Trocando meu noivo pela pica do meu irmão

Eu me chamo Jakeline, e a historia que vou contar aconteceu a pouco tempo, moramos numa casa bem confortável, eu meus dois irmãos e minha mãe que é separada do meu pai desde que éramos pequenos, ela é enfermeira plantonista no hospital de nossa cidade. Era numa sexta-feira muito quente, cheguei da faculdade por volta das onze da noite e não tinha ninguém em casa. Tenho dois irmãos mais velhos que eu, um com “dezoito” e o outro com “vinte” todos nós estudamos a noite.

Nesta sexta em especial meus irmãos costumam mesmo chegar mais tarde, pois costumam ir pra farra com os colegas depois das aulas, Eu estava noiva e de casamento marcado, meu noivo estava viajando e eu não tinha motivo algum pra sair sozinha, como o calor era muito tirei minha roupa e peguei apenas uma toalha e fui pra piscina, acendi as luzes da área externa e como os muros são bem altos não corria nenhum perigo de ser vista por estranhos, a agua estava morna, agradável, uma delícia, então dei um mergulho e fiquei ali curtindo aquela agua refrescante. Uma hora depois pra minha surpresa vi a luz da cozinha acender e apagar em seguida, e de relance vi meus dois irmãos no vidro da janela, fiquei assustada mas mantive a pose, fingi que nada havia percebido, pois sabia que eles estavam me observando, e com o foco das luzes da área externa sobre a piscina me impedia de vê-los no escuro da cozinha, mas eu sabia que eles estavam lá. Então discretamente comecei a me exibir, saindo da água e me deitando na beira da piscina, me virando de costas deixando minha bundinha à mostra pra eles, depois me levantando e de costas me curvei fingindo ajeitar a toalha no chão, assim eles poderiam ver meu cuzinho e minha bucetinha por traz, depois mergulhando novamente e saindo da agua em seguida, deixando meus irmãos babando com a minha nudez total vista de todos os ângulos. Depois que eles se cansaram de me ver pelada, acenderam a luz da cozinha, e eu fingindo estar assustada sai da agua e me enrolei na toalha, fui em direção a eles e apaguei as luzes da área externa, entrando na cozinha perguntei: faz tempo que vocês chegaram? Não, acabamos de chegar !!! Responderam. Mas a cara deles e o volume em suas calças denunciava o que eu já sabia, mais uma vez fingi que acreditava, eles me convidaram pra um lanche e eu aceitei. Tomamos o lanche, conversamos, rimos e eu apenas enrolada na toalha, eles sabiam muito bem que eu estava nua por baixo, Meu irmão mais novo disse que ainda iria sair, ficando em casa só eu e meu irmão mais velho, depois me dirigi ao meu quarto, tomei um banho pra tirar o cloro da piscina, e fiquei diante do espelho me penteando. De repente a porta se abriu, era meu irmão que abriu a porta sem bater, ao me ver pelada diante do espelho ficou me olhando, admirando meu corpo, eu também pelo espelho via sua cara de felicidade, não briguei, não xinguei, fiquei ali meio que paralisada e ele vendo que não reprovei a sua atitude, devagar foi adentrando em meu quarto até se colocar atrás de mim. Me olhava nos olhos diante do espelho, colocou as mãos na minha cintura e me beijou o pescoço, orelha, me fazendo sentir arrepios, enquanto isso subiu sua mão esquerda ate meus seios acariciando-os, e a direita descia até minha grutinha enquanto seu dedo massageava meu grelo. Ai meu Deus, que sensação gostosa, que tesão ele me fazia sentir, e eu já sentia seu membro duro crescendo em minha bunda, eu gemia baixinho, me arrepiava, um calor enorme tomava conta do meu corpo, e uma sensação de frio percorria minha espinha, minhas pernas amoleceram, fiquei ofegante meu coração disparado, fechei meus olhos e deixei acontecer, fechei as coxas prendendo sua mão na minha buça e gozei gostoso melando seus dedos, quase desfaleci com tamanho prazer. Sem dizer uma palavra ele me virou de frente e me beijou na boca, um beijo meio acanhado, meu coração estava disparado e meu corpo ainda tremulo pelo gozo que eu acabara de ter, me conduziu pra cama, me deitou, tirou rápido sua bermuda e pude ver pela primeira vez o membro do meu irmão, que a pouco crescia em minha bunda. Estava duro, com a metade da cabeça vermelha coberta pela pele, mas babando seu mel viscoso e transparente, era firme, e balançando como o membro de um garanhão prestes a montar a égua no cio, sem tirar os olhos dos meus, veio sobre mim e me beijou com volúpia, correspondi ao seu beijo, nossas línguas se enroscaram e eu cheia de desejo e tesão por aquele macho já sentia minha bucetinha escorrendo. Como era gostoso sentir seu peso sobre meu corpo, seu peito roçando em meus seios com mamilos entumecidos, e sua pica pincelando meus lábios quentinhos e melados lá embaixo, louca pra entrar e vomitar seu esperma lá dentro. Pedi com voz chorosa: Vem, mete na minha buceta, me fode, me come, quero seu pau dentro de mim, quero ser sua, ele ajeitou seu membro na portinha da minha buceta e foi só empurrando e abrindo caminho no meu canal. Aquela carne dura entrava macio lubrificada com meu mel, ate atingir o mais profundo da minha fenda, e começou um vai e vem lento que depois foi aumentando de intensidade. Seu membro era grosso grande quente e pulsante com suas veias grossas e cheias de sangue por baixo daquela pele fina do seu cacete, demonstrava a virilidade daquele macho e o tesão que estava sentindo por mim. Eu estava inerte, como uma preza abatida, completamente entregue aos caprichos do meu predador, ele me fodia como um amante gentil e carinhoso, foi aumentando seu ritmo , seu cacete engrossando mais ainda, pressionando as paredes da minha bucetinha, sua respiração ofegante e nossos corpos suando, seu gozo estava próximo, estava chegando, eu o abracei forte e cruzando minhas pernas sobre as suas, prendendo-o a mim para que não tirasse seu pau da minha buceta, estava pronta pra receber todo o seu leite dentro de mim, e gemendo alto despejou uma torrente de porra em minhas entranhas, gozamos os dois ao mesmo tempo. Era uma coisa mágica, sureal estar na cama com meu irmão e tendo ele atolado dentro de mim, me beijando, me acariciando me enchendo com sua porra quentinha e grossa, meu macho, meu garanhão. Depois de me foder e me fazer sentir a irmã mais feliz do mundo, meu irmão saiu de dentro de mim , me beijou e deixou meu quarto ainda com seu pau meia bomba, tomei outro banho super feliz e fui dormir. Acordei cedo e a felicidade estampada em meu rosto era visível, arrumei a mesa do café e logo estávamos à mesa, eu meus irmãos e minha mãe que nem imaginava o que tinha acontecido a noite. Vi que meu irmão estava com cara de preocupado, talvez medo, mas com a minha alegria logo relaxou e tomamos nosso café da manhã.
No começo da noite meu irmão mais novo saiu dizendo ir a casa da namorada e que dormiria por lá, nossa mãe sairia pra mais um plantão noturno, mas ficou preocupada com meu irmão mais velho que disse estar com uma forte dor de cabeça, e pra deixar nossa mãe mais tranquila, eu disse que cuidaria dele, e ela nem imaginava como eu iria cuidar bem dele. Ficamos em casa só eu e meu irmão, lá pelas dez da noite fui me deitar, tomei meu banho e fiquei na cama completamente nua, eu sabia que meu irmão não iria perdes essa chance de vir ao meu quarto e me comer de novo, e eu estava louca pra que ele viesse logo, pois teríamos a noite inteira apenas pra nós. Não demorou muito e logo aporta se abriu pois ele tinha certeza que eu não trancaria, e me vendo pelada na cama do jeitinho que ele queria, foi se aproximando e se sentou ao meu lado. Ficamos ali, nos olhando um ao outro, e ele sem dizer uma palavra, fui tocando em meus pelos pubianos e fazendo carinhos naquela região, parecendo adivinhar que essa região é muito sensível pra mim e me deixa completamente acesa, passou a mão na minha bucinha , e abri um pouco as pernas pra facilitar, e ele se ajeitou colocando seu rosto nela, foi abrindo mais ainda minhas pernas e foi cheirando e lambendo minha xotinha. Sua língua passava de cima à baixo em meu clitóris me fazendo gemer baixinho aquilo era delicioso, sentir a língua quente do meu irmão explorando minha buceta e meu cuzinho, isso me dava arrepios, frio na espinha e logo meu gozo veio farto em sua boca e ele sugou todo o meu suco. Meu irmão veio sobre mime me beijou gostoso, eu retribui, numa forma de agradecimento, entrelaçando nossas línguas nesse beijo delicioso entre irmão e irmã. Ainda nos beijando ele foi me penetrando lentamente, carinhosamente até seu pau estar todo dentro, preenchendo todo espaço da minha buceta apertada, ele me fodia com movimentos lentos e acelerados, e quando estava prestes a gozar diminuía pra prolongar mais o prazer e me fazia gozar varias vezes até que não pode segurar mais e explodiu num gozo frenético dentro de mim. Eu me sentia nas nuvens, feliz, realizada plena, não tinha como descrever aquele momento nem aquele gozo fantástico. Naquela noite meu irmão me comeu varias vezes, minha buceta estava inchada de tanto levar pica, mas o ápce aconteceu quando ele comeu meu cuzinho ainda virgem, pois meu noivo nunca quis comer, tinha nojo, mas eu tinha loucura pra dar meu buraquinho e quando aquela pica grosa e grande do meu irmão me inaugurou fui ao delírio e gozei como nunca, ah como é gostoso dar o cu. Só bem de madrugada quando já estávamos saciados e exaustos adormeci, e nem vi meu irmão sair do meu quarto, eu estava adorando a pica do meu irmão, e a maneira como ele me comia, as transas com meu noivo já não me faziam mais falta ,eu tinha agora um substituto perfeito.

Mayara Nascimento. 20/09/2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *