Gozei no pau de meus primos

Meu nome é rebecka, moro em Curitiba, tenho 18 anos, sou descendente de alemães, sou bem branquinha,olhos azuis, seios médios e empinados, sou magra, mas estilo gostosinha, modéstia a parte, no colégio sou cortejada pelos marmanjos, sou baixinha, 1:55 de altura, 50 kilos bem distribuidos, uma bundinha gordinha e minha raxinha é o que mais acho bonito em mim, é toda rosada e com pelinhos branquinhos da cor de meus cabelos.

Achei legal este site, pois podemos narrar fatos reais de nossa vida sem preocuparmos em sermos identificadas.

O que vou narrar aconteceu-me realmente, foi o ano passado,quando fui á casa de meus tios em Campos do jordão-SP, estava muito frio, fui recepcionada pelos tios e por meus primos gêmeos Marcelo e Renato, a última vez que nos vimos tinhamos 6 anos de idade e eramos franzinos, várias vezes tomamos banhos juntos, pois éramos inocente e não tinhamos vergonha.

Meus peitinhos eram do tamanho de jabuticabinhas e seus pipis eram pequeninos.

Relembramos isso e rimos muito, meus 2 primos ficaram homens muito bonitos, corpo sarado, uns tesões.

Ficaram cobiçando-me dizendo que tinha ficado um tesãozinho de mulher e o assanhado do Marcelo perguntou-me se tinha namorado, disse a ele que não, que dedicava a maior parte do tempo a meus estudos, pois pretendia prestar vestibular.

Marcelo não tinha namorada, o Renato namorava uma morena muito bonita.

Marcelo convidou-me para sair, fomos ao shopping, divertimos muito e no retorno para casa, ele foi até um bosque, estava deserto e encostou o carro ao lado de uma árvore e sem cerimônias agarrou-me e beijou-me, tentei empurra-lo mas ele era muito forte e correspondi ao seu beijo, começou a alisar meus peitinhos, colocou a mão por baixo de minha camiseta, afastou meu sitien do lado e começou a acaricia-los, os bicos de meu seio ficaram rijos de tesão, tirou a mão dali e foi até meu jeans, desabotoou e desceu o ziper e quando colocou a mão dentro de minha calcinha e raspou o dedo em sua entradinha, senti arrepios, estava enxarcada de tanto tesão, aquele menino que brincava comigo quando criança tornara-se um homem e gostoso, num impulso peguei sua mão e tirei dali, fitei seus olhos e disse que não queria.

Ele voltou a me beijar e com a maior cara de pau, pegou minha mão e pôs sobre seu pênis que estava duro e comecei a alisa-lo por sobre a bermuda que usava.

Ele então tirou-o pra fôra e peguei-o, estava durissimo, pulsava em minhas mãos era enorme e grosso, a cabeça vermelha e mais grossa que sua base.

Comecei a punheta-lo vagarosamente e ele pediu para penetrar minha bucetinha, disse a ele que não, pois era virgem.

Ele passou a mão em minha bundinha e pediu para alojar seu pau colossal em meu cúzinho, falei que ele deveria estar louco, aquilo não caberia ali.

Ele insistiu muito, disse que faria com carinho, que me achara um tesãozinho e que queria ser o primeiro a tirar meu cabacinho.

Beijou meu pescoço e ai resolvi aceitar, mas disse a ele que apenas tentariamos e que se doesse ele deveria parar.

Despiu-me, deixou-me nua em pêlos, começou a chupar meus peitinhos, desceu por minha barriguinha, alojou-se em minha bucetinha chupando-a gostoso, meu fogo se acendeu, gemia baixinho de olhos fechados, estava uma delicia.

Ele então arreganhou minhas nádegas e começou a lamber meu cúzinho que não tinha experiência de entrada só de saída, se podem me entender.

Rebaixou o banco e colocou-me de quatro, pegou uma camisinha vestiu em sua ferramenta enorme e grossa e começou a pincelar em meu furinho e começou a penetrar bem devagar, só de senti-lo encostar, psicologicamente já comecei a sentir dôr e quando entrou a cabeça grossa não teve jeito, não aguentei e pedi-o para parar.

-Aiiiiiiii, Marcelo!

-Pare por favor, tá doendo muito!

-Você tá me machucando, ta doendo!!

Marcelo então tirou seu pau, beijou minha bunda, virou-me e carinhosamente passou a lingua nas lágrimas que desciam de meus olhos e pediu-me desculpas por ter machucado-me.

Voltamos para casa e fui tomar um banho, sentia uma pequena dor na portinha dos fundos, passei bastante sabonete e deixei bastante água quente cair sobre minha bunda e escorrer por meu reguinho, aliviou-me.

Fui até sala, Marcelo estava sentado no carpet e encostado sobre uma poltrona, assitia um filme no DVD, estava enrolado em um cobertor, pois a temperatura caiu muito, perguntei por seus pais e ele disse que haviam saido e só voltariam tarde e Renato estava com a namorada em seu quarto.

Ele convidou-me para assistir ao filme, abriu uma garrafa de vinho e ficamos enrolados no cobertor e já tinha tomado uns 3 copos de vinho e senti que já estava ficando alta, fiquei relaxada e desinibida, sou fraca para bebida.

Ele então abraçou-me e começou a beijar-me, e nos intervalos de nossos beijos, disse-lhe que estava chateada por tê-lo decepcionado.

Ele disse que não tinha problema que não adianta forçar a barra.

Tomei mais um copo de vinho e ai me soltei, nossas linguas começaram a se enrolar, abaixei sua bermuda e juntei aquela piroca enorme na mão, endureceu toda em minha mão, desci até ele, passei a lingua em sua base até sua cabeça, chupei a ponta e abocanhei, mamava e chupava gostoso, estava fazendo-lhe uma louca chupeta, como uma putinha, efeito dos cálices de vinho, seu pênis era quente e pulsava em minha boca e quando senti que começara a inchar, tirei a boca e novamente fui até sua boca e comecei a beija-lo loucamente, ele desceu sua mão, abaixou meu pijama e minha calcinha até o joelho e começou a massagear minha bucetinha, acelerei a punheta apertanado seu pau, minha bucetinha enxarcou-se em seus dedos que roçavam meu clítoris e forçava a entrada vaginal, nossa respiração começou a ficar ofegante, sentia seu hálito esbofado em minha boca, apertei seus dedos com minhas coxas e gozei alucinadamente e senti seu corpo estremecer e derramou jatos de esperma por seu canal seminal molhando toda minha mão e sua blusa, meu tesão era muito forte por aquele macho, desfiz de meus ideais e resolvi me entregar a ele e ali, mas fomos obrigados a parar, pois parou um carro no estacionamento de sua e casa e começou a buzinar, eram os pais da namorada de Renato que vieram pega-la, pela cara de Renato eles haviam cortado sua fôda com sua namorada, verifiquei que estava com o pau duro de tesão.

Levou-a até lá fora, voltando logo a seguir e pegou-nos beijando e dando uns amassos, disfarçadamente veio e com segundas intenções, pois sentiu o clima,disse se poderia assistir ao filme conosco, para não dar na cara dissemos que poderia.

Então fiquei ali no meio dos dois tesões, ofereceram-me mais um copo de vinho e fiz a besteira de beber, ai a coisa pegou fogo, não parecia que era aquela recatada e tímida menina virgem de 16 anos, comecei a beijar Marcelo, tirei sua blusa e comecei a mordiscar os bicos de suas tetinhas, Renato sentindo a sacanagem rolar solta, levantou minha blusa e começou a beijar e morder minhas costas, meu tesão se acendeu, minha bucetinha virgem pulsava de vontade, em pouco estavamos todos nús, seus paus eram idênticos grossos e enormes, abocanhei o pau de Marcelo e Renato começou a chupar meus peitinhos e mordiscava as pontinhas tesas de seus biquinhos, descendo logo a seguir para minha raxinha.

