Amigo do meu pai

Vou contar uma história que aconteceu comigo, morava em minha casa eu, minha mãe e meu pai, meus pais eram separados, mas morávamos todos juntos. Tinha- mos um lote bem grande, na frente era nossa casa e nos fundos meu pai fez outro barracão, mas ele não o alugava. Certo dia meu pai decidiu emprestar o barracão para um amigo dele, foi quando minha vida mudou. O amigo do meu pai era um homem normal, não era bonito nem muito feio, era magro mais tinha um pouco de massa muscular e o que chamava a atenção nele era sua boca, que era grande, ele

tinha 35 anos. Quando meu pai falou que seu amigo iria se mudar para lá eu não gostei muito, pois eu e meus colegas usávamos o grande terreiro que tinha o barracão dos fundos para fazer umas brincadeiras, mas quando Marcel mudou para lá pude ver que ele era muito legal não achava ruim de nos brincar- mos no que agora era o seu terreiro provisório. Marcel não trabalhava sempre, pois ele fazia alguns bicos que aparecia como, por exemplo, capinava os lotes perto da minha casa

e trabalhava também de servente de pedreiro. Mas vamos ao que interessa, meu pai trabalhava o dia todo e minha mãe trabalha um dia sim e o outro não, eu ficava a parte da tarde sozinha quando era dia de minha mãe trabalhar, pois eu estudava de manhã. Marcel e eu conversávamos- mos muito, ele andava quase sempre sem camisa quando não estava de calça de moletom estava com short estes de futebol, onde dava para ver que ele estava sem cueca, tinha os peitos cabeludos, isto me chamava à atenção. Eu notava que Marcel olhava muito para mim, pois eu brincava

muito em seu terreiro com meus amigos, mas só na parte da noite que era quando minha mãe deixava, ele ficava deitado em uma rede, só nos observando, às vezes ele também participava das brincadeiras, nesta época tinha umas meninas e uns meninos meus colegas, que ficavam uns com os outros, ele não falava nada para minha mãe que não podia saber, eu não ficava com ninguém. Eu já estava ficando curiosa em relação a Marcel, houve vezes em que nós brincávamos de pique esconde pra lembrar de quando era pequenos, eu deitava na rede com ele, fingindo esconder,

foi em umas dessas brincadeiras onde começou tudo, uma vez estava brincando de pique esconde onde eu escondi junto com Marcel o lugar era escuro pois o terreiro era bem grande e a luz não o iluminava todo, eu estava sentada no meio de suas pernas, quando percebi suas mãos subindo sobre minhas pernas, eu fiquei fria não entendia se eu estava gostando ou com medo de meus pais irem lá ( até porque era amigo do meu pai de tempo, e eles confiavam muito nele), enquanto isto suas mãos

iam subindo, nisso eu virei para ele e ele me beijou, eu ficava até sem ar pois ele me sufocava com aquela boca enorme. Suas mãos chegou até a minha calcinha eu estava ficando doida, a única coisa que eu sabia é que eu estava gostando, mas estávamos na brincadeira e tive que sair, segundo ele, para não sermos descobertos. Quando voltamos a nos escondermos foi no mesmo lugar só nós dois, ai ele foi bem adiante, ele falou em meu ouvido para eu tirar a calcinha e se deitou ao chão, como eu estava de saia não foi difícil, eu tirei, estava bastante assustada mas bem ansiosa

para saber o que ia acontecer, ele deitado ao chão pediu para eu sentar em sua boca, na hora fiquei parada pensativa, mas ele me pegou e me sentou em cima de sua boca, quando ele começou a me chupar senti uma sensação de louca, me subiu uma coisa entre as pernas que não consigo explicar eu estava achando que iria explodir, e ele continuava a me chupar parece que iria engolir minha xaninha, eu pedir para ele parar pois estava com bastante medo de alguém ver, ele parou eu pus a minha calcinha e iria sair, mas antes de sair, ele me falou: que amanhã logo após minha

aula que era para eu ir em sua casa. Fui para minha casa e não conseguia pensar em outra coisa, só pensava no dia de amanhã, no outro dia não conseguir estudar direito eu estava bastante ansiosa, quando cheguei em casa não tive coragem de ir em sua casa, mas ele me gritou lá de cima e disse ter um recado de minha mãe. Quando cheguei em sua casa ele me perguntou, se eu não estava lembrando o que tínhamos combinado, eu disse estar com vergonha ele perguntou se eu tinha gostado e eu respondi com a cabeça que sim, ele passou a chave na porta (eu me arrepiei) me beijou como no dia anterior me levou para sua cama, ele me beijava que

nem um louco, enquanto isso suas mão deciam meu short junto com a minha calcinha, quando fiquei totalmente nua ele foi pra minha xana e começou a me chupar, eu fiquei louca, ele abria cada vez mais as minhas pernas e me chupava cada vez mais forte enquanto isso com umas de suas mãos ele pôs o dedo do meio em minha boca e mandava eu chupar. Ficamos assim alguns minutos, depois ele me pôs de quatro e começou a chupar a minha bunda, eu estava gostando de tudo, depois ele mandou eu deitar de barriga para cima, tirou seu short ,ai eu pude ver o que

sempre eu tentava ver através apenas de um short, mas agora seu pau estava feito uma rocha, não era muito grande nem pequeno, era uma estatura normal, ele subiu sobre mim sentou sobre meus peitos, mas não pôs seu peso em mim, suas pernas ficou em volta de meu rosto, e ele mandou eu chupar (eu já tinha visto uma vez meu tio pondo seu pênis totalmente na boca de sua empregada que trabalhava em sua casa, eu vi uma vez em que fui dormi na casa de minha prima, mas meu tio também é separado, na ocasião meu tio não me viu, pois ele estava em seu carro na garagem

e eu acordei no meio da noite e conseguir ver pela grande varanda que tem em sua sala, ele punha o pau na boca dela e fazia rápidos movimentos de vem e vai, mas isto é outro assunto), quando Marcel me pediu para chupá-lo eu o chupei, pediu pra mim punhetá- lo, depois ele me pôs deitada de lado passou um gel gelado em meu cuzinho e começou a por seu dedo do meio, doeu mas o prazer que ele me dava com a outra mão passando em minha xana amenizava bem, depois ele me pôs de barriga para cima, e começou a por seu pau em mim, quando entrou tudo eu estava sentindo

dor ( fazia um tempo que não transava) começou os movimentos de vai e vem ai eu comecei a sentir prazer, não como aquele de quando ele me chupou mais era muito bom, ele começou a fazer os movimentos rápidos, eu gemia, teve uma hora que ele perguntou se queria que ele parasse, eu disse com a cabeça que não, ele continuou parecia que iria entrar para dentro de mim, me colocou de quatro e continuou, eu sentia que ele colocava o pau em mim até o talo, depois ele pôs a camisinha e

terminou de me comer. Essa só foi a primeira vez, depois disso continuamos a transar, mas não tinha como ser em sua casa pois minha mãe saiu do serviço, ele me comia quando brincávamos de pique me esconde ia de saia e sem calcinha, ele me encostava-se à parede e mandava ver, de vez enquando ele me falava que estava precisando de um boquete, fazíamos rápido, eu corria em sua casa ele abaixava o short e era tudo muito rápido, um dia ele arrumou um serviço e mudou, morava longe, uma vez matei aula e fui encontrar ele em sua casa, foi ótimo ele enfiou até o talo ele fazia o que quisesse comigo e eu deixava, a última vez que nos encontrei eu

estava com uns 17 anos, ele foi a nossa casa e passou a noite num coxão em que meu pai emprestou, em seu antigo barracão e eu pulei a janela do meu quarto de madruga e fiquei com ele, esse foi nosso último encontro esse dia ficamos a noite toda juntos e esse dia ele fez tudo o que quis e o que eu pedi, hoje minha amiga fala que ele me usou e foi embora (pois se mudou para outra cidade), ela fala que ele deve estar usando outras meninas, mas ele me escreve dizendo que está com saudades, mas não toca no assunto, eu deixo até meus pais lerem a carta e eles falam que foi um grande amigo e eu penso comigo, bota grande nisso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.