Negão arregaçou o cuzinho de minha esposa

C. é meu conhecido há mto tempo. Na semana pré-carnavalesca ele passou no meu trabalho e entrou na minha sala na hora que eu tinha saído rapidamente pra ir ao banheiro. Acontece que por descuido deixei uma foto da minha esposa na tela, nua, de 4, com o bundão a mostra. Ele viu e qdo voltei comentou q era uma gata, tesuda, ficou entusiasmado. Não lhe disse nada, mas no outro ele me encontrou e me disse que bateu 3 punhetas pra ela. Disse-lhe q era minha esposa, ele ficou sem jeito, mas

eu falei s/a nossa fantasia de foder a 3 e ele ficou interessado. Falei s/o episódio a Yamara e resolvemos marcar um encontro na praia, só pra conhecer e bater papo. Fomos no sábado de carnaval de manhã. Yamara de fio dental, dava um show na praia, todos os machos olhavam pra aquele corpo mulato, coxas grossas, bunda grande, cintura fina, corpo talhado. C. é um negão, altura média, musculoso e Yamara olhou logo para o volume gde na sunga. Depois da 3 caipirinha o papo rolou pra sacanagem e Yamara ficou desinibida. Mais uma caipirinha e fomos dar um

mergulho, ela pegou meteu a mão na sunga do negão e pegou no cacete dele. Vi q a situação ia ficar sem controle e fomos pra um motel. Chegando lá ela abocanhou logo o mastro de C. q tinha uns 25 cm e era muito grosso. Não cabia na boca dela, mas ela mamava com sofreguidão. Ele puxou ela pelos cabelos deu-lhe um chupão de língua e depois uma chupada na buceta e no cu. Ela ficou louca e sentou no mastro dele. A buceta dela tava toda melada de um melzinho branco, espesso. Ela foi sentando devagar pra aguentar aquilo tudo e a buceta dela foi engolindo a vara

de C. até chegar no talo. Qdo acabou de entrar ela deu uma gozada. Depois ficou rebolando na madeirona do negão por uns 15 minutos até gozar de novo. O mastro do negão continuava teso e ele anunciou q ia foder o cuzinho dela. Eu fui preparar o roskoff dela pra receber aquela pica descomunal. Enfiei 1 dedo, depois 2, depois 3 e em seguida fodi o cu dela com força. Ai ela mandou eu sair pra comer a pica do negão. Antes ele lubrificou bem o cuzinho dela com vaselina e mandou ela lubrificar o cacete dele. Ela lubrificou com carinho aquela pica negra, brilhosa, de cabeça roxa e ficou de 4 pra receber tudo aquilo. Ele passou 10 minutos pra enfiar so a cabeça,

ela urrou de dor e chorou de prazer também e ele ficou socando por mais uns 10 minutos até que o cuzinho de minha esposa botou todo aquele cacete negro, grosso e descomunal pra dentro. Ele xingava ela de puta e chifreira e de tudo qto era palavrão e ela pedia mais pica. Perdi a conta das gozadas que ela deu e eu tb gozava olhando e batendo punheta. Depois de uma meia hora o negão inundou o cuzinho de Yamara de gala branca; a gala escorria do cu pela buceta, pela bunda, pela coxas e ela gozava feito louca. Depois ela fez uma faxina na pica do negão e engoliu toda a porra (ainda era muita). Fomos pra casa e ela passou 3 dias sem sentar. Ainda quer dar pra ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *