Eu, a professora de Muay Thai e uma aluna

Professora de Muay Thai – Raissa ( 35 anos ): Loira não natural, branquela, 1,55 de altura, encorpada, bundao, peitos médios, estilo bruta, lábios carnudos e poucas espinhas na Buchecha.

Aluna – Alana ( 25 anos ): loira não natural, cabelos mais longos que de Raissa, bundao, peitão, branquela, 1,55 de altura, usa aparelhos, lábios carnudos.

Eu pratiquei artes marciais durante 9 anos da minha vida. Só o Muay Thai, 5 anos.
Tudo começou, quando meu antigo mestre abandonou os tatames para cuidar do filho recém nascido que nasceu com uma doença incurável, com isso, automaticamente, eu tbm parei.


Fiquei parado por aproximadamente 2 anos até ouvir falar de uma academia q tinha acabado de abrir aqui no bairro.
Academia top de linha.
Soube q lá estava tendo aulas de Muay Thai com uma professora, então decidi fazer uma aula experimental no mesmo dia.
Raissa era uma ótima professora, foi uma aula experimental muito boa.
Ao começar a aula, eu reparava q professora e Alana trocavam olhares, eu até pensei q eram namoradas. A princípio, eu cheguei tímido, sem puxar muito assunto, analisando tudo direitinho…
Professora Raissa era bem bruta, mas era muito educada e gostava muito de conversar com os alunos.
Pela academia ser nova, ainda não haviam muitos alunos.
Haviam 5 apenas. Só quem tinha experiência era eu, a professora e Alana.
No final do treino, Raissa me chamou para conversar a respeito da minha vida como ” lutador “, pois eu tinha dado um resumo a ela antes de começar a aula.
Ela e Alana participaram dessa ” entrevista ” super descontraída e bacana.
Ficamos ali umas 2 horas pós treino conversando a respeito desse mundo das lutas.
Raissa havia se interessado muito no meu estilo de luta.
Eu estava me controlando ao máximo ali na frente das duas.
Duas beldades daquela com aquela pele branquela suadinha na minha frente…tava foda ficar ali daquele jeito.
Depois de um bom papo, disse a Raíssa q iria me matricular, pois havia gostado muito do jeito q ela dava aula.
Então comecei a frequentar 3 vezes na semana no horário da noite.
Conforme os treinos foram passando, eu e a galera, incluindo Alana e Raissa, ficávamos mais próximos e mais comunicativos.
Em uma quarta feira, eu decidi tomar banho no vestiário q havia dentro do Dojo, pois eu ia sair direto para outro lugar.
Só havia Raissa lá, pois já haviam todos ido embora. Eu gosto de tomar banhos mais demorados, principalmente depois do treino para poder relaxar os músculos.
Eu tava super excitado debaixo daquele chuveiro. Meu pau tava duríssimo e eu curtindo a vibe, até q a professora Raissa, achando q o vestiário estava vazio, entrou e se espantou quando me viu lá dentro. Ela havia entrado tão suave q eu nem havia escutado.

R – porra, xander… Q susto, fdp
Eu – porra digo eu, bicho hahaha nem ouvi vc entrando.
R – haha eu não sabia q tomar banho te deixava tão animado ( falando do meu pau q estava duro )
Eu – pois é hahahaha
R – relaxa q eu só vim pegar uma chave aqui no armário.

A gente não ligou com a situação, pois a gente havia construído uma intimidade enorme ali, inclusive achei q ela fosse lésbica, pois pensei q ela e Alana fossem namoradas.

Meu pau já não estava tão duro, estava meia bomba, aproveitando a situação, comecei a puxar assunto com Raissa q, logo veio até a cabine q eu estava e lá ficou me olhando.

Eu – e então, Raissa. Vc e a Alana são namoradas ?
R – q nada. A gente começou a ficar ontem.
Ela é muito gata.
Eu – porra !! Nem fala, mano. Não tem como não olhar.
R – tá louca. Fico doida com ela.
Eu – tu curti só mulheres ?
R – eu não. Eu curto tudo!!! Em.. mudando de assunto, aparece lá em casa amanhã. eu e a Alana vamos fazer um treino e depois relaxar na piscina. Gostaríamos q fosse.

Eu – claro, Po. Sabadão !!
R – ótimo. Aparece lá às 9 da manhã.
Eu – vlw, prof.
R – beijão, xander. Até .

Depois do banho, fui até meu compromisso normal, pensando naquele convite.
Pqp, mano. Raissa e Alana com roupas de banho na minha frente. Depois do meu compromisso, fui para casa, eu estava exausto e logo fui deitar.
Botei o despertador para as 7:30, para não atrasar amanhã.
Assim q amanheceu, o despertador tocou, eu acordei e fui tomar uma ducha rápida.
Quando deu 8 horas, eu recebi uma mensagem da professora Raissa no meu ZAP perguntando se eu ja estava vindo.
Havia dito q já estava pronto esperando dar a hora, mas ela disse para eu ir mais cedo.
Peguei meu material de treino, botei nas costas dentro de uma bolsa e fui.
Casa dela não era muito longe, dava para ir a pé. Ela morava sozinha.
A casa era bem pequena, porém confortável e com um quintal top com piscina.
Tinha acabado de chegar lá e fui recebido por ela.

Eu – e aí, profe. Tranquilo ?
R – fala aí, seja bem vindo. Pode entrar !!

Alana já havia chego, veio até minha direção e me deu uma abraço carinhoso.

R – vamos começar o treino então. Vocês dois, podem por as luvas q a gente vai aquecer diferente hj.

Começamos a aquecer com sequências de golpes rápidos e sem parar.
Para mim, estava tudo muito excitante. As duas com roupas apertadinhas e eu com short fino folgado. Alana estava começando a suar bem gostoso. Aquele suor percorria do pescoço até os peitos.
Aquela pele branca, gostosa… Estava me levando a loucura. Nada muito sensacional ocorreu durante o treino. Depois de 1 hora e 30 minutos, o treino havia acabado.

R – sensacional, gente. Acabou treino por hj. Agora vamos relaxar.
A – graças a deus hahahahaha
Eu – porra… Nem fala. Suando muito.
A – tira essa camisa, xander.
R – é, xander… Pode tirar. Estamos em casa. Tem frescura com a gente não.

Demos um abraço triplo. Tipo aqueles abraços de comemoração de final de treino. Missão cumprida.

R – boa, meus guerreiros.
Eu – foi bom pra crlh.
A – bora marcas mais como esses.

Estávamos com os rostos bem pertos um do outro. Enquanto falavam, eu sentia aquele hálito quente, gostoso, com aquele cheiro leve de suor q suas peles exalavam…
Depois do abraço, nos afastamos e as meninas começaram a tirar suas roupas e ficar só de roupa de banho.
Cara, estavam de fio dental mostrando aquelas bundas maravilhosas e carnudas.

R – xander, aqui, a gente toma banho sem roupa nenhuma. Então pode tirar tudo, até as cuecas.

Para minha surpresa, elas tiraram tudo. E eu, no calor do momento, tirei rapidamente a bermuda, mostrando meu pau linsinho, sem pelos e meia bomba.

A – tem alguém animado aí ? Haha
R – q nem ontem no banho, quando peguei ele de pau duro dentro do vestiário.
A – vc viu ele de pau duro ? Hahahaha
Eu – sim hahaha me deu um susto do carlh.
A – ah, se ela viu a cabeça eu tbm quero
R – não cheguei a ver nada haha ele não botou a cabeça pra fora.

Nisso, estávamos nos encaminhando para a piscina. As duas entraram e eu fiquei sentado na beirada .
Elas começaram a se beijar dentro d’água como duas cadelas no cio. Aquele beijo tesudo. Aí não tinha como, meu pau ficou duro pra crlh.

Eu – vem cá. Vem ver a cabeça vem.

As suas pararam de se beijar, vieram até mim, botei a cabeça do pau pra fora, Alana abocanhou meu pau de uma só vez, enquanto Raissa sentou ao meu lado e me beijou incansavelmente. Alana chupava tão bem, nem parecia usar aparelhos no dente.
Eu só ouvia Alana falar:

Alana – nossa !! É tão grosso.

Raissa logo parou de me beijar e se juntou a Alana. Ela chupava de um jeito bruto, forte, firme.. pqp.. melhor chupada q levei até hj.
Alana levantou, começou a me beijar com muita baba. Ela me pegou pela mão , me posicionou, ficou de quatro e mandou eu meter firme na bucetinha dela.
Realmente era uma bucetinha bem pequena e apertada. Meu pau entrava apertado. Sensação boa.
Raissa saiu da piscina, deitou na grama de frente a Alana q logo começou a chupar Raissa bem gostoso. Só metia e estocava forte. Alana era sensível demais. Gozou umas 3 vezes no meu pau. Enquanto eu estocava, o cheiro da buceta dela subia.
Cada minuto era uma estocada mais forte.
Aquele rabo branco com o buraquinho do cu bem rosinha.. parecia q nunca havia levado rola. Raissa estava se contorcendo com o primeiro orgasmo dela. Ela segurava os gritos. Depois do gozo, ela foi se recuperando e eu estocando mais gostoso em Alana, q rebolava no meu pau, olhava pra trás e piscava. O rabo dela já tava vermelho de tanto tapa q eu tinha dado.
Eu tinha diminuído o ritmo na buceta da Alana e logo tirei meu pau e me levantei.
Botei as duas de joelhos e comecei a dar uma sessão de tapas na cara delas.

R – bate, vai !! Mais forte, lutador. Quando mais bate, mais eu fico safada, vai.
A – gostou da minha buceta ?
Eu – gostei !!
A – eu dei direitinho ?
Eu – deu !!
A – então bate forte na minha cara, porra.

5 tapas bem dados na cara de cada uma.

Eu – e vc, vagabunda ? ( Raissa ), tá esperando oq pra me dá essa buceta ?
R – esperando meu lutador pedir.. deita no chão, deita ???

Deitei no chão, Raissa encaixou sua buceta no meu pau e Alana sentou com sua buceta na minha cara. Enquanto eu chupava uma, comia a outra, as duas se beijavam q eu só conseguia escutar o estalo dos beijos.
A buceta de Raissa tava muito apertada .
Meu pau entrava bem apertado. Não demorou muito pra entrar tudinho até o talo. Ela quicava demonstrando vigor e agilidade.
Suas pernas não cansavam.
Alana a mesma coisa. Suas pernas só se cansaram quando chegou ao 4° orgasmo do dia. Gozou na minha boca. Raissa gozou poucos minutos depois. As duas estavam sem forças nas pernas e caíram pro lado.
Eu deitei do lado delas.
Alana começou a chupar meus peitos, enquanto Raissa engolia meu pau como quem esperava o gozo.
Não demorou muito para eu anunciar meu gozo e jorrar na boca e na cara de Raissa q aproveitou o máximo .
Raissa veio em direção a Alana e compartilhou meu gozo com ela. As duas beberam e Alana ainda limpou o rosto de Raissa. As duas me encararam e disseram.

A – gostou, amor ?
Eu – porra !! Vcs são foda.
R – era isso q eu queria ter feito ontem no vestiário. Kkkkkkkk

Depois daquela foda de respeito, fomos tomar um banho de piscina todos nus e felizes.
Nos beijando em beijos triplos com muito tesão.

Umas 2 horas depois de tomar banho, trocar carícias e falar mais da vida um do outro, Alana disse q iria ligar a churrasqueira elétrica.
Eu e Raissa concordamos, pois estávamos cheios de fome.
Eu e Raissa fomos fazer companhia para Alana enquanto ela preparava a carne.
Tinha um mine espaço gourmet lá fora.
Eu e Raissa sentamos na cadeira enquanto Alana ficava em pé de costas para a gente.
Raissa, do nada, começou a alisar meu pau q logo ficou duro.
Ela, q estava com o rosto apoiado ao meu ombro, olhou pra mim e disse bem baixinho:

R – quer meu cu ? Come por favor .
Eu – claro, puta. Tudo de vcs !!!

Se ajoelhou e chupou meu pau dando aquela lubrificada. Alana viu e disse:

A – vcs não valem nada em hahaha Jajá me junto a vocês.

Raissa cuspiu e deixou meu pau bem babado, cuspiu na mão, passou no cuzinho e se sentou de costas pra mim. Diferente da bucetinha, no cuzinho entrou mais fácil.
Deu uma sentada q já tava todo talo lá dentro.
Raissa deu um grito de dor com prazer.

R – aaaaaaaah.
A – tá dando o cuzinho, bebê ?
R – tooooo.

Raissa começou a quicar com violência, o banco era resistente, então foda-se.
Eu pegava pela cintura e sentava ela com mais raiva ainda.

R – vai, BB. Me maltrata, vai !

Foram 10 minutos de sentada q me fez anunciar o gozo.

Eu – eu vou gozar, porra.

Alana, veio na fome, Raissa saiu de cima, Alana se ajoelhou e abocanhou meu pau.

Eu – aaaaah, aaaaaaaaah, tô gozando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.