A Dentista e seu paciente

Esse diagnostico, me foi dado por um paciente, que nem era meu. E eu o atendi. Por não ter achado justo, a forma como o mesmo foi tratado, pelo outro profissional
Repassei o meu WhatSsap, pedindo que o mesmo, me enviasse um oi e passaria o contato da minha amiga. Sou muito cuidadosa com os meu pacientes. Ao chegar em casa repassei o contato. E informei a minha amiga, da situação dele. No outro dia eles se comunicam, e o mesmo comunicou-me da conversa.

Minha amiga solicitou raio x, ele enviou. A Suzy identificou, no primeiro momento que não seria problema no implante e sim na prótese. Repassando-o para sua sócia. Que dias depois o atendeu, colocando um provisório. E devido a pandemia. Os laboratórios odontológicos, não estão trabalhando.

Durante nossas comunicações, por telefone, formos tendo a distância, uma certa afinidade. E o mesmo, em uma de nossas conversas. Disse, eu ser linda. Havia tido a impressão de que além de linda, transmitia uma certa insegurança ou timidez. Falei que realmente no dia que o atendi eu estava insegura.

E a cada conversa nossa, ele vai me descrevendo. Desarmando os meus escudos, e a cada desarme vai me envolvendo. E por saber disso, busco fugir, passando dias sem mandar mensagens e ele por educação não insiste. Se eu ficar sem respondê-lo, ele não envia, uma outra mensagem.
Fazendo com que, eu não o esqueça. Ele sentiu em mim uma certa carência, bem como falou, eu ter uma sensualidade natural e bastante aguçada. Faltando-me trabalhar a mesma. Pois seu eu unir meu talento a arte de seduzir. A tendência será eu crescer, tanto profissionalmente, como mulher.
Falei, que gostaria muito de trabalhar isto em mim. No momento que falei. O mesmo, disse que em três messes me transformaria numa nova mulher.
Segura, sedutora e intensa.
Aquelas palavras ditas, mesmo à distância, até hoje estão em minha memória.
O mesmo garantiu-me que conseguirá alocar-me, em alguma unidade de saúde, assim que essa pandemia passar.
Adoro conversar com ele. Entretanto, confesso, que me sinto levada por ele. E pra ampliar ainda mais, a certeza que tenho. De ontem pra hoje. Tive um sonho erótico com ele.
No sonho, o atendia de vestidinho, executando todos os protocolos de segurança. Só que, as vezes para fazermos tal procedimento, involuntariamente, encostei meus seios em seu braço, percebendo, que ele o movimentava minimamente. Dando-me um prazer enlouquecedor. Ao concluir o trabalho, continuei aproximando mais, o meus seios, do braço dele. Que ao perceber, vai ponde a mão dele, por baixo do meu vestido, entre minhas coxas. E Com o polegar, vai movimentando por cima de minha calcinha. A minha vagina. Imediatamente vou fechando as coxas, pra não perder aquela sensação, aquele gozo delicioso que tive, mesmo que em sonho. Acordei meladinha e contei pra Julia, pra que a mesma, eternize meu sonho, em seus contos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.