Putaria Na lua de Mel

Meu nome é Tânia, meu marido é o Ramon, daquele conto em que o trai com o morenão cacetudo da Internet.

Aumento Peniano

Disse naquele conto que jamais havia o traido, mentira!

Quando éramos noivos, transavamos normalmente como qualquer casal, mas quando marcamos o casamento, disse-lhe que 3 meses antes do casamento não transaria mais com ele, queria que nossa lua de mel fosse inesquecível, e assim o fiz.

Disk Sexo

Passou-se 01 mês e só de beija-lo minha bucetinha já enxarcava, pois estava com 23 anos e sempre adorei sexo, mas mantive minha palavra, só dele encostar a mão em mim eu delirava de vontade.

Contava nos dedos os dias para chegar logo nosso casamento e poder entregar-me a ele por completa, queria serpreenchida e gozar por todos meus orificios.

Chegou o dia tão esperado, a cerimônia religiosa transcorreu-se normalmente e fomos para a festa.

As horas não passavam e só de pensar que em pouco receberia um imenso pau em minha xaninha e gozaria gostoso me deixava enlouquecida.

Percebi que Ramon bebia descontraidamente e chegou a hora tão esperada, fomos á um hotel luxuoso para passarmos a noite e no outro dia embarcariamos em viajem para o Litoral do Nordeste.

Chegamos ao hotel e subimos até nossa suite, meu coração palpitava de tanto tesão, beijei-o e percebi que ele estava um pouco alterado, tirei minha roupa e fui tomar uma ducha rápida e quando retornei, foi a decepção, Ramon estava deitado e roncava, estava desmaiado pelo efeito da bebida.

Senti uma leve enxaqueca, pela decepção e pelo tesão que sentia.

Vesti minha roupa e resolvi descer até a recepção do hotel para tomar um ar e conseguir um comprimido analgésico para minha enxaqueca.

Ao entrar no elevador, estavam lá um casal muito simpático, ele apresentou-se com o nome de Mário, uns 44 anos e ela Beth uns 39 anos, disse-lhe que estava com uma enxaqueca horrivel, que era minha lua de mel e contei que meu marido desmaiou de tão bêbado.

Olharam-se com um jeito de sacanagem e riram de mim dizendo que sabiam o motivo de minha enxaqueca e tinham o rémedio em seu apartamento e antes que eu recusasse me levaram até lá.

Era uma suite luxuosa, ele pediu-me para sentar-me no sofá e ficar a vontade, Beth foi até o quarto supostamente buscar o remédio e Mario foi até a porta e trancou-a e guardou as chaves.

Quando Beth retornou do quarto levei um baita susto, ela estava nua e tinha 2 pênis enormese grossos na mão, levantei-me e tentei escapar mas fui agarrada por Mário que carinhosamente abraçou-me e beijou minha boca, tentei recusar mas minha cabeça girava do susto que levei e do tesão recolhido que sentia.

Ele afastou seus lábios dos meus e disse-me que não precisava ficar com mêdo, eles não me machucariam, apenas cuidariam de mim.

Beth tinha um corpo perfeito, seios volumosos e firmes, coxas grossas e uma bunda enorme, ela acariciou meus cabelos e também beijou-me levemente na boca, sentou-me no sofá, ajoelhou-se no carpet e abriu minha pernas e começou a lamber de leve minha bucetinha que a esta altura ardia de tesão, após isso começou a chupar alucinadamente, fechei meus olhos e choramingava,ela era expert no assunto, nem meu noivo e atual marido me chupou tão gostoso, sua lingua ia de meu clítois até a portinha de meu cúzinho e voltava, parando vez ou outra na entrada de minha vagina e introduzia a pontinha de sua lingua dentro, meu coração começou a disparar, relaxei-me tanto que a única coisa que me importava naquele momento seria entregar-me por completo para aqueles 2 malucos e matar toda minha tara enrustida há 3 meses.

Segurei-a pelos cabelos e forcei sua cabeça contra minha bucetinha e gozei feito uma ninfeta virgem, derramei todo meu suquinho em sua lingua.

Ela continuou a me chupar mesmo eu tendo gozado, minha xaninha doia pelas suas chupadas e lambidas, mas deixei pois era refém daqueles ninfomaníacos.

Senti um cheiro diferente e abri meus olhos, era o pau de Mário que estava apontado para minha boca.

Meu Deus! Aquilo não era um pênis, era uma obra prima, tinha o tamanho do pênis de meu recém marido, mais ou menos uns 20 cms, mas era bem mais grosso.

Abri o máximo minha boca e abocanhei-o, não conseguia chupa-lo, apenas mamava-o pois meus lábios estavam atoxados naquela vara gostosa.Babava gostoso em seu pau

e as vezes tinha que parar um pouco sem tira-lo da boca, pois minha bucetinha tinha acendido novamente e os arrepios de tesão me faziam gemer abafada por aquela tôra gostosa.

Beth parou de me chupar e começaram as sacanagens comigo, Mário sentou-se no sofá, manteve seu pênis ereto pediu-me para sentar-me de costas para ele, para que ele pudesse massagear meus peitinhos entrelaçando-me com as mãos.

Com a ajuda de Beth que ajeitou-me sobre seu marido e apontou seu pau em minha raxinha e aos poucos pude sentir aquela vara enorme ir dilatando as paredes de minha bucetinha, ele abraçou-me com seus braços fortes e massageava de leve os biquinhos de meus seios e beijava minha nuca.

Beth voltou a ajoelhar-se no carpet, abriu minha pernas o máximo e pude sentir que o mastro duro de Mário chegou até o fundo de minha bucetinha, estava tão excitada e lubrificada que aquela carne dura e super-grossa penetrou-me e não senti nem um pouco de dor´.

Comecei a rebolar de leve naquela picona e Beth lambia meu clítoris, não teve jeito, em menos de 2 minutos estava gozando novamente, agora naquele pau maravilhoso, Mário orientou Beth para no momento certo retirar seu pau de dentro de mim, pois não queria engravidar-me, comecei a sentir sua respiração quente e ofegante em minha nuca, ele com suas mãos levantou-me um pouco e seu pau saiu super duro de meu interior, Beth o abocanhou e começou a chupa-lo, Mario foi até meu ouvido e disse que eu era maravilhosa e muito gostosa, que minha bucetinha era quente e dôce, que jamais havia sentido uma xaninha morder seu pau como a minhao tinha mordido,deu um suspiro, alguns gemidos baixinhos e senti tremores em seu corpo, levantei a cabeça e pude ver a boca de Beth receber jatos de esperma deslizando por sua garganta.

Sentamos os dois ali e descansamos, sentei-me no carpet de costas entre as pernas de Beth que estava sentada no sofá abraçada a Mário.

Exalava um cheiro forte da buceta de Beth, um cheiro de cio, despi-me de meus pudôres, tinha que agradecer a ela pelo que tinha me feito, encostei meus lábios em sua buceta, no começo achei estranho por a boca naqueles lábios carnudos, mas acostumei-me, ela arfava de tesão e dentre em pouco recebi seu mélzinho em minha boca, engoli, era dôce, um gosto de sexo.

Ela pegou-me pelos cabelos, levantou e beijou minha boca.

Ela disse-me que estava quase chegando ao fim, que em breve eupoderia voltar para meumarido, pois ele poderia acordar e sentir sua falta.

Enquanto ela pegava um dos pintos de silicone e ajeitava em um cinta sibre sua cintura, recebia a lingua áspera e quente e vibrante de Mário, ele lambia-me com rapidez e precisão, atingia os pontos certos, salivava muito, fiquei toda lambuzada.

Beth então deitou-se no carpet e com seu pênis de silicone atado em sua cintura, como se fosse um macho e pediu-me para sentar minha bucetinha nele, era grosso como de Mário e foi deslizando até entrar, começamos a rebolar juntas, abracei-a e colei meus lábios nos dela, seu hálito estava quente e gostoso, ela apertava-me num abraço gostoso, jamais tinha introduzido um pênis artificial em meus buraquinhos, aquilo era algo diferente e estava gostoso.

Minha cabeça girava de tesão, estava iniciando-me homossexualmente e quando minha bucetinha começou a sentir espasmos, senti algo duro apontar para a porta de meu cúzinho, era Mário tentando penetrar-me, relaxei o máximo e senti sua cabeça passar por meu cúzinho arrebentando minhas pregas, invadiu deflorando meu cúzinho, foi deslizando por meu reto, dilatando meu esfíncter, alargando as paredes de meu ânus e chegando ao fundo de meu canal anal.

Começou um vai e vem gostoso, sentia os 2 paus se encontarem dentro de mim, meu cúzinho começou a piscar e apertar aquele pau gostoso, meu gemidos esbofados eram abafados pelos beijos de Beth, senti um frio na barriga que foi descendo pasando pela xaninha e chegando a porta de meu cúzinho, senti esguichos quentes do esperma de Mário lavando-me por dentro e cheguei ao orgasmo, algo alucinante, parecia estar flutuando e senti que Beth, apenas com meus gemidos de prazer, gozou comigo.

Mário devagar tirou seu pau de dentro de mim, eles levaram-me ao banheiro e tomamos uma ducha, recebendo muito carinho dos dois.

Eram muito carinhosos, e Beth falou-me que tinha uma última fantasia, queria que eu recebesse o esperma de Mario na boca, disse que não, que não gostava de esperma, nem de meu marido gostava de receber na boca.

Senti a decepção no rosto de Beth e resolvi, eles foram tão legais comigo e não custava nada fazer um esforço.

Sentei-me na patente e Mário de pé apontou seu pau para minha boca, abocanhei-o e comecei a chupa-lo, aos olhares fixos de Beth que masturbava-se com dedos enterrados em sua buceta, dizia para eu chupar e mamar gostoso o pau de seu macho, que eu era uma putinha vadia e que meu marido era um corno Filha da P….

Senti o pau de Mário inchar-se em minha boca, começou a pulsar forte e um primeiro jato inundou minha lingua e logo a seguir 3 jatos fortes e intermitentes espocaram em minha garganta e amigdalas, não tive jeito, tive que engolir todo aquele leite gosmento, pois Mário com as duas mãos segurou-me pela nuca e impediu que eu tirasse a boca, engoli muita pôrra, deslizou pelo canal de meu esôfago.

Vesti minha roupa beijei-os despedindo-me, peguei o elevador e voltei á minha suite, minha enxaqueca havia passado, era falta de caricias e sexo, o melhor rémedio.

Chegando á suite o corninho continuava a roncar e no outro dia de manhã, quando ele acordou, fomos tomar uma ducha juntos e dei todas minhas fendinhas para ele e succionei e bebi seu leitinho quente, pois aprendi a gostar com Mário e Beth em minha lua de mél inesquecível.

Naquela tarde pegamos o vôô para nosso destino e advinhem o casal que estava na poltrona ao lado…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *