Esposa perfeita que gosta de foder

Otávio fazia tudo o que a sua mulher pedia. Quando Amanda ordenava cozinhar lasanha para o jantar, lá ia Otávio comprar os ingredientes. Se ela mandava podar os crisântemos na sacada do apartamento, o esposo obedecia. Até assistir partidas de futebol feminino o marido se submeteu para agradar Amanda.

Porém, eis que em uma noite, os lábios da mulher proferiram um desejo que Otávio se recusou a cumprir.


– Espera aí, você quer que eu bata punheta assistindo um anão vestido de ursinho Puff comendo o teu cu, é isso?

Amanda, ostentando um sorrisinho de Monalisa, concordou que sim. Otávio, de pau mole diante da tal proposta, saiu da cama e foi para a sala assistir alguma coisa na Netflix.

– Ah Tavinho. Vai ser legal, aceita, vai.
– Nem que a vaca tussa e depois assobie o tema principal de Star Wars eu aceito uma bizarrice dessas. – O marido falou.
Foram 4 noites ouvindo Amanda insistir no assunto. Na quinta noite Otávio pediu o divórcio.

Três meses depois

Morando em uma pequena casa num bairro de Porto Alegre, Otávio estava a experimentar algo que ele deixou de fazer quando tinha 21 anos: ser solteiro.

A vida solitária não era tão ruim quanto ele temia. Otávio tinha mais tempo para planejar projetos futuros, cagava de porta aberta e, quando tinha vontade de comer uma boceta, sabia onde encontrar as melhores putas.

Em um sábado de tarde, Otávio estava no quintal capinando um espaço para preparar uma horta. De repente, ele percebeu que a enxada tocou em um objeto duro sob a terra. O sujeito suspeitou se tratar de uma pedra. Porém, duas enxadadas depois ele aferiu que era uma pequena caixa de madeira enterrada.

Ele tirou a caixa do local. O objeto era do tamanho de uma caixa de sapatos. Ela não estava lacrada. Otávio até pensou que, caso a abrisse, encontraria ali um crânio, ou dedos decepados, quem sabe os olhos de alguém ou pior: um disco do Roupa Nova. Que nada. O cara se deparou com peças de um quebra-cabeça.

Sem disposição nenhuma para capinar sob o sol quente e movido por uma reles curiosidade, Otávio decidiu montar o quebra-cabeça. Vinte peças unidas mostraram a imagem de uma mulher. Mais trinta peças mostraram uma linda moça nua e de seios formosos. Por fim, com o quebra-cabeça montado, o solteiro contemplou uma das morenas mais gostosas que os olhos dele já tiveram o prazer de ver.

O mais impressionante ocorreu em seguida: as peças unidas se transformaram em uma mulher de verdade. Assim, em cima da mesa da cozinha, as primeiras palavras que Otávio ouviu dos lábios da recém-nascida foram:
– Me fode, vem.

O cidadão nem ousou questionar como tudo aquilo estava ocorrendo. Com o pau tão duro quanto o cabo da enxada ao lado da mesa. Ele pulou sobre a fêmea e a fodeu com vontade.

A moça ficou ali por mais dias, morando sob o mesmo teto do homem que a encontrou. Apenas três sábados depois, enquanto fodia o cuzinho da nova esposa, Otávio lembrou de perguntar se ela tinha nome.

A moça disse que não sabia, mas avisou que poderia chamá-la Nasdaq.
– Eu estava assistindo na TV alguém falando sobre investimentos e então achei legal esse nome. – Ela explicou. E assim ficou.

Mas eis que em uma noite, após uma chupada capaz de fazer Otávio ejacular um oceano de porra, Nasdaq falou:
– Querido, o que você de bater punheta enquanto me vê sendo enrabada por um anão vestido de ursinho Puff.

Otávio esbravejou, bateu o pé, disse não, nunca, jamais.
Nasdaq, irritada, saiu nua pela rua afirmando querer morrer. Assim, tal e qual um zagueiro surpreendendo um centroavante, ela pulou na frente de uma Ford Ecosport.

A moça, mais uma vez, foi reduzida a pequenas peças de um quebra-cabeças devido ao impacto. O motorista, sem compreender o ocorrido, apenas pisou no acelerador e desapareceu entre as esquinas escuras.

Otávio, com lágrimas nos olhos, juntou o máximo de peças que conseguiu, mas a maioria foi espalhada pelo vento ou destruídas pelos pneus do automóvel.

Três semanas depois

Otávio conheceu Letícia em um site de namoro. Ela, estudante de enfermagem, loira e dona de uma bundinha deliciosa, era de libra com ascendente em gêmeos, dizia que o Grêmio necessitava de dois laterais e adorava comida japonesa. Ela combinava perfeitamente com Otávio.

Mas um dia, por WhatsApp, ela pediu:
– Quero que você bata uma punheta enquanto me assiste sendo enrabada por um anão vestido de ursinho Puff.

Otávio gritou e cogitou pular na frente da primeira Ford Ecosport a aparecer naquela rua.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.