Meu primo me fez gozar deliciosamente

Olá meu nome é Liliane tenho 27 aninhos 169 alt 62 kg. Sou bem tesudinha e tenho seios maravilhosos.

Libidgel Gratis

O relato a seguir aconteceu a uns 7 anos, mas com é um bem gostoso e vou contar a vocês.

Na época eu tinha 20 anos e já morava sozinha. Tenho uma família grande de mais e MUITOS primos de todas as idades.

Sexo Telefone

Recebi uma ligação da minha tia que mora no interior perguntando se meu primo poderia ficar uns dias na minha casa até prestar a prova do vestibular na UFMG. Iam ser apenas 15 dias, tempo para ele chegar se isolar no quarto revisando a matéria e prestar vestibular. Embora não seja muito chegada em hospedar pessoas na minha casa acabei aceitando.

No dia combinado dele chegar, fui buscá-lo na rodoviária. Quando eu o vi confesso que fiquei surpresa. Ele estava muito mais alto do que me lembrava e muito mais músculos também. Nem parecia um garoto de 17 anos. Nos cumprimentamos e ele já deu aquela conferida nos meus seios e depois na minha bunda quando me virei. Ignorei isto e fomos para o carro. No caminho de volta viemos conversando e ele olhando de maneira bem descarada para as minhas coxas, e eu mais uma vez ignorei.

Ao chegar no meu apartamento, mostrei a ele o quarto onde ele ficaria e segui a minha rotina normal. Nos primeiros dias tudo correu normalmente. Eu saia bem cedo quando ele ainda estava dormindo e voltava bem tarde quando ele já estava dormindo.

No primeiro sábado com ele na minha casa eu acordei bem tarde pois havia chegado as 3 da manhã de um aniversário de uma amiga. Por volta do meio dia levantei e sai do quarto de camisola. Uma camisolinha branca semitransparente decotada e bem curtinha. Não tinha a intenção de provocar o meu primo, só estava vestindo da forma que me visto em casa normalmente (quando me visto).

Fui para a cozinha e ele estava lá tomando água. Quando me viu já deu aquela olhada de cima a abaixo e me cumprimentou. Cumprimentei de volta tomei também um copo d’água e fui ver TV na sala. Ele voltou a estudar na mesa de jantar, mas pelo reflexo do vidro da janela dava pra ver que ele ficava me olhando direto. Cogitei levantar e vestir algo mais comportado, mas comecei a me divertir com a situação.

Enquanto eu via tv meu primo me olhava de longe achando que eu não estava vendo. Algum tempo depois vi pelo reflexo ele passando a mão no meio das pernas por cima do short, logo depois ele passou a dar uns apertões no pau ainda por cima do short. Mais um tempo ele já estava com a mão dentro mexendo no pau. Com mais algum tempo o garoto tirou o pau pra fora e começou a bater uma punheta me olhando. As vezes ele olhava pro livro, mas logo em seguida me olhava e voltava a bater uma.

A situação começou a me excitar e eu fui deixando para ver até onde ele ia. Este joguinho deve ter durado cerca de uma hora e no fim ele já estava se tocando sem nenhum puder olhando fixamente para mim no sofa vendo tv. Resolvi me levantar para ver a reação dele. Ele quando me viu começar a me mexer colocou o pau dentro do short correndo e voltou a fingir que lia. Passei e fui até o quarto e ele me acompanhou com o olhar.

Coloquei outra roupa, uma camiseta regata branca sem sutiã de forma que dava para ver os bicos dos meus seios através da camiseta e uma calcinha também branca de telinha na frente. Voltei para sala e perguntei se ele queria pizza pro almoço. Ele disse que sim olhando fixamente pra minha bucetinha que estava praticamente toda exposta por debaixo da calcinha de telinha.

Liguei na pizzaria e voltei a ver TV. O garoto então voltou a tocar uma e me olhar de rabo de olho. Enfiei a mão dentro da minha calcinha e pude ver que estava muito molhadinha. Me levantei novamente e ele mais uma vez guardou o pau correndo e fingiu que lia. Fui para perto dele e comecei a puxar papo. Ele me respondia hora olhando os meus seios, hora olhando minha bucetinha. Pude ver o volume no short dele e ele ficando cada vez mais desconcertado. Aquele joguinho estava me deixando muito molhadinha ao ponto de melar minha calcinha.

Quando o garoto viu que minha calcinha começara a ficar molhada ele não tirou os olhos dela. Enquanto conversava comigo apertava o pau por cima do short e as vezes até gaguejava. Perguntei se ele tinha namorada e ele disse que não. Perguntei se ele já tinha namorado e ele respondeu que teve uma namoradinha, mas que terminaram. Daí perguntei se ele tinha transado com ela, e ele sem graça disse que sim só uma vez e que nunca mais tinha feito.

A medida que eu ficava excitada, os bicos dos meus seios ficavam mais duros e agora já quase furavam a camiseta. Meu primo já não sabia se olhava pra minha calcinha molhada ou pra camiseta marcada pelos biquinhos dos meus seios.

O interfone tocou e mandei ele ir lá embaixo pegar a pizza. Quando ele se levantou dava pra ver o pau dele quase saindo do short de tão duro. Enquanto ele ia lá embaixo afastei minha calcinha de lado e comecei a me masturbar ali sentada na mesa mesmo. Comecei a imaginar meu primo me comendo e me tocava sem parar. Meu melzinho escorria pelos meus dedos e pingava na mesa.

Quando ouvi os passos dele no corredor eu voltei a calcinha pro lugar que agora estava ensopada e chupei o melzinho dos meus dedos. Meu primo entrou no apartamento agora com menos volume no calção e a pizza na mão. Comemos enquanto conversávamos e ele me olhava de cima abaixo enquanto eu estava sentada na mesa. Deixei cair “sem querer” uma gota de Ketchup na minha camiseta e quando fui passar papel para limpar abaixei um pouco o decote mostrando também “sem querer” o biquinho do meu seio esquerdo.

Meu primo já estava novamente com um volume enorme no short e eu mais molhada do que nunca a ponto de começar a exalar aquele cheirinho de buceta no ambiente.

Terminamos de comer levei o resto da pizza pra colocar na geladeira e ele voltou a “estudar”. Na cozinha e apoiei de costas na pia e voltei a me masturbar. Já estava louca para dar pro meu primo mas não sabia se devia fazer isso já que poderia dar um problemão de família depois. Parei de me tocar e quando estava pra voltar pra sala comecei a ouvir um barulho de “fap fap fap” vindo de lá.

Andei na ponta dos pés e cheguei de fininho por traz do meu primo. Ele estava batendo uma de olhos fechados, com certeza me imaginando. Aquela cena me encheu de tesão e eu já não conseguia pensar em mais nada a não ser em dar pra ele.

– O que tá fazendo primo? – perguntei e ele levou um susto ficando todo sem graça com o pau na mão. E que pau, grande veiúdo com a cabeça roxa até brilhando, me deu água na boca. Olhei pro pau dele que ainda estava duro na mão, e ele só me olhava sem graça sem saber o que fazer.

Depois de alguns segundos de constrangedor silêncio ele pediu desculpas guardou o pau no short e se levantou indo em direção ao quarto. Ao passar perto e mim puxei ele pra perto e o beijei. O garoto não pensou duas vezes e já pegou meu peito apertando com vontade. Puxou minha camiseta pra baixo já deixando os dois pra fora e começou a mamar. Parecia um bebe com fome, o garoto mamava nos dois. Sugava um depois o outro sem parar. Rapidinho já puxou minha calcinha de lado e atolou dois dedos ne mim. Me encostou na parede enquanto mamava e metia os dedos ne mim. Eu gemia sem para e deixava ele me possuir daquela forma enquanto gemia

– “Ai primo para a gente não devia, a gente não pode ahhhhhhhhhhhh…. Para vai”

Não demorou e o garoto estava de joelhos chupando a minha buceta enquanto eu gemia pedindo-o pra “parar”.

Não sei como ele fazia isso, mas a língua dele enfiava lá no fundo da minha buceta e voltava. Minhas pernas tremiam e ele continuava a me chupar sem parar. Ele deu um puxão na minha calcinha rasgando-a e a jogando num canto. Eu abri mais as pernas e ele colocou toda a minha buceta na boca e chupou. Me agarrei nos cabelos loiros dele e comecei a rebolar devagar enquanto ele me chupava. Eu gemia cada vez mais e agora já falava:

– Aiiiiiiiiii….. Isso assim…. Chupa…. Vai ….. Não para….. Chupa a priminha vai…. Isso ….. Ai que deliciaaaaaaaaaaa….

Ele não parava parecia que ia virar minha buceta ao contrário. Sugava meu grelinho que já estava inchadíssimo enquanto metia a língua dentro de mim. Eu já estava em êxtase e louca de tesão. Minhas pernas estavam ficando bambas e sentia um formigamento percorrer todo meu corpo. Eu estava ali escorada na parede com a camiseta embolada no meio da barriga de perna arreganhada com meu primo me chupando.

Não demorou muito e eu senti meu coração acelerar. Minha buceta pulsar e ficar cada vez mais quente. Segurei firme a cabeça do meu primo e comecei a me esfregar na língua dele. Dei um grito de tesão meu corpo todo tremeu e eu gozei, gozei muito na boca do meu primo. Quando ele se afastou meu melzinho escorria da boca até o pescoço dele.

– Puta que pariu primo que delicia de chupada. É assim que você chupa as meninas da roça?

Ele apenas deu um sorriso safado e não respondeu.

– Senta ali que agora é minha vez.

Ele não pensou duas vezes, tirou o short e sentou no sofá.

Me ajoelhei na frente dele e comecei a punhetar devagar. Peguei com a mão toda no pau dele e comecei um movimento de vai e vem. Com o dedo polegar comecei a massagear a cabeça enquanto punhetava. Ele apenas apoiou os braços na nuca olhou pro teto e foi curtindo e gemendo baixinho.

Chupei primeiro uma bola. Quando coloquei ela na boca, senti o corpo dele tremer e o pau pulsar.

– IIIiiiiiiiiiiiiiiiiiiiisssssssssoooooooooo

Fui pra outra bola e dei outra chupada. Lambi de baixo para cia e depois engoli. Desci molhando todo aquele pau com a minha boca depois subi secando. Fui fazendo este movimento devagar.

Ele baixou o olhar para mim e afastou meu cabelo do rosto. Olhei no olho dele enquanto o chupava. Ele passou a acariciar meu rosto enquanto eu mamava sem parar. Ele fazia caras e bocas a cada sugada que eu dava. Fui aumentando o ritmo e sentia o pau dele pulsando na minha boca. Tirei ele da boca e o vi ali meladinho e duro feito pedra.

– As meninas da roça te chupam gostoso assim?

Ele mais uma vez apenas riu, e eu voltei a mamar.

Chupava cada vez com mais vontade. Ele juntou meu cabelo nas mãos como se fizesse uma alça e foi forçando minha cabeça num vai e vem. Depois de um tempo ele mesmo começou a meter na minha boca e eu fiquei com a cabeça parada deixando-o se divertir. Sentia o pau bater na minha garganta e voltar. Meus olhos já lacrimejavam e ele metia sem dó.

Quando se sentiu satisfeito ele tirou o pau da minha boca que já estava todo babado até pingando. Ele inclinou minha cabeça um pouco de lado e bateu o pau três vezes na minha cara.

– Você é muito gostosa prima

Eu apenas sorri e disse

– Vamos pro quarto

Entramos no quarto e ele já se sentou na cama. Tirei a camiseta embolada do corpo e ele tirou a dele. Me sentei do lado dele e ele me beijou. Começou a acariciar meus seios enquanto me deitava na cama me beijando.

Quando me deitei completamente ele veio por cima de mim ainda me beijando. Foi posicionando o pau na portinha da minha buceta. Senti a cabecinha entrando devagar e de repente ele socou todo resto com força. Senti o pau dele me atolar todinha e soltei um gemido alto. Ele então ergueu o corpo ficando de joelhos e começou a meter com força. Eu só gemia e sentia a pica dele me invadir sem parar. Ele metia cada vez mais forte me segurando pela cintura. Socou sem parar, subiu as mãos segurando meus seios, apertando à medida que metia mais e mais forte.

Ele me virou de lado e voltou a meter. Uma perna minha esticada para cima e outra esticada na cama. Ele socava sem parar e eu me masturbava enquanto ele me comia. Coloquei a cara no travesseiro para abafar meus gemidos e ele continuava sem parar e sem perder o ritmo. Ele parecia não cansar e socava cada vez mais forte.

Quando ele finalmente parou, minha buceta já estava toda vermelha de tanto levar pancada. Ele me mandou ficar de 4 e eu me sentei na cama. Vi aquele pau todo melado com meu melzinho e não resisti e cai de boca novamente. Mamei com vontade sugando todo meu melzinho daquela pica dura. Quando terminei me virei e fiquei de 4.

Ele se posicionou atrás de mim e começou a esfregar a pica na minha buceta. Apertava meu grelinho com a cabeça da rola e eu me arrepiava toda. Cuspiu no meu cuzinho e começou a massageá-lo com o polegar. Eu me arrepiei mais e soltei aquele gemidinho safado. Senti ele lamber meu cuzinho e começar a chupar. Me deu umas 5 chupadas bem dada no cuzinho e enfiou o pau todo na minha buceta.

Ele ficou socando fazendo um vai e vem na minha buceta enquanto massageava meu cuzinho com o polegar. Eu já estava delirando de tesão quando ele com a outra mão me pegou pelos cabelos e começou a socar com toda força. Eu sentia cada estocada e gemia. O pau dele entrava com tudo ne mim e eu já estava louca de tesão. Meu primo começou a me empurrar com a outra mão até eu ficar com a cara no travesseiro. Ele parou de meter se posicionou melhor, colocou as duas mãos na minha cintura e começou a socar com tudo que tinha. Eu sentia como se fosse quebrar ao meio, ao mesmo tempo que sentia um prazer inexplicável.

Meu primo me fodeu com toda força e eu sópedia mais e mais. Quando eu menos esperava senti a dor de um tapa bem dado na minha bunda. Depois outro tapa, outro e mais outro. Minha bunda ardia dos tapas, mas aquilo me dava mais tesão ainda. Eu me masturbava enquanto ele me fodia e batia. Eu estava em outro mundo sósentia prazer e nada mais.

Ele socou e socou cada vez mais. Ele já estava com um dedo enfiado no meu cuzinho e o pau socando com toda força quando comecei a sentir que ia gozar de novo. Ele não parecia cansar e socava mais e mais. Comecei a sentir o formigamento e meu corpo anunciar que ia gozar. Ele percebendo que eu estava quase lá aumentou ainda mais a intensidade que até eu não acreditei. O pau dele entrava todo e saia todo cada vez mais rápido. Senti que ele também estava prestes a gozar e fui segurando o quanto podia para ir junto com ele. O ritmo não parava de aumentar até que ele começou a gemer mais alto passou a me bater mais forte o pau dele pulsava sem parar e sem cerimonia vários jatos de porra começaram a jorrar dentro da minha buceta. Foi só eu sentir o leite quentinho que não me aguentei e gozei também. A porra do meu primo não parecia ter fim, jatos e mais jatos jorravam dentro de mim enquanto ele continuava a meter agora em um ritmo menor, mas ainda rápido.

Quando ele finalmente deu a última estocada antes de parar eu pude sentir como se meu coração batesse dentro da buceta. Ele tirou o pau de mim e senti escorrer toda aquela porra até pingar pra fora. Minha buceta ali cuspindo porra e toda gozada.

Depois desse dia passamos a transar todos os dias até o dia dele voltar. Como ele não queria saber de estudar e sóde foder a prima ele não passou na UFMG e voltou a morar na cidade dele. As vezes a gente se encontra e mata a saudade. A próxima vez que der para ele eu conto pra vocês.

Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *