Meu pedreiro comeu minha esposa

Meu nome é Gilberto tenho 40 anos minha esposa se chama Valéria e tem 38 anos branquinha corpo lindo, seios grande, bunda grande e buceta avantajada, somos casados a 8 anos, temos uma vida sexual ótima, e sempre fantasiamos ela com outros homens em nossas trepadas, ela dando pra outros, e era sempre muito bom, no inicio ela estranhou mas depois, ela mesmo me chamava de corno e que queria dá pra outro, e ficávamos com muito tesão, mas só no campo da fantasia, até que em julho de 2019 fomos passar nossas férias em nossa casa em Itanhaém, como nossa casa precisava de uma reforma, chamamos o seu Antônio, nosso pedreiro e inquilino um senhor de 56 anos, negro, nordestino viril e safado.
Ele sempre comeu minha esposa com os olhos, assim que a Val entrou no carro, ele não parava de olhar para as pernas lindas dela, ela de mini saia, o seu Antônio vidrado, como ela gosta de se exibir, deixou a saia subir dava até pra ver a calsinha, e seu ficou discretamente massageando a rola o caminho inteiro rs RS
Chegando no litoral, fomos nos trocar, nossa casa só tinha um quarto em condições uso, além da sala cozinha e banheiro, combinamos que ele dormiria na sala e nós no quarto.
quando chegamos minha esposa foi se trocar no banheiro e o seu Antonio e eu no quarto, quando o seu Antonio tirou a roupa pra se trocar fiquei impressionado por ele nao usava cueca, e fiquei admirado com o tamanho e a grossuro da rola dele, logo imaginei ele comendo minha esposa.

Aumento Peniano

O seu Antonio foi até a casa de material para construçao fazer orçamento, quando fiquei assós com minha esposa, falei pra ela do ocorrido, que o seu Antonio nao usava cueca e falei do tamanho pau dele, ela riu e falou: “cuidado pra ele não pegar sua esposinha em defesa kkkkkkk, fiquei morrendo de tesão, chamei ela de vagabunda, e deixei fluir, ao longo do dia minha esposa ficou discretamente se exibindo para ele com um micro shorts mostrando a popa da bumba, ele ficava pegando no pau, e eu fingindo nao ver nada.

A noite ela ficou provocando ele, estavamos sentados no sofá assistindo um filme propositalmente sobre triângulo amoroso, ela de mini saia sentados de frente pra ele ficava abrindo as pernas ele que ficava doido, fomos deitar e ela veio passando a mao em mim, falando: ” vem meu corninho ou eu vou lá pra sala dá pra o seu Antônio”, e eu entrei no jogo e perguntei é sua cachorra, vc quer dá pra ele é? e ela respondeu simmmm, foi quando enfiei o dedo na buceta dela e tava encharcada, quando estavamos transando ela falou: ” Eu não paro de pensar na rola do seu Antonio”, eu fiquei louco e perguntei se ela queria dá pra ele de verdade, ela falou que sim, quero muito.
Depois da traza conversamos francamente a respeito e combinamos que no dia seguinte iriamos inventar uma desculpa que tava muito quente nosso quarto e dormeriamos na sala do lado dele.
No dia seguinte era sábado, durante o dia minha esposa falou pra o seu Antonio que quase nao dormimos por causa do calor, e que provavelmente iriamos dormir na sala com ele, ele adorou a ideia é claro, a noite tomando umas servejas e minha esposa falou para eu parar pq toda vez que eu bebia praticamente desmaiava, seu Antonio me defedeu e falou deixa ele beber, trabalou tanto hoje e nerece…
Lá pelas 23:30 já com os colchões juntos na sala eu fingindo tá pra lá de Bagdar deitei em um dos lados, com isso minha esposa ficaria entre nós dois, logo figindor ta dormindo, ela falou pra ele meu amor já desmaiou, seu Antonio perguntou: ele desmaiou mesmo?, ela falou sim, sempre que ele bebe, é a mesma coisa.
Eles apagaram as luzes e deixaram só o abajú aceso, minha esposa com uma camisola transparente que revelava seu lindo corpo e sua pequena calsinha sem sutiã, conversaram por uns 5 minutos, e ele começou a fazer elogios a ala, que respondia não sou tudo isso, ele respondeu:” se eu tivesse uma mulher como a senhora” eita….e riu.., fala seu Antônio o que o senhor faria?, ele percebendo o que ela tava querendo respondeu: ” oxe!! eu não dormia uma noite sem deixar a senhora mole de tanto prazer, ela falou nossa seu Antônio, ele tava preocupado que eu poderia acordar e perguntou o seu Gilberto não acorda?, ela respondeu fica tranquilo que esse aí depois que desmaia, outro homem pode come a mulher dele do lado dele que não acorda kkkkkk, ele falou a senhora tá me deixando doido, deixa em ver então… e pegou no pau dele, aí já era, ele foi pra cima dela igual a um tarado, eles começaram a se agarrar e se beijar, eu nunca tinha visto minha esposa daquele jeito, ele tirou a roupa dela e começou a beijas e chupar sua buceta, mordia ela chupava o cuzinho dela, ela gemia igual uma cadela no cio, ele falava faz mais de 2 anos que eu não sei o que é mulher, foi difícil se segurar vendo os dois, ela agarrou o pau de e começou a chupar e falava, eu queria que o Gil tivesse esse pausão, ela falava quase nao cabe na minha boca, chupou chupou.
Ela sendo ele no sofá e de frente para mim e eu, ela me olhando e sentando na tora dele que quese não aguentou, ela gemeu alto quando entrou tudo, e ficou parada tremendo e ele perguntou se tava doendo, ela respondeu: “Não, eu tô gozando, é muito tesão”, ela começou a cavalgar era pouco mais da maia noite, ficou subindo e descendo na vara dele por uns 20 minutos sem parar, ela deitou no colchão do meu lado e abriu as pernas pra ele e ele veio com tudo, ele meteu nela por muito tempo, voltaram para o sofã e ela pediu pra ele comer ela de quatro, eu fiquei com muito tesão vendo os dois trepando daquele jeito, ela levou ele para o nosso quarto pq queria dá o cuzinho pra ele mas o lubrificante tava no quarto, eles foram e ela falou pra ele deixa a luz acesa pq eu quero ver tudo, e deixou a porta aberta para o corno assistir ela falou pra ele tentar comer o cuzinho dela, aí ele ficou louco de vez, lambeu o cú dela, e tentou por alguns minutos e várias possições até que de ladinho ele conseguiu enfiar, e começou a bombar e ela gritava ele falava pra ela não gritar, pra não acordar o marido, ela respondeu esquece esse corno e fode meu cú, e eu no corredor assistindo tudo e batendo punheta.
De repente ele falou tô querendo gozar, falou então tira e goza na minha buceta, assim ele fez, foi nessa hora que vi o tamanho e grossura real do pau dele. (Depois ele falou pra ela que tinha 22 cm).
3 minutos socando nela de quatro ele gozou igual a um urso e ela gozou junto e caíram, ele ficou em cima dela por uns minutos com o pau ainda dentro latejando e soltando porra, depois foram tomar banho juntos e fecharam a porta, ela falou que se beijam muito no banho, ela chupou o pau dele e ele comeu ela de pé, ficaram no banheiro por quase meia hora, eu não via nada, só ouvia os plafite plafite plafite, até que ele anunciou que iria gozar e ela pediu pra ele gozar na boca dela que engoliu tudo.

Já passava das 2 da manhã quando voltaram para a sala, onde eu ” dormia” kkkkk.
Os dois deitaram e dormiram saciados.
Acordei às 8 eles tavam dormindo minha esposa de camisola com a bunda a mostra e sem calsinha, falei baixinho com ela que iria no mercado e na padaria, e pedi pra ela falar pra o seu Antônio quenão iríamos trabalha naquele dia,
ela respondeu tá bom meu amor.
Fui no banheiro e a calsinha que ela usou na noite anterior tava dependurada cheia de porra, ela vestiu depois da surra de rola e tirou horas depois, para eu ver o resultado
Assim que eu saí ela me falou depois que ele agarrou ela por traz e socou, fique fora por pouco mais de uma hora e ela falou que só pararam quando ouviram o barulho do carro chegando.
Ficamos no litoral por 20 dias, ele comeu minha esposa todos os dias e noites, ela já ficava sem calsinha, ele chegou a comer ela durante o dia, comigo em casa eu lá fora preparando a argamassa e eles lá dentro trepando.
Hoje eles são amantes, como ele é nosso inquilino, minha esposa visita ele pelo menos 3 vezes por semana, as vezes ele vai na minha casa também, eles estão apaixonados, as vezes deixo ela dormir com ele, quando tenho viagem de trabalho.

Espero que tenham gostado, desculpe os erros ortográficos.

Espero ques vcs tenham gostado

1 Reply to “Meu pedreiro comeu minha esposa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *