Vizinha Muito Carente

Olá, tenho 31anos e me saparei a pouco mais de 3 meses e aluguei um AP na Vila da Penha –RJ e em frente ao meu prédio existe um prédio um pouco maior. Sempre muito descuidado, as vezes saio do banho e me troco com a janela aberta.

Sexo Telefone

Certo dia percebi que uma vizinha estava sentada na varanda do seu apartamento e me observava atentamente, fechei a cortina meio sem graça e fui me vestir.

Com o passar dos dias fui percebendo que toda vez que a mulher me via chegar do trabalho ela posicionava sua cadeira na varanda para me observar trocando de roupa, comecei a deixar sempre minha janela aberta, sempre que eu acabava de me vestir eu ia para janela dava uma olhada e ela sempre soltava um sorrisinho de canto de boca .

Um belo dia estava em um barzinho que tem na esquina da minha casa tomando uma cerveja, estava uma noite bem quente e muitas pessoas freqüentam esse bar pois tem uns excelentes petiscos, quando olho para a mesa ao lado que eu vejo, minha observadora.

Ela vestia uma bermuda de malhação branca e um top por baixo de uma camiseta regata, estava bem suada e parecia ter acabado de malhar, trocamos olhares e tomei coragem e fui ao seu encontro, lhe dei boa noite e com a maior cara de pau perguntei se ela poderia me dizer onde tinha uma academia por perto pois estava morando de pouco por ali e não conhecia bem a área, ela sorriu e com essa desculpa começamos a conversar. O nome dela é Cristina não é nenhuma modelo, regula seus 35 anos mais tem seus encantos, é uma mulher com um belo sorriso, muito simpática e uma carinha de safada que mexe com a cabeça dos homens. Tem um corpo normal para sua idade .

O papo foi rolando e a hora passando, conversávamos sobre tudo, perguntei se ela era casada ela me disse que era separada e que morava sozinha, resolvemos ir embora e fomos caminhando juntos na mesma direção, em momento algum falamos sobre a observação.

Paramos na porta do seu prédio e acabamos trocando os números dos nossos telefones.

Mal cheguei em meu apartamento meu celular tocou, era Cristina, ela me disse que tinha me ligado para me dizer que tinha adorado me conhecer e quando ia desligar ela falou :

– Ah! Só não esquece de deixar a janela abertatá bom ? beijinho….e desligou…..meu pau ficou duro na hora entrei par o banho e ao sair fui me enxugar no quarto. Desta vez, Cris não estava na varanda e sim na sua Janela que dava para ter uma visão mais ampla do meu quarto inclusive da minha cama, Estava com o pau duro e sabia que ela me olhava , a luz do meu quarto estava acesa e Cristina podia ver tudo perfeitamente, sentei-me na beira da cama somente com a tolha na mão e comecei acariciar meu pau, eu olhava para a janela e ela tentava se esconder atrás da cortina, mas eu sabia que ela estava vendo, comecei a tocar uma punheta deliciosa, estava adorando aquele teatro mas eu queria mais, peguei o celular e liguei para ela, quando ela atendeu eu perguntei : Você está gostando ? ..ela ficou muda por um segundo e respondeu: – Estou simeu perguntei .. – Você quer me ver gozar ? ela disse que sim, mas preferia que fosse na sua boca, – Estou abrindo o portão automático, vem agora…Não demorou dois minutos ouvi o barulho do portão batendo, deixei então a porta da sala aberta e regulei a luz, deixando aquela penumbra.

Cristina estava com um vestido bem larguinho e quando entrou eu já estava pelado, com a Pica pulsando Cristina ficou parada na porta como se quisesse desistir mas eu a ataquei com sede. Bati a porta ao abraça-la e começamos a nos beijar suavemente, Cris tinha um beijo muito quente e molhado, mordia meus lábios suavemente, passava a língua por toda extensão da minha Boca, pescoço, tórax, até chegar na minha rola que pingava de tesão, Cris elogiava meu corpo meus músculos e com muita vontade abocanhou meu caralho.

Como chupava gostoso, Ela punhetava e chupava meu saco, minhas pernas tremiam, ela simulava um vai e vem delicioso com sua boquinha, que apesar de não engolir minha pica toda estava me deixando sem controle, eu não agüentava mais e disse que eu ia gozar, Cristina começou a gemer e falar : – Goza ….goza tudo na minha boca…vem gozar que eu quero beber seu leite….Eu jorrava muita porra na boca de Cris, ela apertava minha pica com os lábios e enterrava o máximo que podia , sentia meus jatos de porra na sua garganta, a cabeça do meu pau pulsava na sua garganta , Cris não parava de sugar minha pica, eu a puxei pelo braço lhe dei longo beijo e fui tirando o seu vestido, a cair revelou os seus seio médios e rosados , sua calcinha de renda branca deixa aparecer seu pelos rasteirinhos, peguei-a no colo e a levei para minha cama.

Fui tirando sua calcinha puxando até soltar dos seus pés e voltei passando a língua no seu tornozelo, subindo pela sua canela, passava a língua na parte interna de sua perna por trás do joelho, Cris se arrepiava e gemia baixinho, fui subindo pelas suas coxas mordiscando e lambendo a parte de dentro das coxas, ameaçava chupar sua xaninha que essa altura escorria de tanto tesão, passava a língua na sua virilha e quando finalmente toquei seu grelo com a ponta da minha língua ela soltou uma gemido alto, AHHHHHHHHHH! Que delícia….com a voz tremula e a respiração muito ofegante ela dizia coisas desencontradas, eu mordiscava e dava leves chupões no seu grelhinho que estava bem saliente e duro, eu chupava como chupeta, mas bem de leve as vezes mexia a língua bem rápido, posicionei um dedinho no seu cu, massageava seu buraquinho enquanto minha língua com muita velocidade maltratava seu grelinho, ela rebolava, gemia, me xingava, – Chupa filha da puta, chupa minha buceta….Ahhhhhh…quanto tempo não levo uma chupada dessas….comecei a enfiar o dedo no su cuzinho e aumentei a intensidade das linguadas, Cris deu um grito e me puxou pela cabeça, esfregava sua buceta não meu rosto, precionava seu corpo na minha boca e gritava- EU ESTOU GOZANDO..AHHHHHH…..Cris se tremia inteira aproveitando aquele momento levantei-me sugando seu seios com força, mordiscava os biquinhos apertava com força, o coração daquela mulher parecia que ia explodir, tratei de posicionar minha Pica na entrada de sua bucetinha completamente ensopada, com a mão eu esfregava a cabeça do meu pau no seu grelo que estava sensível ela se contorcia , então encaixei na portinha e fui deslizando para dentro daquela xaninha quente e molhada, Cris se abriu mais e trançou sua pernas nas minhas costas me dando um beijo sedento e forte, mordia meu pescoço, cravava as unhas em minhas costas, comecei um vai e vem sincronizado, rebolava com minha pica toda enterrada dentro daquela mulher carente e sedenta por sexo, coloquei-a em posição de frango assado e comecei e meter forte, tirava até a metade e metia forte até tocar seu útero, Cris adorava, Gritava: – Isso me rasga, me fode com força, mete essa rola com raiva em mim…….isso……Ela mais uma vez anunciou seu gozo e teve quase uma convulsão…sua buceta apertava minha pica, e Cris começou a se tremer, eu prendia seus braços para o alto apertando-a com força e ao mesmo tempo que bombava sua buceta chupava e mordia seus peitinhos, ….Cris chorava de prazer, eu estava louco, Sai de cima dela e a coloquei de quatro, ela sabia o que eu queria, comportava-se como uma puta, se pois de quatro e com as próprias mãos abria sua bundinha e enfiava seu próprio dedo no cu, – Vem….vou deixar você rasgar esse cu com essa pica de Jumento ( exagero dela )..comecei a chupar seu buraquinho, me ajeitei e comecei a enfiar a cabecinha no seu cu, ela estava alucinada e eu também, Comecei a dizer…..- Quer tomar no cu sua puta ? quer ? então sente minha rola….fui enfiando com força, tinha dificuldades pois seu cuzinho a muito não era explorado, enfiei e entrou uma parte….mais uma forte estocada e mais uma parte….uma mais forte e passamos da metade, ela mordia o travesseiro, berrava, chorava, eu batia em sua bunda com força, peguei nos seus cabelos e puxei com força enterrando o restante que faltava, mais um grito alto, e mais um tapa na bunda, comecei e bombar forte, minha pica parecia esta sendo esmagada, eu sentia meu saco ficar melado de encostar na sua buceta, Cristina estava possuída, Ela gritava e dizia, VAI….NÃO PARA….COME MEU CU GOSTOSO…..eu batia mais forte na sua bunda e enterrava o máximo que podia no seu cuzinho….não agüentando mais anunciei meu gozo, Cris disse que também iria gozar, eu enfiava com muita força, puxava seu cabelo, batia na sua bunda e derrepente…..AHHHHH!!! EU TÔ GOZANDO…….ela não conseguia nem fala, senti seu cu piscar como nunca soube que fosse possível um cu piscar com tanta força……ela dizia que estava sentindo minha porra esquentar suas entranhascaí sobre o corpo de Cris e ficamos assim até minha rola amolecer e dormirmos agarradinhos.

Continuamos nossas transas por mais algum tempo mas depois resolvi me afastar pois estava ficando sério demais.

Gostaria de perguntar para as meninas se quando elas gozam pelo cu a intensidade é a mesma…toda vez que me lembro do cu da Cristina piscando com a minha pica enterrada ficou com vontade de ligar para ela, mas não posso, coloquei até insulfim na minha janela…

1 Reply to “Vizinha Muito Carente”

  1. Este conto da “Vizinha Muito Carente” me pareceu muito bem estruturado, elaborado num português exemplar que deixa o leitor sempre desejoso de que a história não acabe nunca. Merece minha nota 9, e o desejo de que o autor continue escrevendo contos deliciosos como este. Meus parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *