Meu Afilhado Safado Me Comeu Na Cama do Meu Marido

Oi meus amores, tudo ótimo com vocês ? Já que vocês gostam muito das histórias com meu afilhado, hoje vou contar a primeira vez que transamos na minha cama.

Quem ainda não leu minhas história com meu afilhado, tem três antes dessa, entrem na minha lista que lá tem, a primeira “Meu Afilhado me Comeu nas Férias em Família” a segunda é “Meu Afilhado Me Comeu de Novo” e a terceira “Meu Afilhado Me Comeu Escondido na Festa em Família, e Ainda Teve Uma Surpresinha No Quarto Escuro.” Leiam antes depois voltem, vão gostar, voltando aos fatos.

Disk Sexo

Depois do que aconteceu no sítio, eu perdi totalmente o controle da situação com meu afilhado, o que já era perigoso antes, ficou ainda mais depois do fato.

Ele me ligava horário de serviço falando da saudade, a noite comigo em casa correndo riscos de alguém ver.

Apesar de eu conseguir aprontar e esconder as coisas por muito tempo, ninguém nunca ficou tão em cima de mim assim, porque eu sempre deixei bem claro, sem ligações e mensagem, quando pudesse eu mesmo chamava, então sempre foi tranquilo.

Acho que por ele ser parente e conhecer todos da minha família, ele tinha mais liberdade, transavamos quase todo dia, confesso que era ótimo fazer sexo com ele, mas essa insistência me deixava muito receosa e com medo de ser descoberta.

Até que um dia, ele me falou, madrinha, nos já transamos em praticamente todos os lugares, mas tem um lugar que eu ficaria louco se fizesse, e parou me olhou e deu uma encarada e uma risada bem safada, na hora eu me liguei e falei, nem vem, não começa que isso daí e sem chance, tá doido ? Ele só me falou, é mesmo ? Veremos então.

Durante a semana seguinte nos vimos pouco, tive alguns problemas na empresa, então eu estava tendo que parar mais tarde e não tinha como chegar ainda mais tarde em casa, ele como sempre não parava de me mandar mensagem e me ligar falando da saudade que estava.

No sábado ele me ligou, perguntando se eu poderia sair com ele de tardinha, falei que não daria, porque já tinha um compromisso com a minha irmã, iríamos tirar o sábado para andar no shopping e fazer compras, eu não contei pra ele o porque não daria pra não insistir muito, apenas falei que sairia com a Helen.

Ele me perguntou sobre o domingo, eu falei que meu Marido iria ao estádio porque tinha jogo do Cruzeiro, mas que eu estava cansada pela semana estressante e queria descansar um pouco sem sair de casa.

No sábado depois do serviço, fui ao encontro da minha irmã, fomos ao shopping delrey, andamos muito e fizemos umas comprinhas básicas, colocamos os segredinhos em dia rsrs.

Mais tarde fui pra casa, assisti uns filmes a noite e nada de receber nenhuma mensagem ou ligação, até estranhei, mas tudo bem.

Domingo acordei mais tarde, fiquei curtindo cama até umas 10horas, meu marido já tinha se levantado, quando tem jogo do Cruzeiro ele fica mais elétrico, ainda mais agora que o time está essa draga, vai para passar raiva rsrs.

Depois eu levantei, e fiz uma lasanha rapidinho, ele sempre almoça e já saí para o jogo para beber antes na “concentração” segundo ele.

Quando já estava quase pronta, toca o interfone, meu filho tinha passado o sábado fora, achei que fosse ele, que sempre perde a chave do portão.

Quando atendi, era meu afilhado, eu abri e ele entrou, não acreditei que ele tinha vindo, até porque ele nem tinha me avisado que viria.

Meu marido abriu a porta, e ele entrou, perguntou se meu filho, Lucas, estava, que tentou falar com ele, e não conseguiu, achou que poderia estar em casa, meu marido falou que não, que tinha saído no sábado e ainda não tinha voltado, provavelmente só chegaria domingo a noite, como sempre.

Meu marido então chamou ele para almoçar, que eu fazia comida e já estava quase pronta, ele perguntou, o que tem pra comer aí padrinho ? Meu marido falou, lasanha, ele, nossa meu prato preferido, faz muito tempo que não como a lasanha da senhora madrinha, me lembro que comia sempre que passava o final de semana aqui.

Deu que eu terminei e sentamos a mesa para comer, meu marido disse que só iria almoçar e sair, porque tinha jogo do Cruzeiro pra ir passar raiva, Julio zuou ele que o time estava uma merda, e foi aquela gozação no o almoço todo.

Assim que terminamos, meu marido falou que iria sair, Julio disse que iria também, meu marido fala, fica aí menino, Jajá o Lucas deve tá chegando aí, aproveita e faz companhia pra sua madrinha, faz muito tempo que você não fica aqui domingo, acho que era isso que ele estava esperando, e falou, é mesmo né, vamos colocar o papo em dia né madrinha, eu concordei, já sabendo o que iria acontecer ali.

Gente é incrível, só de saber que eu tenho 1% de chance de transar com ele, eu fico ensopada, é fora do comum o tesão que eu tenho por esse garoto.

Assim que meu marido saiu, ele esperou só o barulho do portão bater, ele, bora colocar o papo em dia madrinha, já foi me agarrando pela cintura, beijando a minha boca, me colocou sentada no armário da cozinha do lado da pia.

De maneira que ficamos encaixadinhos, do jeito que eu gosto, ele lambia meu ouvido e falava, não estava cansada, safada ? E já vai me encaixando assim ? Eu, pra você nunca estou, me pega do jeito que só você sabe, delícia.

Ele me juntou pela bunda, me trouxe ainda mais pra perto dele, e engolia a minha língua, enquanto me apertava toda, bunda, peito, do jeito que eu gosto, adoro homem com pegada que me engole toda, me chupa o corpo todinho, não tem coisa melhor.

Ele falava no meu ouvido, não pude te comer direito no sítio, mas hoje vou acabar com a senhora.

Me pegou no colo e foi me levando pro quarto, eu falei, você é doido, se alguém chegar não vamos ouvir, aqui da cozinha ou na sala é melhor, ele, foda-se, quero te fuder na sua cama, fazer com você o que o padrinho nunca fez nessa cama, com ele falando desse jeito eu não aguento, me entrego todinha pra ele.

Com isso subimos, chegamos lá ele me jogou na cama, foi subindo em cima de mim, voltando a me beijar toda, me deixou toda marcada, eu passava um aperto quando transava com ele, não podia usar decote por um tempo, deixava meu “colo” todo vermelho, e meu peito também, de tanto chupar, de tanta vontade que ele tinha de me engolir.

Depois ele passou pra minha bucetinha, e falou, nossa madrinha, que saudade eu tava de sentir seu gosto, ele chupava, brincava com meu grelinho, enquanto enfiava, um, dois, três dedos dentro de mim, depois colocava a língua, brincava com ela lá dentro, e voltava pro meu grelinho.

Sua chupada era tão gostosa, tão intensa, que eu gozei gostoso em sua boca, com ele me segurando pelas coxas e me prendendo com a boca no meu grelinho, não tem coisa melhor, eu como sempre tremi todinha, me contorcia toda segurando ele pela cabeça.

Quando eu gozo assim, fico mais apertada, e seu pau demora mais pra entrar em mim, ele queria que eu chupasse seu cacete, mas eu queria era ser possuída, falei, me come meu menino, me arromba gostoso, eu tô apertadinha do jeito que você gosta, ele passou só saliva, começou a forçar, doeu como sempre, um pouco mais que o normal, mas eu queria demais aquilo, me arreganhei toda e falei, come sua madrinha bem gostoso meu lindo.

Ele foi forçando até entrar, quando entrou tudo dentro, ele deitou sobre mim, sentir aquele corpo musculoso, todo durinho em cima de mim, não tem coisa melhor, ele ficou me beijando parado, com tudo dentro, eu comecei a apertar seu pau com a buceta, ele começou a pulsar dentro de mim, nossa eu me sinto completamente preenchida quando ficamos assim, é perfeito.

Ele então colocou as duas mãos na minha cabeça, pra me segurar, e começou a meter, devagarinho, rebolando bem gostoso, nos dois juntos em um só movimento, era demais, dar pra ele assim, na minha cama, nunca pensei que isso fosse acontecer.

Depois ele tirava até a cabeça e colocava tudo, do jeito que só ele sabe fazer, do jeito que eu amo, comecei a gemer mais alto, esqueci que podia chegar meu filho a qualquer momento, só queria dar, só queria ser a sua puta.

Ele começou a aumentar no ritmo, a me fuder com força, comecei a sentir seu pau ir fundo, isso me deixa sem ar, eu perco até o fôlego para gritar, de tanto tesão que eu fico.

Essa posição assim é a que eu gozo mais rápido, sentindo seu pau entrando com tudo, bem fundo, e roçando no meu grelinho, eu não demorei nem 5 minutos pra gozar de novo, não tem pessoa que consegue me fazer gozar tanto igual ele, sabe como me fuder, sabe como me tratar na cama.

Depois de gozar gostoso e voltar a contrair a bucetinha, ele me colocou de ladinho, fala que é muito gostoso me comer assim, que que eu fico ainda mais apertada que o normal.

Ele me segura pela bunda, me enche de tapa, na bunda, na cara, depois coloca um dedinho na minha boca e me manda chupar, e pergunta, adora dar a buceta chupando né vagabunda, eu, adoro.

Ele passa a socar mais forte e mais fundo dentro de mim, me xingando, me chamando de safada, vagabunda, do jeito que eu gosto.

Depois ele levanta, me pega pela cintura e me coloca de quatro, eu abaixo a cabeça e coloco na cama, fico só com a bunda pra cima, ele fala, nossa é gostoso demais ver essa bunda assim empinadinha pra mim, olha essa buceta toda arrombada, toda vermelha, olhada o estrago que eu fiz na senhora, e sentava o tapa com toda força, dos dois lados, vou deixar minha marca na senhora, vai ficar a marca da minha mão dos dois lados, nessa bunda branquinha, MINHA PUTA.

Me deixou toda ardida e marcada, começou então meter em mim, bem forte, bem fundo, me segurando pela cintura, fazia aquele barulho de ar cada vez que ele socava aquela anaconda grossa em mim.

Não demorou muito, eu gozei de novo, com ele me fudendo com toda força, eu não conseguia parar naquela posição, de tão bamba que eu fiquei, ele teve que me segurar para não cair na cama.

Depois ele falou, desse jeito eu não aguento, vou ter que fuder esse cuzinho gostoso, olha só, pisca pra mim, eu dei algumas piscadinhas, ele, tá vendo, isso é seu cuzinho me pedindo pica, ele foi e começou a enfiar, um, dois dedinhos, pra dar uma leve abridinha, mas isso, com ele não adianta muito, é muito grosso, como a gente não podia perder tempo, ele chupou gostoso meu cuzinho, lubrificou seu pau com saliva, e começou a me penetrar, nossa doeu demais, mas eu queria muito também.

Depois de tanto forçar, passou a cabecinha, e logo depois o resto, não demorou muito, já estava tudo dentro de mim, ele fica paradinho quando entra tudo, depois que eu acostumei, comecei a rebolar, ele, nossssaaa a senhora é puta demais, que isso, eu ri, uma risada bem safada, bem piranha mesmo, ele enrolou meu cabelo na mão, eu falei, soca vai, soca forte.

Ele começou a arrombar meu cuzinho, socava com muita força, eu berrava, e pedia mais, você tá me arrombando seu cavalo, mete a sua puta mete, ele socava sem pena, sabia que estava sendo completamente arrombada, mas não tinha coisa melhor do que isso.

Ele me batia mais ainda, adorava sentar o tapa na minha bunda, e quanto mais ele batia, mais eu pedia, mais eu rebolava, mais marcada eu ficava, era bom demais.

Depois de um tempinho dando o cuzinho de quatro, ele deitou na cama, eu sentei gostoso naquela piroca, mas não sentei com a bucetinha, queria mais no cuzinho, sentei até entrar tudo dentro de mim, cavalguei com vontade, subia até a cabecinha e descia até ele entrar bem fundo, com vontade, com força.

Ele gemia gostoso, depois eu sentei e fiquei com ele todo dentro, só rebolando pra frente e pra trás, enquanto piscava o cuzinho e engolia seu pau todinho.

Era gostoso demais, ele me mandou tombar pra trás e forçar na perna dele, eu fiz isso, ele então começou a meter, forte e muito rápido, nossaa eu gemia demais, entrava muito fundo, ele me arrombava demais assim nessa posição.

Depois eu deitei sobre ele, com o pau ainda no meu cuzinho, comecei a sentar de novo, enquanto o beijava, mas eu sentava com tanta vontade, que ele avisou que iria gozar, eu intensifiquei a sentada, quiquei com toda a força, com todo o tesão estava.

Não demorou e nós gozamos juntos, ele encheu meu cuzinho de leite, bem quentinho, gozou muito dentro de mim, foi muito gostoso, ficamos nessa posição nos beijando, enquanto sentia seu pau diminuindo dentro de mim, então ele saiu e seu leitinho também, corri até o banheiro e peguei papel para limpar todo aquele leite que caiu nele, nossa foi muito mesmo, quase caiu na cama, mas eu limpei tudinho e joguei no lixo.

Depois saímos e fomos pra sala, ligamos a TV e o jogo estava no final, o safado me comeu de novo no sofá, me fez sentar de novo, mas dessa vez, quis comer minha buceta, eu cavalguei de novo, engoli aquela anaconda todinha com a bucetinha, cavalguei como se não tivesse dado a 10 minutos atrás.

Ele me colocou de quatro no sofá, me puxou pela cintura, me levantou, começou a apertar meu peito, enquanto não parava de meter, eu queria gozar, ele parou me deitou, veio por cima de novo, eu o abracei, arranhei ele todinho.

Não demorou e gozei de novo, ele continuou metendo até me encher de leite, gozou dentro da minha bucetinha dessa vez.

Eu levantei rápido e deixei cair no chão, fui na cozinha e peguei papel toalha, limpei e joguei de novo no lixo, depois disso ficamos no sofá, namorando, ainda matei a minha vontade e fiz uma chupeta bem gostosa naquele pau delicioso.

Foi maravilhoso meus amores, nunca pensei que daria assim pra ele na minha cama, espero que vocês tenham gostado, comentem aí o que acharam, gosto de ler os comentários de vocês.

3 Replies to “Meu Afilhado Safado Me Comeu Na Cama do Meu Marido”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *