Corno mais uma vez

Sou a Ana e só agora depois dos 50 anos descobri o quanto é bom ser uma mulher desejada e puta. Estou adorando esta nova realidade de vida, provando vários novos pintos, todos muito maiores que o do Paulo meu marido que está cada vez mais submisso e obediente, cada vez mais corno e manso. Agora meu corninho vive de calcinha fio dental e se apresenta assim diante de meus comedores e isso sou reforça diante deles o meu domínio sobre meu marido.

LibidGel


Fomos convidados por um casal de amigos para passar alguns dias na casa de praia deles. Ao chegarmos fiquei deslumbrada com a casa muito bonita com uma piscina com vista maravilhosa pra praia. Fomos acomodados em uma suíte no segundo andar da casa com uma bela vista pro mar. Fomos nos arrumar para curtir a piscina e me contive e vesti um biquini asa delta preto e meu marido seu biquini preto mas com uma bermuda de tactel por cima, não queria me expor e nem meu marido diante do casal de amigos que não sabem das nossas aventuras. Realizamos nossas aventuras sempre longe de nossos conhecidos. Descemos e fomos aproveitar

fazendo um churrasco e bebendo na área da piscina onde tínhamos uma vista espetacular sem sermos incomodados pois ficava em uma posição mais elevada e quem passava pela praia não tinha a visão de onde estávamos. Era um ótimo local para que meu marido pudesse se bronzear somente de biquini eu com os seios de fora e quando quisesse me exibir com meus biquini transparentes era só descer e entrar no mar. Pena que com a presença de nossos amigos isso seria impossível. Aproveitamos muito a tarde revezando entre a piscina e banhos no mar. À noite nossos amigos nos levaram para conhecer melhor a cidade e jantar em um

Aumento Peniano

restaurante muito gostoso. Pela manhã nossos amigos receberam uma ligação e ficaram extremamente chateados, pois teriam que retornar para resolver alguns problemas, mas que deveríamos ficar e aproveitar os dias que já tínhamos preparado. Insistiram tanto que acabamos por aceitar. Assim que partiram eu fui trocar meu biquini por um branco transparente e fiz o Paulo tirar sua bermuda e ficar somente de biquini. Fomos direto pra piscina aproveitando para me bronzear com meus peitos de fora. Ia até a beirada da mureta que dava pra praia a vontade louca para me exibir. A praia estava vazia com poucas pessoas e relativamente

distantes de onde estávamos. Deu até pra mim ir ao mar do Jé que estava. Meu marido preferiu ficar na casa me vendo entrar no mar. Eu louca para alguém passar, mas infelizmente isso não aconteceu. Voltei para a piscina e ficamos sob a sombra de um grande ombrelone onde adormecemos. Fomos surpreendidos com a presença de um jovem vestindo apenas bermuda nos observando. Meu marido tentou se recompor virando de frente e o jovem pediu desculpas pois não sabia que estávamos na casa. Ele fazia a limpeza da piscina semanalmente. Se apresentou como Pedro. Eu

só cobri os seios com as mãos, estava adorando me exibir para o moleque que provavelmente já estava nos observando a algum tempo. Observei que era bem novo, talvez com pouco mais de 20 anos e estava com a bermuda estufada que não tinha como disfarçar a sua ereção. Vesti a parte de cima do biquini, meu corninho já havia vestido por uma camiseta tentando esconder seu biquini. Meu marido falou com o Pedro para ficar a vontade e continuar seu serviço. Pedro ficou fazendo seu serviço e eu resolvi provocar o menino. Fui até a ducha me refrescar. Fui em direção a uma espreguiçadeira passando em frente ao rapaz dando uma visão privilegiada dos seios e da buceta que estava toda a mostra no biquini agora todo transparente. Tirei a parte de cima do biquini e deitei de costa deixando minha bunda bem à

mostra engolindo o pouco de tecido da calcinha com as pernas levemente abertas para que Pedro tivesse a visão da minha buceta lisinha. Provoquei bastante de costa e como o rapaz parecia não ter pressa para acabar o serviço virei de frente com os seios desnudos e a buceta exposta sob o tecido transparente. Pedro começou a recolher os equipamentos de limpeza da piscina e aí eu perguntei se eu já poderia entrar na água. Ele falou que estava liberado. Eu entrei na piscina e chamei meu marido para me acompanhar. Ele disse que não queria e eu sabia porque. Eu falei pra deixar de se bobo pois o Pedro já havia visto como estava vestido. Paulo pulou na

piscina de camiseta que eu o fiz tirar e chamei o Pedro para se juntar a nós. Eu falei com o moleque que não queria lhe trazer problemas. Eu não falaria nada com seus patrões e pedi para ele ser discreto também. Ele tomou uma ducha e entrou na água também. Mergulhei em sua direção e saí bem à sua frente. Peguei sua mão e pus sobre meus seios e perguntei se estava gostando. Levei a outra mão no meio de suas pernas e eu mesma já respondi que pelo seu estado deveria estar gostando sim. O fiz tirar a bermuda e se sentar na beirada da piscina. O rapaz não aparentava o tamanho

de ferramenta que tinha. Parecia mais um cavalo de tão grande. Peguei com as duas mãos e ainda sobrava um pedaço, tinha uma cabeça um pouco fina, mas o tronco extremamente grosso, de dar medo. Meu marido falou que eu não iria aguentar o rapaz. Comecei a chupar a cabeça que era só o que eu conseguia por na boca. Eu babava muito naquele pinto e comecei a punhetar com as duas mãos aquele tronco de carne. Ele não demorou muito e gozou na minha boca e em todo meu rosto. Chamei meu corninho para vir me beijar e fiz sentir o gosto do rapaz. Chamei para entrarmos na casa e meu marido me perguntou se eu tinha certeza porque o rapaz tinha um pinto bem exagerado no tamanho e ele estava com medo de me machucar.

Mas eu estava decidida a tentar receber aquele membro dentro de mim. Fomos pro quarto deitei na cama chamei o Pedro para vir do meu lado para que eu pudesse chupá-lo um pouco e meu marido me chupar e me preparar para a penetração. Pedi pro corno passar uma boa quantidade de KY e ver como estava minha buceta e comparar depois como ficaria. Meu corno ficou ao meu lado vendo Pedro pincelar minha buceta e começar a forçar a penetração. Pedro forçava mas nada da cabeça entrar. Pedi pro meu marido colocar uma dedos antes. Ele colocou dói, três de depois quatro dedos laceando a minha buceta. Agora o auge da submissão foi fazer o meu marido pegar no pau do rapaz e ficar ajeitando para ele me comer. A cabeça entrou pois era mais fina mas conforme ia entrando a grossura aumentava e eu tive que pedir para parar e esperar eu me acostumar. Pedro foi enfiando lentamente. Enfiava um pouco esperava e começava um lento vai e vem enfiando cada vez um

pouco mais até que consegui recebê-lo por completo. Meu marido olhava hipnotizado eu engolir aquela cobra, não acreditando. Eu me sentia toda entupida, eu sentia minha buceta toda esticada como nunca estiveram antes. Doía mas eu estava feliz. Pedro se movimentava de forma lenta, ficou uns quinze minutos assim até que me puxou forte pela cintura e gozou muito dentro de mim. Eu sentia o pinto inchar dentro de mim. Esperou um pouco e começou a tirar. Parecia uma eternidade até sair todo e me deixar com a buceta toda aberta escorrendo um rio, fazendo uma grande poça de porra no colchão. Meu marido pôs quatro dedos de de mim e depois seu pintinho que dançava dentro de minha buceta, mal pegava nas beiradas, mas gozou fartamente na minha buceta toda arregaçada. Paulo dispensou a rapaz e pediu para que não contasse a ninguém para não dar problema para ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *