E agora, quem me comeu?

Alguém me comeu! E até hoje não descobri quem foi. Mas como assim Taiane? Pois é, difícil de acreditar mas é verdade. Aquele feriado foi uma loucura, muita, mas muita sacanagem. Por eliminação sei que não foi… bom, na verdade eu não sei. Enfim, deixa eu contar como foi.

Rodrigo e eu fomos passar um feriado em Peruíbe, evento organizado por ele e seus amigos do futebol. Chegando lá fiquei surpresa ao ver a casa que eles alugaram, era linda! Com piscina, vários quartos, churrasqueira, enfim tudo de bom! Conheci seus amigos e no geral pareciam bem simpáticos, alguns estavam acompanhados de suas esposas, outros solteiros e tinha os casados mas que driblaram as esposas e foram sozinhos.

Já no primeiro dia eu me enturmei rapidinho, eles eram bem engraçados e suas mulheres bem animadas. Lembro que de cara fiquei muito amiga da Flávia. A Quinta-Feira passou que nem vimos, tudo muito tranquilo e em um clima gostoso.

Na Sexta-Feira fui a primeira a levantar. Deixei Rodrigo dormindo e fui para a cozinha, estava tão à vontade que fui com a roupa que dormi, um shortinho de malha, sem calcinha, blusinha de alcinha sem sutiã e descalça. Coloquei uma água para ferver e fiquei ali junto do fogão.

Eis que quando menos esperava senti aquele corpo se encaixando ao meu e sarrando em minha bunda – Bom dia Tatiane… – disse me cheirando, me abraçando com a pegada por trás. Demorei um pouco para reconhecer, então vi que era o Alcides, logo ele, o esposo da Flávia!

– Que isto Alcides?! – falei tentando me soltar, mas o safado me deu uma nova sarrada tão gostosa, que me fez vacilar – Juro que não sabia que o Rodrigo tinha uma esposa tão gostosa assim… até sonhei com você esta noite… – ele disse enquanto me prendia entre seus braços e me fazendo ficar na ponta dos pés com sua sarrada.

Virando um pouco o corpo olhando de lado supliquei – Não faz isto Alcides a Fla… – só que o sem vergonha me tascou um beijo tão gostoso que eu não neguei. Enquanto nos beijávamos levei a mão pra trás e apertei seu volume por cima do short, sentindo-o bem duro. Em seguida, Alcides deslizou sua mão por dentro do meu shortinho e seus dedos tocaram meu grelinho massageando-o e me deixando muito excitada.

– Mas que putinha… desfilando sem calcinha numa casa cheia de macho? – nossa, eu nem tinha me dado conta daquilo e ele continuou – Quero te ver peladinha… – disse e segurando minha cintura colocou-me de frente pra ele. E naquele momento pude perceber o como ele era feio, judiado, coitado kkk E olha que a Flávia era uma mulher bonita e muito bonita pra ele. Mas agora eu sabia o porquê, sua pegada era tão gostosa que nem eu resisti. Tirei minha blusinha e em seguida puxei meu shortinho deixando-o cair aos meus pés ficando peladinha na sua frente.

– Muito gostosa – ele disse e me puxou pela cintura. Nos beijamos, seus dedos bolinavam minha boceta me deixando muito molhadinha. Ficamos assim aos beijos e carícias por uns minutinhos até que ouvimos passos pelo corredor. Me soltei rapidamente, peguei minhas roupas e saí correndo para o quintal.

Quando voltei, estavam a Duda, esposa do Jurandir e ele tomando café. A Duda era a única um pouco antipática, mesmo assim dei um Bom Dia e me juntei a eles no café. Depois deste ocorrido o dia seguiu normalmente, Alcides até chegou a tentar me agarrar novamente, mas eu escapei.

No Sábado eu estava tão à vontade com os meninos que já me encontrava sambando de biquíni na ponta dos pés enquanto eles faziam a roda de Samba. Naquele dia troquei olhares safados com o Betinho durante o dia todo! Ele era um nego imponente e dono de um sorriso lindo! Seu defeito era ser casado com a Mônica, que até era legal, mas ficava muito no pé dele, talvez conhecesse bem o marido que tem.

Eu já tinha até desistido de pensar em algo com ele. Porém eram umas 19h30 quando o pessoal tinha dado uma dispersada. Alguns chegaram até a sair pra dar uma volta no centrinho da cidade. Rodrigo tinha ido tomar banho e eu fiquei com a Flávia na piscina. E pasmem! A Flávia me confessou que estava doida para dar para o Betinho, eu disse que estava também e assim rimos juntas da situação.

Eis que repentinamente, como em filmes eróticos de baixo orçamento. Ele entrou na piscina nos olhando com aquele sorriso gostoso. Ele, Betinho! E veio se aproximando, levando as mãos em nossas cinturas e começou beijando a Flávia de língua, que safado! Logo depois me beijou e meu Deus! Que boca! Flávia e eu levamos a mão na sunga dele no mesmo instante e liberamos aquele pau gostoso. Se perder tempo ficamos punhetando e alisando o pau de Betinho enquanto nos beijávamos alternadamente, às vezes os três ao mesmo tempo.

Me segurando pela cintura ele me colocou sentada na beira da piscina e fez o mesmo com ela. Trocamos mais alguns beijos e ele disse – Tô louco pra ver estas bocetinhas… – e começou a desfazer o laço do meu biquíni e vi seu olhar apreciando a minha menina lisinha e aquilo foi demais! Depois fez o mesmo com a Flávia tirando seu biquíni, ela usava um moicano bem baixinho, estava linda também. Sorrimos uma para a outra e quando me dei por conta, estava beijando minha amiga.

Enquanto nos beijávamos vi Betinho entre as pernas de Flávia chupando sua boceta e ao mesmo tempo sentia o dedo dele penetrando minha boceta. Mantinha minhas pernas facilitando as investidas dele enquanto Flávia e eu seguíamos aos beijos e carícias safadas. Só que infelizmente não demorou muito e ouvimos a voz de Alcides procurando por Flávia, então ela se levantou rapidinho com seu biquíni nas mãos e nos deixou.

Betinho e eu nos olhamos com risos safados, sem nada a dizer. Levei um pezinho em seu peito fazendo um charme e segurando minha perna Betinho levou-o à boca e o beijou. Em seguida, fiquei olhando-o deslizar seus lábios por toda minha perna até alcançar minha boceta. Ahnnn que delícia! Levei minhas pernas por cima de seus ombros e senti aqueles lábios quentes chupando minha boceta com muita vontade. Meus Deus! Como ele chupava bem! A ponta da sua língua brincando em meu clitoris me levava a loucura!

E como parece que de fato tudo que é bom dura pouco, acabamos tendo que nos recompor rapidamente quando vimos César surgir repentinamente. Entrei na piscina rapidamente para vestir meu biquíni e fiquei com muito medo dele ter visto algo e ficar fazendo piada. Por sorte pareceu que ele não notou nada. Mas César tira uma expressão de ardiloso, falso, traiçoeiro, sei lá. Foi com ele que menos conversei. Sabe quando a energia não bate? E como ele resolveu ficar ali empatando, eu saí da piscina e fui tomar um banho.

Naquela mesma noite os meninos voltaram a tocar um samba e eu confesso, exagerei um pouco na caipirinha. Naquela noite Rodrigo ficou uma fera comigo e com razão, pois no final acabou até rolando uma confusão, sorte que os meninos separaram. E deste episódio eu me envergonho, pois nunca deixei que Rodrigo notasse nenhuma de minhas travessuras. Mas ele, muito curioso, sentindo minha falta saiu me procurando pela casa. Só que acabou me pegando peladinha! Beijando o Leandro num cantinho da casa. E nem vou detalhar como isto aconteceu, porque eu juro que eu mesma não lembro! Não sei como fui parar ali e muito menos pelada.

Foi uma vergonha, acho que todos ali me viram pelada. No dia seguinte o clima começou um pouco frio, por sorte o Leandro, que era um dos casados sozinhos, acabou indo embora logo depois da confusão. Mas olha, me vi espantada de como amáveis os demais foram comigo, mesmo depois de tudo aquilo. Não me julgaram e ainda tentavam quebrar o gelo brincando com a piada “Tirem a bebida da mão desta mulher”. E Rodrigo gente, ai como amo este homem! Ele foi super compreensivo, me tratou com carinho o tempo todo. Lembro que beijei ele tanto no quarto, fiz tantas juras de amor, estava apaixonada.

Era nosso último dia na casa e por volta das 16h o povo cansado se encontrava cada um deitado num lugar da casa e eu resolvi descansar um pouco também. Antes de ir para o quarto troquei alguns beijos com Rodrigo e então fui. Neste dia estava usando um vestido estampado de florzinhas, ligeiramente curto e uma calcinha branca de renda.

No quarto, puxei o colchão para o chão porque estava calor e fechei as cortinas deixando o quarto escurinho. Deitada, fechei os olhos e o sono logo me pegou. De repente despertei sentindo minha calcinha deslizando pela minha coxa. E eu que estava deitada sobre o meu braço de ladinho tentei virar um pouco o corpo – Amor??! – senti aquela mão segurando meu rosto e me beijou. Grudando seu corpo no meu me fazia sentir seu pau ao sarrar em minha bunda com vontade e gente, aquele pau eu tenho quase certeza, não era do Rodrigo, não mesmo.

– Não… para … quem é você? – eu disse, porém com certa rispidez na voz, ele simplesmente falou – Cala boca sua puta – e foi logo socando seu pau na minha boceta, ele era grande e bem grosso, eu amo pau assim. Pior que eu não reconheci sua voz, na verdade assim que senti aquele negócio enorme me penetrando, perdi completamente os sentidos e qualquer raciocínio lógico. Sua mão puxou meu vestido rasgando as alcinhas, deixando meus seios expostos e sua mão veio apertando-os com ímpeto.

E ele começou a meter com uma força tão intensa, descomunal! Que me fez perder completamente o juízo e foi impossível não começar a gemer. O safado tratou de tapar minha boca com sua mão e continuava a meter com gana e devido suas violentas estocadas minha calcinha que estava parada nas coxas foi parar em meus pezinhos.

Gozei! E o safado inundou minha bucetinha logo depois. Deitada de barriga pra cima, ficamos ali nos beijando agora sem a violência de antes. Ele tocava meu corpo de uma forma muito gostosa, tentei acariciar seu rosto com o objetivo de desvendar o segredo, mas ele não deixou, afastava sempre as minhas mãos. Em certo momento ele simplesmente se levantou e saiu do quarto sem falar nada. E infelizmente eu não consegui ver quem era. Mas meu Deus! Que trepada gostosa!

Como vocês puderam notar, aquele feriado foi uma verdadeira putaria, e olha que isto não foi nem metade do que aconteceu. Na semana seguinte a Flávia me ligou e me contou que naquele sábado ela aproveitou que Alcides caiu no sono bêbado e participou de um verdadeiro bacanal com Betinho e mais três, ai que vaca!! Nem me chamou! Kkk

E foi isso gente, o que vocês acharam? E a pergunta que não quer calar…
Quem me comeu? Façam suas apostas, comentem aqui kkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.