Fazendo a minha esposa de putinha particular

Estamos juntos ha quase dez anos. Nos amamos muito e o sexo entre nós é sempre muito gostoso. Não há limites entre nós e principalmente ela sabe todos os meus desejos mais secretos. Eu sempre gostei de sair com homens e ela sempre me apoiou , me ajuda a me montar, costura minhas roupas especiais , me ajuda a escolher maquiagens e quando estamos juntos em drive-ins, é ela quem me estimula a sair da suite montada para desfilar no meio dos carros e cabines totalmente montada.

Ultimamente nossas transas tem sido espetaculares. Ela realizou meus desejos mais deliciosos envolvendo o mijo dela como eu sempre havia pedido e de uns tempos para cá, tenho muita vontade de vê-la com outro homem mas isso ainda não está amadurecido em nossa relação mas o que eu pedi para ela e ela topou realizar é assumir um papel efetivamente de puta em nossa relação.

Ela tem a buceta mais encantadora do mundo . Grande, peluda, cheirosa e muito, muito macia.Eu particularmente acho um desperdicio de buceta só eu comê-la. Por ser tão saborosa, muitos homens deveriam experimentar e ter a mesma sensação prazerosa que eu tenho ao saborear.

A primeira vez que eu a chupei senti um sabor tão gostoso que nunca mais quis me afastar dela.

Desta vez, quero experimentar a buceta da minha puta mais do que especial.

Chegamos no local combinado. Ela entrou no meu carro, nao nos beijamos como sempre fazemos porque afinal, putas nao beijam no primeiro contato. Fui direto para o lugar que eu disse a ela que costumo levar as putas que costumo comer. É um lugar bem imundo, lugar de putas das bem vagabundas, daquelas que falam palavrão, que dão para dez homens por dia e que quase não se limpam. São as melhores. tem gosto de puta, cheiro de puta, sabor de puta e putas assim, sao especiais porque me leval a um outro nivel de excitação

Entramos no tal quarto e eu desta vez, não tirei a minha roupa. Ela estava vestida de forma diferente do habitual. Estava vestida com roupas de uma puta vagabunda. Roupas simples cheirando a sexo, de quem meteu dentro do carro de clientes, de caminhoes de beira de estrada e que se mijaram e nao se secaram direito. Enfim, cheiro de puta. Acho que vocês entenderam a descrição.

Esperei ela tirar as roupas que achava que tinha q tirar para ficar apenas com a lingerie que queria ficar. Uma calcinha minuscula, ja imunda de sexo escorrendo da buceta, cujo o cheiro da p sentir de onde estou. Um tesao

Agora eu vou tirar a sua roupa , seu corno. Ela me diz, vindo em minha direção na cama. Eu só permaneci deitado e ela me deixou completamente deitado

Seu cachorro, depravado. Seu tarado do caralho. Vou te engolir este pinto como vc nunca imaginou que uma puta sabe engolir. Continuou dizendo

Me levantei da cama ja pelado e de pé, meti a minha rola na boca dela p conferir se ela estava falando a verdade mesmo sobre a chupada que iria me dar. FIcou muito tempo me engolindo a rola e babando nela com as mãos na minha bunda. Eu socava com força e sem dó dentro daquela garganta deliciosa , apertando os peitos gostosos que ela esfregava na minha perna

Foi então que ela segurou minha rola com as duas mãos e começou uma deliciosa punheta, cuspindo na cabeça do meu pau e esfregando as mãos com força p cima e p baixo! me segurei para nao encher aquela boca que me chupava como nunca havia me chupado antes.

Peguei-a então pelos braços, coloquei-a de quatro empinando sua bunda linda deixando aquele cu gostoso bem a mostra e pude perceber que aquela puta deliciosa estava com a buceta aberta e pingando de tesão .

Aquele clima de putaria estava fazendo com que ela também ficasse cada vez mais estimulada e para ajudar, antes de cair de boca naquele bucetão enorme bem na minha frente, dei uma lambida forte e sublime naquele cu doce e macio.

Agora vou meter a minha lingua nesta sua buceta arrombada, sua puta depravada. È isso que voce quer, não é? perguntei

Mete a lingua bem fundo seu filho da puta, vai, me fode com esta lingua e sente meu suor quentinho que esta escorrendo p vc secar. Resmungou.

Foi a ordem que eu precisava para cair imediatamente com minha boca naquela buceta enorme , que é a buceta que eu sempre sonhei. Linda, doce e peluda…um pelo cheiroso, macio, enebriante como devem ser todas as bucetas de putas deste mundo de putarias.

Segurei aquela bunda linda, macia e durinha de uma puta vagabunda, como eu sempre sonhei segurar, totalmente a minha disposição, me deitei na altura certa da buceta dela e meti a minha lingua dura naquela fenda aberta e escorrendo.

Ela gritava “ Enfia, vagabundo, enfia esta lingua até me fazer gozar seu viado, filho da puta. Me faz me sentir a sua vadia” E eu me animava ainda mais com aquelas palavras chulas e metia mais e mais fundo. Aquele liquido rosa, doce e intenso escorrida sem parar, era uma mistura de doçura do mel com o mijo que eu tanto amo. Eu me segurava para não gozar ali mesmo.

Fiquei meia hora ali, sorvendo cada gota, ouvindo cada palavrão que saia daquela boca imunda de puta em que minha mulher se transformara. Era intenso, delicioso e a realização de um sonho.

Com a lingua já cansada e desejando mais daquela puta vadia, me deitei com o pinto apontado para o teto e a mandei sentar com a bucetona bem na minha boca. Ela ficou de pé bem em cima da minha cabeça. olhar a bunda dela, bucetona pingando em mim era simplesmente maravilhoso. Começou a se abaixar em direção a minha boca. Se sentou e começou a se esfregar devagar na minha boca. Foi aumentando o ritmo até se esfregar loucamente em mim, seu liquido lubrificava tudo e nao permitia que minha barba a machucasse.

A buceta da minha puta vadia que já era bem aberta , como eu sempre quis, agora estava ainda mais ampla. Mais receptiva e eu podia ter quase certeza de que se quisesse, poderia enfiar minhas mãos e meu braço inteiro nela, tamanha a abertura do tesao com que ela se encontrava naquele momento.

Ela sentada em mim, se arqueou por um instante e com a boca e as mãos novamente abocanhou meu pau que também já estava pingando uma porra suave, e como ela não aprecia o sabor, limpou com as maos, e engoliu a cabeça com ganância.

Enquanto isso eu chupava e sorvia cada gotinha que saia daquela bucetona deliciosa que estava sobre a minha boca. Ela com a minha rola na garganta, saboreando como uma profissional experiente.

Eu me levantei, coloquei-a de pernas arreganhadas deitada de lado na cama, cuspi na palma da minha mão e passei na cabeça da minha rola. Depois me abaixei um pouco e cuspi também na buceta dela e avisei:

Agora vou arregaçar você, sua piranha, de tanto meter minha piroca nesta buceta toda arrombada.

Ela gemendo de tesao, ainda tinha energia para gritar como uma vadia:

Então mete, seu puto, safado do caralho. Quero ver sua rola entrando e batendo forte dentro de mim até me arregaçar inteira, vai, seu viado.

Aquilo me deixou com um tesão tão grande que eu a agarrei com tanta força, puxei-a em minha direção empurrando minha rola para dentro daquele buraco enorme fazendo bater fundo naquele útero já cansado de tanto levar rola. Eu só queria que a minha puta fosse cada vez mais vadia, cada vez mais vagabunda e não havia limite na minha cabeça para que ela sentisse mais e mais prazer dando a buceta.

Eu estava disposto a fazer tudo o que ela quisesse. Ela que já era minha dona há tanto tempo, agora era uma puta dominadora de um servo a sua disposição, realmente disposto a realizar cada desejo daquela vadia .

Eu bombava mais e mais forte. Meu pinto crescia de uma maneira que eu nunca tinha experimentado antes. Era incrível a sensação de possuir e de ser possuído. Eu sentia o gozo se aproximando. Eu só queria agarrar aqueles peitos deliciosos e não soltar nunca mais. Enfiar todas as minhas extremidades em cada um daqueles orifícios lubrificados e gozar sem parar e depois beber cada gota do gozo explêndido daquela mulher maravilhosa.

Gozei por mim, gozei por minha alma gozei como nunca havia gozado antes nem com ela nem com ninguem. Ela era a realização da minha vida. Tirei minha rola da buceta inchada e toda lambuzada daquela vagabunda e cai com a boca aberta para ter tempo de sugar cada gota daquele mel que começaria a escorrer devagar, depois com mais intensidade e encheria a minha boca em um gozo de uma puta dominante e dominada, plena, apaixonante e singela ao mesmo tempo.

Sorví cada gota, seguiu-se a mijada de sempre depois do gozo, bebi também,como sempre faço nestas horas. Me senti o cliente mais feliz do mundo. Abracei minha mulher com carinho, com amor e desejo, aquele mesmo desejo que sempre tenho depois de cada momento de amor, seja com ela travestida de putona ou de minha eterna namoradinha.

Sempre é muito bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *