Dividindo a minha esposa

Meu nome é Rocard 46 anos casado com Joana e pai de 2 filhos como havia dito em outro conto, não sou bonito, muito menos tenho o pau grande, mas até que me viro bem com o meu. Tem uns 15cm,mas enquanto eu tiver língua e dedo nenhuma mulher me dá medo(Marcelo Nova disse).
Depois dos acontecimentos passados onde comi minha vizinha D.Maria e se filho Daniel fiquei pensativo sobre o assunto e com peso na consciência. Sempre tive uma vida sexual boa com minha esposa, sempre que transavamos procuramos inovar, posições novas,brinquedos e brincadeiras sexuais. Mas confesso que os

acontecimentos me afetaram e meu desempenho diminuiu, fazendo com que minha esposa notasse. Em uma conversa franca com ela a mesma me questionou sobre a possibilidade de ter uma amante, na qual neguei qualquer possibilidade, já pensou se ela descobre que passei a rola em uma senhora (nossa vizinha) e seu filho? Só que ela encanou com isso e sexto sentido feminino não falha.

Nossa relação ficou abalada e estranha por um longo mês, quando um final de semana planejei deixar as crianças em minha mãe para termos um final de semana só nosso, mas eu planejei, mas a mulher não colaborou, disse que enquanto não falasse o que aconteceu para minha mudança não iríamos ter relações, fiquei chateado e puto, tivemos uma pequena discussão e eu negando sempre.

No meio da discussão escuto um bater na porta, paramos a discussão por um momento e vou atender a porta, para minha surpresa era um primo meu que morava no interior, aquele tipo que a mulherada fica doida,moreno alto 1,80 malhado. Nilson era muito gente boa, o convidei para entrar e ele perguntou se não estava atrapalhando

Eu: -Nunca, a quanto tempo primo
Nilson:-Pode crer,uns 5 anos, bom dia Joana?
Joana: -Bom dia Nilson,entra e fica a vontade.
Joana se retirou e subiu para nosso quarto, fui a geladeira e peguei duas cervejas e ficamos conversando sobre a vida, no qual perguntou se estava tudo bem entre a gente, falei que a mulher encasquetou com a ideia de que trai ela. Ele riu e falou que logo nós nos entenderiam. Continuamos conversando e bebendo quando Derrepente a mulher sai do quarto com um shorts mostrando toda bunda e um top onde mal cabia os peitos, porra fiquei bravo e com ciúmes, meu primo me olhou com uma cara de o que foi isso?

A filha da puta rebolando passa na nossa frente vai a geladeira pega duas cervejas, me entrega uma e outra para meu primo e diz:
Joana: – Quer algo mais? Se quiser e só pedir (com jeitinho de puta)
Eu; – Quer algo primo? (Morrendo de ódio mas com o pau duro)
Nilson:- Não obrigado (meio sem graça).
Pensei comigo, quer saber? Vamos ver o que dá.
Chamei Joana, ela parou em minha frente pedi para ela virar de costas e perguntei para meu primo.

Eu: – O que acha Nilson?
Nilson: – Do que?
Eu: – Desse rabo? Não é lindo?
Nilson: – Sim(meio sem graça)
Eu: – Quer comer?
(Silêncio no ar)
Eu: – Quer Joana dar pra ele? (Joana estática)
Eu: – Sem problemas pessoal, somos adultos, Joana está com a buceta pegando fogo desde que entrou Nilson. Ou não percebeu?.

Peguei em uma teta de Joana e coloquei pra fora, Nilson arregalou os olhos, Joana sem reação.
Eu:- Levanta Nilson! Pega nesse peito!
Nilson sem reação levantou e fez que iria até a porta, peguei em seu braço e falei:
Eu: – Pega a teta da vagabunda!
Meio que sem reação pegou em seu seio esquerdo, fazendo Joana fechar os olhos com cara de tesão, ao observar a bermuda de meu primo tinha um grande volume.
Eu: Nilson tira seu pau pra fora
Nilson: – Se tá louco?
Eu: – Tira, sem problemas primo, ela quer.

Nilson tira seu pau pra fora, e vou dizer. Puta que pariu! Que rola grande e grossa. Na hora Joana fica impressionada com tamanho.
Eu: – chupa Joana! E toda sua! Você não queria?
Joana: – Éééé…..
Eu : – Pode chupar sua putinha!
Joana se ajoelha e pega com as mãos aquele mastro e abocanhou com uma ferocidade, caralho, na hora senti um tesão arranquei minha rola pra fora comecei a bater uma punheta quando Derrepente Joana abocanha minha rola e começa se alternar entre minha rola e de Nilson.
Arranquei seu top e Nilson levatou-a e tirou seu shorts dando um beijo em sua boca, beijo molhado, apaixonado. A puta estava sem calcinha. Sua buceta pingando. O pau de Nilson babando.

Joana: – Me chupa amor?
Deiteu no chão, a vagabunda deitou em cima de mim em um 69 delicioso. Enquanto Nilson se posicionava atrás dela passando aquela tora em seu rabo. Joana estava em êxtase, eu chupando sua buceta com o saco de Nilson em minha cara. Quando Joana fala.
Joana: – Chupa seu primo!
Sem poder responder o pau de primo já estava em minha boca, putz instintivamente mamava aquele cacete, meu primo tirou de minha boca e enfiou em minha esposa que deu um grito, ele parou e começou a empurrar devagar até entrar tudo me posicionei mais em baixo do meu primo e meti a língua em seu cu. No qual escutei um gemido dele,ele socava com força na putinha da Joana que se contorcia de prazer. Sai de baixo e se posicionei atrás de meu primo que parou e com o cacete dentro de minha esposa arrebatou o rabo e disse:

Nilson: – vai primo, enterra nesse rabo!
Caralho, dei uma chupada em seu cu e enfiei meu pau que foi engolido por aquele cu guloso. Fiquei parado enquanto ele fazia um movimento de vai e vem, enfiando em Joana e sendo espetado por mim.
Joana: – Come meu cu caralho!
Eu: Primeiro eu se não não sobra nada
Tirei o pau de meu primo, que tirou o pau da buceta da Joana, Nilson deitou no chão,Joana subiu em cima de seu cacete, me posicionei atrás de Joana dei aquela lambida tradicional em seu cu uma lambida no saco de meu primoe fui comendo o cuzinho de Joana. Caralho essa hora ninguém era de ninguém.
Minha esposa sendo empalada em ambos os buracos.

Joana: Caralho! Puta que pariu! Me arregaça!
Eu: – Vai vagabunda
Nilson: – Caralho! Pula Vagabunda, toma porra!
Nilson transbordou a buceta de Joana eu não aguentei gozei em seu cu e Joana começou a se contorcer e a chorar, caiu em cima do peito do meu primo que deu um longo beijo em sua boca, Joana me chamou e me deu um grande beijo, depois demos um beijo triplo. Levantei, sentei no sofá tentando entender o que aconteceu, Joana sentou no meio e Nilson na outra ponta. Ficamos ali parados em silêncio, depois Nilson se levantou colocou sua roupa e foi embora sem dizer uma palavra, eu e Joana fomos tomar banho, comemos algo e depois começamos a nos beijar e transamos a tarde inteira.
Depois disso não consegui falar com meu primo, e Joana a única coisa que disse foi
Joana: – Adorei!
Até o próximo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.