Sexo gostoso entre mãe e filho

Meu nome é Francisca, tenho 43 anos, divorciada há alguns anos, mas depois do divorcio sempre procurei ter alguém de confiança pra poder dar umas trepadas de vez em quando, pois não sou de ferro, e ainda sinto muito tesão e desejo por uma pica bem dura. Não queria ter um caso sério, alguém fixo, mas sim me divertir e matar meu desejo sexual, sem cobranças. O tempo foi passando e um dia , não sei se pelo tesão que eu estava sentindo vi meu filho chegar em casa sem camisa, parecia

que eu tinha levado um choque na buceta, pois ela esquentou, fervilhou, formigou e piscou, tudo ao mesmo tempo. Até então eu nunca tinha olhado pro meu filho de outra forma que não fosse como filho, mas naquela hora, não vi mais meu filho e sim um homem, másculo, viril ,gostoso, capaz de foder minha buceta e apagar meu fogo.

Meu filho Marcelo tem 19 anos, alto e muito simpático, maravilhoso, e sempre tivemos uma ótima relação, mãe e filho, mas naquele dia em especial, eu estava carente, sedenta por uma trepada e vendo meu filho chegar em casa sem camisa despertou em mim um tesão diferente, era a pica do Marcelo que eu queria dentro de mim a partir daquele dia. No auge da juventude, transbordando virilidade, masculinidade, eu não pensava em outra coisa que não fosse ser possuída por ele, ser fodida por ele e sentir o calibre da sua pica invadindo minha buceta e o calor da sua porra jorrando la dentro. Tudo isso parecia loucura, uma mãe desejar tanto ser comida pelo próprio filho, mas na hora do desejo agente faz mesmo qualquer

loucura e eu estava disposta a por a minha em prática. Marcelo chegou suado, sem camisa, me deu um beijo e perguntou se tinha algo para comer, abri a boca pra dizer, “tem eu, me come”, mas me faltou coragem na hora. Fomos até a cozinha, e eu fui preparar o almoço, mas enquanto isso eu não parava de admirar aquele corpo, objeto do meu desejo, Marcelo tinha um peitoral definido, grande, ombros largos peito e barriga com poucos pelos, e eu imaginava a quantidade de pelos que ele teria mais abaixo e isso me deixou arrepiada! Enquanto eu preparava o almoço Marcelo foi pro banho, depois do banho foi ao seu quarto e retornou só de shorts, eu já não sabia se prestava atenção nas panelas ou no seu shorts imaginando que ele pudesse

ter uma ereção pra eu poder ver o tamanho do seu pau. Eu já tinha perdido a noção, não sabia mais o que estava acontecendo comigo, so imaginava o meu filho como homem, como um macho capaz de me foder, de me satisfazer na cama, de me pegar por traz e me enrabar, comer meu cuzinho com força e com raiva, como seria gostoso ser enrabada por ele, deixa-lo fazer de mim sua putinha gostosa. Marcelo almoçou e foi descansar, dormiu a tarde toda, a noite foi pra faculdade. Dormi nua e com a porta do meu quarto entreaberta na esperança que ele fosse ate meu quarto quando chegasse, mas adormeci logo e não sei se ele foi, ou se me viu nua.

No dia seguinte, acordei cedo, com o mesmo pensamento, o mesmo tesão, o mesmo desejo, fiz o café e sai, fui caminhar, espairecer e tentar tirar meu filho da cabeça, enquanto ele saia pra academia, mas não era isso que eu queria, meu corpo o desejava, eu estava descontrolada e precisava fazer algo pra saciar meu corpo sedento por sexo. Na volta da caminhada, enquanto tomava meu banho, resolvi que teria de fazer meu filho sentir desejo e tesão por mim, eu precisava me sentir desejada por aquele homem gostoso e lindo, mas pra isso eu precisava entrar no assunto “sexo”, preparar o terreno e depois me abrir, atacar, e deixar rolar o que viesse. Coloquei um minúsculo shorts de malha branco, e sem nada por baixo,

exatamente pra dividir minha buceta ao meio, e uma blusa de alcinha sem sutiã, eu queria mexer com ele, ver a sua reação, fazer seu pau crescer dentro da bermuda, e ai partir pra ação. Marcelo chegou, e ao me ver, seu pau reagiu na hora, cresceu dentro da bermuda, mesmo eu sendo sua mãe o pau só enxerga a buceta não importa de quem. Perguntei logo se ele não tinha namorada, pois eu nunca tinha visto ele com nenhuma, ele disse que estava difícil arrumar alguém, aproveitei pra entrar no assunto e disse: É pelo seu estado to vendo que faz tempo que você não come uma bucetinha, ta sentindo tesão até pela mãe. Marcelo ficou meio sem graça

e pediu desculpas!!! Desculpa mãe,, é que vendo você dentro desse shorts, marcando sua!!! É, marcando,,, Eu completei, marcando minha buceta você não resistiu!!!. É, é foi isso!!!. Eu continuei a falar: Filho, independente de ser mãe e filho, eu sou uma mulher e você um homem, é natural que você vendo uma mulher vestida assim, com a roupa marcando a buceta nenhum homem resiste, sente tesão mesmo, eu também to precisando de um homem, eu também sinto desejo, sinto tesão, estou numa seca total, e faz tempo, preciso de um homem jovem, viril, másculo que possa me saciar na cama, e quando eu vejo você em casa sem camisa eu fico com muito tesão, a minha vontade é pedir pra você me comer gostoso, me enrabar por traz e foder meu

cu, fazer de mim sua puta, e como você também ta precisando comer uma buceta, vamos pra cama, vamos matar nossos desejos, vem filho, vem me comer gostoso. Nem esperei Marcelo responder, já fui beijando sua boca, enfiando a mão na sua bermuda e segurando seu pau já duro e melado, não resisti e coloquei na minha boca e mamei gostoso aquela delicia de pau, colocando tudo na boca até minha garganta e fazendo um boquete delicioso. Puxei Marcelo pra cama e disse que naquele momento queria ser sua fêmea, sua puta, que era pra ele me ver como mulher desejosa de ser fodida por seu macho, e não como sua mãe. Marcelo estava exalando

testosterona, seu pau em riste pulsava louco pra foder, ele me beijou como um selvagem, do jeito que eu gosto, e disse. Essa buceta ta precisando de pica, não ta!!! Então vou foder sua buceta do jeito que você merece, hoje vou te comer de todas as formas, você vai gemer na minha pica e gozar gostosa nela, hoje vai ser minha puta. Me deitou de bruços com um travesseiro por baixo deixando minha bunda empinada, me puxou pelo cabelo e foi metendo seu pau na minha buceta por traz, eu estava molhadinha e seu pau entrou sem resistência e eu senti a potência da sua vara a me invadir, meus seios durinhos pelo meu tesão, e eu gemia de tanto prazer, na pica do meu filho. Marcelo enfiava cada vez mais forte, me fodia com força até que eu gozei! Gozei muito!!! Mas Marcelo ainda não tinha gozado, me fodia cada vez mais rápido e com força, nunca imaginei que aquele garotinho que eu pari e vi crescer, agora era um homem, e que homem, parecia insaciável, que fogo!!! Vai filho goza, goza gostoso, enche sua putinha de porra, Vai regaça essa buceta, me arromba com esse caralho gostosa que você tem. Marcelo urrou e estremeceu em cima de mim e senti seus jatos de porra inundando minha buceta, e eu gozei mais uma vez junto com ele. Marcelo ficou exausto, deitado sobre meu corpo e eu sentindo seu pau ainda duro pulsando dentro de mim até amolecer. Eu queria aproveitar ao máximo toda aquela virilidade e juventude do meu filho, queria ser saciada de todas as formas, queria sentir seu gozo também na minha boca e saborear cada gotinha do seu sêmen. Depois que aquela maravilha ficou novamente de pé ajoelhei pra receber aquela pica de cabeça vermelha, grossa e com suas veias bem delineadas na minha boca, eu chupei até engasgar, engoli suas bolas, lambi o cuzinho e voltei a chupar sua pica ate faze-lo gozar em minha boca…o resultado foi uma gozada violenta, foi tanta porra que não coube em minha boca, engoli o que pude e o reto caiu em meus seios, barriga e no chão. Mas eu ainda não estava satisfeita, queria mais, afinal eu estava numa secura só, e já fazia tempo, e com meu filho gostoso, jovem e cheio de vontade de foder eu tinha mais era que aproveitar. Assim como minha buceta, meu cuzinho também estava sedento por uma bela pica, eu queria sentir dor, prazer e satisfação de ter em meu rabo aquela vara me rasgando as entranhas, rebentando minhas pregas e enchendo meu cuzinho de porra. Pedi pro meu filho me enrabar por traz, enterrar toda sua vara no meu cu, meter com força e me fazer gemer outra vez na sua pica, eu estava descontrolada, alucinada e cheia de desejo de ser comida mais uma vez. Me posicionei de quatro, Marcelo lubrificou meu cuzinho, enfiou um dedo, depois dois, e quando já estava laceado meteu com força de uma vez só, me fazendo gritar de dor e prazer. Fode, fode meu cu filho, fode com força!!!, E cada estocada dele me levantava, que caralho delicioso e como meu filho sabia foder e satisfazer uma mulher, ele enterrou até o talo no meu cu, ele me fodia com força e suas bolas batiam na minha buceta, de repente ele me segurou pela cintura arcou seu peso em cima de mim me puxando contra seu pau e gozou como nunca despejando um rio de porra em meu reto. Eu gozei muito, gozei gostoso com meu suquinhos escorrendo pelas pernas junto com meu xixi e molhando a cama, caímos exaustos mais uma vez, agora sim, eu estava saciada e satisfeita!!!! Nunca tinha imaginado que seria tão gostoso meter com meu filho, e nunca nenhum homem me fez sentir mulher assim! Tomamos um belo banho e depois voltamos pra cama, mas ai lembrei do almoço, mas pensando bem ele não ia comer mais nada, já tinha comido a mim e estava saciado, então terminamos o dia na cama descansando, afinal ainda tinha uma noite inteira pela frente pra matar sua fome de buceta e minha sede de pica. Mayara Nascimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *