O patrão da minha esposa levou ela e minha enteada

Tudo tem um começo e nem sempre é como a gente quer, geralmente é um acaso da vida. Casei cedo e muito apaixonado, tenho 42 anos e minha esposa é dois anos mais nova, me chamo Charles, me casei com 22 anos. Minha esposa, se chama Angélica, é morena jambo, parece mulata de escola de samba, tem um corpo de chamar a atenção, os olhos são esverdeados, eu não fico muito atrás nos quesitos de corpo atlético, formamos um casal que chama atenção. Quando casei minha esposa já tinha uma filha que na época era novinha, que se chama Aline. Não tivemos filhos e Aline foi criada até a adolescência com os avós maternos, depois ela veio morar

conosco. Essa mudança causou um certo transtorno aqui em casa, pois eu e Angélica temos uma atração muito grande e para fazer sexo fazíamos em qualquer cômodo da casa e na chegada da Aline tivemos que reprimir nosso fogo e queira não queira houve um esfriamento da relação.
Aline é muito querida e estava se tornando uma moça e seu corpo estava em plena transformação, ela trocava de roupa na minha frente sem nenhum pudor, ia ao banheiro de porta aberta e Angelica achava isso muito normal.

O tempo passou e Angelica ficou meio distante, até porque ficamos meio reprimidos com a presença da Aline. Minha esposa trabalha no Shopping da cidade, em uma rede de boutiques de alto padrão, ela foi contratada por sua beleza e simpatia. Seu horário no trabalho é bem complicado pois ela trabalha, aos sábados, domingos e feriados, isso é compensado pelo seu salário, somado ao meu, nos mantem muito bem e nos dá um excelente padrão de vida, com direito a piscina, viagens, bons carros e uma linda casa.

Trabalho como representante comercial e na maior parte do tempo trabalho em casa no Home Office, meus clientes ficam em vários estados e os visito uma vez por ano ou no máximo duas vezes.
Aline estudava no período da manhã, ela ajudava Angélica nos afazeres da casa, antes da minha esposa ir para o trabalho.
Nossa harmonia era muito boa, até hoje somos cumplices um do outro e nós tratamos muito bem.

Angélica ficou meio afastada e meio fria depois da chegada da Aline e isso me deixou meio largado pois nossas relações sexuais que eram quase todos os dias passaram a ser escondidas e uma duas vezes por mês, isso quando eu não passava zerado. Isso me levou a conversar com Angélica e nossa conversa foi muito franca, eu falei que não aguentava mais ficar sem fazer sexo e disse que tinha que me masturbar toda hora todo instante para me satisfazer, só que isso não estava adiantando.

_Amor eu masturbo todos os dias para me satisfazer, mas não adianta, saio ainda com tesão e querendo sexo.
_Querido. Não sei o que está acontecendo mais depois que Aline veio morar conosco e o aumento de responsabilidade na loja, fiquei meio reprimida, sei lá.
_Mas como você aguenta ficar tanto tempo sem sexo, pelo menos não vejo você com desejo.
Ela olhando para baixo respondeu.
_Eu sinto vontade, mas eu me reprimo, e procuro pensar em outras coisas. Graças ao trabalho, que me exige muito, estamos conseguindo adquirir e ter um excelente padrão de vida, isto me conforta. Tu sabes que só com teu salário não teríamos nem a metade que temos.

Essa conversa foi na cozinha e nenhum de nós dois tínhamos percebido que a Aline estava escutando tudo. Quando sai para ir para nosso quarto a encontrei perto da cozinha e a chamei.
_Você escutou nossa conversa?
_Sim, escutei. Mas fica tranquilo não vou interferi mais na relação de vocês, vou voltar a morar com meus avós.
_Não precisa, gosto muito de ti, só temos que arrumar as coisas para tua mãe ficar mais relaxada e poder voltar a vida normal. Vou precisar da tua ajuda, mostrar pra ela que tu achas tudo normal e que ela pode ter uma vida sexual normal.
Ela sorriu e disse:

_Mas eu acho sexo normal, não tenho nenhum tipo de restrição e gostaria que vocês tivessem uma vida sexual normal.
Angélica saiu para trabalhar e eu e Aline ficamos em casa. Deitei no sofá para ver um filme e logo depois chegou Aline, de short bem curtinho, camiseta mostrando os peitinhos durinhos e empinados. Ela chegou e pediu um lugar no estufado, que era enorme, e se aconchegou no meu lado, bem pertinho do meu peito. O filme era bem erótico e estava me deixando bem excitado e Aline notou o volume no meu calção.
Ela me olhou e disse:

_estou vendo que o filme está te deixando excitado.
Pedi desculpas pra ela.
_Desculpa, não queria ficar assim na tua frente.
Ela com sorrisinho no rosto falou:
_Posso? Apontando para meu calção
_Fique à vontade, é todo seu.
E levou a mão em direção do meu calção, enfiou a mão dentro e tirou meu pau pra fora, começou a bater uma punheta, ela foi baixando a cabeça e começou a lamber que nem um sorvete e depois começou a chupar, fazendo um vai e vem bem lento. Não aguentei muito tempo e comecei a gozar, ela tomou todo o esperma que saiu, engoliu tudo e depois ficou lambendo até deixar bem limpinho.
Ela terminou e falou:
_Gostou? Posso fazer isso sempre que quiseres. Teu pau é muito gostoso, quero ele todo dia.
_Adorei, tu chupas bem gostoso, melhor que tua mãe.
Notei que ela estava bem excitada. Peguei coloquei em um filme pornô para ela aprender algumas coisas. Ela ficou olhando e rindo e falava:
_Nossa como ela consegue, o seu é do tamanho dele.
Peguei e puxei ela pra min, baixei o short e comecei a bater uma siririca pra ela, enquanto beijava ela na boca, eu sugava a linguinha dela, não demorou muito foi ela que começou a gozar, se estremecia toda e berrava de tesão. Ficou meio desfalecida do meu lado. Seu corpo estava todo suado e ela estava peladinha, peguei ela de lado e comecei a forçar a bucetinha dela, ela abriu bem as pernas e pediu para colocar devagar.
Tive que subir encima dela para melhorar a posição e comecei a forçar, foi entrando bem devagarzinho, em quando tirei só um risco de sangue. Ela não sentiu muita dor devido a excitação. Comecei a bombar, um pouco rápido, em pouco tempo estava gozando outra vez, tirei meu pau para fora antes de gozar e a puxei para ela tomar minha porra. Ela engoliu tudo e lambeu meu pão mesmo sujo de sangue e deixou ele bem limpinho, nem precisei limpar.
_Que delicia, teu pau é muito gostoso, vou querer mais. Gozei muito.
Dormimos nós dois pelados, no sofá da televisão, bem agarradinhos.
Angélica chega do trabalho por voltas das 23:00, e bem antes dela chegar, naquele dia já estávamos recompostos e esperando ela com alegria. Aline a abraçou, beijou, dizia que a amava, as duas foram para a cozinha preparar algo para comer e logo fui atrás.
Não sei por qual motivo, mas o papo foi para sexualidade, que as pessoas deveriam ser mais liberais, Aline deu um show de motivos, Angélica entrou na conversa demonstrando ser bem liberal, algo que eu não sabia e fiquei bem perplexo.
Fomos para nossos quartos dormir e com Angélica iria usar nosso banheiro para tomar banho e algo mais, fui no banheiro do quarto da Aline para me preparar para dormir. Aline veio devagar e começou a me espiar e ainda brinquei, deixa para amanhã hoje estou cansado e acho que sua mãe vai querer fazer sexo hoje. Ela não se deixou por rogada, veio na minha direção, me abraçou e me deu uma baita de um beijo, ficamos um bom tempo nos beijando, eu a retirei, ela me falou:
_amanhã vamos repetir, só que será bem melhor, vou fazer uma surpresa pra ti.
Meu pau endureceu na hora e fiquei na expectativa. Cheguei no nosso quarto e Angélica já estava dormindo, bem, fui dormir de pau duro, nem a mãe e nem a filha.
Me acordei ainda de pau duro, olho aquele bundão gostoso ao meu lado e me encosto bem pertinho para dar aquela trepada da manhã, quando me aproximo noto algumas marcas nas costas e na bunda, alguns arranhões, pequenas manchas roxas e no ombro algo que parecia um chupão. Não me dei por rogado, mesmo desconfiado, fui me chegando e comecei a acaricia-la e ela foi acordando, se voltou para o meu lado me deu um beijo e disse que não estava bem e disse que a noite faríamos um sexo gostoso. Fiquei de pau duro ainda e agora desconfiado, pois ela estava me negando e ainda com aquelas marcas. Aquele momento acendeu uma luz, pois comecei a ligar as coisas. Tinha notado que ela estava saindo de casa mais cedo do que sempre saia e estava chegando mais tarde e alguns dias bem tarde, alegando que teve que fazer contagem de estoque, outros dias saiu com amigas do trabalho. Uma coisa importante foi que ela nunca tirava folga, só esporadicamente ela pegava uma folga, eu reclamava para ela e ela me respondia que estava trabalhando para dar conforto para a família. Por parte ela tinha razão pois o salário dela era muito bom, e quando falo que é bom é muito bom.
Me levantei e fui tomar meu banho e Angélica acorda tarde, pois chega sempre muito cansada, sai do banho coloquei um short e fui para a cozinha, passei pelo quarto da Aline e a porta estava entre aberta, dei uma espreitada e a vi quase nua, só de calcinha e camisola transparente. Fui obrigado a entrar, passei a minha mão no meio das pernas dela, que a fez acordar, ela deu um sorriso se espreguiçando toda.
_que bom que você me acordou, estava sonhando contigo.
Dei uma risada e perguntei:
_sonhando com que?
_tudo que fizemos ontem e mais algumas coisinhas.
_estou desde ontem de pau duro, tua mãe está me negando e não sei mais o que fazer.
Ela pegou me puxou pra cima dela, me beijou bem gostoso e pediu para comer ela ali naquele momento e com a porta aberta.
Tirei a calcinha baixei meu short e enfiei meu pau naquela busceta apertada, dei umas estocadas, tirei o pau pra fora e comecei a gozar, ela passava os dedinhos na porra e levava para a boca,
_que delicia, adoro tomar tua porra. Quero tomar sempre, meu gostoso.
Sai satisfeito do quarto da Aline e fui para meu escritório, trabalhei até o horário da Angélica ir trabalhar, naquele dia nem almocei.
Logo que ela saiu, Aline pareceu no escritório e falou:
_não está trabalhando demais, meu gostoso. Vamos dar um relaxada no sofá, assistir uns filmes legais.
_é agora mesmo, vamos, vamos minha gostosinha
Notei que ela estava sem nada por baixo da camiseta, fomos brincando um com o outro no caminho e já fomos nos beijando.
Me deitei no sofá, já sem o calção e fiquei esperando, ela foi até o quarto dela e trouxe um lubrificante muito usado em sexo anal, olhei e já imaginei o que ela iria fazer, qual era a surpresa. Veio nua em pelo e se ajoelhou, começou a chupar meu pau bem gostoso.
_tua mãe chupava bem gostoso, só que hoje tu chupas bem melhor que ela.
Ela sorriu e falou
_quero dar meu cu hoje e quero que coloque tudo lá dentro é para socar forte.
Ela ficou de quatro e antes lubrificou meu pau e colocou um pouco de lubrificante dentro do cu. Cheguei por traz dela, dei mais uma lubrificada, coloquei mais um pouco dentro do cu dela e apontei meu pau para aquele cuzinho rosadinho e limpinho. Fui enfiando bem devagar, ela arrebitava o cu bem pra cima, para facilitar a penetração e comecei a bombear, coloquei até as bolas.
Ela gritava pedindo para bater nela, para enfiar tudo, gritava dizendo que iria gozar. Dava uns tapas na bunda dela e ela pedia mais, eu agarrei os cabelos dela, puxava com força e batia com força na bunda dela, deixando marcas vermelhas e roxas, iguais da bunda da mãe dela. Gozei dentro do cu, a porra escorria pelas pernas e pela bucetinha, ela tentava pegar com a mão e tomava tudo que pegava. Nos arriamos um ao lado do outro, ela tinha gozado várias vezes e eu dei uma só que valeu por dez.
Notei que ela gostava de sexo mais agressivo, foi quando ela subiu encima de min e me disse:
_gosto de macho que tenha pegada, que sabe pegar por trás como tu me pegou.
Brincando dei umas tapinhas nas tetas dela, ela gostou e falou:
_isso, pode bater, eu gosto eu gamo, bate mais forte, bate, bate
Nisso fiquei empolgado e comecei a bater mais, mais forte e ela cada vez pedia para bater mais. Meu pau ficou duro outra vez e ela botou na buceta dela e começou a cavalgar, eu continuava batendo cada vez mais forte, no rosto nas tetas ela começou a gozar, a danada me deu uma mordida que quase arranca um pedaço de carne, me enfureci e comecei a bater com mais força, até ela se desfalecer encima de min, ofegante, me agradecendo pelo gozo que eu tinha proporcionado. Ela veio e começou a me chupar e pediu para gozar na boca dela, ela queria tomar tudo. Logo comecei a gozar e muito, era minha terceira gozada.
_goza na minha boca meu gostoso, quero tomar toda a tua porra.
_Ahhhh!!!!!!!, vou gozar, toma tudo minha gostosinha, mina putinha.
Ela tomou tudo lambendo todo o meu pau, deixando bem limpo, como sempre fazia. Ela deitou ao meu lado e dormimos ali mesmo, bem agarradinhos.
Quando acordamos eu a convidei para ir no shopping fazer umas comprinhas. Chegando no shopping, fomos direto na Boutique falar com Angelica, chegando lá não há encontramos, a vendedora nos informou que ela estava fazendo uma entrega e que retornaria dentro de umas duas horas, como era cedo fomos fazer um lanche e comprar algumas coisas. Antes de irmos pra casa passamos na loja para ver Angélica e ela ainda estava fora e já se passavam mais de duas horas.
_acho que tua mãe está me traindo.
_não, ela te ama, jamais faria isso.
Contei o que tinha visto e mais algumas coisas que desconfiei dela.
_mas tu também estas traindo comigo, tens que olhar os dois lados
_eu sei, e se for verdade eu a perdoo. Amo muito ela e não gostaria de perde-la.
_conversa com ela, coloque as cartas na mesa e fale a verdade.
Nisso chegamos em casa, Aline estava feliz com as compras e logo foi provar os presentes. A safadinha ficava peladinha só para me provocar, não aguentei e coloquei ela de quatro e comecei a bombear no cu dela, gozei muito rápido e ela reclamou que não tinha gozado. Me veio na cabeça que ela gosta de gozar apanhando. Peguei pelos cabelos e dei um tapa na cara dela, dei uns tapas nas tetas dela, ela tentou reagir, mas como eu tenho mais força consegui faze-la ficar de joelho e a mandei chupar meu pau, em nenhum momento parei de bater no rosto ou nas tetas, notei que ela estava cada vez mais com tesão. Ela estava em êxtase, deitei no sofá e ela veio por cima de min e sentou encima do meu pau, enterrou tudo no cu, e começou a subir e descer enterrando até as bolas, ela começou a gozar:
_estou gozando, ahhhhh! me bate, me machuca me pega com força…. ahhhhh! vai enterra tudo no meu cu….
Dei, mas uns tapas bem fortes na cara dela, ela quase desmaiou de tanto gozar, nisso começo a gozar dentro do cu dela. A porra escorria. Ela pegava com as mãos e levava até a boca, lambendo tudo. Ela estava em êxtase, gozando direto, quase desmaiou ao meu lado. Fiz uns carinhos nela e pedi desculpas pelos tapas.
_desculpa se te machuquei, foi o tesão que me fez fazer isso.
_adorei, eu gosto de levar uns tapas, que me pegue com força. Gozei várias vezes e foi o meu maior gozo até hoje.
Fomos tomar um banho para esperar Angélica do trabalho, dormimos no sofá e nada dela chegar. Me acordei era muito tarde e fui no quarto e ela estava lá, deu para notar que chegou tarde e cansada. Olhei de perto aquele corpo perfeito, notei mais marcas de arranhões, manchas roxas e chupões, ali tive certeza que ela estava me traindo. O que fazer se eu sou perdidamente apaixonado por ela.
Como fiquei desconfiado, resolvi segui-la no outro dia para ver o que ela estava fazendo. Ela saiu e logo fui atrás dando uma distância para não ser notado, e ela não foi para o shopping, seguiu para um bairro nobre aqui da cidade e entrou em uma mansão com seguranças e tudo. Fiquei ali na frente esperando o tempo que ela ficaria ali, e ficou umas quatro horas, logo ela saiu dirigindo outro carro, o carro de luxo, era importado desses que custam centenas de reais, e foi direto para o shopping. Estava sempre atrás dela, cheguei no shopping e fui direto na loja em que ela trabalha, para ver o que está havendo. Chegando lá, ela me viu e veio toda encantadora na minha direção como se nada estivesse acontecendo.
_oi amor que surpresa, o que te traz aqui?
_vim te ver, bateu a saudades.
Levei ela para um canto para ninguém ouvir o que estávamos falando e comecei a falar.
_sabes que te amo muito e não gostaria de te perder e vou lutar pelo teu amor.
_também te amo e não quero te perder
_estou desconfiado que está acontecendo alguma coisa contigo, esta semana estive aqui e tu não estavas. Hoje resolvi vir atras de ti logo que saístes de casa e vi que seguiste outro caminho, entrasse em uma mansão e saísse com um carro de luxo, que deve ser muito caro e nós não temos a condição de ter um.
_Amor, posso te explicar, só que aqui não é o lugar.
_não quero saber, tens que me falar o que está acontecendo.
_espera um pouco que vou avisar que vou dar uma saída, lá fora conversamos melhor.
Fomos até o carro de luxo, um carrão, algo que nem que eu guardasse dinheiro a vida inteira não conseguiria comprar.
Ela mandou eu embarcar no carro e olhou pra min e começou a falar:
_Se tu gostas de min tu vai ter que aceitar a situação que vou te passar, caso contrário vamos nos separar. Escolhi o meu caminho, se quiseres vir junto, vamos ser cumplices e tens que aceitar tudo o que vai acontecer, não tem outra escolha, ou senão vou sozinha.
Quando ela falou em separação pensei logo na Aline, perderia aquele filé e a mãe junto. Ficaria perdido na vida acho que tudo perderia sentido. Tive um nó na garganta, cheguei a passar mal quando ela falou aquilo pra min.
_amor faço qualquer coisa para não te perder e aceito qualquer situação.
Ela pegou ligou o carro e saiu em direção a mansão.
_tu vais saber tudo que está acontecendo, mas te digo se não aceitar, vamos nos separar.
Baixei a cabeça e falei.
_aceito tudo que pedires, só não quero te perder.
No caminho ela ligou para um homem, no viva voz.
_Oi, estou indo aí, estou levando meu marido, Charles, para te conhecer.
O cara respondeu meio que rindo.
_bom, pode vir, vamos conhece-lo então.
Terminaram um mandando beijo para o outro. Deu para notar que eram muito íntimos e ele me conhecia.
Chegamos na mansão os seguranças abriram o portão e entramos. Era tudo muito lindo e grande. Ela mandou acompanha-la, e fui seguindo para dentro na casa. La dentro subimos uma escada de mármore, daquelas de cassinos. Logo que chegamos lá encima, nos encaminhamos para uma suíte para encontrar o tal homem que falou com ela por telefone.
Era um cara forte, bonito, corpo atlético e bem afeiçoado, muito simpático à primeira vista.
_Olá Charles, seja bem-vindo, fique à vontade. Me chamo Darlan e sou o patrão da sua esposa, ela agora é nossa diretora, comanda todas as lojas do nosso grupo.
_Prazer, estou meio perdido com tudo isso. Fico contente com a promoção, ela merece.
Angelica, foi em direção ao Darlan, colocou seu braço entrelaçado ao dele e sorridente me falou.
_Amor esse é meu chefe e conforme conversamos tens que aceitar algumas coisas, senão vai acontecer o que te falei.
_já te falei que aceito.
Darlan foi por traz e passou os dois braços pela cintura e a puxou para si. Começou a beijar seu pescoço por traz, ele a virou e começou a beija-la na minha frente, era um beijo forte, de prazer, os dois se agarraram, ela foi se abaixando, ficando de joelho na frente dele e começou abrir a calça dele e tirou para fora um pau mais de 20 cm, mais ou menos, grosso e longo. Ela abriu aboca e começou a chupar aquele caralho na minha frente. Ele me olhou e falou:
_me apaixonei por sua esposa, ela é perfeita, linda, corpo escultural, gostosa, inteligente e sabe chupar muito gostoso. Espero que você goste de assistir ela trepando.
Nisso ela se levantou tirou a roupa dele e dela, ficou de quatro na cama e pediu para ser enrabada. Ela ficou de quatro e de frente pra min, mostrando todo o prazer que sentia.
_vem meu gostoso, enfia esse caralho no meu rabo, mostra para o corno como se faz. Enfia tudo, arregaça meu cu.
Ele deu um cuspida no cuzinho rosado dela e começou a penetrar.
Ela trepava que nem a filha dela, começou a pedir para ele dar uns tapas.
_me bate gostoso, mostra pro meu corno como eu gosto de apanhar.
Darlan começou a dar uns tapas na bunda dela, nas ancas, aí vi da onde vinham as manchas roxas e os arranhões.
Não demorou muito os dois começaram a gozar, ela se levantou e começou a chupar o pau melado, ela colocava a mão dentro do cu dela, arregaçado com aquela pica, pegava o máximo de porra e levava para boca e lambia dedo por dedo.
_gostou meu corninho? Faço isso todos os dias antes de ir para casa, por isso chego cansada, é de tanto levar pau.
Ela estava feliz com aquela situação.
_O Darlan que conhecer nossa filha, o que achas meu corninho? Amanhã tu poderias trazer ela aqui para assistir a mãe dela dar gostoso para o Darlan,
Os dois pelados na minha frente, Darlan estava de pau duro, e Angelica estava segurando com a mão, batendo uma punheta bem devagar pra ele. Ela com aquele corpo de fechar o trânsito, não é por ser minha mulher, mas ela tem um corpo escultural, socando uma punheta para o macho dela, estava me deixando com tesão.
Darlan me indagou:
_o que achou da performance da tua esposa, dessa potranca gostosa. Agora vou gozar na boca dela e ela vai tomar todo o leitinho. Querida começa a chupar até eu gozar.
Ela se ajoelhou e começou a chupar, bem lentamente, ela enfiava aquele pau todo até a goela, não demorou muito ele começou a gozar na boca da minha idolatrada esposa. Ela tomou tudo, lambeu até ficar bem limpinho.
Darlan me pediu.
_amanhã trás sua enteada para eu conhecer e ver a mãe dela ser enrabada.
Ela pediu também.
_traz minha filhinha pra ver a mãe dela ser enrabada.
Ela se levantou veio em minha direção e mandou a letra outra vez, com voz autoritária e enfática.
_se reclamar ou ficar revoltado por qualquer coisa eu caio fora e venho morar com o Darlan, grava o que estou falando.
Darlan a puxou pelos cabelos e falou:
_ele entendeu, não é um idiota, ele sabe muito bem do que tu és capaz.
Respondi aos dois.
_entendi, eu a amo e não quero perde-la, vou ajudar as coisas acontecerem.
Angélica e Darlan se beijaram um bom tempo, olhavam pra min e riam da situação:
_agora troca de roupa e vai trabalhar as lojas não podem ficar sem a nova Diretora.
Voltamos ao shopping e no carro fomos conversando, ela me disse que Darlan lhe ofereceu a Diretoria responsável de supervisionar todas as suas lojas, um bom salário e mais regalias para ela trepar com ele a hora que ele quisesse e ser amante e confidente. Ela contou que ele é solteiro e quer ter filhos e ela foi a escolhida para parir um filho pra ele.
Peguei meu carro e retornei para casa pensando na Aline, cheguei de pau duro, fui direto no quarto dela, ela estava deitada de calcinha e sem sutiã. Fui pra cima cheio de tesão, ela tirou a calcinha e levantou as perninhas para enfia meu caralho naquela busceta. Meu tesão era tão grande que gozei na primeira estocada. Ela começou a reclamar e a dizer que estava muito ansioso e que pra ela era ruim pois ela também queria gozar.
Deitei do lado dela e falei pra ela.
_hoje à tarde fui atras da tua mãe, descobri que ela está me traindo.
_como você descobriu?
_fui atras dela e vi ela entrando em uma casa e depois dela foi para o trabalho.
_não pode ser, ela gosta de ti não faria isso.
Não contei pra ela o que presenciei, só contei que ela está me traindo.
_mas você também a trai comigo, assim as coisas ficam quites. Só acho que você está muito atraído por ela e me deixando a ver navios.
_amanhã vou te levar para conhecer o local que ela está frequentando, poderás ver com teus próprios olhos.
Eu a puxei e comecei a chupar a bucetinha dela, minha língua ia do cuzinho ao clitóris, ela logo começou a gozar na minha boca.
Angélica chegou em casa mais cedo, foi tomar o banho dela e veio na sala, me beijou, beijou Aline e ficamos conversando, como se nada tivesse acontecido. Fiquei notando mãe e filha, as duas eram duas princesas e eu não poderia perde-las, então vou rezar na cartilha do Darlan, ele vai manter a família, vai nos dar um melhor padrão de vida.
Fomos dormir e peguei Angélica de jeito e não a deixei escapar, estava cheio de tesão. Ela pediu para eu me segurar pois Darlan estavam querendo engravida-la e assim ela não poderia dar pra min, peguei ela pelos cabelos e falei então dá só o cu, ela me olhou e disse.
_agora estas dando de machinho, não é o corno. Vou te dar meu cu, mas depois dessa só depois de engravidar do Darlan.
Ela ficou de quatro e mandou eu enterrar no cu, dei várias estocadas e comecei a gozar, gozei muito. Ela também reclamou que fui muito rápido nem a deixando gozar. Ela veio e lambeu meu pau deixando limpo.
_o pau do Darlan é bem maior que o teu, ele me dá muito prazer. O teu no meu cu nem fez cocegas.
Começou a rir e debochar de min e do meu pau.
No outro dia, conforme tínhamos combinado eu levaria Aline para conhecer o Darlan, combinamos o horário e na hora combinada estávamos lá. Aline ficou maravilhada com a mansão e os carros do Darlan enfileirados, tinha até Ferrari. Fomos entrando na casa e notei que Aline estava em êxtase por toda a riqueza que ela estava vendo, como diz o ditado “a calcinha já estava no chão”.
Darlan nos esperava junto com Angélica e nos convidaram a subir até a suíte. Angélica abraçou Aline e a levou na frente fazendo comentários.
_o que achou minha filha, aqui é lindo, não é. Precisa ver a área da piscina, é maravilhosa.
_mãe, isso tudo é do teu patrão? aqueles carros maravilhosos, essa mansão.
_sim, é tudo dele. Ele é um empresário dono de uma confecção, tem dezenas de lojas em vários Shoppings, me promoveu para diretora das lojas e me deu um excelente salário e várias regalias. Uma delas é poder aproveitar esta mansão e usar seus carros. Tudo isso tem um preço, depois tu irás saber.
Chegamos na suíte, parecia uma suíte presidencial, com tudo que tem direito, frigobar, área de televisão, área jantar, uma hidromassagem e uma sacada que dava para traz da casa onde ficava a piscina. Aline foi correndo para a sacada para ver a paisagem dos jardins e da piscina.
_acredito que ela gostou, vou buscar umas bebidas para a gente ficar mais à vontade.
A pedido do Darlan fui preparar umas bebidas e deu para entender que seria um intruso na relação que iria começar.
Os três foram para a sacada e fiquei preparando umas doses de whisky e levei para os três e a minha tomei na área de preparo. Nisso chegou Aline conversando comigo.
_o que tu achas daqui?
_aqui é o melhor lugar do mundo, é só saber aproveitar. Seguir a cartilha do Darlan.
_como assim seguir a cartilha.
_logo tu irás entender.
Aline já estava indo para segunda dose de whisky e eram doses bem caprichadas. Ela me convidou para ir mais para perto da Angélica e do Darlan.
-Vou ficar aqui, sou um mero espectador, tu vais entender logo.
Angélica chamou Aline para perto deles e mandou eu ficar preparando a bebida, fez a mesma coisa que fez comigo entrelaçou o braço no braço do Darlan e começou a falar.
_sabe filha, o Darlan é meu patrão, me ajudou muito para conquistar o salário e a função que tenho hoje.
Nisso o Darlan ficava passando a mão na bunda e nas costas dela e falando.
_eu e tua mãe nos damos muito bem, ela tem o perfil que eu gosto. Ela é bonita, simpática, inteligente e me agrada a forma que ela me trata.
Eu fiquei tomando meu whisky e olhando o que estava acontecendo, Aline estava excitada vendo a mãe confessando que era a puta do patrão, só que em outras palavras.
Darlan foi indo para trás da Angélica e abraçando ela por trás.
_sua mãe é uma potranca que está domada, e foi desabotoando a blusa dela e baixando a saia, ele a curvou um pouco pra frente, baixou sua calcinha e enfiou o pau na busceta dela. Angélica ficou olhando para Aline, com cara de quem estava sentindo muito prazer.
_Filha isso é muito gostoso, sentir esse pau entrando e saindo.
Logo Darlan começou a falar
_está vendo como tua mãe gosta. Ela me dá muito prazer.
_filha ele é quem me dá prazer, isso é muito bom.
Olhei os peitinhos da Aline e estavam durinhos e empinados, ela estava com tesão vendo a mãe transando na frente dela.
Darlan tirou o pau de dentro da busceta da Angélica e mandou ela ir buscar Aline. Ela veio nua em pelo na direção da Aline, pegou ela pelas mãos e a levou até Darlan, Angélica começou a tirar a roupa da Aline e Darlan começou a beija-la, o Pau dele estava lustrado. As duas se ajoelharam e começaram a chupar aquele pau enorme, maior que o meu. Angélica metia até a goela, chegava a se afogar, Aline também começou a enfiar até a goela, e as duas lambiam uma em cada lado. Quando chegavam na cabeça do caralho ela se beijavam, isso me enchia de tesão.
Darlan pegou Aline a levou para a cama colocando de quatro e com a bunda bem empinada, pediu para Angélica lubrificar o pau dele. Começou a enfiar aquele caralho na busceta dela, tirava mandava Angélica chupar para deixar lubrificado. Depois começou a forçar o cuzinho dela, Angélica começou a cuspir para lubrificar, ele começou a enterrar, só ficou as bolas de fora e começou um vai e vem, de vez em quando ele tirava e enfiava na boca da Angélica não demorou muito ele começou a gozar dentro do cu dela, Angélica começou a chupar tudo que saia daquele cuzinho.
_Mãe, que delicia, quase desmaiei de tanto prazer. Que pau gostoso, vou querer dar sempre pra ele.
_Falei que era bom, vamos dormir aqui com ele e fazer mais uma suruba.
_e o Charles, só fica olhando?
Ela deu uma gargalhada
_o corno só vai ficar olhando. No máximo uma punheta.
Darlan escutou o papo das duas
_ele será nosso convidado só para olhar, não gosto de dividir minhas potrancas.
Elas riram e se voltaram para o Darlan e falaram
_aguenta nos duas mais uma vez?
_é agora.
Aline já agarrou aquele caralho e começou a chupar, Angélica se levantou e começou a beijar Darlan.
_ agora vou comer teu cu, sua gostosa.
Angélica ficou de quatro enquanto Aline olhava e se masturbava.
Darlan deu uma ordem enquanto comia o cu da Angélica
_vou querer um filho de cada uma, eles serão meus herdeiros.
Aline quando escutou começou a gozar na siririca que ela estava tocando.
-Eu quero ter um filho contigo. – Ela falava.
Os três exaustos, as duas com porra na boca, no cu e na busceta.
Elas estavam se alisando e falando do futuro,
_Filha morar aqui com nossos filhos vai ser muito bom
_Eu sei mãe, quero vir morar aqui o mais cedo possível.
Darlan comentou com as duas:
_Quero vocês duas morando aqui, vou fazer um filho em cada uma. O Charles pode vir também só que não vai tocar em nenhuma até elas ficarem gravidas. Mesmo assim, ninguém mais vai tocar minhas potrancas.
Angélica retrucou pra min.
_Melhor é ficar lá em casa, pois aqui vai só ficar vendo nos duas dando para o Darlan.
No outro dia, as duas foram morar com o Darlan, mãe e filha. Angélica pediu o divórcio e deixou tudo pra min, casa, carros, poupança, não levou nada. No início fiquei chateado pela perda das duas, mas depois comecei a me relacionar com outras mulheres.
Aline sempre me liga e pergunta como estou, as duas estão grávidas do Darlan. Ela um dia apareceu aqui em casa, barriguda da gravidez, muito linda, estava com saudades e veio me ver. Sentamos no estufado da primeira vez e conversamos longamente. Ela me falou que mesmo as duas gravidas o Darlan faz sexo com elas todos os dias. Elas estão muito contentes com ele, em todos os sentidos. Me fiz de rogado e mandei uma bola, dizendo pra ela que aquela criança poderia ser minha, pois um dia antes dela ir para a casa dele nos demos uma trepada e se bem me lembro eu gozei dentro dela.
_Não pode ser, eu tomava cuidado.
_Quando nascer vamos fazer um DNA.
_Pelo amor do santo, não fale pra ninguém.
_Tem uma maneira da gente se acertar e pode começar agora.
Mandei-a tirar a roupa e vir deitar comigo, eu tenho uma tara por gravidas.
Ela estava com tesão, dava para notar. Como sempre.
_Isso é para ficar de bico calado.
Coloquei ela de quatro, arrebitou aquele cuzão e enfiei minha pica com raiva, meti até as bolas, notei que aquele cu estava arregaçado pelo pau do Darlan, meu entrava fácil, não precisava forçar. Ela como sempre pedia mais.
_mete tudo, arregaça meu cu. Vou voltar para minha mansão com o cu cheio de porra.
Não aguentei e comecei a gozar, gozei muito.
Ela começou a falar tudo que ela e a mãe faziam com Darlan, que ela e a mãe trepavam todos os dias com ele, ela não sabia como ele aguentava.
As duas estavam felizes com tudo que recebiam do Darlan, as duas recebiam salários para servirem ele a seu bel prazer. Angélica estava à frente de todas as lojas e era elogiada pelo seu trabalho profissional, além do super salário ela recebia premiação por resultado.
Essa foi a última vez que dei uma trepada com Aline e faz muito tempo que ela não me liga, nem ela e nem Angélica, sei que as duas já ganharam seus bebes, dois meninos, e estão felizes vivendo na mordomia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.