Aluna casada e submissa

Eu sou um homem muito cheio de vida, 31 anos, morador do PR…alegre, carinhoso, adoro rir, trabalhar e amo sexo e dominar, adoro realizar desejos de mulheres que nunca tiveram a oportunidade de serem elas mesma, por temerem o julgamento dos maridos, namorados e da sociedade.

Foi então que apareceu na minha vida, ou melhor, na minha aula, vou chamá-la de Alessandra, para preservar a sua identidade, sou professor de técnica de vendas, liderança e motivação. Ela entrou e sentou na cadeira de trás, eu perguntei o objetivo de cada aluno do curso de motivação na carreira de vendas, ouvi muitas opiniões, um aluno disse que a motivação dele no momento era vender a sogra e que não faltavam motivos para isso, outra aluna disse que era vender o marido, e a outra retrucou: o seu vale alguma coisa, o meu eu dou porque não vale nada, e todos riam. Quando chegou a vez de Alessandra, disse que quis entrar na carreira de vendas por seu pai é um corretor de muito sucesso, e que só agora aos 32 anos estava buscando o seu espaço no mercado de trabalho, ela era tudo de bom: morena, de aproximadamente de 1,75m, olhos rubros, boca grande e um corpinho escultural, os nossos olhos se fixaram intensamente quando ela falava, e deu uma sensação gostosa de desejo. O curso são de oito encontros e no 4º encontro, a Alessandra faltou, e logo eu senti que a aula não seria completa, porque a sua presença irradiava: beleza, fascínio e excitação. Toquei a Aula, terminei me despedi do pessoal, fui ao banheiro lavar as mãos, quando saio vejo a Alessandra dizendo o que ela tem que fazer cancelar a matrícula, que iria parar etc. Eu a chamei na minha sala e disse: porque você quer parar Alessandra? Porque eu… Soluçou e baixou a cabeça. Se refez e respondeu: porque eu estou me sentido muito atraída por você e não quero isso. Nossa eu já tive com várias mulheres gostosas, mas essa declaração me surpreendeu. Eu quis ir a fundo: o que fez você ficar atraída por mim? Ela disse: três coisas o modo que você me olha você me motivar a ir à busca dos meus sonhos e eu poder ser eu mesma. Nossa! aquela declaração mexeu comigo. Mas eu não perdi tempo e disse: e isso é motivo para você querer sair e abandonar uma coisa que está te fazendo bem. Aí ela me contou que era casada e que seu marido fazia todas as suas vontades, que sempre foi patricinha, nunca precisou trabalhar, poderia comprar o que quisesse que o pai era rico e o marido também, que pensou em se corretora para ocupar o seu tempo e ser alguém, mas que nas minhas aulas ela descobriu que era na realidade, uma mulher frágil, insegura, que tinha medo da vida, e que mais uma vez o medo a venceu e que precisa sair antes quê… e ficou muda, o meu lado dominador veio a tona, eu segurei o braço dela, antes que o quê? Ela ficou muda. Eu vou dizer: antes que você se entregue aos seus desejos mais intensos, antes que você possa ser você mesma sem julgamentos, antes que você viva as coisas que você sempre quis viver mais nunca teve coragem e seguranças, antes que você queria ser a minha fêmea… eu senti que ela gelou, eu a segurei e com uma abraço bem gostoso e apertado eu dei um beijo bem gostoso na boca dela, um no pescoço e uma mordidinha na orelha, e disse você é minha, você é toda Minha Alê! Agora você tem um dono, você tem um macho que vai te pegar muito gostoso, ela se arrepiou e tentou sair, eu a segurei dei uma tapa na cara dela e disse: chega de ser patricinha e os homens fazerem as suas vontades, coloquei ela de joelhos tirei o meu pau pra fora e coloquei-a para chupar…E disse a partir de agora você vai fazer isso toda vez eu mandar, você é minha puta, e propriedade minha, ela disse que sempre desejou isso, e eu bati na cara dela novamente, ela disse que estava cansada de ser tratada como uma princesa e que sempre desejou ser chamada de vadia, cadela, puta, e eu botei ela pra chupar e ela pediu para foder bem gostoso a sua boca, peguei uma coleira que estava na minha bolsa e falei: você é a minha cachorrinha! Ela delirou! Batia bem forte na cara dela, botei-a chão e pisei em cima dela… Ela disse que sempre quis ser mandada… hummm que delícia! Segurei o cabelo dela e coloquei-a de quatro na mesa… O celular dela tocou, ela viu que era o marido, e mesmo ela atendendo, eu não parei como ela estava com uma saia bem soltinha eu abri as pernas dela e arrebentei a calcinha, ela deu um suspiro e o marido perguntou o que era, ela disse: nada meu amor. Eu comecei a chupar mais gostoso, passei a minha língua de baixo para cima, sentindo toda textura daquela boceta gostosa, enquanto ela falava ao celular com o marido. Nossa era uma sensação muito gostosa, eu comecei a enfiar os meus dedos dentro da boceta dela bem forte. Foi quando ouvimos um barulho na porta e ela desligou o celular de súbito e eu fechei as pernas dela… Nossa! Vocês vão adorar saber o que aconteceu… É só o começo da Minha deliciosa história verídica com a Alê. A Minha Inesquecível Aluna Casadinha Submissa .

Se você gostou e quer se corresponder, escreva para: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *