Perdi um paciente mas ganhei um amante viciado em sexo

Recebi uma msg no WhatsApp de alguém querendo marcar uma consulta. Não tinha foto no perfil mas se identificou como homem. Vou chamar de Rogério. Agendamos para uma sexta final da tarde e como combinado ele chegou na sexta esse horário. Abri a porta e me espantei positivamente, alto, moreno, bonito e cheiroso usando roupa social. Cumprimentei ele é entramos. Indiquei a poltrona e ele sentou. Perguntou se podia tirar a máscara e eu disse que sim. Tirei a minha também. Realmente ele era lindo. Fiquei em silêncio aguardando ele falar, ele no começou parecia tímido, olhando pro lado, dizendo que não sabia bem como dizer o assunto, que estava um pouco sem jeito pelo fato de eu se mulher. Deixei ele a vontade e aí ele contou que estava se separando. Perguntei se esse era o motivo da consulta e ele disse que quase. Disse que queria falar do motivo da separação. Aguardei e ele falou. Viciado em sexo e pornografia. Em pouco tempo começou a falar e perguntei como era essa compulsão. E ele disse que sempre tinha amantes e sempre se masturbava muito. Chega a a se masturbar 6 vezes em um dia. No escritório, no carro, a noite. E enquanto ele falava não pude deixar de notar que ele estava ficando excitado. Eu já tinha visto seu dote quando ele chegou, mas agora ia formando um arco dentro da calça e ele fazia questão de passar a mão, dar uns apertões e eu olhando sempre nos olhos. As histórias foram ficando mais cheias de detalhes. Uma hora ele

Parou, cruzou os braços atrás da cabeça, abriu a perna e claramente projetou seu pau duro pra frente, queria que eu olhasse isso. Perguntei se ele estava sentindo isso agora a compulsão. Ele falou que sim. Perguntei como ele resolvia isso. E ele falou que precisava se masturbar. Fiquei sem sabe tô que fazer, mas fui sensata, apontei o banheiro e ele olhou espantado perguntando “posso”? Eu só respondi “deve”. Ele levantou, muito atraente aquele membro duro na calça social. Ele entrou no banheiro, podia ouvir ele abrindo o zíper, e depois o vai e vem no seu pau até sua respiração. Escutei uma suspirara forte provavelmente quando gozou. Um

Pouco depois ele voltou. Se sentou. Ofereci um café e ele aceitou. O comentário de foi “você é bem alta né”, virei em silêncio perguntando “açúcar ou adoçante”, ele disse que não queria nada, só café. Entrei a xícara e voltamos a sessão. Em resumo ele falou de diversas aventuras sexuais e da queixa de não encontrar uma mulher que desse conta dele: “elas reclamam que ele é grande e grosso demais, não topam anal, não topam tomar minha porra e eu gosto de gozar numa mulher inteira”. Confesso que pensei: adoraria que fizesse tudo isso comigo… mas apenas disse “entendo”. Eu comecei a sentir calor na sessão. Eu estava excitada. Ele voltou a acariciar o pau. Achei melhor encerrar naquela hora. Marquei a próxima para ali depois dias. Assim que ele saiu passei a mão dentro da minha calça, eu estava molhadíssima. Fui no banheiro lavar o rosto… e ele deixou um presente, gozou na minha pia escura e nem se deu o trabalho de limpar. Foi difícil atender os dois pacientes seguintes. Eu estava desnorteada e excitada demais. No final do segundo atendimento peguei um brinquedinho que sempre levo na bolsa e brinquei um pouco. Gozei denso e forte, com contrações que apertavam com força meu brinquedinho.

Na outra sessão dele foi algo parecido. Ele contando de suas dificuldades de encontrar parceiras e com a esposa. Agora já estava mais para ex esposa. E então contou de um sonho, disse que estava sem graça porque o sonho envolvia a mim, eu insisti que falasse e que estava ali como profissional. Ele relatou que o sonho era rápido e explícito, que chegava para uma sessão e eu estava de saia e meia calça, e quando ofereci o café ele veio por trás de mim, chupando meu pescoço, rasgando minha meia calça e me estuprando, enfiando com força em mim enquanto eu implorava pra ele parar, e que metia tão forte que eu acabei cedendo e gozando, e que depois de encher minha buceta de porra abriu meu cu e enfiou de uma vez só com o pau lambuzado e eu implorando pra ele parar mas sem sucesso até ele encher de porra meu cu e depois me forçar a chupar seu pau sujo de porra e cu. Eu juro que fiquei sem reação, porque entrei na cena, entrei na situação, ele ficou de pau duro e pediu desculpas. Disse que desde nossa primeira sessão se masturbava diversas vezes por dia pensando em mim. Usando a foto do meu perfil do WhatsApp. Ele pediu licença e disse que precisava gozar no banheiro. E lá foi ele. Eu podia ouvir seus barulhos, confesso que abri minha calça jeans e coloquei os dedos dentro só para ter certeza, eu estava molhada e se eu enfiasse meus dedos mais um pouco eu gozaria ali. Fechei rapidamente a calça e me servi de um café e fiz um pra ele. Meu coração pulava na minha boca. Ele voltou. Disse que está um pouco suja a pia. O safado queria ver minha reação, mas me mostrei tranquila. Eu apenas tomei o café e fiquei quieta. O filho da puta sabia me excitar muito. Continuou falando das várias vezes que se masturbava pensando em mim. Que gozou pensando nas pontas dos meus dedos dos pés que tinha visto na última sessão. Que gozou imaginando que esfregava o pau em uma das minhas tatuagens. E que na maioria das vezes gozava pensando na minha bunda. Que queria que eu sentasse na cara dele etc. e depois se lembrou: você tem uma pinta no canto da boca que tenho vontade de gozar nela e depois mijar na sua cara e você abrindo a boca. Eu só escutava atentamente. Depois disso encerrei a sessão.

Marianinha vez desconcertada. Precisei sair e dar uma volta na rua. Eu estava tão fora de mim que fiquei com vontade de levar uma gozada na cara seguida de seu mijo. Precisava conversar com outro profissional pra me ajudar. Mas fiquei com medo de não entenderem a situação. Preferi silenciar. Me masturbar ajudou nos atendimentos seguintes.

O que fazer com esse cara!? Eu passava meus dias pensando nele. E pra piorar ele começou a me mandar msg todas as vezes que ia se masturbar pensando em mim. As vezes eu acordava e via no meu WhatsApp 5 msgs em momentos diferentes da madrugada dizendo, gozei pensando em você. Precisei silenciar a notificação para meu marido não ver, apesar de entender que tenho pacientes complicados. Mas preferi evitar.

Na dia da sessão seguinte dele me percebi fazendo algo perigoso, eu me depilei, fiz as unhas dos pés, coloquei meia calça… estava do jeito querer queria para me estuprar… achei melhor mudar de roupa. Eu estava misturando as coisas. Quando ele chegou eu fiquei feliz, ele entrou, sentou. Passou a sessão relatando sonhos. Ele trazia vários devaneios do dia várias cenas sexuais comigo. Mas sempre trazia a principal em que rasgava minha meia e me estuprava. Foi uma sessão difícil. Nessa ele não saiu para se masturbar. Mas acariciou o pau duro a sessão inteira, fazendo os contornos daquele membro imenso. E lembram que pintei minhas unhas? Resolvi provocar, tirei minha sapatilha e fiquei descalça, colocando meus dois pés de ladinho na poltrona. Ele olhava fixamente para eles. Eu podia ver o volume latejando. Eu mexia os dedinhos e ele parecia hipnotizado. Eu também sei jogar o jogo da sedução. O clima estava tenso e quebrei com uma ofendida de café. Fui até lá. Jeans claro que deixa minha bunda bem linda, descalça. E parei na frente do dafe, puxei minhas calças pra cima, e deixei um dos meus pezinhos na ponta dos dedos. Deixando a solas dos pés para ele, virei o rosto e perguntei açúcar ou adoçante. Ele falou que não aguentaria aquilo e foi mexendo no zíper da calça. Eu larguei tudo, encerrei a sessão. Ele pediu para não acabar e eu fui colocando ele fora da sala e fechando a porta. Eu quase fodi com meu paciente!!!! Ele ficou mandando mensagens. Estava do lado de fora se masturbando. Inclusive mandou um pequeno vídeo. Gozando no carro. Um pau enorme , gostoso e muita porra saindo dele. Nisso chegou outro paciente e meu celular continuava vibrando. No fim do expediente olhei. Ele tinha mandado vídeo de 3 gozadas. Aquilo tinha que parar.

A noite ele mandou uma mensagem dizendo que ia se masturbar. E eu mandei uma mensagem “te proíbo”, quero que fique sem bater até a próxima sessão. Ele disse que não aguentaria. E mandei “se fizer isso farei o que você mais quer”. Ele

Mandou “jura?” E só respondi: “eu não mentiria sobre isso”. A sessão era dali três dias, sexta feira. Ele mandava mensagens do tipo: “eu faria agora mas vou segurar, doutora”. Está doendo minhas bolas”. E eu respondia: valerá a pena.

