Minha esposa nao quer

Queria ser breve nesse relato mas acho que não consigo! Me chamo Marcos, tenho 42 anos sou casado com uma linda mulher, Magali 35 anos 1.62m de altura bem gostosa, peitos pequenos, bumbum grande e além do mais ela já e mãe, pois temos filhos.
Enfim, em todo nosso relacionamento, entre namoro e casamento, estamos juntos a 15 anos, na época ela tinha apenas 20 anos, iniciando a vida e as vezes me sinto

meio culpado por ela não ter experimentado novos sabores. Em meados de 2000, fui estudar fora e as vezes retornava para minha cidade natal. Na época que eu a conheci, (pasmem) conheci primeiro minha futura sogra, que aparentemente não gostava muito da ideia, ela era muito nova e eu apenas brincava:
Sogrinha, sogrinha daqui uns anos sua filha vai estar linda!
Ela respondia; jamais! Quando ela tiver idade para namorar você vai estar bem mais velho que ela. E tem mais, você já está bem usado pois na faculdade até então já comeu quase a metade.

Eu simplesmente respondi: claro, futura sogrinha disso eu não posso discordar da senhora, pois na faculdade basicamente e sexo e curtição.
Os anos se passaram, eu me formei em 2004, e no ano de 2007 retornei para minha cidade natal na qual reencontrei aquela pessoa linda que já tinha virado moça e que hoje e minha atual esposa.
Antes de começarmos a namorar ela já havia tido dois relacionamentos, na qual ela relata que que não foi das melhores trepadas da vida dela. Nas palavras dela ela sempre diz que sou muito safado, e claro com tanta transa diferente na vida regressa agente vira puto safado. No decorrer do nosso relacionamento tento apimentar as coisas, ou seja, já fizemos de quase tudo um pouco. Neste sentido acredito que ela já se libertou bastante, apesar de ser sistemática ao extremo devido as suas culturas e crenças.

Porem algo diferente começou a ocorrer de 2 anos pra cá. Um belo dia resolvi contar a ela que eu gostaria de vê-la transando com mais um homem. O resto nem precisa contar, (rs), ficou sem conversar comigo por um bom tempo.
No decorrer dos dias foi se normalizando e voltamos as boas, mas sem tocar no assunto. Passados alguns dias em uma de nossas transas, naquele momento inicial de beijos e abraços, não me hesitei em comentar, mesmo sabendo que a transa poderia broxar caso ela emburrasse comigo. Minha esposa as vezes e meio extremista quando se toca em um assunto na qual foge da zona de conforto, mas mesmo diante daquela raiva, que não era expressa por palavras, mas sim por olhares, ainda insisti e ela comentou:

Amor, que papo estranho e esse? Não sirvo mais pra você a ponto de querer um outro homem?
Talvez você queira me contar alguma coisa, pois e estranho. Você quer usar isso para sair com outra pessoa?
Aliás, você acha isso moralmente certo? Isso fere todos meus princípios.
E mais, que homem gostaria de ver outra mulher comida de fato por outro homem? (Um pequeno sorriso) kkkkk, o que você vai ficar fazendo? Nem imagino uma cena dessas.

Todas aquelas palavras fizeram meu pau sumir na hora. Ela começou a estranhar pois mesmo que para ela não seja importante me senti oprimido a ponto de não rolar sexo naquela noite. Resolvemos conversar sobre o assunto e tentei explicar basicamente o que seria. Ela ficou assustada, uma impressão sem descrição. Ela me questionou;
– Amor; e se fosse duas mulheres?
Expliquei a ela que não era o caso e que meu amor por ela era incondicional.
– Jurava que você iria gostar de duas mulheres, ou seja achei que você logo após uma proposta dessas iria me fazer a mesma.

Ela me pediu mais detalhes de como surgiu tal fantasia.
Fui bem sincero:
– Olha eu já aproveitei bastante minha vida, já fiz coisas inimagináveis nessa vida sexual. As vezes me sinto um egoísta de imaginar que você mal conheceu dois namorados que como disse não foram bons ao bastante, e agora mais um na sua vida que sou eu. Queria que você experimentasse coisas novas.
Sabemos de nossos limites e pra ser sincero eu também comecei a ficar confuso com tais sentimentos, ainda mesmo ressalto que sou hétero para os desavisados de plantão.
Contei a ela que nada tem que ser obrigado a satisfazer o outro, tem que ser um sentimento de querer realmente experimentar, nada forçado. Regras de como seria ate mesmo o primeiro contato, desde que não fosse um conhecido, de preferência

um estranho ou ate mesmo um profissional do sexo. Mesmo que no primeiro momento não seja agradável nada vai ser forçado, conhecer em algum local mais publico como amigos se não rolar vamos embora, se sentir algo vamos em frente. Posso afirmar que quem escolhe e você, sabendo que isso e um processo longo que vai amadurecendo aos poucos.
Acabei contando pra ela um passo a passo de como seria e algumas regras a proceder caso isso viesse a se concretizar.
Os dias se passaram, e em mais uma de nossas transas resolvi brincar um pouco com a libido dela. Enquanto eu a comia de quatro comecei a comentar que havia um massagista prontinho pra comer ela. Notei que ela mudou seu humor melhorando as estocadas, mas de certa forma acanhada pois não queria demonstrar tal interesse.

No decorrer dos dias, nos momentos de sexo eu sempre comentada e variava as histórias e de como seria a foda se caso um pauzão arrombasse a bucetinha dela. E na maioria das vezes ela sempre se demonstrava interessada, mas sem acolhimentos e muito menos comunicação.
Em uma dessas manhas ela acordou e me disse achando engraçado o que havia sonhado.
Amor, sonhei com o Marlon. Eu fui na loja dele fiz uma compra me despedi. Na sequencia ele me disse: Magali onde você vai? Respondi prontamente: estou indo embora. Ele fechou a loja e me deu uma carona ate em casa. No caminho ele parou o carro e meu um baita beijo, confesso que não estava ruim apesar da barba kkkk.

Fiquei confuso com esse sonho pois ela não e tao liberal a ponto de me contar.
Os dias se passaram, comecei a levar nossa conversa mais a sério. Criei um perfil na qual não mostrei a ela e comecei a teclar com alguns rapazes. Um deles me chamou a atenção, mesmo sabendo que tal escolha não poderia jamais sair de mim.
Fui busca-la no trabalho e comentei sobre uma foto sensual da praia que eu havia enviado para este tal amigo do aplicativo. Ela ficou em cima do muro, mas de qualquer forma não ficou nervosa kkkk.

Chegando em casa já parti pra cima e começamos mais uma sessão de sexo, porem no meio da transa quando fui comentar do rapaz, ela parou tudo e disse:
Amor esse e uma fantasia que não pode sair da nossa imaginação. Sair do imaginário e algo que fere meus princípios e crenças. Quero ser clara que não vou fazer nada para te agradar e mais tarde uma sensação de arrependimento bater será tarde demais.

Fiquei chocado, pois em alguns momentos achei que ela estava realmente curtindo toda a brincadeira, até mesmo por ela ter dado indicies quando havia me contato tal sonho com o amigo, mas a real que fiquei confuso e fica difícil de ate mesmo acreditar depois de tantas confissões de minha parte. Depois disso não tocamos mais no assunto, mas ela notou minha frustração.
Peço que comentem sobre as incertezas ou certezas da minha esposa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.