Estava uma loucura e não aguentando mais gozei na boca de Renato, derramando meu suquinho em sua lingua, ele agora passou a lamber meu cúzinho que piscava sem parar o safadinho, senti que Marcelo iria gozar e parei, apressadamente, Marcelo pegou uma caixa de camisinhas que estava ali do lado, o safado já tinha tudo preparado e acho que havia combinado com Renato, vestiu em seu cacetão, deitou-me no chão e abriu minhas pernas, chegando meus joelhos até meu queixo, apontou seu pau na entradinha de minha xaninha, deitou seu corpo gostoso sobre mim, colou sua boca a minha e começou a penetrar-me vagarosamente soltando o peso de seu corpo sobre mim, senti sua cabeça entrar e arrebentar meu himem, descabaçando-me, dai pra frente com a lubrificação, ela engoliu-o todinho, alargando as paredes vaginais e começou um frenético entra e sai em mim, Renato masturbava-se ao lado, comecei a rebolar como uma cobra e Marcelo acelerou o entra e sai, minha bucetinha fervia sendo penetrada por aquele mastro duro e quando senti seu corpo estremecer sobre mim, seu pau inchou e pulsava forte em meu interior, estava ejaculando, cravei minhas unhas em suas costas e gozei gostoso, como nunca havia gozado antes, nossas respirações estavam aceleradas, Marcelo saiu de mim e deitou-se ao lado para descansar, olhei para Renato, estava numa acelerada punheta, seus olhos brilhavam e não me fiz de rogada, peguei uma camisinha e dei para ele que rapidamente vestiu em sua rôla grossa, abri minhas pernas e verifiquei que havia sangue nos pelinhos brancos de minha bucetinha, produto do estouro de meu cabaço, fui e sentei em seu côlo e comecei a beija-lo também e não deu tempo nem de me excitar, senti ele gemer alto e gozar também e desfalecer no sofá.

Deitei-me no carpet e fechei meus olhos relaxando-me, passaram-se uns 20 minutos e Marcelo voltou a procurar-me, queria mais, começamos a nos beijar e nos acariciar-mos, vesti outra camisinha em seu pau e recomeçamos, agora eu por cima dele, seu pau entrou agora com facilidade e rebolava sobre ele, quando comecei a acender-me novamente, senti a lingua de Renato lamber meu rêgo e meu cúzinho, empinei minha bundinha para facilitar-lhe as lambidas, ele pegou e vestiu uma camisinha em seu pau e encostou em meu cúzinho, pensei em parar com aquilo naquele momento, mas meu tesão era muito forte, estava me sentindo uma putinha sujinha e rampeira e isto me excitava muito, beijei a boca de Marcelo e fui sentindo explodir meu cabacinho anal, parei de rebolar no pau de Marcelo e fiquei esperando Renato alojar sua ferramenta em meu traseiro, deslizou arreganhando meu ânus, dilatando meu canal anal e meu esfincter, sentia minhas preguinhas dilacerarem-se, chegou até o fundo, tirou um pouco e começou um vai e vem devagar, a dor era insuportável, perdi meus 2 cabacinhos em um dia, que loucura!!!

Meu esfíncter acostumara-se com a grossura de seu pau e comecei a sentir um certo tesão com aquilo, meus gritinhos de dor e prazer eram abafados pelos beijos de Marcelo, comecei a rebolar, ora na pica de Marcelo, ora na pica de Renato que alargava e estufava meu cúzinho, começaram então o descabaço final, aceleraram forte, senti espasmos fortes, quando os paus se encontravam lá dentro e esfolavam as paredes de meus buraquinhos, tremores percorriam por meu corpo, aquilo começou a ficar mais quente e senti algo que nunca havia sentido com minhas masturbações, meu coração disparou, parecia querer sair pela boca, arrepios percorreram cada cm de meu corpo, estava ardendo em brasa e explodi num orgasmo alucinante, sentindo meus dois garanhões urrarem e estufarem suas camisinhas de leite quente, sairam de mim e abraçamo-nos e relaxamos, meu cú e minha bucetinha estavam ardendo mas felizes, não poderiam querer mais, foram deflorados por cacetes deliciosos.

Tomamos uma ducha abraçados e fiz uma gulosa para os dois recebendo jatos de pôrra fervendo em minha garganta.

Durante os outros dias que fiquei ali, meus tios não saiam do pé, mas a noite eles iam até meu quarto e chupava-os e era chupada por eles e derramavamos nossos líquidos do amor e depois de jurarem para mim que sempre transavam com camisinhas, dei meu cúzinho para os dois, primeiro foi Renato, introduziu acabando de estourar meu rabinho e inundou-me com seu esperma, logo após recebi Marcelo que acabou de fuder com meu cú arregaçando-o, gozei enlouquecida no pau dos dois.

Foram as duas semanas mais gostosas de minha vida, viciei-me em dar o cúzinho e com meu namorado atual não tem bucetinha(só casando) só dou o rabinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.