Pegamos a loira cavala

Como de costume, todo final de ano viajamos para um lugar diferente e colocamos nossas fantasias em ação. e esse ano não foi diferente, porém resolvemos um lugar mais “tranquilo.
o destino foi Goiás – Caldas Novas em um resort.
só que dessa vez um casal nos acompanhou, dividimos o mesmo apartamento, eles nem imaginam nossas fantasias e loucuras, pós são muito reservados em relação a sexo.


enfim, um ótimo desafio para nós dois.
Erick sempre muito reservado e discreto, eu? não consigo me controlar muito kkkk, Erick fica puto e quando me pega com raiva, eu adoro. mas sempre com muito respeito.
dos 5 dias que iríamos ficar, 3 já passaram, e rolou muita coisa, plug anal na piscina, boquete no elevador, punheta na sauna, cavalgada silenciosa de madrugada, sexo no estacionamento do show da Maiara Maraisa, com direito a gozada na minha cara(depois conto). mas nada era muito novo pra gente, apesar de delicioso. ainda procurávamos algo a mais.

no penúltimo dia, resolvemos ficar mais de boa. então descemos para a área das piscinas cobertas e ficamos no ofuro relaxando. eu, Erick, o casal de amigos e um casal muito bonito que já estava lá.
por incrível que pareça, a minha bucetinha piscou quando viu aquela loira maravilhosa que saiu da água, vestida com um micro biquíni que estava até o fundo daquela bunda linda, lisa e maravilhosa. me surpreendi, pois nunca quis ou senti algo por outra mulher, eu amo rola.

os meninos não conseguiam disfarçar, e com razão. ela era linda e gostosa.
por sinal, o marido dela já estava bêbado e logo a abandonou, puxou uma cadeira de descanso e dormiu ali na beirada.
os dedos do Erick entravam ora na minha bucetinha, ora no meu cozinho. tudo muito discreto por baixo d’água, meus mamilos não disfarçava o quanto eu estava exitada. conversa vai, conversa vem, começamos a falar de sexo, namoricos antigos, coisas da adolescência. percebi que a loira ficou só espiando de rabo de olho, dava algumas risadinhas. e ela estava gostando. logo revelei que Erick sabia como

ninguém usar a língua e os dedos, e que orgasmo era muito comum de ter inclusive squirt. eu não tirava o olho da loira e ela não tirava os ouvidos do nosso papo, logo percebi os mamilos dela saltados no biquíni. sim, ela estava excitada tambem kkkk. então tive um plano e fiquei com um baita tezao só de imaginar, eu queria aquela loira, eu queria me esfregar nela, eu queria Erick fodendo ela, assim como ele me fode. como eu sei que ele não iria aceitar, bolei uma estratégia. pedi para ele buscar algumas bebidas para nós, e lógico ofereci para a mulher que estava na minha mira, que por sinal, se chama Júlia. ela aceitou, pediu uma caipirinha bem forte. os

meninos foram e deixaram só as meninas lá, puxei conversa com Julia, papo bobo, sem malícia. ela não aguentou e disse que sentiu inveja quando disse que eu tenho orgasmos. então brinquei, dizendo que se ela pagasse bem, eu emprestava o Erick, com algumas condições. todos rimos, ficamos vermelhas e mudamos de assunto. mal sabia que eu aceitaria até de graça kkkk.

os meninos voltaram com as bebidas, o nosso amigo chamou a namorada para ir para a sauna, deixando só nós 3 e o dorminhoco. antes de Erick entrar de volta, pedi para que buscasse meu celular no quarto, e disse em alto e bom som o número do quarto, olhando para Júlia com maldade e fogo no rabo, ela desviou o olhar toda sem graça. deixei Erick se distanciar e me levantei, me sequei e fui atrás, andando lento, torcendo pra ela ter entendido o recado. assim que cheguei no elevador, finalmente ela chegou atrás, nervosa, vermelha e curiosa.

perguntei se ela topava uma coisa diferente, ela engasgou e disse que sim. nessa hora minha buceta piscou, nunca tinha sentido isso por outra mulher. apesar de estar animada, fiquei com receio de Erick não aceitar. porém valia o risco. toquei a companhia do quarto enquanto meti a língua na boca da loira, queria surpreender Erick, e foi o que aconteceu. ele abriu a porta e ficou cego, paralisado, com a rola dura feito pedra enquanto via aquela cena, não deu tempo de recusar. 2 gostosas se beijando e totalmente pra ele. entramos e fomos tirando as roupas e fomos pra cima dele, minha buceta pingava, eu estava a ponto de gozar. só que não para por aí, me levantei e perguntei para Júlia se ela já havia sido dominada na cama. ela respondeu negando. olhei para Erick com maldade e ele entendeu o recado imediatamente.

saímos os dois da cama, deixando-a deitada nua, e pedimos para ela relaxar. enquanto Erick buscava nossa bolsa como nossos acessórios, aproveitei para relaxar com aquela deusa, não resisti e cai de boca naquela buceta que estava pulsando e toda vermelha, acho que era tezao. Erick me deu uma venda que logo coloquei nela, me certifiquei que ela estava sem ver nada e logo iniciei um 69 magnifico, esfregando minha buceta na cara dela, enquanto chupava sem dó aquele grelo pequenininho e vermelho dela.

enquanto Erick se encarregava de amarrá-la com nossas cordas. primeiro as mãos, impedindo ela de tocar qualquer um de nós ou si mesma, ela refugou algumas vezes, mas nada que um belo chupao no grelo para convencer uma mulher.
Júlia se contorcia e a respiração estava cada vez mais acelerada, logo percebi seu cuzinho piscando, ma minha cara. sim, ela havia gozado, na minha boca, e eu suguei o seu mel todinho, nunca imaginei que era tão bom.

não resistindo a toda aquela cena, Erick me agarrou pelo cabelo e sem dó meteu seu rola na minha boca me fazendo lacrimejar e dar ancia de vômito, mas eu amei, me senti uma putinha bem suja, enquanto esfregava minha buceta na cara dela.
ela ainda não havia tocado nela, então me virei pra ela ficando de 4, bem empinada, chamando Erick pra entrar bem no meu fundo, enquanto perguntei bem no ouvido dela, se ela queria ser fodida como uma putinha. ela balançou a cabeça afirmativamente. enquanto Erick socava sem dó na minha buceta, fazendo as bolas baterem forte no meu grelo que estava grande e pulsando.

algumas estocadas foram suficientes para eu gozar a primeira vez, ficando com as pernas bambas.
Erick então tirou o pau da minha buceta e começou a pincelar o grelo dela, com o meu melzinho deixando a toda meladinha. ela se contorcia, tentava fechar as pernas, sendo impedida ou Erick e por mim, que brincava com aquela buceta, pincelando, metendo só a cabecinha, dando batidas no grelinho dela. que implorava para ser penetrada. Erick resistiu, como sempre, deixando uma mulher implorando por pica.

como eu estava “fora” da brincadeira, peguei meu vibrador, o pênis de borracha e meu plug e estava brincando sozinha.
Erick vendo que eu estava querendo participar, logo me pediu pra ajudar. com o plug, o vibrador…
ele pegou Julia, ainda amarrada e a virou de costas, colocando ela toda empinada de 4. mais uma vez ele foi pegar alguns acessórios, dessa vez um separador de pernas e alguns óleos lubrificantes e para sexo anal.

ele a amarrou, impedindo dela poder fechar as pernas mantendo aquele rabo descomunal todo aberto, sedento por pica. ele então a penetrou na buceta com uma estocada só, que entrou bem fácil pois ela estava toda melada. não segurando o grito, mordeu o travesseiro para abafar, enquanto Erick dava estocadas firmas e fundas, ele abria a bunda dela e eu preparava aquele cozinho para ser preenchido. primeiro um gel anestésico, Erick abria cada vez mais aquele cuzinho, que já piscava sem parar, peguei o plug, o envolvi com lubrificante e coloquei naquele cuzinho guloso, que entrou com muita facilidade. fazendo a buceta dela ficar apertada, Erick aumentou a velocidade, socava forte, rápido e com veracidade. Julia gritava, minha buceta piscava de inveja, Erick então soltou um urro, e encheu aquela buceta de porra.

Erick me pegou pelo cabelo, do jeitinho que eu gosto, delicado e com firmeza. me deu um beijo ardente e pediu para chupar aquela buceta toda gozada, eu obedeci. Erick tirou a rola que estava atolada, e aquela buceta jorrava porra quente, e eu cai de boca. sensação estranha, porém gostosa. enquanto isso Erick chupava o meu cozinho e dedilhado minha buceta que implorava pela vez dela.

o fogo não apagou, só havia acendido mais. Erick então me pediu uma calcinha de biquíni pata vesti-la, ela ainda amarrada, Erick pegou meu pinto de borracha, mete fundo na buceta dela, pegou um vibrador e colocou no grelo dela, que pulsava. então vestiu a calcinha de amarrar, enquanto ela estava preenchida por completa e o vibrador trabalhava no grelo dela, o plug no cuzinho e uma rola de borracha na buceta, fomos tomar um banho rápido. nós beijamos, nos lavamos, e voltamos para a cama, Julia foi desamarrada, ela estava exausta, com a buceta inchada porém não tinha acabado ainda.

Erick sentou na poltrona e pediu para Julia sentar por cima, encaixando a buceta naquele pau que ainda estava duro, Erick então começou a movimenta-la, abrindo aquela bunda enorme, ele tirou o plug e me entregou o pênis de borracha, enquanto abria mais ainda aquele rabo. eu entendi o recado, melhor aquela peça de lubrificante e meti tudinho no rabo dela, enquanto Erick a movimentava lentamente, ela deu um gemido alto, mas não resistiu. e logo ela pediu para ir mais rápido, ela queria gozar sendo penetrada por duas rolas. ela sentava, um metia no rabo dela Erick mordia os mamilos. não demorou para ela gostar as pernas tremeram e ela foi parar na cama, tendo um orgasmo como nunca teve antes. não perdi tempo e subi naquele mastro, melado de gozo dela. cavalguei sem dó, revezando na buceta e no cuzinho. Erick gozou pela segunda vez, enchendo meu rabo de porra. que sensação maravilhosa, aqueles jatos quentes no fundo da minha bunda. eu gozei!
caímos exaustos na cama, suados, satisfeitos.
conversamos por alguns minutos, trocamos contatos, agradecemos pela experiência e Julia pelo orgasmo que nunca havia tido, demos o plug de presente para ela.
então ela se lavou, vestiu sua roupa e foi embora.

já marcamos de nos encontrar novamente, sem o dorminhoco do marido dela saber. foi a melhor viagem das nossas vidas.
ficamos o resto o fds mortos, doloridos , sem conseguir trancar. mas valeu a pena.
Julia até mandou um foto para relembrar como o cuzinho dela ficou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.