Comendo o amigo da faculdade

Hoje vou contar sobre um rolo que tive com um amigo da faculdade, que vou chamar de Dênis. Tenho 28 anos, branco, 1,76, bissexual, o meu pau é cabeçudo e com alguns pentelhos e faço musculação.

Tinha um amigo que era de uma turma que estava a um semestre à frente da minha. No começo não curtia muito o jeito dele. Achava meio falso, debochado, enquanto ele, desde o começo sempre foi gentil comigo. Um bom tempo depois descobri, por meio de um amigo, que ele era gay e estava a fim de mim. Ele era uns dois anos mais novo que eu, magro, mas com o corpo definido, pele morena e da mesma altura que eu. Era do norte de Minas e tinha vindo para SP pra estudar.

Num sábado, um outro amigo meu me chamou pra ir pra num barzinho na região da Augusta e o convidou também para batermos um papo. Nos marcamos de nos encontrar num metrô, mas este meu outro amigo disse que ia se atrasar. Dênis já estava na catraca e então decidimos ir descendo para o bar e depois o outro nos encontraria. Batemos um bom papo, jogamos conversa fora, falamos de diversos assuntos, e enquanto isso, a cerveja que a gente tomava foi subindo pra cabeça. Meu outro amigo chegou, ficamos mais um pouco de boa, e depois subimos pra uma pista que tinha na parte de cima.

Foi então que num certo momento ficamos eu e Dênis sozinhos. Eu estava encostado à parede com um copo de cerveja na mão, quando ele chegou em mim, me olhou firmemente nos olhos, mordeu os lábios e perguntou o que eu curtia. Já sacando o que ele queria, respondi que era bi com um olhar malicioso. Ele sorriu e disse que faz tempo que tava a fim de mim, desde o começo. Senti o seu braço me enlaçando e a sua boca carnuda se aproximando da minha. Nos beijamos com força e por um bom tempo. Logo senti meu pau endurecendo dentro da calça e ao me esfregar no corpo dele, senti que ele tinha ficado com a rola dura também. Nos beijamos mais forte, apertamos nossos paus contra o outro, mordemos a orelha, e assim, entre uma dança e outra, repetimos esses amassos a noite toda. No fim já estava louco pra fuder com ele nem que fosse em qualquer canto escondido ali mesmo, mas o local estava muito cheio e não dava.

Fim da balada, eu, Dênis e nosso outro amigo bebaços fomos embora para a república que eu e ele morávamos na época, tendo Dênis como o hóspede daquele dia. Sugeri ir pro apartamento dele que era perto (e a gente ia foder mais de boa lá) mas como estávamos muito bêbados, ele não conseguiu ir, e decidimos ficar lá na minha república mesmo. Como meu outro amigo era hetero, fiquei receoso dele não gostar, mas meu pau ainda tava louco demais pra fuder com Dênis de qualquer forma nem que fosse no meio da rua. Meu amigo desmaiou de sono, dormiu na beliche de baixo, eu fiquei na beliche de cima e Dênis ficou no colchão. Pegando na mala inchada, ele me chamou para se deitar com ele. Desci e ficamos grudados, nos beijando freneticamente, metendo a mão no pau do outro. Decidimos tirar as roupas e ir foder no banheiro pra ficar mais a vontade.

Chegando lá, ele se agachou e começou a lamber as minhas bolas. Língua quentinha, ágil, logo subiu para o meu caralho e nesse momento puxei mais a cabeça dele e enterrei o meu pau na sua boca. Ele chupava com vontade, me olhava com fogo nos olhos. Em seguida pedi pra chupar a dele. Trocamos de posição, e quando subo o olhar vejo aquela rola enorme, devia ter uns 18/20cm, duraça, suada, babando e balançando na minha cara. Mandei aquela delicia pra minha boca e chupei com força, chegando a sentir a cabeça pulsando quase no começo da garganta. Depois ele pediu pra me chupar de novo, trabalhando a língua com força. Falei que ia gozar e ele enterrou o meu pau mais fundo ainda na boca, até que mandei jatos de porra e ele estremeceu. Tirei a minha pica da boca dele e Dênis, enlouquecido mexeu a língua pra sentir meu leite escorrendo no céu da sua boca. Em seguida cuspiu na parede.

Perguntei se ele curtia dar, ele disse que era ativo, mas tava me curtindo tanto que ia me dar. Virou a bunda depilada pra mim e arreganhou o cu sem pregas. Enlacei o seu peito quente e suado e ofegante e encaixei o meu pau ainda melado no seu buraco, mandando bombadas fortes até sentir o pau dele grudando na parede. Ele amolecia a cada enterrada que eu dava, entre um beijo e outro. Comi o cu dele por um bom tempo enquanto ele esfregava o próprio caralho na parede. Foi então que ele pediu pra parar e chupar a rola dele, porque ele ia gozar logo. Me agachei e vi aquela picona já melando e botei pra dentro da minha boca de novo. Animado, ele pulsava e eu forçava a cabeça nas paredes da boca pra sentir mais ela pulsar. Melado, o pau de Dênis já estava lisinho e escorregadio, entrando e saindo com facilidade. Ele fechou os olhos e falou que ia gozar. Só que ele se empolgou tanto que foi para trás e escapou o pau da minha boca, atirando jatos descontrolados e que caíram parte no chão e na minha perna. Sem problemas, chupei o restinho que ficou na sua rola.

Após isso fomos dormir na minha beliche de cima, apenas de cueca e com os paus melados grudando. Abracei aquele corpo quente por trás e fiquei esfregando a minha rola lentamente na sua bunda macia até pegarmos no sono. Às vezes ele acordava e forçava a bunda no meu pau, ou fazia um carinho na minha rola. Em outros momentos eu enfiava a mão na cueca dele e ficava pegando naquele caralho gostoso que ora pulsava, ora babava novamente. Foram vários beijos, lambidas no peito, mordidas na orelha e sussurrando putaria no ouvido do outro.

Depois continuamos amigos, até tentei marcar outro role com ele mas nunca deu certo, as rotinas não batiam. Ainda somos amigos, apesar dele estar comprometido. Mas quem sabe um dia não rola outra foda novamente?

Espero que tenham gostado. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *