Estou apaixonada pelo meu padrinho

O que passo a relatar passa comigo até hoje, essa paixão louca entre min e meu padrinho. Me chamo Ângela, sou morena, corpo muito bem definido, tipo falsa magra, chamo a atenção dos meninos da minha rua e nas baladas. Meu padrinho se chama Alex e é muito gostoso, um pau enorme, muita força física e junto com minha madrinha, Juliana, formam um belo casal.
Desde jovem vivo mais na casa deles do que na minha casa, meus pais trabalham fora e meu irmão mora com meus avós, passava meus dias sozinha e corria para casa da minha madrinha para passar o dia. Lá eu fazia minhas tarefas, almoçava, tomava banho e quando voltava para casa já chegava pronta para dormir. Meu padrinho quase sempre estava em casa, pois ele era representante comercial e alguns dias ele trabalhava em casa, ficava brincando comigo e me colocava no colo dele para assistir televisão, mexer no computador e para me fazer carinho, isso era comum, ele fazia isso na frente da madrinha, dos meus pais e todos viam como uma forma de carinho. Minha madrinha trabalhava no período da tarde, segundo turno, em uma empresa de peças.

Fui crescendo e meu padrinho sempre me abraçando, me beijando e me pegando no colo. Certo dia, já considerando meu padrinho mais como pai do que padrinho, o peguei dormindo nu com a porta aberta, minha madrinha tinha saído para o trabalho. Olhei um bom tempo aquele corpo de físico forte, com corpo bem definido e aquele pau de bom tamanho e parecia estar duro (na época não sabia nem um pouco sobre isso). Fui para o quarto que eu sempre ficava e comecei a sentir uma sensação esquisita, não sabia o que era, mas tinha a vontade de ir lá no quarto deitar com ele e ficar bem juntinho dele, mas fiquei com medo.

Passou alguns dias minha madrinha me perguntou se eu precisava de algumas coisas pois ela traria na volta do trabalho. Falei pra ela que estava tudo bem e iria ficar em casa estudando e preparando um trabalho que tinha que apresentar na escola. Meu padrinho tinha retornado pra casa ainda cedo e falou para minha madrinha que iria me ajudar no trabalho da escola. Almoçamos juntos e ela me pediu para lavar a louça e limpar a mesa e meu padrinho falou que iria cochilar um pouco e depois me ajudaria nos meus trabalhos.

Falei pra ele
_ Tio, vou lavar a louça e também vou tirar um soninho depois eu chamo o tio.
Ele me respondeu:
_ Se quiseres deitar lá no quarto pode ir, vou ligar o ar condicionado ai fica mais gostoso para descansar.
Lavei tudo certinho e corri para o quarto para deitar ao lado dele. Ele estava deitado me esperando assistido televisão. Ajeitei um travesseiro ao lado dele e deitei com meu pijama, shorts e meia blusa. Meus peitinhos, que estavam já bem formados, aparecendo na transparência do tecido.

Falei pra ele.
_ Tio, como o senhor gosta de dormir? Eu gosto de dormir com esse pijama.
Ele me respondeu:
_ Gosto muito de dormir sem roupa, fico mais relaxado e me sinto mais livre.
_ Hoje estou de short por tua causa, não gosto de dormir nu nem ao lado da tua tia.
Procurei ficar bem pertinho dele, ele abriu seus braços e me puxou para ficar aconchegada no seu peito, fiquei deitada de lado e mirando em direção do pau dele. Meio envergonhada pelo que estava sentindo. Ele sentiu que eu estava meio nervosa e excitada.
Me falou:
_ O que houve? Perdeu o sono?
Lhe disse:
_ Estou pensando e não quero que o senhor fique bravo comigo.
Me respondeu:
_ Só posso te ajudar se me falares. Pode falar sou teu padrinho e gosto muito de ti.
Perdi um pouco a vergonha e falei.
_ Um dia desse passei pelo quarto e a porta estava aberta e vi o senhor dormindo nu.
_ Se o senhor quiser ficar nu pode ficar, eu não ligo.
Ele prontamente me falou:
_ Vou tirar o short, mas se não quiseres o tio não tira, está bem?
_ Não quero que pense mal do tio.
Respondi:
_ Pode tirar, não ligo.
Ele tirou o short, jogou ao lado da cama. Notei que o pau dele estava muito duro.
Perguntei:
_ Tio, porque ele está assim? Nunca tinha visto.
Eu não tirava os olhos dele, estava muito excitada e um misto de medo, receio e prazer abalavam meus pensamentos.
Ele me falou:
_ Minha sobrinha, o Tio está excitado, precisando mexer nele para sair leitinho, aí o tio vai ficar mais calmo.
_ Não vai acontecer nada contigo, a madrinha vai voltar tarde e o tio não vai contar pra ninguém.
Ele pegou minha mão e levou até o pau dele, fez eu pegar o pau dele e mexer pra baixo e pra cima bem devagar.
Ele me falou:
_ Mexe bem devagar pra cima e pra baixo, bem devagar, daqui a pouco vai sair leitinho.
Ele sussurrava no meu ouvido que estava gostoso, pra min não parar. Me puxou mais pra cima dele e começou a me beijar na boca, nunca tinha beijado ninguém na boca, ele metia a língua dele dentro da minha boca e pedia para colocar minha língua dentro da boca dele.
Fiquei mexendo o pau para cima e pra baixo e beijando meu padrinho gostoso por um bom tempo, até que ele disse que iria sair leitinho.
Ele me falava.
_ Faz mais rápido e olha pra min.
Acelerei o sobe e desce quando senti um liquido quente e gosmento escorrendo pela minha mão. Não parava de olhar para o rosto do meu padrinho e vendo o seu prazer por aquilo. Ele ficou muito cansado, me deu um beijo bem gostoso na boca e dormiu. Peguei aquele leitinho e levei um pouco na minha boca, não senti gosto, mas senti um prazer grande em fazer isso, e continuei a pegar o que podia e a lamber meus dedos e mãos, enquanto ele dormia lambi tudinho, sem ele ver.
Minha vida mudou, ficava pensando naquilo o dia todo e só queria deitar com meu padrinho a todo momento. Ele percebendo isso começou a se aproveitar dos meus sentimentos e toda vez que minha madrinha saia para o trabalho, meu padrinho me chamava pra dormir com ele. Estava fazendo isso quase que diariamente. Eu batia uma bela punheta pra ele e deliciava com o leitinho que sobrava enquanto ele dormia, ficamos desta forma por muito tempo.
Quando íamos dormir meu padrinho ficava nu e eu ficava com meu pijama. Certo dia ele me pediu para ficar nua junto com ele, e logo tirei minha roupa e me deitei encima dele, sentindo o pau dele no meio das minhas pernas. Ele me pediu para ir descendo até minha boca ficar na altura do seu pau, ele me pediu:
_ Começa chupar como se fosse um sorvete e depois tenta engolir e faz com a boca o que tu fazes com a mão.
_ Faz bem gostoso minha cadelinha putinha.
Comecei a lamber de baixo até encima.
_ Vai minha cadelinha, chupa bem gostoso, enfia dentro da boquinha e sobe e desce.
Comecei a fazer o que ele pedia e demora nada ele gritou.
_ Vou gozar!!!!
Ele me pegou pelos cabelos e enfiou o pau até minha garganta empurrando minha cabeça contra e começou a gozar lá dentro, me afoguei de tanto leitinho, mas não parei de chupar e tomei todo aquele leitinho, fiquei mamando até tirar tudo e lambi o que caiu fora.
Dessa vez o tio não dormiu, ele estava com muito tesão, me puxou contra ele e começou a me beijar, chupava minha língua, meus peitinhos e começos a chupar a minha xaninha, ele fazia isso muito bem, comecei a tremer de tesão e ele me fez gozar mais de uma vez mexendo e chupando meu grelinho, fui eu quem desfaleci e dormi como um anjo.
Acordei toda dolorida como se tivesse sido atropelada, meu padrinho estava deitado ao meu lado dormindo e a cama estava toda lambuzada do leitinho, pois notei que ele devia ter gozado em encima de min enquanto eu dormia.
Minha xaninha, peladinha, estava inchada de tanto que ele chupou. Me levantei fui tomar um banho e quando voltei ele já estava acordado. Deitei do lado e comecei a beija-lo, ele sorria e me beijava bem gostoso. Ficamos namorando um bom tempo:
Ele me falava:
_ De hoje em diante tu vai ser só minha.
_ O tio não vai falar pra ninguém e tu também não pode falar.
_ Vamos agir como se nada está acontecendo.
Respondi:
_ Está bem tio, não vou falar pra ninguém.
Ele me orientou a ir em casa de vez em quando e ficar um pouco com meus pais, para que eles não desconfiassem do que estava acontecendo. O tesão era muito grande e a vontade de ir dormir com ele era muito grande.
O tempo passou já estava com mais idade, fiquei mocinha e minha menstruação chegou. Comecei a tomar comprimido, mesmo sendo virgem e nunca o padrinho ter gozado na minha xaninha, ele só chupava e mexia o meu grelinho até o eu gozar.
Meus pais estavam em situação financeira ruim e teríamos que nos mudar para um bairro mais pobre, para pagar um aluguel mais barato. O padrinho e a madrinha foram na minha casa e conversaram com eles, meus pais, pedindo pra que um ficasse morando com eles, até a situação melhorar. Eles ficaram contentes e me informaram que eu iria me mudar definitivamente para a casa dos meus padrinhos, isso até situação econômica melhorar. Fiquei feliz pois poderia ficar todos os dias com o padrinho e visitar meus pais nos finais de semana.
Na primeira semana da mudança eu e o padrinho buscamos ficar um longe do outro para não deixar ninguém desconfiar, e nesse meio tempo eu e ele trocávamos caricias mesmo com minha madrinha em casa. Ela nem desconfiava, conversava comigo tranquilamente sem desconfiar de nada
Na segunda semana começamos a dormir juntinhos toda tarde, logo que minha tia ia para o trabalho. Era uma segunda feira, lavei louça, limpei a casa e fui para o quarto para deitar com ele. Cheguei no quarto, ele estava nu, corpo de atleta, com o pau duro e sorrindo pra min. Deitei peladinha encima dele e começamos a nos beijar, eu já beijava bem e sabia domina-lo, mesmo tão novinha, eu tinha aprendido com ele.
Sobre as suas orientações comecei a tomar pílula, ele quem comprou, e suas caricias começaram a se tornar mais voluptuosas. Já era uma mocinha e podia melhorar mais a nossa transa.
Meu padrinho começou a me chamar de cadelinha, putinha e eu me excitava com isso.
_ Vem cá minha cadelinha, chupa o pau do titio bem gostoso.
_ Enfia até a garganta minha putinha.
Ele segurava minha cabeça contra seu pau, enfiando o máximo que podia, o pau era muito grande, não cabia tudo e eu me afogava direto.
Gozou lá dentro mais uma vez e tomei tudinho até o que caia fora.
Pedi pra ele:
_ Tio eu quero dar minha xaninha, tua cadelinha está com tesão na xaninha.
Fiquei deitada do lado dele e ele veio por cima de min, colocou o pau na entrada da minha xaninha e começou a forçar, no início doeu um pouquinho, pedia para parar um pouco e depois ele começava a forçar outra vez, até colocar tudo dentro da minha xaninha, nem vimos sangue foi tudo muito rápido.
Ficou bombando por um bom tempo, sentia muito tesão, não tinha mais dor, só tesão. Ele pediu pra min ficar de quatro com minha bunda arrebitada pra cima, ele pegou na minha cintura com a duas mãos e enfiou todo o pau dentro de min, com poucas bombadas eu estava gozando e ele gozou dentro de min, caímos desfalecidos, ainda com o pau dele dentro de min e ficamos assim por bom tempo.
_ Tio, tua cadelinha gozou muito. Vou querer mais.
Me respondeu:
_ Calma minha cadelinha, o tio não é de ferro, vamos descansar um pouco.
Isso virou rotina, todos os dias eu dava pra ele. Mas aí apareceu um problema sério, eu estava apaixonada, ele estava apaixonado e minha tia estava desconfiada. Ela imaginava que ele tinha uma amante, pois ele não estava mais transando com ela. Minha madrinha era linda, muito gostosa e não tinha porque ele não transar com ela. Notei que os dois começaram a discutir e eu intervia toda vez que podia, pois gostava dos dois. Várias vezes a peguei chorando dizendo que o amava e que não queria perde-lo. Ele estava transtornado querendo se separar pra fugir comigo, mas isso estava errado, combinamos de ficar assim.
Estava apaixonada pelo meu padrinho e não queria que ele se separasse dela, então resolvi dar um basta para não sacanear com minha madrinha. Minha madrinha era muito querida, amável e gostava muito de min, começamos a conversar mais e ela desabafava tudo comigo. Em uma dessas conversas ela me abriu, me pedindo juramento eterno, que uma vez ela traiu o meu padrinho com um amigo do trabalho, mas foi só uma vez e estava arrependida por isso. Ela até aceitava que ele tivesse outra mulher, mas ela não aceitaria traição.
Montei uma estratégia para terminar com meu padrinho, e deixar a minha madrinha mais tranquila com ele, mas antes eu queria dar pra ele até não aguentar mais.
Como acontecia rotineiramente, o padrinho chegou mais cedo e entrou brincando comigo e passou sua mão por de baixo do meu vestido, nisso minha tia vinha chegando, acredito que ela percebeu alguma coisa, mas não falou nada. Já tinha colocado a mesa para o almoço, sentamos conversamos e como sempre minha tia se despediu para ir pro trabalho, eu fui lavar a louça e limpar a casa e o tio foi para o quarto esperar sua cadelinha.
Entrei no quarto e ele estava com o pau duro, cheio de tesão me esperando. Como sempre me deitei encima dele e começamos a nos beijar, ele enfiou sua mão na minha xaninha fazendo em contorcer de tesão, me abaixei e comecei a chupar aquele pau gostoso.
_ Chupa minha cadelinha, chupa minha putinha.
_ Hoje vou gozar bem gostoso nessa boquinha.
Isso me enchia de tesão e dava muito prazer.
Estava chupando bem gostoso o pau dele, com o pau todinho dentro da minha boca, olho com o canto dos olhos e vejo minha tia ao lado da cama nos olhando. Meu padrinho deu um pulo da cama que quase me derrubou da cama.
Ela gritava:
_ Vocês podem me dizer o que está acontecendo?
_ A quanto tempo isto vem acontecendo seus safados?
Meu tio me pegou e pediu para sair do quarto, mas minha tia interferiu dizendo que os dois teriam que explicar. Eu estava perplexa sem me mexer, meu padrinho pegou minha tia e a levou para fora do quarto, enquanto isso coloquei minha roupa que já deixava no quarto e fiquei sentada na beira da cama, com vontade de chorar e pensando na vida.
Depois de um bom tempo o meu padrinho veio, me pegou deu um beijo e pediu pra ir para o meu quarto, e que ele iria resolver tudo. Sai do quarto e minha madrinha estava sentada na poltrona e me seguiu com seus olhos até o meu quarto.
Fiquei no meu quarto por muito tempo e cansada de tudo dormi. Me acordei no meio da noite e fui na cozinha tomar uma água, passando pelo quarto notei que os dois estavam conversando, essa conversa deve ter levado muitas horas. Retornei da cozinha e a conversa estava fluindo, pois os dois estavam rindo, dava para escutar as risadas.
De manhã cedo me acordei cedo para tomar meu café e ir para escola e como sempre o padrinho e a madrinha dormiam até tarde. Voltando da escola estava com medo de chegar em casa, que eles me mandassem embora, que os dois se separassem e outras coisas. Mas tinha que assumir e fui pronta para pedir perdão e pegar minhas coisas e ir morar com meus pais. Chegando em casa minha tia já tinha feito almoço, meu tio já estava sentado na mesa e quando me viu já brincou comigo como ele sempre fazia. Fui no meu quarto larguei minhas coisas e voltei para a cozinha pra ajudar a colocar a mesa e outras coisas. Meu padrinho não tinha ido trabalhar resolveu ficar em casa para acertar as coisas. Almoçamos, minha madrinha depois do almoço me ajudou a lavar a louça e limpar a casa, meu padrinho ficou acompanhado em tudo. Terminamos de fazer a limpeza, minha madrinha falou que não iria trabalhar e gostaria de conversar comigo e pediu para ir até o quarto deles. Fui com medo, receio e também com determinação, eu sabia que meu padrinho iria ficar do meu lado. Entrei e fui até ela e sentei ao seu lado, na cama, conversamos por bom tempo, ela brigou comigo, mas com boas maneiras, sem ser agressiva. Depois de uma boa conversa falei pra ela que iria embora para deixar os dois juntos e não atrapalhar o casamento deles. Logo me padrinho entrou no quarto e brincou:
_ Pronto, as duas já conversaram?
_ Podemos nos entender de hoje em diante?
Minha madrinha respondeu:
_ Da minha parte está tudo resolvido, o que me magoou é que fizeram tudo pela minha costa. Eu confiava nos dois e jamais passaria pela minha cabeça que os dois estava me traindo.
Meu padrinho falou, incisivamente:
_ Agora está resolvido e explicado?
Minha tia:
_ Sim, está resolvido.
Nesse momento fiquei meio sem saber o que falar, só pedi para me perdoarem. Meu padrinho deu um sorriso e falou:
_ Minha afilhada, tu não tens culpa de nada, só existe um culpado que sou.
_ Então vamos nos abraçar e dar um fim nisso tudo.
Meu tio me pegou pelos braços e a madrinha e nos abraçamos. Depois desta conversa parece que tiraram um peso enorme de cima de min, a sensação de culpa sumiu, isso graças ao meu padrinho.
Quando fui sair do quarto, ele me puxou mais uma vez e me abraçou por traz na frente da minha madrinha. Com as mãos entrelaçadas no meu abdômen começou a falar:
_ Não vai sair assim não. Amor, essa aqui é minha cadelinha.
Ele levou as mãos para meus seios apertando e dizendo:
_ Amor precisa ver o que essa putinha faz.
_ Amor vem cá, me ajudar a tirar a roupinha dela.
Isso me deixou louca de tesão, eu queria chupar aquele pau sem parar. Minha tia se levantou e veio na minha direção, falando:
_ Agora também vai ser minha cadelinha? Vai ser minha putinha?
Meu padrinho começos a me beijar e minha madrinha começou a tirar minha roupa. O dois tiraram suas roupas e fomos para cama, enquanto minha tia enfiava sua xoxota na boca do meu tio, eu chupava aquele pau gostoso, enfiava tudo dentro da minha boca, até a garganta, chegava a dar ânsia de vomito. Minha tia estava transtornada de tesão, muito tesão, ela gritava:
_ Vai cadelinha chupa meu macho, sua puta, vadia.
_ Hoje tu vais ver o que é fuder.
Meu padrinho me colocou de quatro e veio por traz para enfiar na minha xaninha, nisso minha madrinha falou:
_ Vamos colocar do cuzinho dessa Vadiazinha.
Nisso ela cuspiu no olho do meu cu e pegou o pau do meu padrinho e botou bem no olho do cu e meu padrinho começou a empurrar bem devagar.
Eu pedia:
_ Devagar padrinho, tua cadelinha nunca deu o rabinho.
Minha tia.
_ Deflora o cu dessa vadia, faz como tu faz comigo. Esfola esse cu, esgaça.
Ele começou a colocar a cabeça e minha tia cuspia bem no olho do cu para lubrificar e ele foi entrando bem devagar, esgacei bem o meu rabo deixei bem empinado até entrar tudo. Sentia suas bolas baterem na minha xaninha, estava louca de tesão. Meu padrinho começou a falar.
_ Vou gozar dentro do cu dessa vadia. AHHHHH!!!!
_ Que tesão é essa vadia. Que rabo gostoso!!!!
_ Estou gozando….
Ele gozou como um louco, colocou tudo dentro do meu cu. O Leitinho escorria pelas minhas pernas, pela minha xaninha e minha madrinha limpava tudo com a língua.
Minha madrinha estava louca de tesão e pediu pra min chupar a xana dela, foi o que fiz, enquanto isso meu padrinho chupava minha xaninha por traz. Ela gozou na minha boca e eu gozei na boca do meu padrinho, como sempre fazia.
Estávamos exaustos e dormimos os três juntos. Quando acordamos ficamos mais tranquilos para conversar. Enquanto meu padrinho foi no banheiro, minha madrinha falou que ele descobriu que ela tinha traído ele e os dois fizeram um trato. Os dois não se separariam e poderiam transar com outras pessoas, mas sempre na presença do outro nunca sozinhos e o pacto começou comigo. Ela me falou que eu seria a vadia dos dois e eu tinha que fazer tudo que eles mandassem.
Minha madrinha negociou a mudança de horário na empresa dela para o primeiro turno e ficou mais fácil para nós três, saímos juntos de manhã e voltávamos um perto do outro a tarde. Com isso podíamos fazer nossas festinhas todos os dias.
Meu padrinho e minha madrinha me usavam o tempo inteiro, meu padrinho deflorou meu cu, minha tia metia no meu cu o que ela tivesse na mão e eu sentia muito prazer com isso. Os dois me chamavam de cadelinha o dia todo.
_ Vem cá minha cadelinha, chupa o pau do padrinho.
_ Minha cadelinha abri o cuzinho para o padrinho enterra o pau até a soca.
Minha madrinha dava tapa e cuspia na minha cara enquanto meu padrinho me enrabava. Quando eles terminavam eu estava exausta, muito cansada e gozava muito. Tomava o leitinho do meu padrinho todos os dias.
Até que chegou um dia, que na mesa do café, minha madrinha falou que gostaria de trazer um amigo lá em casa, conforme tinha sido combinado.
Meu tio me olhou e falou:
_ O que achas minha cadelinha? Vamos deixar ela trazer um cara pra comer ela?
Minha tia falou:
_ é um amigo lá da empresa, não temos nada, mas ele fica o tempo todo me cantando.
_ quero trazer ele aqui ou ir em um motel com ele, já estou ficando com tesão pela persistência dele.
_ Parece ser um cara legal, já conversamos outras vezes e me pareceu uma boa pessoa e muito gostoso, me enche de tesão.
_ Ele é solteiro, mora sozinho, é lindo de morrer.
Respondi:
_ Por min está tudo bem. Combinado é combinado.
Os dois me perguntavam por perguntar pois eu estava vivendo como uma escrava sexual, era o tempo todo o meu padrinho pedindo para min tirar a roupa e ficar peladinha dentro de casa e minha madrinha ficava metendo os dedos no meu cu, na minha xaninha, mexendo nos meus peitos e mandava eu ir chupar o pau do meu padrinho até ele gozar na boca, eu tomava tudo, já estava acostumada.
Meu padrinho pediu a ela para marcar um final de semana pois teríamos mais tempo e faríamos um jantar em família.
O encontro foi marcado e no dia da visita fiquei bem tensa pelo que poderia acontecer, eu não tinha ainda 18 anos e o cara poderia achar algum problema.
O tal moço chegou bem ressabiado, minha tia foi recebe-lo no portão e já veio conversando amenidades, preparando o terreno. Meu padrinho tinha saído para comprar algumas coisas e eu e minha tia fizemos as honras da casa. Seu nome era Alberto, um sujeito atlético, moreno, olhos verdes (por isso que minha madrinha queria transar com ele, era um gato), um galã. Fiquei bem impressionada e minha tinha demonstrava estar bem interessada.
Logo chegou o padrinho, trouxe as compras e minha tia logo o apresentou ao Alberto. Os dois interagiram muito bem e foram fazer umas caipiras enquanto eu e minha tia preparávamos um pequeno jantar.
Bebemos muito e comemos pouco, a bebida deixou todos bem mais leves e mais afoitos. Alberto, que vou chamar de Beto, estava bem risonho e fazia elogios a todos nós, principalmente pra minha madrinha, dizendo que ela era maravilhosa e muito gostosa. Fomos para sala com as bebidas, é obvio, e conversamos e bebemos mais. Meu padrinho me convidou para sair dali pois ele queria conversar comigo em particular. Deixamos a madrinha e o Beto na sala, os dois estavam conversando animadamente, ele parecia que já era amigo da família a muito tempo.
Meu padrinho me levou para o quarto deles e deitamos na cama como sempre fazíamos, ele me pediu para tirar a roupa dele:
_ Vadiazinha tira a roupa do titio, tira a tua também e deita aqui do meu lado.
Tirei a roupa dele e a minha e me deitei ao seu lado. Me puxou pra cima dele e começou a me beijar, agarrei o pau dele com a mão e comecei e levantar pra cima e pra baixo bem devagar, como eu sempre fazia. Ele enfiava o dedo na minha xaninha e no meu cuzinho. Assim ficamos um bom tempo um se deliciando com o outro.
Não demorou muito tempo olhamos para a porta do quarto, já aberta, e lá estavam a madrinha e o Beto, ele com cara de espanto, a madrinha com um sorriso no rosto. Ela o puxou para dentro do quarto e pediu para olhar o padrinho abusar da afilhada cadelinha. Titio mandou eu chupar o pau dele enquanto a madrinha e o Beto se beijavam. Madrinha começou a tirar a roupa do Beto e quando ela baixou as calças dele ela deu um grito de espanto, olhei para o pau dele, era algo descomunal, nunca tinha visto um pau, sem ser o do padrinho que pra min era grande, daquele tamanho, era muito grande.
Minha tia arregalou os olhos e disse:
_ que pau é esse? É muito grande, não sei se vou aguentar.
Ele respondeu:
_ vai aguentar sim, é só se acostumar, não é Alex?
Minha madrinha falou:
_ Vamos tentar, qualquer coisa nossa cadelinha ajuda.
Ela se ajoelhou na frente dele com aquele pau descomunal na frente dela e começou a chupar, ela teve que esgaçar a boca no máximo para entrar, pois era muito grosso. Eu estava chupando pau do meu tio e olhando pra eles, nisso meu tio falou:
_ vai lá ajudar tua tia.
Trouxemos Beto para a cama e minha tia já estava com o pau dele bem lubrificado e fazia um vai e vem quase se afogando. Eu estava acostumada com o pau do meu padrinho, enfiava até minha garganta, muitas vezes cheguei a vomitar. Aquele pau seria muito difícil de engolir.
Fiquei ajoelhada ao lado dela e pedi para deixar chupar um pouco, ela tinha me ensinado a cuspir encima do pau para deixar mais lubrificado. Tentei colocar na boca, mas não consegui na primeira vez, mas com jeitinho foi indo, nos duas ficamos revezando entre uma boca e outra.
O padrinho me puxou pra cima dele, me colocou de quatro e começou a comer meu cuzinho, ele bombava muito forte, deu para notar que estava morrendo de tesão. Não demorou muito ele encheu meu cu de porra, chegava a escorrer pela perna e pela xaninha. Ele caiu desfalecido do meu lado, continuei de quatro e logo vi minha tia trazendo o Beto para me enrabar também:
_ Come o rabinho dessa cadelinha, vamos ver se ela aguenta.
Minha tia tem um corpo lindo, ela é muito gostosa, ela pegou o pau dele deu uma cuspida no olho do meu cu e pediu para ele começar a colocar. A dor foi muito grande, a madrinha me segurava pra min não fugir e o Beto foi entrando com aquele pau descomunal no meu rabo, ele colocou tudo, minha tia estava horrorizada, como eu tinha aguentado aquilo tudo. Beto socava devagar, mas o tesão que eu sentia era muito grande e comecei a gozar, gozei muito.
Titia pediu para colocar nela também, enquanto eu fique descansando ao lado do padrinho, ela ficou de quatro, com aquele corpo lindo, o rabo bem empinado e o beto veio por traz e colocou no olho do cu dela, deu uma cuspida e foi enterrando, ela se contorcia toda e aguentou firme, até que o beto colocou tudo e foi bombando bem devagar e ganhando velocidade, minha tia estava gozando, ela olhava pra min e para o padrinho com uma cara de prazer:
_ arromba, arromba meu cu, me faz gozar seu gostoso. Vai meu macho me arromba. Não querias me comer, estas comendo meu cu na frente do meu marido.
Ela começou a gozar e o Beto não aguentou e gozou dentro dela, muita porra escorria por tudo. Meu padrinho mandou eu limpar o cuzinho da tia e pau do Beto, chupei o pau dele todinho até ficar bem limpinho, depois fui lamber o cuzinho da minha tia e as pernas até ficar tudo limpinho.
Mal terminei de fazer o serviço meu padrinho pegou outra vez e começou a comer minha xaninha, ele bombou muito, nisso Beto pediu para deixá-lo me comer também, titio saiu de cima de min e foi pra cima da titia, ficaram se revezando por um longo tempo, todos estavam exaustos, eu e minha tia tínhamos gozado várias vezes com o pau deles dentro de nós. Titia pediu para os dois comerem ela, um no cu e outro na buceta, foi uma gritaria só, ela gozava muito chegava a chorar de tanto gozo. Depois os dois me pegaram e fizeram a mesma coisa um na xaninha e outro no cu, beto foi o primeiro a enfiar no meu cu e titio na xaninha. Minha tia me beijava e o titio falava:
_ vai minha cadelinha, goza no pau dos teus machos.
_ Está gostando vadia? Nós vamos te deixar arrombada.
Eu respondia:
_ esgaça meu cu, mete tudo que vou gozar, a cadelinha está gozando, ahhhh!
Gozei muito, tremia toda, parecia que alguma coisa tinha se incorporado em min pois eu gritava pedindo para os dois meterem até o talo.
_ Mete tudo, me esgaça, arromba meu cu, me bate.
Titia começou a bater no meu rosto tapas fortes, e os dois começaram a gozar dentro de min, cada um no seu tempo e eu gozava com eles. Titia veio e lambeu tudo, minha buceta, meu cu e o pau dos dois machos gostosos.
Titio foi comigo para o meu quarto e a titia ficou com o Beto no quarto do casal. De manhã acordamos bem cansados, mas com muita motivação. Eu e a titia ficamos de camisola transparente e sem calcinha, dando para ver os nossos corpos perfeitamente. Na cozinha sentei no colo do titio e comecei a brincar com ele como sempre fazia, titia não ficou como rogada, e foi para o colo do Beto. Titia pediu para o Beto gozar encima do meu sanduiche e começou a rir.
_ Amor vou bater uma punheta para gozar no sanduiche dela, goza bem gostoso.
Ela pegou o pau dele e começou a chupar e a bater uma punheta bem gostosa, meu padrinho pediu pra min fazer o mesmo, não demorou muito e eles começaram a gozar titia pegou um pão para o Beto gozar encima e depois levou para o titio gozar ali também. Ela preparou meu sanduiche e me mandou comer tudinho. Comi tudo, ela me pediu um pedaço pra ver se tinha ficado gostoso, como o ultimo pedaço estava na minha boca, peguei ela e dei um beijo passando meu pedaço pra ela, e ficamos nos beijando, até ela comer tudinho.
Conversamos sobre a performance de cada um na noite do dia anterior, Beto ficou impressionado com minha agilidade, até pela tenra idade, e falou que só olhar para minha madrinha ele já ficava com tesão.
_ Nunca senti tanto prazer como senti ontem. Pena que tenho que ir, senão vou me acabar aqui.
Titio pediu para ele ficar até mais tarde:
_ Fica, vamos nos divertir deixa a despedida para mais tarde.
_ SE precisar te empresto alguma roupa minha.
Nisso titio puxou a madrinha pra perto dele e falou:
_ Vai ficar o dia todo comento essa potranca gostosa.
Levantou a camisola da titia mostrando a bunda e a xana dela.
_ Pode comer à vontade. Isso aqui gosta de fuder e gozar.
Ela saiu do lado do padrinho e foi sentar no colo do Beto e ficou beijando-o.
Notei que ali tinha uma certa paixão. Meu padrinho não ligava porque ele estava apaixonado por min. Titio gostava que eu sentasse no colo dele e colocava o pau no meio das minhas pernas, assim ele ficava mexendo nos meus peitinhos, na minha xaninha, metia língua dele na minha orelha, me enchendo tesão. Titia e o Beto foram para o quarto.
Eu e titio fomos atrás para ver os dois foderem, titia estava de quatro e ele metia todo o caralho dele no cu dela, só ficava o saco de fora. Titio me levou para perto deles, para ver como ele fazia. Fiquei ao lado deles, ele tirou aquele pau enorme do cu dela e enfiou na minha boca. Titio saiu do quarto e deixou nos duas com o Beto.
Eu chupava aquele pau e estava tentando fazer como fazia com o titio, enfiar até a garganta, estava quase conseguindo. Beto ficou intercalando entre o cu da titia e minha boca. Teve uma hora que ele enfiou tudo até minha garganta, fui obrigada a vomitar e ele enfiou outra vez e ficou enfiando direto, minha goela estava machucada. Titia dava tapas na minha cara, nos meus peitos e eu sentia muito tesão. Gozei com tudo aquilo, tremia toda e escorria um liquido da minha xaninha. Ele me colocou de rabo empinado pra cima e enfiou aquele pau no meu cu, entrou tudo, era muito tesão. A madrinha abriu sua xana na minha frente e mandou eu chupar, ela gozava na minha boca, e ele começou a encher meu cu de porra, era muita porra, titia tentou tomar um pouco e cuspia na minha boca aquela baba de porra.
Beto começou a ficar mais tempo lá em casa e toda vez que ele ficava dormia com a madrinha, os casais estavam formados, eu e o padrinho e Beto com a madrinha. O entendimento era bom e o padrinho gostava de ver o Beto transar com a titia na frente dele, titia estava adorando aquela situação. Era normal Beto chegar e ir direto para o quarto da titia, pois o padrinho dormia direto comigo e quando ela estava sozinha, vinha dormir com a gente no meu quarto.
Titio transava comigo em qualquer parte da casa e a qualquer hora, eu vivia de camisola e sem calcinha só para facilitar. Titia também, ela ficava de camisola e sem calcinha, e dessa forma nos duas estávamos prontas para o primeiro que quisesse nos pegar. Beto de vez em quando me dava uns abraços fortes e me puxava por traz para enfiar aquele pau enorme na minha xaninha. Meu rabo e o rabo da titia estavam abertos e fáceis de introduzir qualquer coisa. Tanto Beto quanto titio nos pegavam a qualquer hora, os dois com uma, as duas com um, os casais trocados e destrocados. Uma verdadeira orgia, sem pudor pura liberdade.
Muitas noites eu ficava dormindo com o Beto, titio e a madrinha no quarto deles. Nessas noites o Beto me pegava de jeito, enfiava no meu cu deixando arregaçado, o pau dele era grande e grosso, eu adorava, sentia muito tesão.
_ Beto, enfia tudo, arregaça meu cu, enfia tudo na tua cadelinha. Falava pra ele.
Ele me deixava toda arregaçada, eu tomava a porra dele todinha, chupava tudo. Era muito prazer.
De manhã era uma alegria só dos casais e como sempre eu e a madrinha ficávamos nuas andando dentro de casa. Fazíamos tudo e a todo tempo juntos. Meu cu estava arregaçado de tanto dar para os dois, titia também, ela além de ser muito gostosa era muito simpática e alegre.
Beto veio morar definitivamente com a gente, temos um conceito de liberdade bem avançado, ninguém é de ninguém. Todos os dias temos nossos momentos de prazer.
Hoje eu e titia estamos muito gostosas, titia é linda, por isso me apaixonei pelo meu padrinho, madrinha e pelo Beto, vivemos juntos muito bem, todos transam com todos e muita orgia. Beto e titio parecem dois irmãos, os dois se entendem muito bem, não praticam homossexualismo, mas de vez em quando um ajuda o outro na hora da transa.
Depois conto algumas histórias minha e da titia, paralelas ao que tudo aconteceu, pois viramos duas safadas, vadias e com o consentimento dos nossos machos demos nossos pulos fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *