Como fiz meu marido virar bissexual

Marquei depilação para a minha cadelinha. Reservei o último horário no salão da minha cabeleireira e confidente, a Sara. Tudo combinado com ela. Pedi para ele me levar no salão no sábado, as 20hs. Ele até perguntou porque tão tarde, mas foi.
Assim que saiu a última cliente, a Sara dispensou os funcionários, menos o André. Ficamos só nós 4 no salão. Portas fechadas.


Então falei para o Zé:
— Zé, meu amor, sabe porque estamos aqui?
— Lá vem você! O que está armando?
— Vamos depilar você, inclusive o teu cuzinho!
— Ah não! isso não. Você só pode estar brincando
— Não Estou brincando não. Ele vai ficar lisinho.
— De jeito nenhum, isso deve doer demais!
Ai a Sara propôs depilar o meu na frente dele, pra ele ver que não doi. Ele topou e fomos todos para a sala de depilação.
Tirei a roupa, fiquei na posição e então o André entrou. Espantado, o Zé falou:
— O que esse cara está fazendo aqui?
A Sara respondeu:
— Calma, ele é o meu melhor depilador. O único que não faz doer!
Nem deu tempo de nada e o André já estava passando a cera no meu anus, espalhando e puxando. Eu me segurava pra não gritar. Não queria que o Zé achasse que doia. Percebi que o meu maridinho estava excitado de me ver assim naquela posição, toda a disposição do André. No final, ele veio com um creme e falou:
— Boa menina, não reclamou da minha depilação, então vai ganhar creminho.
Ficou ali passando creme hidratante no meu cuzinho e na minha bunda e dava pra ver bem o volume na calça dele.
Assim que terminou, olhei para o Zé e falei:
— Vem amor, é tua vez
Eu e Sara nos sentamos lado a lado, num lugar que podiamos observar tudo. O meu maridinho tirou toda a roupa e deitou de bruços. O André colocou um suporte em baixo, pra deixar a buda arrebitada e abertinha. Fiquei louca de tesão vendo tudo aquilo. O Zé ajeitava a pica, porque devia estar meio dura. André começou passando um lenço umedecido, depois lambuzou com creme e em seguida limpou. So de fazer isso, ouvi os gemidos baixinhos do meu maridinho gostoso. A Sara apenas falava:
— Quando isso acabar, você vai querer voltar toda hora.
O André é bem sacana e acariciava bastante o Zé, pedindo pra ele ficar relaxado. Eu percebia o André muito excitado. O pinto dele mal cabia na calça. Eu e a Sara também estávamos loucas. O Zé abria a bunda o máximo que podia. O safado estava adorando aqueles carinhos na portinha do cuzinho, então não resisti e falei:
— André, pode enfiar um pouco. Essa cadelinha adora um dedo no cu!
André colocou só um pouco do dedo. Foi o Suficiente para o Zé soltar um gemido alto e longo. Era a primeira vez que estava recebendo um dedo que não fosse meu. Ele estava em transe! O André falou baixinho:
— Se você está gostando assim, espera até ficar lisinho!
Então fez o procedimento de depilação e claro que o Zé gritou e até deixou escorrer algumas lágrimas, mas o resultado ficou maravilhoso. Veio então a parte do creme hidratante. André colocou uma generosa dose e começou a espalhar. Quanto mais espalhava, mais o Ze empinava e se abria. Eu e a Sara não estavamos mais aguentando tanta tesão e tiramos nossas calcinhas. Eu comecei a me masturbar e ela fazia o mesmo na outra poltrona. Ver o André alisando o cuzinho do meu marido estava me deixando maluca.
O Zé estava entregue e então percebi que podia seguir um pouco mais. Fui até o André e abri a calça dele. Deixei cair a calça e a cueca. Claro que ele é completamente depilado. Zerado. Com um pau fantástico, cheio de veias, cabeça bem destacada e bem avermelhada e muito, mas muito dotado. Me deu até vontade de mamar, mas o objetivo era outro.
Quando o Zé viu aquilo e sabia que estava com o cu todo lambuzado de creme hidratante, logo achou que seria enrabado, mas também não era o que eu tinha tramado. Então falei para o maridinho quase Bi:
— Amor, ele não vai comer teu cu, é só para vc dar um agrado pra ele, já que foi tão bonzinho com vc!
— ahhhh uhhhh aahhhh o que é um agrado?
Ele respondeu gemendo igual uma puta!
Então, puxei o Andre pela mão, posicionei na frente do Zé, que ainda estava deitado de bruços e segurei o caralho do Andre, levando até a boca do meu maridinho! Fiz ele abocanhar pela primeira vez um pinto de verdade! Duro, grande, quente!
A Sara estava louca se masturbando e gemia igual uma cachorra no cio. Eu segurava aquela vara maravilhosa com uma mão e enfiava na boca do Zé. Com a outra mão eu me masturbava como louca também.
Assim que percebi que o Zé não reagia mais e já tinha abocanhado toda a rola, soltei e mandei o Andre enfiar com gosto! Ele fazia movimentos como se estivesse fudendo uma buceta ou um cu, mas era a boquinha do Zé, que as vezes até engasgava. Então me posicionei atrás dos dois e comecei a massagear o cu do meu maridinho. Super lisinho!!!! sem nenhum pelo! e totalmente lambuzado de creme. Mandei o André fuder a boca do Zé. Ele fazia com gosto. metia sem dó!
A Sara gozou com gritos que podiam ser ouvidos a distância.
E quando percebi que os dois estavam prestes a gozar também, soquei o dedo no cu lisinho do Zé até o fundo. Foi uma explosão de gozos! O André enchendo a boca do meu maridinho de gala, o próprio Zé lambuzando toda a maca e eu com meu gozo escorrendo pelas pernas!
Fui até o rosto do Zé, beijei a boca dele cheia de porra e falei:
— Agora além de meu maridinho, você é minha cadelinha quase totalmente Bi!!!
Fomos embora e nesse mesmo dia, o Zé me comeu a noite inteira na nossa cama e meu dedo e lingua viajaram muito no cu depilado da cadelinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *