Provocação de minha ex-professora

Olá, eu sou Gabriel mais uma parte do meu relacionamento sexual com minha ex-professora Vânia, para quem não leu contos anteriores recomendo que leia, para ter ciência de como chegamos a esse ponto da história.

A partir do dia em quem paguei o sorvete pela primeira vez para Hugo, se tornou recorrente comprar sorvete para ele, já que eu e sua mãe usávamos e usamos isso até hoje como um meio de nos encontrarmos discretamente.

Todos os dias em que Vânia não tinha de ir à escola ou fazer algo após suas aulas online no período da manhã, marcávamos os encontros.

(Ctrl C – Ctrl V da conversa).

– Bom dia querido, sei que havíamos marcado de nos encontrar hoje, mas surgiu algo inesperado em relação a escola, não poderei te ver hoje, preciso ir fazer compras.

17 minutos e eu ainda não tinha a respondido, embora tivesse visualizado a mensagem. O que bastou para Vânia pedir desculpas, mesmo que não houvesse motivo.

– Sinto muito, sei que estávamos ansiosos, tem três dias que não lhe beijo, sinto muito mesmo, mas não fique com raiva de mim, por favor.

– Calma, não estou com raiva de você, nunca ficaria, isso acontece, se envolve o trabalho, tudo é possível. Estava no banho, por isso não respondi. Não se preocupe.

– Oh, rsrsrs, e lá vou eu novamente tendo ideias erradas.

– Hahaha, sim você está muito receosa esses dias.

– É claro, você foi a melhor coisa que me aconteceu nesse último mês, me sinto livre quando estou junto contigo. Coisa que não sentia a anos.

– Que bom, mas por que não podemos nos ver? Posso te encontrar.

– Seria incrível, mas fica do outro lado da cidade. Não compensa para você vir.

– Lembra disso?

“Claro que é possível, por você tento fazer o impossível.”

Não foram apenas palavras, me diga o horário que te encontro lá.

– Oh, você é um amor mesmo, vou ir um pouco mais cedo então, assim bate com seu horário de almoço e podemos ficar mais tempo juntos.

– Tudo bem, quer que eu passe para te pegar e irmos juntos?

– Nem pensar, já está desviando muito do caminho, não posso permitir isso. Mas farei uma surpresa para você quando chegar na livraria.

– Mal posso esperar, até o almoço então.

Durante o período de minha rotina, estava ansioso, o que poderia ser a tal surpresa.

Chegada o horário, fui para a livraria, onde Vânia já estava fazendo suas compras. Me aproximei lentamente para surpreendê-la, mas quem foi surpreendido fui eu, ela se virou e me abraçou, ela tinha me visto assim que entrei no local.

– Oi querido, obrigada por vir me ver, mesmo sendo longe.

– Não tem problema algum.

– Poderia segurar essas coisas para mim? Preciso ir ao banheiro.

Foi uma viagem rápida, até estranhei, quando ela voltou, pegou minha mão e colocou algo nela.

– Aqui está sua surpresa, guarda direitinho, que assim terei uma desculpa para ir até seu apartamento.

Fiquei boquiaberto, não esperava que ela tirasse a calcinha que estava utilizando. Vânia ergueu seu vestido discretamente para me mostrar que estava nua da cintura para baixo. Aquilo foi uma tortura, já que não teríamos tempo para fazer nada, pois eu tinha que voltar para empresa ainda do outro lado da cidade.

Saímos da livraria e fomos a uma lanchonete almoçar, mas ela tinha que me provocar, sempre que estávamos sozinhos ela fazia questão de erguer o vestido.

– Isso vai ter volta, ah se vai.

– Rsrsrs.

Acabando de comer nos despedimos e voltei para a empresa, mas a calcinha dela em meu bolso era uma distração, cometi vários erros nas planilhas, aquele foi um dia para se esquecer em relação ao trabalho, tive se refazer praticamente tudo no dia seguinte.

Durante a semana quando tínhamos tempo, almoçávamos juntos, eu comprava sorvete para o pequeno Hugo e foi indo.

Praticamente uma semana do ocorrido na livraria

(Ctrl C – Ctrl V da conversa).

– Bom dia querido, hoje vou deixar o Hugo com minha mãe, posso ir buscar minha calcinha depois?

– Claro, ela está guardada esperando por você.

– Rsrsrs, a tarde vou aí então.

À tarde, assim que ela bateu na porta de meu apartamento, e foi atendida, tentou me beijar, mas…

– Lembra que falei que ia ter volta semana passada?

– Como assim? O que foi querido? Por que não me beijou?

Vânia perguntou, mas a resposta que ela obteve de minha parte foi um sonoro tapa em sua bunda.

– Aaaiii, por que disso?

– Não me provocou no outro dia, hoje vou descontar.

Puxei Vânia para a sala e empurrei-a em direção ao sofá, quando ela caiu, ficou de quatro para se apoiar, num simples puxão sua calça se foi. E agora ela estava a minha mercê.

Me ajoelhei sem esperar por uma resposta dela, e chupei sua buceta, queria deixá-la molhada o mais rápido possível. Minha ex-professora segurava no encosto do sofá, se contorcendo.

Assim que sua buceta ficou ensopada, sem nenhum aviso, penetrei-a, arrancando gemidos cada vez mais ofegantes dela.

Metia profundamente, e dava vários tapas em sua bunda, sua bunda ficou cada vez mais vermelha devido aos vários tapas.

Ofegante, minha ex-professora murmurava

– Para, para, tenho que dar aula amanhã.

– Vai dar aula com a bunda vermelhinha amor, me provocou agora aguenta.

Eram tapas que deixaram tanto minhas mãos, quanto as nádegas dela vermelhas.

Vânia arfava, embora pedisse para parar, a cada tapa que dava em sua bunda, sua buceta apertava cada vez mais, até que ela desmoronou no sofá, minha professora estava tremendo e dando espasmos de seu orgasmo.

Embora, Vânia estivesse tendo seu orgasmo, não parei, aumentei ainda mais o ritmo das penetrações.

– Calma…Não aguento mais…

Continuei até gozar em sua bunda vermelhinha.

Tanto ela, quanto eu, estávamos extasiados, ficamos um tempo quietos para recuperar o fôlego.

– Me ajuda a levantar querido, tenho que voltar e buscar o Hugo ainda.

Fomos até o banheiro para ela se limpar, ela estava cambaleando.

– Seu safado, olha meu estado.

E dei outro tapa forte em sua bunda.

– Ahhh, seu louco.

– Vem, aqui está o beijo que você queria quando chegou.

– Você deixou minha bunda neste estado e só recebo um beijo?

Depois de um beijo apaixonado, ela me pediu para acompanhá-la até seu carro.

Obs: Na semana seguinte, fiquei de “castigo”, ela fazia apenas boquetes, e nada mais.

Obrigado por comentarem e demonstrar interesse

Como nos outros relatos, estarei enviando fotos da minha amada ex-professora e atual amante para quem comentar e deixar o e-mail nos comentários, com ênfase que as fotos desse relato foram escolhidas por minha querida ex-professora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.