Minha Amiga do Trabalho

Este é o meu primeiro conto, não sei se conseguirei ser detalhista, tentarei, bem vamos lá:
Isso aconteceu em 1987, na época eu tinha um ano de casado e minha amiga (Jô) estava casada há dois anos.
Em nosso setor trabalhavamos em 4 pessoas, sendo só eu de homem, uma tortura rs
Certa vez, numa sexta feira pedia a Jô que ficasse um pouco mais porque precisava conversar com ela.
Curiosa, pensando ser algo relativo ao trabalho permaneceu e eu iniciei a conversa meio sem jeito, mas fui ao ponto, pedi a ela que não usasse mais as roupas provocantes que ela tinha o hábito de usar, pois isso me abalava e estava me tirando do sério e acreditava que não era isso que ela desejava. Acabamos saindo de nosso setor e andamos um pouco pelas ruas do bairro a pé, até que no momento de me despedir fiz um último pedido, que ela jamais volta-se a usar uma calça branca hiper agarrada que ela vez ou outra colocava.
Quando fomos nos despedir ela fez questão de me perguntar, mas o que sente é apenas tesão ou algo mais? Eu respondi afirmativamente, que era apenas tesão. Nos despedimos e cada um seguiu seu rumo.
Passado o final de semana, cheguei cedo ao trabalho como era de costume e aos poucos foram chegando as meninas, foi quando Jô chegou que eu tive um baque e quase desmaio, Ela simplesmente estava com aquela calça branca!!!
Fiquei sem reação, pensei comigo, que porra é essa?
Bem, o dia foi rolando e todos envolvidos na rotina, até que as meninas começaram a sair para o almoço e ela propositadamente ficou por último, chegou perto de mim e me disse, me perdoe, mas não tinha outra calça limpa para por hoje!
Após o almoço eu iniciei umas mudanças na estrutura dos nossos arquivos e pedi a ajuda das meninas, eu ficava encima de uma pequena plataforma e elas me passavam as caixas de arquivo morto.
Como o processo estava meio lento, desci e comecei a jogar as caixas para as prateleiras e assim, em pouco tempo deixei tudo em uma posição mais fácil de serem acomodadas, coloquei outra plataforma ao lado e pedi que uma delas subisse e me ajuda-se, e a Jô de imediato subiu e foi me passando as caixas, neste momento, as meninas foram saindo para o lanche da tarde e eu disse para a Jô que poderia ir que eu me virava sózinho, e ela recusou, dizendo depois eu tomo meu lanche.
Assim ficamos a sós e, não demorou muito, quando ela foi me dar uma caixa acabou se jogando contra mim, me dando um selinho.
Delirei, não pensei mais, desci e a ajudei a descer, coloquei ela encostada em um armário de começamos a nos beijar longamente, e passei a explorar seu corpo com minhas mãos, até que levantei sua camiseta e mamei demoradamente em seus enormes seios, ela não deixava por menos e me acariciava o pau por cima da calça, então eu coloquei ele pra fora e ela não vacilou, sentou numa cadeia e iniciou uma mamada deliciosa.
Foi impossível controlar todo esse momento, uma loucura enorme, um tesão incontrolavel, comecei a foder a boca dela e quando senti que iria gozar tirei o pau de dentro anunciando meu gozo e ela o segurou olhando pra mim, deu um leve sorriso e o abocanhou de novo, sugando todo o meu leite.
Foi um dia inesquecivel, e o começo de algo muito, mas muito importante entre nós dois.
Espero que gostem, pois esse foi o nosso começo, rolaram muitas coisas desde então e já se vão 28 anos de muitos encontros!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *