Traindo o meu marido sem querer

Eu sou a Mariana, sou loirinha, olhos castanho, meus seios são do tamanho médio, apesar de terem sidos chupados e amassados, pelos filhos e pelo marido, eles ainda estão bem durinhos e empinados, tenho uma bunda grande e arrebitada, que acompanha as minhas coxas grossas e roliças, apesar dos meus trinta e quatro anos, eu sei que sou bonita e que chamo a atenção dos homens de bom gosto, sou casada

há cerca de dez anos, com um homem que hoje em dia não tem mais aquela potencia na cama, como era á dez anos atrás, aquele tempo sim a minha vida sexual era uma beleza, eu tinha um cacete me fodendo toda hora, era durante o dia á noite ou de madrugada, ele estava sempre montado em cima de mim, eu não achava ruim não, eu adorava porque eu sempre fui insaciável, hoje ele mal da uma trepadinha bem simplesinha e é uma vez por semana e só, ele esta sempre cansado ou indisposto, também não gosta de fazer sexo oral e nem anal, mesmo assim eu aceito a sua decisão e o respeito, nuca pensei em traí-lo, já tive varias oportunidades para trai ló, já levei muitas cantadas, de cunhado, de primos até o meu vizinho já me cantou na cara dura e foi na frente do meu marido, eu fiz de conta que não era comigo e sai de fininho, mas nem sempre da para disfarçar, as coisas vão acontecendo no dia á dia, ai fica difícil segurar.

Eu trabalho numa empresa multinacional e constante mente eu tenho que viajar, para fazer algum curso ou para participar de convenções, promovido pela empresa, conhecer novos produtos á ser lançado, em um desses cursos realizado em Curitiba, eu fui convocada á participar, era um curso com duração de três dias, era um grupo de vinte pessoas, entre homens e mulheres, logo no primeiro dia, notei que um dos participantes, que se chamava Pedro, não tirava os olhos de mim, ele era alto, moreno, porte atlético, olhos castanhos claros, uma barba cheia e bem aparada, muito simpático e atraente, quando fomos almoçar, Pedro sentou-se ao meu lado e começou a conversar comigo, Pedro me deixava bem a vontade, eu percebia que ele me olhava de um jeito diferente, cheio de malicia, no início eu disfarcei mas depois, eu passei a corresponder aos seus olhares insinuantes, Pedro sentava se em lugares estratégicos, para ficar me olhando.

No final do dia quando terminou a aula, subi para o meu quarto, tomei um banho bem gostoso e desci para jantar no restaurante do hotel, depois do jantar me sentei na sala de estar para ver a novela, Pedro chegou e perguntou se podia sentar ao meu lado, eu disse sim fica a vontade, ele se sentou e perguntou, tudo bem com você?
Eu-: sim todo ótimo.
Pedro-: sabe que você é uma mulher muito bonita.
Eu-: obrigada, já me disseram isso.
Pedro-: sabe você é uma mulher muito bonita, vejo que os seus seios são maravilhosos, você tem um lindo par de coxas grossas e bem feitas, você deveria aproveitar mais a sua sensualidade.

Eu-: como assim?
Pedro-: sabe você tem um rosto lindo, seu corpo é maravilhoso, você deveria usar roupas mais sexy, um vestidinho mais curto, para mostrar as coxas, uma blusa decotada, assim você iria seduzir os homens, eles iam adorar poder admirar a sua beleza.
Eu-: quem disse que eu quero seduzir alguém?
Pedro-: todas as mulheres saem de casa, com o desejo de seduzir alguém, só assim elas se sentem bem, você também deveria sentir o desejo de seduzir, ai vai realçar ainda mais a sua beleza, você vai se sentir melhor, vai levantar a sua alta estima, se a sedução vai ser concretizar ou não, isso é outra história.
Aquelas palavras do Pedro, mexeram comigo, eu me senti toda poderosa, ainda mais que eu estava á mais de uma semana sem fazer sexo, no outro dia, eu coloquei um blusa de seda, ela era estampada, transparente e decotada, coloquei um sutiã rendado da mesma cor, uma saia branca rodada, que ficava quatro dedos acima do joelho, quando o Pedro me viu, ele não tirou os olhos de mim, para provoca-lo mais um pouco, eu fui até onde ele estava e me debrucei sobre a mesa, bem na sua frente, fazendo com que o decote da minha blusa se abrisse e permitisse que ele visse todo os meus seios, Pedro regalou dois olhos no meu seio, eu dei um sorriso e perguntei e ai você gostou, ele mordeu os lábios com uma cara de safado e falou que tesão, hoje eu vou te morder todinha, eu me estremeci dos pés a cabeça, voltei pro meu lugar e o Pedro continuou me olhando, ele piscava, passava a língua nos lábios e fazia gestos com a boca, ele me deixou descontrolada, senti um forte tesão tomando conta do meu corpo, os bicos dos meus seios, ficaram duros e bicudos, expondo o meu tesão.
Na volta para o hotel, depois de mais um dia de curso, Pedro me ofereceu uma carona em seu carro, depois de tudo o que aconteceu, eu só tinha que aceitar a sua carona e também, porque eu já estava afim de alguma coisa a mais, quando eu entrei no carro, eu cruzei as pernas, deixando boa parte dela de fora, Pedro não tirava os olhos das minhas coxas, ele começou a me elogiar e falou que realmente, eu tinha mostrado a mulher sedutora que estava dentro de mim, que eu deveria sempre usar aquele tipo de roupa, que meus seios eram lindos, as minhas pernas eram maravilhosas, que se eu fosse a sua esposa ele não iria olhar para outra mulher, ele disse que eu deveria me mostrar mais, para valorizar a minha alto estima, eu percebi que estava sendo cantada, quando ele colocou a mão no meu joelho e desceu a mão em direção a minha bunda, deixando as minhas coxas toda a amostra, para acalmar a sua tara, eu disse que era casada, Pedro respondeu, eu sei, eu também sou casado, mas isso não quer dizer que eu não possa admirar a beleza de uma bela mulher, eu puxei a minha saia no lugar.
Pedro falou deixa assim e novamente ele colocou a mão no meu joelho e deslizou a mão pela minha coxa, até chegar à minha bunda, com aquela mão deslizando na minha coxa, senti um calor correndo pelo corpo, ai eu fiquei com as coxas todinha de fora, Pedro disse, sorte do seu marido, que todos os dias leva pra cama, uma bela mulher linda e gostosa igual a você, um dia eu gostaria de ter esta oportunidade, de ter você deitada na minha cama, pra mim fazer de você a mulher mais feliz do mundo, poder acariciar esse corpo lindo e sedutor, eu só estava ouvindo a minha bocetinha já estava molhadinha, eu não via a hora de chegar no hotel e correr para o meu apartamento, mas logo que entramos no elevador, Pedro me encostou na parede e começou a me beijar, sua língua se enrolou na minha, sua mão entrou dentro da minha blusa e começou a acariciar os bicos dos meus seios, eu já estava molinha, molinha, quando senti o seu cacete duro esfregando na minha perna, quando o elevador parou no meu andar, Pedro saiu abraçado comigo e entramos no meu apartamento, só deu tempo de fechar a porta, Pedro me agarrou pela costa e começou a beijar o meu pescoço, enquanto uma mão acariciava os meu seio a outra entrou por baixo da minha saia e alisava a minha bocetinha.
Eu não queria mais que ele parasse, eu queria mais e mais, me virei de frente pra ele, desabotoei a sua camisa, enquanto ele tirava a minha blusa e a minha saia, Pedro me jogou em cima da cama e tirou a sua calça, veio pra cima de mim e tirou a minha calcinha com os dentes, senti um arrepio no corpo inteiro, quando ele socou a língua na minha boceta e começou a me chupar, em poucos minutos eu tive o meu primeiro orgasmo, ele se deitou de costa na cama e me puxou pra cima dele, minha boceta ficou encaixadinha na sua boca, eu abocanhei o seu cacete, que era bem grandinho e chupei com muito tesão, eu estava me sentindo muito a vontade com aquele cacete na boca, que gozei de novo, depois Pedro me colocou de quatro e socou o cacete na minha bocetinha, aquele cacete entrado e saindo da minha boceta, estava uma delicia meu tesão só aumentava, quanto mais ele socava mais eu queria, gozei mais umas três vezes antes dele socar o cacete no meu cuzinho, primeiro ele deixou bem molhadinho com a sua saliva, depois ele colocou a cabecinha do cacete na entradinha do meu cuzinho e foi empurrando, empurrando, aquele cacete, foi entrando e não parava mais de entra no meu cuzinho, Pedro socava e socava cada socada ia mais fundo, e com mais força, uma mão ele pegava no bico do meu seio e a outra ele acariciava o meu clitóris, aquilo fez com que eu gozasse de novo, quando o Pedro gozou dentro do meu cuzinho, eu senti um rio de porra quente escorrendo dentro do meu cuzinho, nós dois estávamos tão cansados que praticamente desmaiamos um ao lado do outro.
Só acordamos depois de quarenta minutos a cama estava toda molhada de suor e de porra que escorreu do meu cuzinho, tomamos um banho e descemos para jantar, após o jantar nós fomos dar uma volta na praça, para conversarmos um pouco, depois que voltamos para o meu apartamento, vimos que não tinha condições de dormir naquela cama, então Pedro me chamou para dormir em seu apartamento, peguei a minha camisola e subimos para o seu apartamento, mas quem disse que eu consegui dormir, foi só entrar na porta, pra ele me jogar em cima da cama, ai começou tudo de novo, ele já estava com o cacete duro de novo, em menos de quinze segundos, eu já estava peladinha com a língua do Pedro socada na boceta, meu corpo tremia de tesão, Pedro me pegou ………???????

1 Reply to “Traindo o meu marido sem querer”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *