Rodízio de motoboys

Olá. Sempre que tiro férias vou a João Pessoa. Além de ser uma cidade linda, com praias paradisíacas, é bem calma e aproveito para relaxar. Minhas aventuras por lá sempre foram boas e aqui relato mais uma delas.
Era noite já, por volta das 10 horas, estava em meu hotel na praia de Cabo Branco e não conseguia dormir. Estava com muito tesão e resolvi dar uma volta pela orla para ver se algo rolava. Fui até o canto da praia onde tem um lugar meio escuro, com árvores e como se fosse uma escada de cimento com uma santa sem a cabeça. Já

Aumento Peniano

tinha ouvido falar do local mas não conhecia. Não tinha ninguém ali então resolvi senar em uma pedar mais para a frente do mar e fumar um cigarro. Um tempo se passou e ouvi uma moto estacionar um pouco a frente. Um rapaz moreno um pouco magro desceu e se aproximou de mim. Pediu se eu tinha um cigarro pra ele e apertou o pau sobre a bermuda. Dei-lhe o cigarro e olhei fixamente para o volume que se formava em seu calção. Ele continuou fumando o cigarro e enquanto conversávamos levantou uma das pernas na pedra deixando seu pau bem marcado na bermuda. Já estava duro e parecia muito grande. Vendo que eu não tirava os olhos ele deu mais

uma apertada e perguntou : Curte? Eu respondi que curtia muito. Ele me pediu para ir com ele para baixo das árvores e mais para o fundo. Fui para lá pois ele parecia realmente inofensivo. Chegando lá, me sentei num dos degraus e ele abriu a bermuda e colocau o bixo pra fora. Realmente era grande, moreno, cheio de veias e uma pele que cobria a cabeça mesmo duro. Peguei seu pau, arregacei a pele e comecei a lamber a cabeça do pau e a engolir todo auqele mastro. Além de grande era grosso e cheiroso. Enquanto estava chupando ele me pediu se poderia tirar uma foto. Disse que poderia se cobrisse meu rosot e foi o que ele fez. Falou que eu não

iria me arrepender. Não entendi. Continuei mamando ele e certa hora ele disse que queria me comer. Falei a ele que era muito grande e não sabia se ia aguentar mas ele insistiu e disse que iria com calma. Cedi ao seu apelo, baixei minha bermuda e ele passou uma grande quantidade de saliva no meu buraco. Enfiou um dedo, dois e começou movimentos leves para alargar meu cu. tirou os dedos e disse : Tá prontinho. Pincelou o pau no meu cu e começou a enfiar a cabeça quando ouvimos uma outra moto estacionar. Fiquei em pé rapidamente e puxei minha bermuda. Ele então disse : Relaxa é um dos meus colegas que recebeu sua foto, hoje vc vai ter fartura.
Fiquei meio cabreiro mas já que estava ali, não tinha nada a perder. O outro motoboy era mais velho, era baixinho, gordinho e já veio mexendo na rola sob a calça jeans surrada. Baixei meu calção arrebitei minha bunda e no calor do momento disse: Então mete pra ele ver o amiguinho fudendo o papai. Enquanto o segundo se aproximava, o primeiro deu mais uma cuspida no meu cu e começou a me penetrar. Seu pau era duro feito rocha, doeu muito até passar a cabeça mas depois relaxei e ele enterrou a vara. O novo amigo já chegou colocando a rola e os bagos de fora e me

ordenando pra mamar. Enquanto levava rola vigorosamente do primeiro o segudo foi sentando no degrau e eu fiquei chupando sua rola. Não era muito grande mas era daquelas que são boas justamente por causa disso. Ele disse ao primeiro: Deixa eu foder ele porque tenho mais uma entrega, tenho que ser rápido. O primeiro tirou o pau do meu cu e ficou se masturbando em minha frente enquanto o outro fechou as pernas deixando seu saco enorme e seu pau bem apontado para cima. Como meu cu já estava alargado pelo primeiro sentei sem dificuldade naquela pica e comecei a quicar como uma vagabunda. Rebolava em seu pau e sentia seus pelos e suas bolas

meladas tocarem na minha bunda. Nisso ouço outra moto estacionar e digo : Mais um, que delícia. O primeiro só falou : É uma vaca mesmo, esse gosta de levar pomba. Enquanto o outro se aproximava, o segundo disse que iria gozar e eu aumentei os movimentos. Ele começou a se debater embaixo de mim e me inundou de gala. Eu sentia seu pau pulsar dentro de mim. Quando o terceiro motoboy chegou viu o segundo tirar seu pau do meu cu e o primeiro falou : E aí Marcão, o cara já ta lubrificado, kkk. Marcão era muito grande. Moreno, braços peludos e mãos grandes. Também usava uma calça jeans bem desbotada e tinha as pernas muito grossas.

Ele já deu uma risada alisando o volume em sua calça e, olhando para mim disse: Então se prepara que vai mais leite aí. O segundo foi embora e Marcão me virou me colocando de quatro no degrau. Ele me pediu pra arrebitar bem a bunda pra ver o estrago. Levantei bem minha bunda e ele enfiou de uma vez três dedos no meu cu e girou. Eu estava totalmente entregue, adorei aquilo. Aqueles dedos enorme me abriram ainda mais e ele começou movimento bemm fortes. Sentia uma certa dor

mas estava gostando de ser tratado assim por eles. Ele socou mais um pouco os dedos e a porra do segundo começou a sair, então ele disse ao primeiro : Vai lá Alê, mete nessa puta. Virei minha bunda pra Alê (o primeiro) e disse ; Vem, me rasga mesmo. Alê se posicionou atrás de mim e meteu forte, forte mesmo, parecia querer me atravessar. Senti suas bolas baterem em minha bunda e não acreditei que aquele mosntro estava dentro de mim. Marcão foi para minha frente, abriu sua calça e deixou cair um pau pesado mais ainda mole. Quando fui chupar ele sentou e disse :

Não puta, antes quero um beijo de agradecimento. Estava no céu. Enquanto alé socava cada vez mais forte, Marcão enfiou sua lingua na minha boca e começou a sugar minha língua em um beijo de tirar o fôlego de qualquer um. Ele me beijava, parava um pouco, colocava seus dedos grandes na minha boca tirava e me beijava outra vez.
Alê disse que iria gozar e Marcão ordenou : Goza na boa dele. Alê imediatamente tirou seu pau do meu cu e veio para a frente e gozou em minha boca respingando um pouco no colete reluzente de Marcão. Este passou um dedo pela porra do amigo e provou o gosto. Mal Alê gozou já colocou abermuda e disse que stava vazando e ficamos eu e Marcão apenas. Ele já estava com o pau duro apontado pra cima e me pediu para sentar de frente pra ele. Sentei em seu pau que não era muito comprido

mas era extremamente grosso. Sentei com vontade arrancando um suspiro dele. Sentia suas coxas grossas em minha bunda faminta enquanto cavalgava e trocava mais beijos compartilhando parte da porra do Alê. Ele dizia : Sente a rola do Marcão no cuzinho minha puta, toda enterrada, sente o cacete do teu macho . Ouvimos mais uma moto parar mas não demos muita atenção. Continuei cavagaldo Maarcão e o outro sujeito se aproximou já com o pau pra fora. Ele subiu no degrau e me ofereceu o pau pra chupar. Não fiz cerimônia. Mamei mais um cacete. Marcão avisou que iria gozar. Ao mesmo tempo que enchia meu cu com seu leite quente senti as esguichadas do último a chegar em minha boca. Este nem parecia que estava

gozando parecia que mijava de tanto leite. Dois goles generosos de porra quente, meio docinha (deve comer bastante abacaxi). Ele gozou e já foi saindo. Tirei o pau do marcão do meu cu e perguntei se ele conhecia e ele disse que não. Me ordenou a limpar seu pau e fiz isso com a boca. Me levantei e ele me puxou para um último

beijo. Me levantou do chão pois como disse, era muito alto. Lambeu minha boca, enfiou sua lingua até minha garganta e pediu meu telefone. Disse que queria me foder de novo. Disse a ele que ficaria mais três dias e se quisesse me telefonasse nesse tempo. Ele ligou. Mas isso fica para um próximo conto.
Se gostarm, por favor perca um tempinho e vote, comente. Um grande abraço e obrigado por lerem meus contos. Gu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *