A Cunhada do meu primo no final do ano

Na sexta feira 27/12, desci novamente sentido litoral e no sábado já resolvi fazer um churras e pegar uma piscina e convidei meu primo que mora por lá.

Por volta das 13:00hs, meu primo chegou com a sua noiva e ficamos tomando umas cervejas, caipirinhas, conversando e escutando músicas.

Por volta das 18:00hs, meu primo recebeu uma ligação de sua cunhada dizendo que estava com problemas na rede elétrica do banheiro e nisso meu primo foi lá ver o que era.

Depois de um tempo o mesmo me ligou e pediu se eu não poderia lhe ajudar e fui ver o que estava acontecendo.

Após análise foi verificado que o fio e o disjuntor era incompátivel com o tipo de chuveiro que ela possuia.

Mas como já era a noite, não teria como fazer o serviço naquele horário e ficamos decididos que no domingo pela manhã iriamos resolver o problema.

Após esse acerto meu primo me convidou para comer Açaí e fomos.

Ao lado do Açaí tinha um barzinho rolando um pagodinho e meu primo disse a sua cunhada que eu sempre fui pagodeiro e gostava de dançar e a mesma perguntou se eu não queria dançar.

Fomos dançar, ela com um shortinhos curto com as pernonas de fora e a bundona avantajada e eu de bermuda de moletom.

Começamos a dançar e fui a empurrando mais para o canto para poder dar umas sarradas mais fortes, fui segurando a pela cintura e certos momentos passava a mão em sua bunda.

Nisso a caceta foi ficando dura e ela disse que estava sentindo a pressão e o calibre.

Falei pra ela, você não viu pessoalmente; ela disse que esperava uma oportunidade.

Demos uns beijinhos, dei uma passada de mão na buceta dela e voltamos para a mesa.

Tomamos umas cervejas e fomos embora, pois no outro dia pela manhã teria que fazer o serviço.

No outro dia acordei 07:00hs da manhã, tomei banho, café e fui comprar o material necessário.

Cheguei em sua casa por volta das 08:35hs e ela já me esperava de saia e toda carinhosa.

Fui fazer o serviço que não foi demoradado.

Após o serviço realizado falei que já poderia testar o chuveiro, a mesma tirou o vestido e ja estava sem calcinha e soutien e daí foi o convite para eu entrar no banho também.

No banho já comecei a beijar as suas costas, acariciar os seios e dedilhar o seu grelão, ela não aguentou e teve um orgasmo em pé; eu aproveitei a situação e chupei a sua buceta.

Ela pediu para irmos para o quarto.

Chegamos no quarto ela se jogou na cama de costas para mim e já fui novamente chupando a sua buceta.

Fiquei cerca de 20 minutos a chupando direto e com muita intensidade e ela teve 3 orgasmos.

A virei de frente e coloquei a jeba para ela mamar e que mamada deliciosa, ela engolia até as bolas.

logo depois ela disse que queria ser penetrada, levantou e pegou 3 camisinhas, e com a boca já encapou a jéba e fomos para o melhor momento.

Ela deitada a coloquei as pernas no meu ombro e fui penetrando devagar e tirando várias vezes, as pernas dela tremiam e derrepente soquei tudo sem dó, ela deu um grito, me agarrou, me beijou e depois disse que estava sendo arrombada.

Ficamos nessa meteção uns 20 minutos e ela teve mais um orgasmo.

Falei para ela que queria gozar, ela disse que eu poderia gozar a onde eu quizesse.

Disse que se ela deixasse eu gozar no seu cuzinho, o trampo iria sair de graça e iria gastar somente a compra dos materiais.

Ela respondeu que foi o melhor orçamento que recebeu.

A coloquei de quatro e comecei a beijar as suas costas e fui descendo até o seu rabinho.

Fui linguando o seu rabinho, chupando a sua buceta e mordendo o seu grelinho.

Peguei a cabeça da rola e coloquei na portinha do seu cuzinho e fui colocando devagar, após entrar esperei um pouco para ela se acostumar com a situação.

Aí comecei a socar e tirar tudo do seu cuzinho e ela começou a gritar, as pernas tremer e gozou novamente.

Numa tirada da rola do seu rabinho a camisinha quase saiu por inteira e aí eu ja a tirei tudo e meti a rola sem dó.

Ela percebeu e perguntou o porquê eu fiz isso, só respondi que iria encher o seu cuzinho de porra.

Creio que fiquei uns 3 minutos socando forte, sem dó e enchi o seu cuzinho de porra.

Paramos um pouco para descansar e conversamos.

Pedi para tomar um banho e ir embora, pois tinha coisas para resolver.

Fomos tomar um banho e nos beijos e carinhos a chupei novamente e nisso a pica fica dura, a coloco de quatro na parede e soco novamente em sua buceta.

Ela reclama que está toda ardida e esfolada e só paro com a segunda gozada.

Me lavei, me sequei e fui embora.

Nos encontramos quase todos os dias como nada tivesse acontecido.

No dia 31 na virada do ano novo a encontrei na praia com a irmã e meu primo e uns amigos deles, ficamos um pouco conversando e ela me perguntou se eu tinha vindo a praia de carro, respondi que sim e que estava ha umas 4 ruas de onde estavamos.

A chamei para irmos lá e logo estavamos a sós dentro do carro.

Ela estava de vestidinho curto branco e sem soutien, só tive o trabalho de tirar a sua calcinha e comecei a chupar a sua buceta.

Pedi para irmos para o banco traseiro, a coloquei de quatro e meti na sua buceta e ela disse para eu ir devagar pois ela hoje iria querer dar para um amigo também.

Foi só ela falar, tirei a rola da sua buceta e empurrei para dentro do seu rabo, ela reclamou que foi a seco.

Não quis nem saber, enchi o seu cuzinho de porra novamente.

Acabamos a festinha, ela saiu do carro e eu fui para outro local para não darmos na cara do acontecido.

Nos encontramos no dia 01 a tarde na hora que eu estava voltando para São Paulo e a mesma veio me agradecer pelos trabalhos prestados e que me espera em breve.

Voltei para São Paulo em um trânsito da porra, mas satisfeito com o final de semana na praia.

Agradeço a todos os leitores.

Um ótimo início de ano a todos nós.

abraços…..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.