Suruba com faxineira gostosa

Olá tudo bem? vou narrar esse delicioso conto erotico no qual tinha uma faxineira gostosa na empresa onde ela tinha um FOGO absurdo e vivia dando em cima da gente até que um dia ela me pegou de jeito e transamos gostoso dentro do arquivo. Depois desse dia ela deu uma acalmada, mas durou uns 15 dias. Ela então voltou a se envolver com todo mundo e pra completar a dona Francisca saiu de férias. A dona Francisca também trabalhava no nosso andar e supervisionava a Zena, mantendo ela na linha.

Ficando sozinha ela trabalhava muito rápido pela manhã e depois ficava doida pra que rolassem sacanagens, e como os rapazes também estavam atiçados o negócio esquentava bastante.
Certo dia, na hora do almoço estávamos todos escovando os dentes quando o “Marcão” o “Wilsão” comentaram que estavam em ponto de bala por causa dela. O “Edi”, o “Agnelo” e o “Alemão” sempre disseram que eram fissurados pela bundinha dela. Aí eu perguntei por que eles não partiam pra cima e todos disseram que tinham medo de alguém ficar sabendo e de não darem conta dela.
Comecei a “botar pilha” que eles eram fracos e tal, e eles se sentiram desafiados. Mas quem seria o primeiro a comê-la ?
Foi então que eu lembrei que ela tinha comentado uma vez que se pudesse ela dava para todos e ainda continuava com tesão, então comecei a tramar um plano para uma orgia.
Notei que ela entrou no arquivo atrás do Alemão. Chamei o Edi e entramos na pontinha dos pés e demos o bote! Ela estava dando “um cheiro” no Alemão e tomou o maior susto. O Edi já foi reclamando que queria também e pra evitar problemas ela deu um cheiro e eu “com ciúme” agarrei ela por trás fazendo um sanduiche. Nessa hora ela entregou os pontos e disse:
– Nossa que delicia! Dois gostosos me agarrando … me deu um tesão danado!
Acendemos o pavio, mas ouvimos alguém entrando no arquivo e a festa acabou. Era o chefe, sr. Arnaldo.
No final daquele dia peguei ela novamente no pulo. Dessa vez ela estava dando uns amassos no Agnelo e eu repeti a cena agarrando ela que já começou a se esfregar na gente por alguns minutos. Enquanto o Agnelo dava uns beijos eu beijava o pescoço dela e ela ficou doidinha.

Quando eu cheguei na manhã seguinte os caras desacreditavam que eu tinha agarrado ela duas vezes e eu disse que ela estava fácil, e que dava para atacá-la. Então combinei com o Marcão e com o Wilsão. Eles foram para o arquivo e ela foi atrás deles, mas eles estavam juntos e ela evitou o contato até que eu cheguei e agarrei ela. Ela começou a rir (como sempre fazia) e eu apalpei a bunda dela. Ela deu um pulo e o safado do Wilsão foi “protege-la” e abraçou ela por trás. Ela sentiu o pau duro dele e enquanto a gente “discutia” (de zoeira) ela se esfregava no pau do Wilsão que estava quase gozando. Quando ela desencostou não deu pra esconder a “barraca armada” e a gente falou “OLHA O QUE VOCÊ FEZ COM ELE”. A safada ainda se ofereceu pra resolver aquele probleminha, depois do expediente. Então todos estavam a um passo de comê-la. Eu então chamei ela e disse:
– Cuidado! Daqui a pouco você vai entrar no arquivo e ser comida por todos.
– Uiiiii … Eu ia amar!
No sábado, eu fui tentar terminar de arrumar o arquivo. Era um sábado de feriadão, com sol então a maioria do pessoal da empresa estava de folga, mas eu e o pessoal da contabilidade estaríamos lá.
Entrei no arquivo e a Zena chegou e me agarrou com vontade e disse:
– Hum, eu estou com saudade de sentir você dentro de mim gostoso!
Mas eu logo avisei que os meninos iriam trabalhar ela ficou triste e eu disse que como não tinha quase ninguém no prédio era melhor ela nem aparecer lá ou o bicho ía pegar. E ela brincou dizendo que seria o máximo mas eu lembrei que estariam todos juntos! Ela ficou bem apreensiva e depois disse que ia trabalhar e sair rapidinho pois ela nunca encarou mais de um.
Os rapazes chegaram e a gente acelerou o processo pra acabar rápido. Ela chegou a passar pelo arquivo acompanhada de mais 2 rapazes da faxina pra ver se a gente precisava de algo. Como ela estava acompanhada, ninguém saiu da linha. Terminamos antes do almoço e eles estavam afim de fazer uma festinha com ela. Então contei o meu plano. Eles passaria, lá no banheiro pra se despedir e depois se escondiam no fundo do arquivo, pra que ela se soltasse achando que estávamos a sós. E assim fizeram, os cinco. Quando o último saiu ela foi rapidinho me pegar no arquivo. Segurei um pouco e fui provocando ela que estava cada vez mais doidinha. Ela ainda estava de uniforme, que era de brim. O clima começou a esquentar e ela tirou a blusa ficando só de sutiã. Enquanto provocava e beijava os peitos dela, enfiei a mão dentro da calça para acariciar a sua xoxota e ela não resistiu tirando a calça também. Só de calcinha e sutiã comecei a apertá-la e ela começou a soltar risadinhas que os rapazes ouviram e entenderam que era a hora do bote. Com o barulho dos ventiladores ela ouvia os passos deles e, então, os meninos deram o bote e voltaram com a desculpa de me chamar pra ir comer uma feijoada com eles. Quando entraram no corredor, pegaram ela só de calcinha e sutiã agarrada em mim. Pela primeira vez ela ficou toda sem jeito e constrangida se cobrindo com as mãos. Eu notei e comecei a ajuda-la, escondendo-a atrás de mim, enquanto eles faziam piadinhas.
Dei uma enrolada pra mudar de assunto e ela começou a voltar a si. Acho que os rapazes notaram e começaram a pegar leve e aos poucos ela voltou a aceitar as piadinhas mais quentes. Começamos então a lançar elogios ao corpo dela, e por mais que ela estivesse “encabulada” ela deveria estar morrendo de tesão por estar de calcinha e sutiã na frente de 6 jovens que a devoravam com os olhos. Ela já não estava tão envergonhada e pra se fazer de difícil disse que ia embora. Estávamos formando uma “rodinha” e como as roupas dela estavam no meio de nós ela veio até o meio e se abaixou pra pegar as roupas no chão, deixando a bunda totalmente a mostra. A galera foi ao delírio. Assovios, gritos de gostosa, delícia, etc. Ela riu e ainda deu uma voltinha provocando e rebolando para os meninos que já começaram a ficar de pau duro (e ela reparou). O Marcão que era bem malandrão disse que ela só passaria se ele pudesse dar um “cheiro” nela e ela topou na hora. Os outros também quiseram. Ela se fez de difícil, mas logo ela foi abraçando um por um. Seus mamilos estavam duros e visíveis, entregando o quanto ela estava excitada. Ao me abraçar eu aproveitei a apalpei a bunda dela com as duas mãos. Em tom de brincadeira ela disse que eu era safado e como se fosse uma rainha disse que tinha desrespeitado ela. O Edi era o último que faltava pra dar um cheiro, e ele disse que era para eu ajoelhar e pedir desculpa. Foi o que eu fiz e ela rindo muito da situação disse que estava tudo bem e virou pra abraçar o Edi deixando a bunda na minha frente. Não resisti e beijei a bunda dela. Ela ficou toda arrepiada e perguntou por quê eu fiz aquilo e eu respondi :
– Se vocês soubessem como é macia, suave e cheirosa também não resistiriam.
Eles começaram a se ajoelhar e pedir para beijar a bunda dela também e ela começou a ficar doida de tesão. O Wilsão, que tinha ajoelhado na frente dela, agarrou a coxa dela com os 2 braços e falou que queria dar um beijinho. O Alemão que estava do meu lado agarrou a outra coxa, encostou o rosto na bunda dela e disse que também queria dar um beijinho. Ela estava arrepiada e assustada mas aceitou e disse que tudo bem. O Edi que ainda estava abraçado nela dei um beijinho no pescoço e ela se derreteu toda e deu um gemido alto.
O Agnelo ainda era o mais recatado e ao ouvir o gemido perguntou se estava tudo bem e ela estendeu a mão até ele, puxou ele para perto e respondeu:
– Está maravilhoso. Nunca me senti tão gostosa, tão desejada e tão beijada. Você não quer beijar o meu corpo também?
E ele começou a beijar o ombro dela, mas ela logo empurrou a cabeça dela pro peito e foi abaixando a alça do sutiã para ele chupar bem gostoso. Minutos depois ela estava sem sutiã e cada um chupava um peito diferente. O Wilsão que estava beijando a coxa, vendo que ela estava entregue passou da coxa para a barriga, depois virilha e chegou na xaninha dela. Com certa dificuldade ele puxou a calcinha pro lado pra poder colocar a língua.
Ainda não era o que ela queria e ela começou a abaixar a calcinha até metade da bunda. Os rapazes logo ajudaram tirando o resto e ela ficou nua. O Wilsão enfiou a língua em sua buceta, O Alemão começou a lamber o cuzinho, o Edi beijava ela com vontade enquanto o Agnelo e o Marcão chupavam os peitos dela. Eram cinco bocas apaixonadas devorando ela e levando ao êxtase. Quando o Wilsão achou o pontinho dela ela gozou loucamente e o Alemão aproveitou pra lubrificar os dedos na xana e enfiar no cu dela. Ela começou a arrancar a roupa do Agnelo e do Edi, e pouco depois todos estávamos nus e de pau duro para ela. Era uma loucura! Pau no cú, pau na buceta, pau na boca e cada vez que ela ficava com a boca vazia gritava bem alto “AI QUE DELICIA”, ou então “ME FODE QUE EU TÔ AMANDO!!!”

Nessa brincadeira ela foi se deliciando e se fartando por quase 2 horas em várias posições. Hora de quatro… hora de lado … papai-mamãe … frango assado … cavalgando … na bunda … e chegou até o momento em que já estávamos exaustos. Foi aí que eu deitei e ela veio por cima deixando a bunda exposta. O Agnelo veio atrás pincelar o pau na bunda dela e ela brincou :
– Será que eu aguento os 2 ? Vocês querem tentar? Mas vamos devagar que eu nunca fiz isso.
Nos ajeitamos e começamos uma dupla penetração. Foi difícil, ela nunca tinha feito mesmo. Mas os outros ajudaram e encaixou legal. Ela pediu pra gente ir com calma mas ela logo se soltou e começou a rebolar como se estivesse dançando nas nossas picas o que fez a gente gozar deliciosamente dentro dela que já não ligava pra nada e gritava de forma louca e escandalosa que queria mais e como num jogo de futebol fomos rapidamente substituídos pelo Edi e pelo Marcão que brincaram muito tempo dentro dela e ela continuava rebolando e pedindo mais até que gozaram e também foram substituídos. Primeiro foi o Alemão que encaixou na sua buceta e logo depois o Wilsão.
Ela estava arrombada mas mesmo assim ela sofreu pra enfiar o pau do Wilsão no cu. Ele era grande e grosso. Ela começou a chorar e dizer que não aguentava. Chegou até a pedir para ele trocar com o Alemão, mas um tempo depois ela aceitou o pedido dele que queria muito comer o cu dela e voltaram a tentar. Ela foi guerreira, fez careta, fez força, pediu pra parar um pouco, gritava baixinho … até que o Alemão gozou. Ela estava exausta pois já tinha derrubado todos os paus duros. Mas faltava o Wilsão então ela se ajeitou de quatro e pediu pra ele ir com calma. Assistimos de perto o pau dele lentamente arrombando cada prega do cu dela, enquanto ela chorava muito. Quando ela enfim sentiu o pau dele inteirinho dentro dela ela enfim soltou um sorriso de alívio e nós vibramos como se fosse um gol que valesse um título.
Ela então levantou a cabeça, empinou a bunda, respirou fundo e disse:
– Tá esperando o quê, seu puto? Me fode logo!
E o Wilsão não perdoou! Socava com força e ela gritava. Ele socava mais e ela gritava mais :
– AAAAAIIIIII, você tá rasgando meu cu. AAAAAIIIIII que gostoso!
E quando ele já não aguentava mais segurar o tesão ela gritou :
– PORRA esse pau tá mais grosso ainda! Goza logo… goza pra mim gozaaaaaaaaaa!
E nessa hora o Wilsão explodiu e urrou como um leão feroz. O Guerreiro caiu e todos vibravam excitados.
A Zena sem forças deitou no chão por alguns minutos, mas vendo que alguns ainda estavam de pau duro, começou a chupar os nosso paus, fazendo a gente gozar em cima dela e deixa-la banhada em porra.
Apesar de jovens, os 6 ficaram exaustos e foram vencidos pela paraibana arretada e guerreira que derrubou todos os paus daquele dia. Depois do feriado retornamos ainda meio enfraquecidos, mas ela estava firme e forte, pronta pra outra.

1 Reply to “Suruba com faxineira gostosa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *