Minha primeira vez em publico

Era pra ser só mais um dia comum, mas eu estava em êxtase pois seria minha primeira aula prática de carro, já estava me vendo indo para os lugares sem precisar pedir a ninguém.
Deixa eu me descreve para vcs: tenho 19 anos, sou branquinha, 1,67 de altura, cabelos lisos, seios médios bumbum grande, magrina, totalmente dentro dos padrões de beleza imposto pela sociedade, era isso q os olhos dos homens diziam por onde eu passava.

Cheguei na aula escola, estava bastante tensa, a recepcionista me manda aguardar quando aparece um rapaz muito simpático e sorrindo falando meu nome, se apresentou com nome de Ricardo devia ter seus 27 anos mais ou menos, me levou para passar a digital e fomos para a primeira aula, TD correu muito bem mas o jeito dele mexeu com minha imaginação rsrsrs.

No outro dia eu pretendia sair da aula e ir direto para a academia então estava de legging, top e regata, pra mim eu estava normal, quando ele chegou senti um certo desconforto da parte dele, Durante a aula ele estava mais calado mas não tirava os olhos das minhas pernas, confesso q fiquei exitada com a situação, sabia q precisava me concentrar no trânsito mas minha imaginação estava me enlouquecendo.
Os outros dias seguiam normal, foi quando recebi uma ligação da auto escola, pra dizer q uma aluna havia desmarcado se eu não queria ir para a aula noturna, aceitei.

Coloquei uma legging bem apertado com uma blusinha, deixando a mostra meu pacote dianteiro e traseiro, dava pra ver bem as marcações na calça. Estávamos já no carro e ele não tirava os olhos da minha perna, ele tinha uma boca carnuda q só conseguia pensar nela beijando a minha, ele também tinha um pedaço da tatuagem aparecendo no braço, confesso que chamou minha atenção. Trajeto normal, quando passamos por uma rua meio escura deixei o carro morrer, e “não conseguia fazer pegar”, acho q ele percebeu meu sinal pq ele podia ter resolvido o problema, mas ele preferiu puxar conversa enquanto eu tentava fazer o carro pegar. Mas também não tomou nenhuma atitude hahaha.

Liguei o carro novamente e voltamos chegamos na auto escola estava fechado, estacionei mas não desci do carro, fiquei puxando conversa, perguntei da tatuagem era um maori, perguntei se tinha algum significado, mas eu nem estava interessada na conversa, só naquela boca maravilhosa q parecia me hipnotizar, pedi pra ele deixar eu ver toda ele êxito mas eu insisti, olhando dentro dos olhos dele hahaha, ele tirou a blusa, nossa q visão perfeita, então me aproximei pra ver a tatuagem e senti a respiração dele ofegante, era o sinal q eu queria, beijei ele e fui correspondida, cheque mate.

Subi em cima dele, em forma de sussurros ele falou que aquilo era tão errado, eu respondi bem pertinho do ouvido dele, errado é deixar passar as oportunidades, ele me beijou com mais intensidade tirando minha blusa, e eu desci minha mão pelo seu peito até chegar no zíper da calça, seu membro estava feito pedra de tão duro,inclinei o corpo para traz, ele colocou meus peitos para fora, admirou um pouco e chupou primeiro suave, depois mais forte e dando algumas mordidinhas, ah q delícia soltei um gemido, ele me virou me colocou no banco q já estava inclinado, e desceu beijando meu corpo, tirando minha calça, (bendita calça), me deixou de calcinha e me beijava por cima da calcinha, me fazendo quase implorar para tirar ela, quando tirou, ele foi beijando aos poucos pelas beradas, q tortura eu queria sentir a língua dele logo, ele me mandou pedir, eu quase implorei pedindo por favor, me chupa logo.

Até q enfim ele passou a língua suavemente no meu clitóris, ahh não precisou muito, q delícia sua maestria seu jeito, ele sabia o q fazia, gozei e tive q conter o gemido q ia dar, segurava sua cabeça forçando contra meu prazer.
Ele subiu e me beijou pude sentir meu gosto na boca dele, pedi q ele tomasse meu lugar pois eu também queria, desci beijando, quando cheguei admirei, q pau lindo, não não era enorme ou grosso ou cabeçudo, era normal, era lindo, passei minha língua na glande, depois passei minha língua na base e subi lambendo e saboreando

o melado q já havia escorrido, então coloquei inteiro na boca e chupei, q delícia, q sabor, chupei, segurando as bolas com delicadeza, acariciando o períneo, e as vezes punhetando, ele pediu pra eu parar, mas estava bom demais, ele me puxou, me colocou no banco e me penetrou, devagar, e foi aumentando a intensidade, eu mechendo meu quadril junto, q pau era aquele, e os movimentos, eu não estava acreditando, iria gozar novamente, ele foi mais forte e eu acompanhando, beijei seu pescoço, e mordi sua orelha, ele tentou parar o movimento eu não deixei, gozamos juntos, suados molhados e satisfeitos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.