Rapidinha Inesquecível

Num desses aplicativos de relacionamento conheci Rafael. Ele era simpático, baixo, cabelo escuro, pele clara e tinha cara de malandro pegador. Marcamos de sair e ele levou um amigo e eu uma amiga. Nos demos bem demais, demos uns beijos e a noite terminou por aí. Umas semanas depois, Rafael me liga perguntando se eu e minha amiga estamos afim de ir tomar umas na casa do amigo dele que os pais viajaram. Eu estava de bobeira e topei, chamei minha amiga arrumamos e ele foi nos buscar. Ela e

Wigo que era amigo de Rafael começaram a se pegar lá e havia mais algumas pessoas. Eu e Rafael estávamos entrando num clima intenso ali no meio da galera, beijos quentes e uns apertos fortes. Ele me levou para um quarto que tinha uma cama de solteiro e era espaçoso e confortável. Me deitou na cama e começou me beijar, Rafael era baixo e também tinha muito fogo. Rafael levanta meu vestido

soltinho e leve com estampa de onça que eu amava pois valorizava meu bumbum e marcava minha cintura, além de me deixar super confortável pois não era colado. Tirou minha calcinha e lá estava minha buceta melada de tanta vontade que eu estava de dar ali mesmo. O quarto era mais distante de onde as pessoas estavam concentradas na casa, então fui sem medo e todos sabiam que a gente já ficava há um tempo tudo normal para nós jovens e alegres. Rafael pegou na minha calcinha e puxou ela de lado e pegou na minha buceta molhada. Eu estava muito excitada e

queria sentir o pau dele dentro de mim. Quando ele tirou pra fora não consegui ver, pois estávamos de luz apagada e escuro o quarto. Senti quando ele me penetrou e era maior do que eu esperava o pau dele, ele não tirou a roupa, tinha que ser uma rapidinha gostosa e assim foi… Ele meteu em mim rápido e sem dar tempo nem que eu dissesse alguma coisa ele disse: ‘Que buceta gostosa” e metia, metia rápido em mim ali com as pernas abertas, de bota de cano baixo com cadarços uma singela

menina noturna da cidade, tarada e dona de si. Eu fiquei ali sentindo Rafael me penetrar e estava gostoso, logo ele disse: “Vou gozar” e assim fez. Rapidinha o bom é que é rápido pra sair de cena. Puxei minha calcinha toda melada e levantei e já estava pronta pra sair do quarto. Ajeitei o cabelo enquanto ele se vestia também. Ele me pegou pela mão e saímos como se nada tivesse acontecido e foi tão natural e isso me traz leveza e a sensação que não fiz nada de errado transar no quarto de um

desconhecido.. kkkk. Os amigos dele continuaram conversando normalmente depois da nossa chegada e isso era bom, não tinha constrangimento de ficarem perguntando nada ou fazerem da nossa chegada um evento. Rapidinha gostosa!

Adorooo sexo e fazer todo dia ao menos uma vez me faz feliz, me deixa leve e me sinto desejada, mas descrição também é o que me dá segurança pra fazer o que for sem qualquer vergonha. Tem que ser natural, coisas armadas não me dão tesão algum e me dá até “pani” que não pareço essa Marie que gosta de gozar e ter um pau dentro de mim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.