Trepando com meu Zé Droguinha

Este é o meu segundo conto, me chamo Dayla, tenho 31 anos, sou casada. Não tenho muitas curvas mais tenho um bucetao bem bonito.

Era época de carnaval, eu estava no centro da cidade foliando sozinha. Comecei a beber, e quando me dei conta estava bebada, e ainda por cima sentindo um puta tesao.
A semana tinha sido exaustiva, muito estresse por conta do trabalho. No começo da semana uma amiga me contou que o porteiro da igreja católica (matrimônio histórico, turístico inclusive) era safado e sempre ficava do lado de fora paquerando as meninas.

Eu não estava muito longe da igreja, e fui então andando até lá para ver se realmente era verdade. Para a minha surpresa o fdp estava lá, fardado olhando o movimento da rua, eu pensei: – so pode ser ele! Me aproximei dele com um sorrisinho safado e perguntei: – moço, o sr poderia me da um copo de água? Ele respondeu rapidinho: – dou sim, entra, pode entrar. A igreja é muito linda por dentro, janelas com imagens de anjinhos, o teto muito alto com molduras antigas, tava fascinada olhando tudo em volta .. olhei para o porteiro e ele disse: – vc não veio até aqui atrás de água, não é?
Eu respondi: – não, eu vir pq eu queria conhecer você. Ele era branco, alto, corpo bonito, e tinha muitas chaves penduradas na cintura.
Mas naquele momento ele estava com uma chave na mão, e ele rodava a chave entre os dedos.
Ele veio em minha direção … e disse: – vem cá, eu sei qual é a água que vc quer, com um sorriso maldoso ele agarrou meu pescoço com um mão e com a outra mão foi tirando as calças.

Nesse momento eu suava frio, era uma mistura de medo e tesão .. minha buceta estava completamente molhada. Ele colocou o pau dele pra fora eu olhei para baixo e vi um enorme pau grosso, tão duro que pulsava na minha frente. Eu me ajoelhei e engoli todo aquele pau com toda vontade do mundo, chupei loucamente envolvida com os movimentos de vai e vem naquela rola gostosa. Ele dizia: – tu vai se arrepender de ter vindo aqui, sua puta. Eu vou te comer todinha. Fiquei de 4 toda aberta pra ele e disse: – mete com força na minha buceta. Ele meteu toda a rola em mim, socava forte puxando meus cabelos com a mesma força. Eu gemia muito, delirando de prazer ajoelhada no chão da igreja, levando pombada de um desconhecido… eu gozei no pau dele, ele sentiu a contração e falou: – goza minha putinha! Eu fui ao delírio, gemi alto pra caralho. Meu joelho doía por causa do chão, meu corpo tava mole. E ele disse: eu quero o teu cuzinho, cachorra safada.

Nao esperou eu dar permissão, cuspiu no meu cuzinho e com experiência foi metendo com um pouco força .. eu gemia em cada centímetro que entrava. Meu cuzinho estava sendo arrombado e eu dizia: – fode mais rápido fdp. Ele respondeu: rebola pra mim, rebola que eu vou gozar. Que momento incrível!! Pqp, ele gozou quentinho no meu cu! Permaneci com a bunda empinada enquanto ele tirava a rola do meu cu, aquele liquido branco escorria do meu cu até a minha buceta.
No outro dia não conseguia nem sentar, estava toda arregaçada.
Porteiro tesudo do caralho me come de novo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.