntou se eu estava de calcinha, quase caí de costas, me deu um calafrio, fiquei sem palavras más não tinha o que inventar a única solução foi falar a verdade

pra ele que eu gostava, ele quis saber o que minha esposa achava falei que ela já tinha se acostumado e naquele embalo do acontecido criei coragem e falei tudo pra ele da vontade que tinha de ser corno, da convivência que tinha com minha esposa a respeito daquilo, foi uma longa conversa ele entendeu tudo e me perguntou se eu deixava minha esposa ficar com ele já que esse era meu desejo, falei que de minha parte tudo bem sem problema más que tinha que falar com ela. Em casa falei tudo o que tinha acontecido ela nem acreditou, ficou parada mordendo os lábios depois

disse que tudo bem más era pra conversar e não pra transar, queria conhecê-lo primeiro, no outro dia falei pra ele então ele entendeu o lado dela que queria sentir segurança até porque não conhecia outro homem, aquela coisa de marinheiro de primeira viagem, e ele me disse que queria ficar sozinho com ela pra se sentir a vontade até porque nunca tinha tido essa experiência também de ficar com uma mulher casada com a permissão do marido, entendi e falei que iria sair e deixar eles a sós, depois do nosso expediente de trabalho ele foi em casa pois a empresa tinha dois horários dás 06:00h às 14:00h e dás 14:00h às 22:00h a gente estava no período da manhã e o horário de trabalho dela sempre foi meio período, na parte da manhã

então tem a tarde livre, assim que ele chegou sai de carro confesso que senti ciúmes e tesão ao mesmo tempo sabendo que minha querida estava com outro homem em nossa casa e só voltei depois de 4 horas. Ele tinha acabado de sair quando cheguei, ela estava com uma cara de safada, disse que tinha gostado que ele beijava bem, que era bonito, que tinha um corpo bonito, que era carinhoso, que tinha passado muito a mão em suas coxas pois ela estava de Mini saía, chupou os peitos, foi muitos amassos, aquilo me deixava com ciúmes e tesão ao mesmo tempo, estava me sentindo corno, uma sensação gostosa e diferente típica de corno, no outro dia ele

não pode ir em casa pois tinha uns negócios pra ver, mas no próximo voltou fiz a mesma coisa saí quando cheguei depois de 4 horas tinha acontecido, ele tinha me transformado em um verdadeiro corno, ela me contou como tinha acontecido e no outro dia ele também me falou e gostei mais da versão dele, com mais detalhes, disse que assim que saí foi beijando e agarrando e gostou da roupinha que ela estava deu mais tesão, uma micro saia e uma blusinha de alcinha bem decotada e sem sutiã e ao passo que ia agarrando ela foi tirando a blusinha percebeu que não ofereceu residência, que ela estava bem solta, tirou e caiu de boca nos seios médios dela,

estavam em pé na sala, pegou na bunda apertou e foi subindo a sainha enquanto se beijavam, ela estava diferente do primeiro encontro disse, viu que ela estava eufórica puxou a sainha dela pra cima foi tirando ela ajudou, ela estava com uma tanguinha vermelha enfiada no rego disse que ficou louco de tesão ao ver aquele corpo lindo e como era gostosa, pegou na mão dela e fez dar uma volta, adorou a bunda dela e ela o beijou e pediu pra ir pro quarto, ele a colocou sentada na cama e ficou bem na frente dela, ela apertou o pau por cima da bermuda e foi abaixando deixando só de cueca, ele ajudou a se livrar da bermuda e tirou a camiseta e por

cima da cueca ela apertava o pau, passava as mãos pelo corpo dele procurando sentir, apertava as coxas, passava as mãos na barriga, era uma novidade pra ela, um homem diferente que por bastante tempo só era uma imaginação, ela puxou a cueca e o pau saltou bem perto do rosto, ele disse que ela arreganhou os olhos e admirou o tamanho, ele não era um bem dotado, tinha 17cm e bem grosso más pra ela era um super pau porque o meu tem só 11cm e fino, ele terminou de tirar a cueca ela pegou o pau começou a chupar falava que era muito grosso, disse que deu vontade de gozar na boca dela de tão macia e carinhosa depois mandou deitar na cama, tirou a calcinha e caiu de boca na buceta depiladinha dela, ela se contorcia e gemia, teve um orgasmo e o corpo dela tremia depois se colocou no meio das pernas dela passou o pau na bucetinha molhada forçou a entrada percebeu que estava apertada ela deu um grito e pediu pra por devagar porque era muito grosso e que o meu era fino e pequeno ele disse que foi fazendo movimentos de vai e vem devagar pra ir se

acostumado enquanto chupava os seios e a beijava, ela estava tensa e tremia um pouco, ele a chamava de tesuda e gostosa, falava bem no ouvido dela, o pau do seu corno é pequeno é, ela fungava e com voz sufocada dizia que era fino e pequeno, aos poucos foi afundando o pau pra dentro dela ao passo que ia entrando ela ia gemendo mais alto e emitindo um aaaaaiiiiiii ele dizia no ouvido dela, de hoje em diante você é minha puta, seu corno falou que você queria experimentar outro homem não era isso que você queria sua puta, agora toma ferro na buceta, ela começou a gozar ao mesmo tempo chorar e gritar alto, a essas alturas ele tinha enterrado tudo dentro dela, depois a colocou de quatro e começou a bombar forte e bater na bunda dela, ela agarrava no lençol chorava e gritava ele puxava os cabelos ela soluçava ele foi aumentando o ritmo das bombadas e explodiu num gozo dentro do útero dela, deram um tempo, ela tremia e soluçava e disse que não estava aguentando mais,

ficaram descansando um pouco conversaram, ela disse que eu sempre quis ser corno e ela ficou com vontade de outro e que não sabia que era tão bom assim, depois começaram outra vez meteram durante quatro horas, ele meteu de tudo quanto foi jeito, queria explorar o corpo dela, ela tem coxas grossas, cintura fina e bunda grande, depois foram pro banheiro colocou ela sentada no vaso segurou na cabeça e mandou chupar o pau dele, enquanto ela chupava ele falava que a partir daquele dia ela seria sua puta forçava o pau até na garganta fazendo engasgar e sair lágrimas dos olhos, perguntou se já tinha engolido porra, balançou a cabeça que não pois na verdade eu nunca tinha gozado na boquinha dela a gente só fazia o tradicional papai mamãe agora ela estava ali sendo tratada como puta e aprendendo novas coisas que nem imaginava existir ela se entregava passivamente sem resistência, batia o pau no

seu rosto mandava falar que era sua puta, perguntou se o corno tinha comido o cuzinho disse que nunca então falou que puta tem que ser completa, tinha que dar o cuzinho também, mas que iria fazer em outra oportunidade depois foi bombando em sua boquinha e falou que ia gozar e encher a boca dela e era pra engolir tudo quando gozou ela engasgou, mas ele segurou firme a cabeça dela e mandou limpar bem o pau fez engolir tudo, ela aprendeu rápido e foi bem obediente coisa que ele gostou muito nela e a partir daquele dia
passou ser amante dele ficou dolorida por três dias, a buceta inchada e a bunda ardendo, foram amantes por cinco anos virou uma puta nem parecia mais aquela mulher um pouco tímida e ele se tornou o macho exclusivo dela, meu pau depois nem fazia efeito pra ela, durante esse tempo tirou sua virgindade anal, depois ele saiu da empresa e mudou-se, e como eu já não conseguia satisfaze-la passou a fazer sexo casual e eu um corno assumido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *