Comendo o cuzinho da casada loirinha

Conheci essa mulher na fila do mercado. Conversamos por alguns dias e ela disse q tinha interesse em trair o marido dela. Ela contava q eles não transavam muito por ele ser mais velho. Ele não dava mais conta dela.

Durante alguns dias fomos nos provocando por fotos e videos. Desde a primeira vez q vi o cu dela fiquei fascinado. Cuzinho rosinha bem apertado.

Finalmente conseguimos marcar um dia pra matar a vontade.
Combinamos de nos encontrar em um shopping, cheguei la, vi ela de longe.
Ela tava de vestido curto, um salto alto que realçou mais ainda suas pernas.

Quando cheguei não aguentei, ja puxei ela pro corredor dos banheiros do shopping e beijei. Ela se tremia e ficava toda arrepiada. Ela deu um sorriso e falou q não sabia mais como era beijar outro homem.

Não perdemos tempo e fomos para o motel.
Chegando la, tinha uma pequena escada pra entrar no quarto. Ela subiu na minha frente e eu não resisti, ela tava dois degraus acima, seu rabo tava na altura da minha cara, logo segurei ela e enfiei a cara na bunda dela, com vestido e tudo. A safada deu um gemido bem manhoso e chegou a dobrar os joelhos.

Subimos pro quarto. Ela foi andando devagar pra cama. Encoxei ela por trás e fui alisando seus peitos.

Senti q ela tava um pouco travada. Fui conduzindo a situação. Qualquer gesto q eu fazia ela obedecia de um jeito bem safado e tímido.

Fui subindo o vestid dela, ela tava sem sutiã e com uma calcinha vermelha bem socada no rabo. Ela continuou de salto alto preto. Ela deu uma empinada e eu tive q dar um passo pra trás pra ver aquela loira maravilhosa.

Nessa hora meu tesão foi a mil, tirei minha roupa fiquei só de cueca. Meu pau nessa hora ja estava latejando, uma gota de melado ja molhava minha cueca.

Abracei ela por trás de novo e deixei ela sentir minha rola dura na bunda dela. Quando encostei ela suspirou.

Empurrei ela gentilmente pra cama, de forma que ela ficou de quatro. Mandei ela empinar bem o rabo. E fiz oq eu mais queria. Cai de boca naquele cu rosa. A safada deu um gemido alto e começou a se tremer toda.
Ela piscava o cu e tirava a bunda da minha frente, ela não parecia estar acostumada com uma chupada no cu.

Eu comecei a lamber bem de leve e alternar na buceta. Ela tava com tanto tesão q escorria um melado q ficava pendurado na buceta. Quanto mais eu chupava o cu dela, mais relaxada ela ficava, e mais melado escorria.

Eu descia e lambia o mel da buceta dela, ela botou a mão pra trás e puxou minha cabeça pra chupar o cu dela de novo. A safada tava adorando, o cuzinho ja tava relaxado e consegui enfia a língua, ela deu um grito, eu comecei a fuder o cu dela com a língua, ela berrava e gozou forte, escorreu muito melado na buceta ela caiu pra frente com as pernas tremendo.

Fui bem perto do ouvido dela e perguntei se ela tava gostando. Ela olhou pra mim com os olhos cheios de lagrima e com um sorriso de satisfação e disse que agora queria rola.

Puxei ela pelo cabelo e ela veio pro chão. Ficou de joelho começou a chupar meu pau por cima da cueca. A piranha tava sedenta por rola. Botei pra fora e ela ja veio com a boca aberta e engoliu. Ela chupava e esfregava na cara como se nunca tivesse feito na vida.

Ela fala q nunca tinha chupado um pau tão duro. E batia com ele na cara. Segurei aqueles cabelos loiros e comecei a fuder a boca dela, ela abriu a boca botou a língua pra fora. Ela engasgava e babava meu pau todo, chegava a escorrer pelos peitos dela.

Puxei ela pelo cabelo de novo e dei um beijo bem demorado. Nessa hora ela ja tava bem solta. Voltou pra cama botou o rabo pro alto e mandou eu meter a rola nela.

Nem fiz cerimônia. Soquei tudo de uma vez. Ela gritou e comecei a meter forte.
Ela gritava e mandava eu meter mais. Dava tapas na bunda dela, a bunda branquinha ja tava toda vermelha. E onde eu batia ficava inchado.

Comecei a preparar o cuzinho dela, dei uma cuspida e enfiei o dedo. Enquanto metia na buceta eu metia o dedo no cu dela.

Tirei o pau da buceta e comecei a passar a cabecinha no cu dela. Ela abriu a bunda com as mãos e mandou meter.

Fui socando e ela rebolando. E logo o cu dela engoliu meu pau. Ela gemia muito e botou a mão por baixo e começou a acariciar minhas bolas.

Não aguentei e comecei a bombar. Ela gemia alto e apertava meu pau com o cuzinho. Quanto mais ela apertava mais forte eu metia. Ela começou a se arrepiar, a safada ia gozar mais uma vez. Ela deitou pra frente e o pau saiu de dentro.

Ela falou q não queria gozar ainda. Me deitei e ela sentou. Ela sentou só na cabecinha e começou a rebolar, e foi descendo devagar. Ela sentava e rebolava bem devagar e sempre q não aguentava mais ela tirava pra não gozar.

Ela sentava de novo. Chegou uma hora eu não aguentava mais. Quando ela foi tirar de dentro de novo, segurei ela e comecei a meter bem forte e rápido. Ela gritava q não queria gozar ainda, mas ela não aguentou.
A buceta dela esguichou e molhou a cama toda. Ela se tremia toda e chorava. Ela deitou por cima de mim e eu continuei metendo devagar.

Tirei ela de cima e coloquei o pau na boca dela. A puta chupava e sentia o gosto do cu dela. Ela abriu a boca e pediu leite.
Não aguentei e gozei. Saiu muito leite, porra bem grossa e farta nem branca.

Ela deitou de barriga pra cima e ficou se deliciando com meu leite e alisava os peitos. Ela engoliu tudo e fez questão de me mostrar a boca pra ver q tinha tomado tudo.

Fomos tomar banho pq ela tinha q ir embora.
Até hoje ainda rola alguma coisa quando conseguimos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *