Boquete delicioso no Uber

Olá, tudo bem?  Sou eu a Nina, branquinha, cabelos pretos e magrinha
Depois da entrevista que fiz pra tentar a vaga de assistente que tive que apelar e chupar o diretor, até hoje não recebi nenhuma resposta se passei ou não, mas sei que a vaga ainda não foi preenchida, então tô na espectadora.
Um dia desses fui à noite na casa do Raul e ficamos lá vendo série, comendo besteira e no meio da série ele dormiu, acabei ficando no celular e o Ricardo, que é o namorado da Paty do meu condomínio me mandou um oi, eu respondi e ele ficou dando uma ideinha em mim, que estava com saudade e tal

Eu tava meio entediada pq o Raul tinha dormido e me deixado sozinha, então deixei rolar o papo com o Ricardo
Foi ficando tarde e eu queria ir embora pra casa e nada do Raul acordar, então no meio da conversa com o Ricardo eu mandei:
– vc não quer ser meu Uber hoje?
Ele mandou risada e disse:
– depende, quanto eu ganho
Eu mandei:
– nada ué, vc não disse que estava com saudade? Vai poder me ver
Ele:
– Não vou sair de casa pra nada, faz um boquete igual aquele que eu te busco agora
Eu mandei:
Combinado, mas tô no Raul, então não desce do carro e finge que é Uber mesmo
Ele concordou

Quando ele me mandou que chegou eu só chamei o Raul e falei que estava indo pra casa, ele queria me levar mas eu dei uma de legalzinha e disse:
– vc tá cansado, tadinho, fica pode dormir que vou de Uber rapidinho
Ele meio sonolento concordou e nem foi comigo lá fora
Peguei minhas coisas e fui rápida pro carro do Ricardo
Entrei ele me deu um beijo no rosto e já falou:
– será que daqui até em casa vc consegue me fazer gozar?

Eu:

– eita menino apressado hein, eu mal entrei no carro e vc já está me cobrando a viagem
Ele deu risada e já foi abrindo a calça
Eu mal sentei e já senti a mão dele na minha nuca me fazendo abaixar em direção ao pau dele, e ouvi:
– Vai Nina, cai de boca no meu pau vai

O pau dele já estava duro então já comecei o vai e vem, a posição não ajudava mas enquanto ele dirigia eu fui chupando o pau, dava umas lambidinhas no saco dele, fiquei lambendo a cabeça da rola, com a mão fiquei masturbando o pau entrando chupava só a cabeça e ele falando:

– Vai Nina, mama meu caralho igual a puta boqueteira que vc é
Eu tava lá toda torta sentada no banco do passageiro com o meu rosto no colo dele mamando de boa quando ele entrou numa rua meio esburacada e foi aí que ficou difícil
O carro balançava e eu não conseguia me equilibrar, então acabava caindo de boca e engolindo o pau dele com tudo, dei até umas engasgadas, ele percebeu e ficou rindo, falou:
– agora ficou gostoso hein, quero ver vc engasgando com meu pau na garganta
E dava risada, parece que procurava mais buracos na rua só pra eu me ferrar
Eu aguentei firme enquanto deu, mas já estava com a boca toda babada daquelas socadas do pau dele na garganta, ele passou numa lombada com tudo que me fez ver estrelas na hora, eu perdi o apoio das mãos e meu rosto colocou no colo dele, fiquei com a rola socada na garganta até eu conseguir me recompor, o filho da puta ainda colocou a mão na minha nuca apoiando pra o pau entrar mais ainda
Finalmente chegamos no condomínio, quando eu percebi as luzes levantei um pouco tirando o pica dele da boca e falei:
– estaciona perto da sua casa mesmo, eu desço lá.
Ele parou e ainda fiquei chupando uns minutos até ele gozar
Na hora da gozada ele fez de novo, segurou minha nuca pressionando meu rosto contra a rola dele, e falava gemendo:
– Vai sua putinha, engole minha porra, vai chegar em casa com meu gosto da na boca
E começaram as jatadas, fiquei com a boca só na cabeça do pau enquanto masturbava ele e fui bebendo o esperma, tentando na deixar cair da minha boca pra não me sujar
Finalmente terminou, eu engoli a seco, levantei e ele todo sorridente ainda falou:
Sempre que precisar de uma carona é só chamar.
Eu fui rapidinho pra casa tentando me ajeitar pra ninguém perceber que tinha acabado de pagar um boquete pro vizinho…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.