A encoxada que me tornou chifradeira

Oi pessoal. Sou a Nadya, Enfermeira, 31 anos, 1,50 e 50 kg, loira, seios medios e bumbum durinho e arrebitado, cabelis até a altura da cintura e muito fogosa. Casada a tres anos, e contando com o meu casamento tinha tido até então, quatro homens na minha vida, hoje sei que nenhum deles tiveram pegada comigo, foram relações sexuais digamos, morna, que quase sempre me dexavam insatisfeita. Sei disso após esse lance que aconteceu comigo na Unidade de Saude da Familia onde trabalho.

Sou a Enfermeira coordenadora de uma das tres UBS da minha pequena cidade de 7 mil habitantes, e na minha equipe de trabalho tem.os Agentes Comunitarios de Saúde ( ACS), são 6 ACS, sendo duas mulheres e quatro homens. Os homens são tres jovens entre 22 e 24 anos e um mais velho de 53 anos, mulato, alto cerca de 1, 80 forte mas com uma barriga de cerveja, muito competente e responsável. Dos quatro ACS é o unico que realmente tem aquele cheiro de macho mesmo, os outros são bem jovens mas ainda imaturos.

Meu casamento de tres anos seguia normal, meu marido até que me procura sempre, mas é fraco e sem criatividade na cama, só mesmo o papai e mamãe e chupa meus peitos parecendo um bb, umas chupadas fraquinhas, com 15 minutos incluindo as preliminares e pronto, ele giza e dorme e eu acabava o meu gozo me masturbando.
Essa equipe de ACS trabalha comigo desde 2019, mais ou menos na mesma época que casei, e com o tempo vamos ficando mais soltos no trabalho e ficando a vontade. Depois de um ano, passei a perceber o ACS coroa, seu jeito educado e sério nos

compromissos, e sempre que ia se repirtar a mim, o seu perfume começou a mexer comigo, tentei fugir ao máximo de sentir algo, pois ambos casados e ele nunca demonstrou nada nesse aspecto, mas sua presença começou a mexer comigo e a me excitar quando via ele andando em minha direção e, instintivamente olhava para direção do seu membro e imaginava o tamanho e grossura. Até que um dia aconteceu…

Eu estava dando umas instruções para a recepcionista e ele estava tambem na recepção, foi pegar alguns papeis na impressora, mas o papel da impressora havia acabado e ele precisava buscar um pacote no depósito para abastecer a impressora e pra isso teria que passar onde eu estava, que era um espaço apertado, e ele me pediu licença e eu disse que ele podia passar, mas não sai, então ele vêio e passou me encoxando, e quando estava bem atras, segurou sutilmente pela cintura e sussurrou em meu ouvido ” me desculpe, não resisti a esse bumbum durinho”, nossa senti o

pau duro e grande dele forçar rapidamente minha bunda, senti pulsar e ele saiu… meu Deus, que tesão me deu, senti minha bucetinha molhar na hora, senti quente e gelado ao mesmo tempo, os biquinhosdo seios apontaram na hora, a recepcionistas olhou meio sorrindo, pois percebeu tudo, mas fingiu não ver. Isso aconteceu numa sexta, quase na hora de acabar o expediente na UBS. Fui para minha sala com a buceta melada, disfarcei, pois uma outra Acs me chamou e acabei ezquecendo daquilo.

Cheguei em casa e fui tomar um banho e no banho me masturbei pensando no ACS coroa. A noite meu marido me procurou e só serviu pra me deixar mais acessa. Passei o final de semana me masturbando direto pelo tesão da encoxada. Sentia o pau dele, a sensação que provocou em mim e me masturbava.
Chegou a segunda feira e ja no bom dia dele, me molhei toda. Não teve jeito, meia hora depois, chamei na minha sala, quando entrou, mandei ele fechar a porta, e o ataquei, beijei aqueles labios grossos e pedi a ele “me fode aqui, por favor” ele então vêio, me debruçou na minha mesa, abaixou minha legging até o o joelho, abaixou

minha calcinha junto, abriu sua calça e me penetrou, ao penetrar gozei a primeira vez e gemi baixinho, ele então debruçou por cima de mim e tampou minha boca para me silenciar. Me fodeu gostoso, não muito forte, mas firme, de modo que não faziamos barulho. Sentindo aquele pauzão me fodendo, gozei mais uma vez. Ele acelerou o ritmo e tambem gozou. Senti o peso dele em cima foi gostoso. Esperamos

nossa respiração voltar ao normal, ele foi até o banheiro, limpou o pau, se recompôs, me beijou a boca e saiu. Eu ja tinha me vestido e fiquei o resto da manha sentindo a pirra dele em mim. Na hora do almoço em casa, tomei um banho e almocei com o agora corno do meu marido. A tarde correu tudo normal, mas depois dessa tiveram mais encontros, e hoje um ano após, sou dominada por ele, que faz comigo o que quer, onde e quando ele quer.
Espero que tenham gostado. Em breve conto mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.