Filmando a irmã safada

Me chamo Renato, tenho 22 anos e tenho uma irmã mais nova, a Júlia de 18 anos. Ela é morena, baixinha, magra, tem bundinha empinada e seios pequenos. Ela vive andando pela casa com shortinhos jeans apertados e tops.

Apesar de ser minha irmã, já me peguei observando ela em suas roupas provocantes e pensando besteiras.

De uns tempos para cá, ela começou a fazer vídeos dançando funk e postar no YouTube. Bati punheta vendo alguns desses vídeos que ela postou. Ela jamais imaginaria que seu irmão mais velho, a quem ela chama de chato faria uma coisa dessas…

Um dia cheguei em casa e ela estava na sala tentando gravar um desses vídeos. A peguei no flagra, balançando aquela bundinha para a câmera do celular… Ela ficou meio sem graça, mas não parou o que estava fazendo. Eu apenas acenei com a cabeça e sorri rapidamente e fui para meu quarto. Lá tive uma ideia. Não pensei muito, apenas fui e pus a ideia em prática.

Como nosssos país não estavam em casa, eu imaginei que podia tirar algum proveito da situação. Então fui a sala e disse a Júlia que tinha visto os vídeos dela e achei que podiam ficar melhores.

Ela não entendeu direito, então fui falar de coisas técnicas tipo edição e iluminação dos vídeos. Ela não gostou muito e voltou a dizer que eu era chato…

Mas então disse a ela que se ela quisesse, eu podia gravar os vídeos e deixá-los mais profissionais. Aí ela viu que eu estava querendo ajudar.

Peguei o celular dela e comecei a gravar ela dançando. Ela estava usando aquelas roupas provocantes, mas sugeri que ela podia ficar mais sensual se usasse um vestido. Então ela foi até o quarto e voltou com um vestidinho que ficava bem justo. Fiquei excitado na hora.

Liguei a música e mandei ela dançar… Nossa, ela rebolava, ia até o chão e eu quase podia ver a calcinha branca enfiada que ela usava aparecendo. Mas ela ia baixando o vestido o tempo todo. o

Para gravar melhor, eu chegava bem perto dela.

Num momento, com a desculpa de ficar numa posição melhor, eu cheguei nela e toquei em sua bunda, dizendo “fica mais para cá…”

Eu aproveitei bem aqueles segundos em que tocava nela para posiciona-la melhor.. Enquanto fastava ela, também acariciava para sentir bem aquela bundinha. Ela não notou o quanto eu estava adorando aquela situação.

Chegou um ponto em que comecei a alisar meu por cima da bermuda que eu estava usando. Eu estava duro de um jeito que não dava para disfarçar. Quando a música parou nem deu tempo de fazer nada, ela já veio correndo para ver como ficou a gravação.

Eu disse “calma, vou editar o vídeo ainda”… Enquanto ela falava comigo, não tem como não ter percebido o volume na minha bermuda. Eu não liguei. Fiquei excitado com ela percebendo meu pau duro.

Me tranquei no quarto para editar o vídeo de minha irmã. Não deu para evitar bater uma punheta vendo a gravação.

No outro dia, em outro momento em que estávamos só os dois em casa, chamei a Júlia no meu quarto para mostrar o resultado da edição. Na verdade, eu não tinha feito quase nada, mas tava querendo me exibir um pouco.

Ela entrou em meu quarto e sentou na minha cama. Ela usava um vestido, dessa vez, um modelo mais leve que o da gravação. Notei que não usava sutiã. Enfim, estava a vontade.

Dei play no vídeo e comecei a comentar coisas técnicas, pausando em algumas partes e levando minha mão na coxa dela para chamar atenção para algum detalhe…. Ela não ligava e então fui pegando cada vez mais na coxa dela…. chegou um ponto que fiquei com minha mão segurando sua perna enquanto via seu vídeo….

Ela subiu o vídeo no YouTube e continuou no meu quarto… Conversamos e ficamos esperando visualizações e comentários… Logo o vídeo já tinha mais de 50 visualizações…. “As amigas”,, dizia ela, mas eu sabia que tinha um monte de tarado batendo punheta pra minha irmãzinha… Aquilo me excitava.

Logo estava de pau duro de novo. Notei quando ela viu de canto de olho como eu estava. Mais uma vez ela não disse nada e continuou conversando comigo normalmente. Comecei então a acariciar sua perna lentamente. Ela não reagiu. Então, resolvi me soltar e falei “Porra, Júlia… Sou seu irmão, mas você tá gostosa demais dançando assim”…

Ela me olhou, com os olhos arregalados e não soube o que dizer. E continuei “Olha como eu tô”. Nisso baixei rápido a bermuda e mostrei meu pau duro. Ela deu um sorrisinho malicioso e me chamou de safado.

“Não consegui me controlar te vendo assim balançando a bunda com esse vestidinho apertado , desculpa”…

Ela então falou:

“Eu notei como você ficou também quando tava me filmando”.

Eu continuava com a mão na sua coxa enquanto esse diálogo acontecia… Peguei a mão dela e levei até meu pau. Ela não resistiu e sem eu dizer nada começou a me punhetar.

Eu achei que ela ia reagir violentamente a minha investida. Mas, pelo contrário, naquele momento, eu tinha minha irmã me punhetando enquanto eu assistia um vídeo dela mesmo dançando.

Enquanto ela acelerava os movimentos, comecei a beijar seu pescocinho e fui baixando uma alça de seu vestido. Logo eu estava chupando um de seus seios durinhos.

Levei minha mão para dentro de seu vestidinho e fiquei acariciando sua buceta por cima da calcinha. Ela se tremia e começou a gemer baixinho. Beijei sua boca e a joguei na cama. Puxei sua calcinha, mas não tirei seu vestido. Então comecei a chupar sua buceta com vontade.

Via ela apertar os lençóis de minha cama enquanto minha língua a explorava. Fiz minha irmã gozar com aquele oral. Agora era minha vez. A puxei para a beirada da cama e meti meu pau devagar. Ela cobriu o rosto com um travesseiro como se estivesse com vergonha, enquanto comecei o movimento de entra e sai… Não adiantava mais se envergonhar, pois já tínhamos ido longe demais.

Depois de alguns minutos eu metia com força e ela gemia sem parar. Sentindo que ia gozar, tirei meu pai e melei seu vestido com minha porra. Deitei ao seu lado e ela levou ainda alguns minutos para se recompor. Tirou finalmente o travesseiro de cima da cara e me deu um beijo no rosto e lançou um sorrisinho maroto. Agradeceu pelo vídeo e saiu de meu quarto.

Só nós vimos agumas horas depois quando já estávamos jantando na cozinha com nossos pais. Estávamos em silêncio, quando Júlia então falou…

“Mãe, o Renato passou a tarde me ajudando com edição de um vídeo para um trabalho do colégio”

Nossa mãe sorriu, vendo que nos dávamos bem como irmãos. E Júlia continuou

“Eu dei tudo de mim, mas tava duro de eu fazer sozinha… mas aí o Renato meteu uns ajustes que fizeram dar certo”

Eu só pensava como minha irmãzinha era safada. Enquanto, ela falava isso, meti minha mão em sua coxa por debaixo da mesa, sem que nossos pais percebessem.

Fui subindo e cheguei em sua buceta. Ela disse “Que delícia de comida, mãe”… Tirei a mão e sorri maliciosamente para ela. Agora eu tinha certeza que ela tinha gostado daquela putaria.

Alguns dias depois, quando voltei da faculdade, encontrei Júlia gravando de novo… Dessa vez com nossa prima. Júlia disse “Renato, grava a gente” e deu uma piscadinha. Meu pau começou a endurecer na hora.

Gostou da história? Deixa contato aí e elogios ou críticas…

1 Reply to “Filmando a irmã safada”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *