De marido a corno

Já havíamos acertado como seria realizar a fantasia de cuckold submisso através do grupo no zap. Lisa e eu chegamos ao motel um pouco antes, tomamos banho, ela vestiu sua lingerie, um conjunto vermelho com calcinha fio dental, espartilho e uma camisola curta e mandou que eu fosse me arrumar. Com a corda fina, amarrei meu pau e as bolas, deixando um nó para que ela pudesse apertar mais caso fosse seu desejo. Me deitei na cama, com a cabeça para a beirada, Lisa amarrou pulsos e tornozelos nas colunas laterais, me deixando preso em Xis. Me vendou e me deu um longo beijo de língua antes de colocar a gag na boca; logo em seguida senti outra corda sendo presa em meu pau, que foi puxado para baixo e preso aos pés, deixando meu pau apontado para cima e me fazendo tremer de esão quando passou a mão no pau de cima a baixo, depois a língua e perguntou “quer gozar safado?” Me enchendo de tesão, quando ouvimos nosso companheiro chegar, ela riu e levantando da cama avisou “hoje só eu e João vamos gozar, e você é meu corninho escravo”…

Ouvi ele entrar, indo para o banho quando lisa sentou em meu rosto esfregando a buceta na gag, exalando o cheiro de tesão dela ao mesmo tempo que passava a lingua em meu pau, brincando de engolir, parando, esfregando com força a buceta na minha cara e logo ouvi ela dizer “tira a toalha e ajoelha aqui”, logo atendida por ele, que se colocou diante dela entre minhas pernas e logo sentia o rosto dela esfregar por meu pau para engolir e chupar gostoso o convidado – Lisa tem uma chupada maravilhosa, e ele já gemia, quando Lisa apertou minhas bolas com a mão e puxando para baixo, que me fez gemer alto com a buceta dela na cara.

Logo ouvi ela pedir “mete”, quando ele se levantou e veio por trás, Lisa sentada em minha cara, ele se ajoelhou por trás pegando firme na cintura dela, senti o pau dele roçar minha testa e o gemido dela quanto o pau entrou em sua buceta melada; começaram devagar, metia e tirava, ela se ajeitava em cima de mim para receber melhor o pau do amigo e logo os dois estavam atracados, como bichos, num vaivem de tesão, eu sentido o cheiro de sexo intenso, ela pedia “mete, mete pro corno sentir eu gozar” e logo a senti tremendo no gozo, gemendo alto e o amigo avisando “vou

gozar na sua bunda puta” e gemeu alto e com as maos abrindo a bunda dela disse “deixa escorrer pro corno sentir”, quando ela então voltou a esfregar a buceta na minha cara, deixando a porra dele e o gozo dela em meu rosto melado….logo os dois levantaram, me deixando lá na cama, cheirando sexo e ou ouvi indo para a ducha, onde não compreendia a conversa, apenas ouvi os risos e a água, depois a volta dos dois, o abrir de uma cerveja o barulho de corpos se esfregando no sofá e a voz dela dizer “tesão”….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *