Sexo e muita putaria depois da festa

Hoje vou compartilhar com vocês meu segundo conto. Hoje em dia tenho 25 anos, mas essa história se passou quando eu tinha apenas 19. Com 18 anos me mudei da minha cidade natal para fazer faculdade. Na época eu namorava, mas acabamos terminando devido ao ciúme doentio do rapaz (e olha que nem o traí!). Conheci um outro rapaz na faculdade, mais velho, bonito, com jeito de artista, gostava de desenhar e de contemplar a natureza. Nos adicionamos no Facebook e a conversa foi fluindo, até que um dia cansei de esperar e o convidei para uma festa de república regada a muito álcool, como sabemos que é o meio universitário. Eu ia com meus amigos, se ele recusasse não perderia nada.

 

Cheguei na festa cedo, com a intensão de beber e chapar até não aguentar mais, e foi o que fiz. Saudade daquela época! A festa era open bar, e já havia bebido muita cerveja quando começaram com as doses de cachaça. Quando fui pegar a primeira, me esparrei com o Arthur, o garoto que tinha convidado, e o beijando no cantinho da boca, o convidei para virar uma dose comigo. Mesmo ele visivelmente bêbado, aceitou o convite e bebeu comigo. Mal conseguíamos conversar devido ao barulho, mas sabíamos o que queríamos.

Depois disso começamos a nos beijar e o clima esquentou muito, isso ainda na festa. Fomos para o lado de fora fumar e aproveitei para chupá-lo. Que delícia de pica, ele estava muito excitado com nossa pegação. Tivemos que parar por ali pois quase fomos pegos por outras pessoas que estavam na festa. Nossa sorte foi que ele morava lá perto e fomos direto para seu apartamento. Nos pegávamos nas escadas, e quase no terceiro andar, que a proposito era o andar dele, ele desabotoou meu short

e começou a me masturbar tampando minha boca para os vizinhos não ouvirem nada. Quase gozei ali mesmo e, percebendo, ele me levou para sua cama e começou a me chupar. Eu estava adorando, achando uma delícia. Já não aguentando mais, implorei para ele me comer. Arthur me obedeceu e me colocou de quatro imediatamente, começou a meter com força. Eu delirava e pedia para puxar meu cabelo e me comer com mais força ainda. Ficamos algum tempo nessa posição e eu estava muito excitada. Ele, já próximo de gozar, me avisou. Eu já virando de frente, disse para ele gozar tudo na minha cara. Dito e feito, a porra dele era uma delícia!

Depois disso, cansados, deitamos na cama, estávamos muito bêbados, mas trocamos carícias durante um tempo da madrugada. Quando recuperados, ele me chamou para um banho e eu topei na hora. Como esperado, no chuveiro o clima esquentou de novo, ele mordiscava meus lábios e pescoço enquanto eu puxada seu cabelo, enlouquecida. Ele me levantou, me encostou na parece, abriu minha pernas e me comeu no banheiro. Ficamos um bom tempo naquela posição, às vezes ele metia mais forte e tampava minha boca por conta dos gemidos altos, estava uma delícia! Não aguentei, estava arranhando muito as costas dele, gozei muito com aquele pau dele dentro de mim. Ele me desceu com cuidado e nos beijamos apaixonadamente.

Pouco tempo depois, ainda no banho, eu estava molhadinha de novo e ele ainda com sua pica toda melada pelo meu gozo. Ainda no banheiro, virei de costa e pedi para ele me comer por trás. Eu não estava acostumada com sexo anal, mas estava tão excitada, eu queria fazer de tudo com aquele homem! Quando ele começou a enfiar aquele pau grosso dentro de mim eu sentia um misto de dor e prazer inexplicável! Pedia para continuar colocando, mas devagar. Enquanto gemia, ele me falava absurdos, que eu era a puta dele, que queria me amarrar e arrombar meu cuzinho.

Eu estava em êxtase e quando ele falava essas coisas, ficava mais molhada ainda. Depois de ter colocado tudo, ele começou o movimento de vai e vem devagar. Eu adorei a sensação daquela pica me rasgando, era uma dor prazerosa. Eu gemia e pedi para ele me comer direito, como antes. Ele começou a meter muito forte e meus gemidos ficavam cada vez mais intensos. Ele gozou muito no meu cuzinho, tirou o pau dele lá de dentro, agachou, abriu minha bunda e ficou observando a porra dele sair de mim, recém arrombada. Eu, adorando a ideia e excitada feito uma cadela no cio, e comecei a rebolar e me exibir para ele. Não resistindo, ele começou a me masturbar e gozei mais uma vez, só que agora na mão dele. Depois disso tomamos banho de verdade e fomos dormir.

Esse relato realmente aconteceu comigo quando estava na universidade e essa transa sempre ficará em minha memória. Depois disso nos encontramos muitas vezes e até namoramos, mas essa primeira vez foi inesquecível!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.