Sexta feira dia da sessão. Eu estava decidida em acabar com aquilo. Me depilei completamente, coloquei a meia calça, a saia… a roupa do sonho. Mandei mensagem pra ele se a sessão poderia ser mais tarde. Das 15hs remarquei para as 18hs. Avisei em casa que teria grupo de estudos na sequência. Atendo contando os minutos. Finalmente chegou 18hs. Tocou o interfone. Me certifiquei que nas outras salas de atendimento não tinha mais ninguém. Ele entrou. Falei pra ele sentar. Ele sentou. De pau duro… dizendo que não estava aguentando. Mas perguntei se ele estava sem gozar desde aquele dia e ele disse que sim. Falei ótimo. Sentei e falei que teríamos que interromper o tratamento, ele ficou assustado, mas expliquei, não estava conseguindo separar as coisas… ele pediu pra explicar e falei “porque quero realizar o seu sonho”, levantei e fui fazer café, e logo ele colou em mim, beijou meu pescoço, apertou meus seios, acariciou minha bunda, senti ele me encoxar, eu dizia para com isso, ele foi continuando, falou que minha bunda era enorme levantou minha saia e rasgou minha meia calça, eu estava sem calcinha, ele foi abrindo a calça, abriu ninha bunda, e foi enfiando por trás, minha buceta molhada tentava engolir aquele pau enorme e ao mesmo tempo sofria com a grossura dele. Ele falava no meu ouvido “não vou ter pena de você não doutora”, e eu respondi que não queria pena queria era tirar toda a porra dele. Foi quando ele me abriu bem e enfiou fundo na minha buceta, inevitavelmente eu gritei, sorte que não tinha ninguém mas outras salas, mas pedi gemendo ele pegar a almofada. Ele me deu enfiei minha cara nela, eu gemia e gritava nela, eu não resisto me estremeci inteira e fui gozando, ele percebeu e acelerou, gozei muito gostoso, foi quando ele tirou o pau dizendo que ia gozar e eu pedi pra ele gozar dentro, ele adorou e enfiou fundo sentia o calor dentro de mim da sua porra me inundando, e eu achando que ele fosse desacelerar depois de gozar que nada, ele foi passando o dedo por fora da minha buceta que vazava porra e enfiava o dedo no meu cu, eu gemia, ele fazia de novo, lubrificando meu cu com sua porra aí falou que já tinha três dedos dentro de mim era hora do pau dele, ele tirou da minha buceta e sem do em uma enfiada só, enfiou tudo até suas bolas pressionaram minha bunda, e falando “mulher grandona é outra coisa, você aguenta muito pau”. Ele fez de um jeito muito gostoso, tirava tudo e enfiava tudo, dizendo que queria ver ele piscar, eu só relaxava e deixava ele me comer a vontade, com os dedos ele me masturbava forte o puto ia fazer eu acabar gozando de novo, pedi pra ele enfiar fundo sem parar que eu queria gozar, a cabeça do pau dele do entrava bem fundo no meu cu raspava nos dedos dele dentro da minha buceta, e aí não resisti e foi gozando e apertando o pau dele com meu cu. Eu estava com as pernas bambas, ele falou que agora era a vez dele, eu ali de pé ainda, de bunda e cu abertos ele enfiando tudo e tirando tudo, até que ele pediu pra eu abrir minha bunda e obedeci, numa dessas de enfiar e tirar tudo ele falou que meu cu piscou e aí ele foi gozando por fora, mas meu cu estava bem aberto e seus jatos acertaram dentro também, foi aí que voltou a enfiar e aí parecia uma metralhadora, ele não parava , suava muito, e avisou que ia gozar, eu falei “já !?!” Ele parecia um animal. Apesar de ter falado que já ia gozar isso demorou um bom tempo, até que ele gozou bem dentro de mim. Eu estava com as pernas bambas. Abaixei e meu cu e minha buceta pareciam cachoeira de porra. Fez uma poça de porra no chão e melando meus calcanhares. E ele sentou no sofá, foi tirando a roupa e ficou nu, que homem maravilhoso, eu fui tirando a minha, ele estava de pau duro e mandou eu lamber toda a porra do chao. Ajoelhei e fiquei de quatro pra ele lambendo o chao. Era muita porra. E nisso ele já mandou eu ajoelhar não almofada, e eu nem bem coloquei a almofada e voltei a ficar de quadro e ele já estava metendo em mim por trás de novo. Meu Deus ele não cansa. Ele me comeu pela buceta, eu estava bem sensível mas bem excitada. E apesar de demorar eu gozei de novo assim. Mandei ele sentar no sofá, queria mostrar meus serviços horais. Ele estava nu usando apenas meia social azul marinho. Fui de joelhos até ele, vazando porra, mole, mas tirei a meia, e chupei seus pés, chupei seu dedão e ele falou que ninguém nunca tinha feito isso é que foi um tesao gigante, depois fiz no outro pe, chupei cada dedo, e depois fui no seu saco, chupei com gosto e por fim uma deliciosa garganta profunda. Enfiei seu pau inteiro na ninha boca, ele começou a dizer que me amava nessa hora. Olhei e falei que ele ia me amar ainda mais, sentei com meus cu no colo dele, enfiando e tirando o pau inteiro de dentro de mim e depois voltei a chupar. Gosto de pau, curso e porra. Juro que fiquei chupando o pau dele por mais de 20 minutos. Até ele se estremecer inteiro e gozar na ninha pinta e depois enfiar na minha garganta.

Estávamos exaustos. Eu tinha porra no meu corpo todo. Olhei no relógio eram 21hs. Disse que precisávamos parar por hoje. Ele estava com o pau mole inchado esfolado. E disse que nessas condições ele concordava.

Chupei seus pés e vesti sua meia depois. Ele se vestiu. Ele foi embora. Depois eu precisei de uns minutos pra me aprontar. Só depois de muito lenço humedecido que pedi o Uber e fui para casa.

[email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.