Me Sentindo uma verdadeira Puta

Quem acompanha nossos contos aqui no site sabe que sou uma esposa bem sapeca e voraz. Meu marido adora me liberar para outros machos. Sou uma putinha sem frescuras. Mas nesses dias me sentia uma verdadeira vadia.

Todos aqui sabem que tenho vários machos. Alguns são fixos e outros apenas casuais, como amigos e casais que saímos de vez em quando. Como sou uma baiana arretada e insaciável na cama consigo dar prazer para todos sem medidas. Mas de uns tempos para cá minha agenda está sempre lotada, por assim dizer. Não me faltam comedores. Mas este dia que vou relatar foi incrível, nunca tinha feito antes.

Meu marido é um corno maravilhoso e eu sou a puta dele. Sempre que ele sai para trabalhar ele trata de me dar muita vara logo quando acorda. Neste dia eu estava meio indisposta, não gosto muito de acordar cedo. Mesmo assim ele encheu minha xota de porra como sempre faz quando está com muita vontade de manhã. Ele saiu para trabalhar e fui tomar um banho para acordar. Ainda no chuveiro escuto a notificação no meu celular. Era o vizinho ao lado, Sérgio. Um moreno na casa dos 40, recentemente divorciado e bem-dotado. Ele anda me comendo já tem algumas semanas sem saber que meu marido é corno. Mas lógico que meu chifrudinho sabe de tudo, né. Todas as vezes que meu esposo sai para trabalhar, Sérgio aparece para encher minha boca com sua porra deliciosamente quentinha. Depois ele ainda me leva para o trabalho e já marcando para o dia seguinte.

No meu trabalho tem o Xavier, meu patrão. Ele me come faz pouco tempo também. Abri as pernas pra poder ganhar a vaga de sua secretária. Agora ele me come sempre que achar com vontade. Naquele dia ele tinha brigado com sua patroa e já de manhã me chamou em seu escritório. Levantou minha saia, tirou a calcinha de lado e meteu com força. Ele não tem um pau muito grande, e já deve ter uns 50 anos, mas é bem forte e mete com gosto. Gozou dentro depois me dispensou. Ao longo do dia ele me comeu mais duas vezes, gozando sempre dentro. Ele tava com muita raiva e no dia seguinte seria da mesma forma.

Saindo dali, dispensei a academia pois tinha um encontro com um novo comedor que eu conheci numa rede social. Vou chamar de Josias, seu nome. Um negro magro mas com uma rola imensa. Me levou a um motel e me comeu a raba com camisinha. Pois meu marido exige que novos comedores usem camisinha e comam primeiro meu cuzinho. Eu adoro dar o rabo. Ele encheu duas camisinhas e quando ele veio querer comer minha ppk falei que a brincadeira tinha acabado. O filha da puta me deixou num ponto deserto perto do motel e se mandou. Enquanto eu esperava meu marido vir me buscar, dois estranhos apareceram e pensei que ia ser assaltada. Eram dois novinhos com cara de malandrinhos. Eu tava de sai curta, meia calça rasgada, maquiagem borrada e cabelo bagunçado segurando os saltos na mão. Acho que concluíram que eu era uma puta. De fato eu sou, apenas não cobro prazer. Eles ficaram mexendo nos paus por cima da calça e olhando para meu corpo. Eu tava tão puta que mandei eles tirar logo os cacetes para eu chupar se era isso que queriam. Abaixei e duas varas enormes pularam de dentro de suas calças para me dar uma surra na cara. Chupei com vontade até gozarem na minha garganta. Depois sentei no meio deles e trocamos contatos quando o carro do meu marido chegou.

Pulei para dentro já caindo de boca na rola do meu marido sem dar espaço para ele perguntar qualquer coisa quando notei que havia mais um homem no banco de trás. Era o Otaviano. Sem muita cerimonia pulei para o banco de trás e abri o zíper do meu amante e enfiei aquela enorme vara (a maior do meu dia), dentro da boca e logo ele gozou entre sussurros de prazer. Meu marido a tudo via pelo retrovisor. Chegamos em casa, comemos uma panqueca que eu preparei na hora e fomos tomar banho os três. Adoro quando o Otaviano vem nos visitar. As vezes ele passa dias conosco. Adoro meu neguinho. Namoramos debaixo do chuveiro e fomos para cama onde eu foi rasgada ao meio pelos meus machos prediletos que amo. Sentei com muita força no pau deles até meu cu ficar ardido e arrombado. Depois entraram os dois dentro da minha buceta e gozaram juntinhos. É lindo de ver a sincronia dos meus machos. Fomos dormir, mas Otaviano ficou me comendo de ladinho nem sei por quanto tempo. Sei que acordei pela madrugada com ele esguichando dentro. Ficamos assim grudadinhos a noite toda com o pau dele melado e ainda duro dentro de mim. Acordei exausta, mas me sentindo uma verdadeira puta. Muito feliz e saciada. O dia seguinte seria tão maravilhoso quanto o anterior. Muita vara dos meus machos e novos comedores para dar minha raba. Bjs! Espero que tenham gostado!!!

1 Reply to “Me Sentindo uma verdadeira Puta”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.