Sexo com a madrinha

Passada a primeira semana depois daquela noite no apê, meu celular toca, vejo que é o nº do cel da madrinha… atendo.

Aumento Peniano

– Oi tudo bem afilhado?

– Sim madrinha e com a senhora?

Disk Sexo

– Posso falar?

– Claro, a vontade, estou no escritório.

– Que bom, estou bem sim, obrigada. Mas com saudades. Vc ficou sabendo do churrasco na praia, na casa do Sandro sábado que vem?

– Fiquei sim, mas só vou depois das 14h00, após fechar a Loja. Sua sobrinha vai cedo com as crianças e meus sogros.

– Isso é bom. Teu tio também só vai depois da 13h00. Eu iria pela manhã também, pego carona com algum familiar. Mas eu posso deixar para ir depois do almoço com teu tio?

Já entendendo sua insinuação perguntei.

– Se vc não for de manhã, vai ficar fazendo o que até as 13h00?

– Estava pensando em dar uma passadinha aí na sua loja com o pretexto de fazer umas comprinhas… aí a gente podia se curtir um pouquinho, oque vc acha… posso?

– Que horas vc vem? eu abro as 8h00.

– Que horas tua esposa vai sair para a praia?

– Ela sai as 9h00.

– As 9h00 eu estou aí então, quero te fazer uma surpresa… beijo querido.

No sábado pela por volta da 9h00, estou no escritório que fica no mezanino da loja e a vejo entrar, nada de mais, está com um vestido preto na altura dos joelhos com gola, uma corrente marcando sua cintura e a bolsa, mas aí percebo que ela está com uma sandália vermelha e salto de mais de 12 cm que a deixa mais ereta e com a bunda empinada, sem exageros, no geral… uma senhora bem vestida como sempre, mas normal.

Como meu comércio é para utilidades domésticas, é normal ter mulheres comprando. Ela já é bem conhecida porque vive aparecendo para comprar novidades. Logo a vejo cumprimentando as funcionárias, vou mais para a frente e encosto na janela do escritório…nossos olhares se alinham, ela sorri lá de baixo e me cumprimenta.

– Olá afilhado, vou fazer umas comprinhas depois subo aí, preciso conversar com vc sobre alguns assuntos de família… posso?

Respondo que sim, disfarço um pouco, aviso minha gerente para que a libere para subir e que não permita que ninguém nos incomode, subo novamente.

No escritório tenho visão completa da loja pelas câmeras, acompanho seu andar, ela faz compras normalmente, como sempre fez. Cerro a persiana para que nenhum reflexo no vidro possa ser visto lá debaixo. Adianto uma contabilidade e fico aguardando. Passado uns 20 minutos escuto seus saltos na escada de acesso ao escritório, olho pela câmera que fica na escada e a vejo subindo e passando batom nos lábios. E ela aparece na porta, sorridente com seus lábios em um vermelho vibrante, sensual. É a mesma mulher, mas está diferente. Penso comigo… ser saciada por uma “rola” transforma uma mulher não é!?

– Oi querido, posso fechar a porta? Com a minha afirmativa, ela fecha a porta e passa a chave em silêncio.

Me levanto para ir ao seu encontro, ela faz sinal com a mão para eu não me adiantar, coloca a bolsa no sofá e fala.

– Fecha os olhos, só abre quando eu mandar. Eu me assento a frente na borda da minha mesa e faço como ela pede.

Escuto barulho de zíper, percebo que está se despindo. Em seguida escuto zíper de novo, mas vem do sofá, imagino ser da bolsa, percebo que a respiração dela muda, vai ficando mais acelerada. Então ela me chama.

– Pode abrir os olhos, me diga se vc gosta do que vê?

Meu pau já está acesso com toda essa performance, mas ao abrir os olhos, ele quase fura minha calça querendo se libertar e atacá-la.

Ela está de pé junto a porta de perfil, com a mão direita levantada apoiando na porta, vestida como uma colegial de antigamente, minissaia azul marinho plissada, deixando bem a mostra suas pernocas, uma camisa branca de botão transparente, com os botões abertos até o peito um pouco abaixo dos seios que estão desnudos, sem soutien. Nossa… que visão. Ela não se aguenta e vem em minha direção buscando minha boca, elas se engatam, o beijo é intenso apaixonado muito gostoso, madrinha beija muito bem. Eu a abraço e começo a percorrer seu corpo com minhas mãos, vou até aquela bunda empinada agarrando-a, ela geme, ela quer mais e eu também, puxo sua sainha e cravo as mãos em sua bunda… ela me beija com mais força e mais uma surpresa, ela está completamente desnuda, sem calcinha.

Ela começa a tirar minhas calças, e tb tenho uma surpresa para ela, estou sem cueca. A fome aumenta, ela então fala.

– Vc tb tem uma surpresa para mim?

Me solta, pega uma almofada do sofá, deposita-a a minha frente se a joelha nela e sem demora começa a chupar minha rola, agora já com mais experiencia, afinal ela a já conhece. Começa lambendo a extensão da rola, chupa meu saco, esfrega a sua língua na minha glande, lambe a cabeça, começa enfiando a cabeça na boca, alterna com lambidas sempre me mostrando o que está fazendo, depois começa a engolir, tira põe, chupa lambe. Está fazendo direitinho. Uma bela chupeta.

Eu começo a acariciar sua cabeça, sua face, vou tocando seus seios, ela se levanta e procura minha boca de novo, após o beijo ela puxa minha cabeça de encontro aos seus seios, quer que eu a mame. Eu a chupo com tesão, apertando- a de encontro ao meu corpo. Nisso eu a viro, levanto sua saia e encaixo meu pau na racha de sua bunda, com o salto ela fica na posição certinha. Seguro seu peito com uma mão e com a outra vou buscar seu grelo, ela abre as pernas inclina a cabeça para trás e em um beijo profundo começo a masturba-la. Ela delira te paixão e pergunta.

– Vc quer meu cuzinho hoje? Eu repondo que não, que seu cuzinho eu vou comer outro dia em um hotel e vou separar 4 horas para prepará-la direito, afinal seu cuzinho é virgem. Ela não me questiona, ela cumpre o que disse… é minha escrava, quem manda sou eu.

Como percebo que ela está já morrendo de tesão, eu a inclino sobre a minha mesa, estico o braço, abro uma gaveta e pelo um bisnaga de KY gel. Ela percebe, pega o gel se vira e lambuza minha rola com ele, ela sabe o que vou fazer, e pede.

– Vem meu macho. Vou ficar de quatro no sofá e quero que vc me foda igual vc comia tua mulher em Portugal. Vc faz? Assenti com a cabeça, ela se posicionou arreganhando sua bundona eu me ajoelhei e cai de boca em sua buceta, lambendo-a e enfiando minha língua no seu buraquinho ela se arrebita toda e pede mais.

-Chupa querido, me lambe, lava minha buceta com tua saliva. Eu vou trabalhando sua vagina e ela ficando cada vez mais louca, aproveito a posição e de surpresa a beijo no cú, um beijo grego. Tento enfiar minha língua em seu cú apertandoa-a no seu orifício anal… Que cuzinho delicioso que madrinha tem viu!? Ela se arrepia toda, geme sua respiração parece a de uma maratonista ao fim da competição. Ela então se entrega.

– Vem meu roludo, fode sua putinha, arregaça a minha buceta com tua vara. Enfia essa piroca na tua vagabunda.

Eu não me faço de rogado… com o pau já lambuzado de gel e com o tesão a mil de sentir o gosto de seu cú, posiciono a rola na entrada de sua buceta e devagar mais firmemente enterro minha pica de uma vez só até o fundo de sua caverna de luxuria e amor. Ela morde a almofada para suprimir seu urro. E eu começo a fode-la, dessa vez como um estuprador, um vai e vem intenso e voraz , ela abafando com a almofada urra de prazer e diz.

– Aí caraaaalhoooooooo, eu tô gozandoooooooo seu Puto, que tesããããoooooooo. Eu continuo socando e socando a rola nela, não paro continuo minhas investidas, sem dó arregaço sua xotona, ela percebe que estou muito perto do ápice e contrai sua vagina me proporcionado um prazer sem igual. Ai é minha vez de xinga-la.

– Toma sua VADIA, não é por causa da minha rola que vc veio aqui hoje? Toma sua vagabunda. Sua biscate! Quando ela ouviu chamá-la de biscate, o pavio se acendeu de novo e ela anunciou.

– Tô gozando de novo meu macho. Meu namoradinho, meu homem, goza comigo???

Ouvindo seu pedido eu a seguro pela bunda e a estoco mais e mais e em um impulso, enfio meu polegar direito em seu cuzinho, uma descarga elétrica corre o seu corpo, sinto as contrações de sua vagina, de sua bucetona gostosa a engolir minha pica.

– Ela então sentindo meu dedo em seu cú e a rola entrando violentamente, ela enfia sua cabeça na almofada abafando qualquer grito que teime em sair de sua garganta, ela estremece toda, percebo que está gozando intensamente. Eu também não conseguindo mais me segurar despejo meu sêmen quente dentro de sua bucetona gostosa, jorro mais e mais porra buceta adentro e confesso.

– Eu estou gozando em vc minha rainha, tô te enchendo de esperma de novo. Ela arrebita ainda mais a bundinha como quem quer pegar tudo, até a última gota do meu gozo.

Ficamos ali entalados durante alguns segundos, me apoiando com dificuldade em seus quadris, comas pernas moles de tanto gozar. Ela levanta a cabeça e fala ofegante.

– Puta que pariu, nunca tinha sentido isso. Eu gozei initerruptamente por vários minutos. Ela teve seu primeiro orgasmo múltiplo. Fiquei feliz de ser o homem que lhe proporcionou isso. Orgulhoso mesmo.

Tirei a rola de dentro dela, e mandei ela ficar na mesma posição, peguei meu celular e filmei a porra vazando de sua buceta como aconteceu na primeira vez, mas agora eu teria o registro, queria que ela tivesse essa visão para usar como incentivo em nossas futuras transas. Borbotou muito gozo e mel de sua gruta, escorrendo por entre suas coxas. Fui até o meu banheiro, peguei uma toalha e a sequei cuidadosamente, nos recompomos, fomos até o banheiro e com o chuveirinho nos lavamos. Expliquei que para foder seu cuzinho eu vou primeiro fazer uma lavagem anal, pois quero, na primeira vez, quando tirar o cabacinho do seu cú… comê-lo no pelo, sem camisinha. Então a

higiene tem de ser bem feita.

Nos beijamos muito, ela disse estar toda ardida, mais do que na primeira vez, expliquei que fomos muito intensos desta vez, falei tb de seu primeiro orgasmo múltiplo, ela me encheu de perguntas. Está avida por aprender.

Ficamos um bom tempo nos amassos no sofá e a conversar, ela prometeu guardar seu “uniforme” para outras vezes e me prometeu que vai variar. Nos vestimos novamente, ela estava muito linda, realmente a foda lhe fazia muito bem.

Pedi que passasse novamente o batom vermelho, ela disse que o marido não gostava, que se a visse assim seria capaz de bofeteá-la… Que isso era coisa de mulher da vida.

Pegou o batom e caprichou.

Não me aguentei, tomei-a nos braços e nos beijamos ardentemente, nossas mãos a percorrer nossos corpos, era tão bom acariciá-la e sentir seu carinho. Ela limpou o batom sorriu e se foi.

Nos divertimos bastante no churrasco. Com respeito é claro. Sexo fora do casamento é muito bom… voltei da praia em ponto de bala e surrei minha rainha em casa, até ela falou.

– Nossa meu amor, vc está tal qual nos conhecemos… um garanhão!

– Sou muito feliz por ter um marido fogoso e insaciável, isso faz muito bem a minha autoestima viu???

De repente essa palavra me aparece de novo, autoestima. Me dou conta que proporcionando felicidade a outrem… a minha própria autoestima se fortalece.

Minha senhora ainda confabulando comigo me surpreende…

– Reparou como a madrinha está mais bonita? Fiz cara de paisagem, ela continuou.

– Hoje conversando na festa, todo mundo a elogiou. Perguntamos se ela está fazendo algum tratamento especial? Ela riu e disse que acho o milagre foi vc, sim de vc, meu amor. Engoli em seco e fingindo espanto perguntei???

– Minha culpa? Ah era só o que faltava, agora eu sou culpado de tudo.

– Calma querido ela estava brincandu, disse que depois do conserto que vc fez no aquecedor ou chuveiro dela sei lá, tirando o tal “entupimento” que devia vir acumulando a anos, os banhos ficaram melhores, disse que até o tio esta cheirando melhor… KKKKKK rimos é logico.

– Mas ela deve ter algum segredinho que não quer passar para ninguém. Aí foi minha vez de falar.

– Querida… vc tb é bem bonita, sensual, mulher de verdade, só precisa dar mais valor ao maridinho e deixar eu te “desentupir” mais vezes, quem sabe vc também não fica mais jovial. KKKKKKKKKKK Rimos e fomos dormir agarradinhos de conchinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *